Busca

Tag: reisado


12:11 · 20.03.2018 / atualizado às 15:18 · 20.03.2018 por
Mestre Antônio (ao centro) e o Reisado Serraria na abertura do Dia de Reis. (Foto: Divulgação/Prefeitura)

Crato. A cultura popular do Município está de luto. O líder do Reisado Serraria, Antônio Higino Teixeira, conhecido como mestre Antônio Carreiro, de 75 anos, foi assassinado na tarde ontem (19). Seu corpo foi encontrado por volta das 17h30, pelos seus vizinhos, que notaram a porta de sua casa aberta e a faca suja de sangue. Seu sobrinho, o agricultor José de Freitas, 50, confessou o crime.

A polícia foi avisada e uma patrulha do Policiamento Ostensivo Geral (POG) esteve no local. Segundo a perícia, foram quatro lesões: duas no tórax, uma no pescoço e outra nas costas. O suspeito disse aos oficiais que teve uma discussão com Antônio e atribuiu o assassinato a um momento de surto.

Os dois moravam no Sítio Serraria, no distrito de Bela Vista, cerca de 9 km da sede de Crato. Foi lá que o Mestre Antônio Carreiro formou o grupo de reisado da comunidade, reunindo jovens e crianças. Seu grupo foi responsável por abrir os festejos do Dia de Reis, no último dia 6 de janeiro, na Praça da Sé. Sua última apresentação aconteceu uma semana após o carnaval, na terreirada do Mestre Caboclo.

O secretário de Cultura de Crato, Wilton Dedê, lamentou a morte de mestre Antônio Carreiro, pois, além de ser um dos mestres mais antigos, ele era muito respeitado e querido pelos outros líderes da cultura popular cratense. “Ele era muito criativo, sempre inovava e se sustentava da tradição. É uma perda grande. Uma lacuna”, afirma.

Por outro lado, Wilton Dedê acredita que o grupo deve continuar, já que o Reisado Serraria trabalhava com um “contra-mestre”, Antônio de Helena, que já tinha sido orientado por outros mestre a assumir. No entanto, ele não quis liderar o grupo em respeito ao Mestre Antônio Carreiro.

12:00 · 13.02.2018 / atualizado às 13:10 · 13.02.2018 por
Mestre Aldernir comandou o reisado no terceiro dia de Carnaval. (Fotos: Antonio Rodrigues)

Crato. Os grupos de tradição popular não ficaram de fora do Carnaval cratense. Na noite de ontem (12), o reisado do Mestre Aldenir coloriu a Praça Siqueira Campos, antes da roda de coco e a banda de frevo. O Grupo Quinteto encerrou a noite com muito samba e axé dos anos 90, até a meia noite. Hoje (13), a partir das 18h, um grande encontro de tambores encerra a festa junto com apresentações de bandas locais.

Os grupos, selecionados pelo projeto “Tambores do Cariri”, que vai até abril de 2018, reuniu maracatus e afoxés, desde a última sexta-feira. Para o secretário de Cultura de Crato, Wilton Dedê, houve um considerável aumento de público e, também, de participação de grupos, em relação ao ano passado. “A festa está muito acima do esperado. Desde a sexta-feira, já foram mais de 20 grupos”, pontua o titular da Pasta.

O estudante Franklin Arruda acredita que o poder público, finalmente, viu o potencial do carnaval de rua no Município. “O Carnaval do Crato tá sendo muito bom. Se tocaram que dá certo, é legal, é interessante. Enfim, é felicidade, brincadeira e alegria”, completa o folião.

Nestes quatro dias de festa não foram identificados nenhum incidente, até agora. A celebração da festa acontecerá com um grande encontro de tambores, reunindo banda cabaçal, maracatu e afoxés. “Vamos prezar pela africanidade presente no Crato que sempre esteve na periferia. Pela primeira vez, ela veio para o coração da cidade”, exalta Wilton Dedê. Além disso, cinco bandas encerrarão a festa.

 

10:47 · 10.01.2018 / atualizado às 10:47 · 10.01.2018 por
Mais de duas mil pessoas são esperadas. (Foto: Divulgação/Prefeitura)

Crato. Tombado em 2015, por lei municipal, como Patrimônio Cultural e Imaterial, a festa da Santa Cruz da Baixa Rasa chega a sua 104ª edição, no próximo dia 25 de janeiro. Fixada no calendário cultural da cidade e da Região do Cariri, o evento terá início às 7h com concentração de fiéis em frente à Capela do Lameiro, seguido da missa às 9h e posterior cavalgada.

O Secretário de Cultura do Crato, Wilton Dedê esteve ontem (9), na Chapada do Araripe, local onde é realizada a festa, junto dos parceiros, Secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial Brito Júnior; O Diretor do Demutran Daniel Aquino e Verônica Maria Figueiredo, Chefe da Flona Araripe-Apodi, para juntos moldarem a programação desse dia especial onde se celebra a fé nordestina.

Ao todo, são esperadas mais de duas mil pessoas para a festividade, dentre estas 500 vaqueiros. Entre as apresentações culturais da festa, estão o Reisado do Mestre Aldenir, a Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto e a Lapinha da Mestra Zulene.

Há mais de 100 anos a festa reconta a história de coragem e fé do vaqueiro que passava pela região montado em seu cavalo, quando se perdeu na Chapada do Araripe. Pedindo ajuda aos céus, o homem parou para descansar e rezou para que alguém aparecesse. Os mais velhos contam que ele ficou perdido por dias e apenas em seu último sopro de vida foi notado por outros vaqueiros que ali passavam. Infelizmente, era tarde demais. O vaqueiro foi enterrado ali mesmo, junto de seu cavalo. Hoje, ao redor de seu túmulo, milhares de devotos fazem suas preces no intuito de homenagear sua fé e pedir milagres ao Criador.

07:57 · 04.01.2018 / atualizado às 07:57 · 04.01.2018 por
Quatro terreiradas acontecem nos próximos dois dias. (Foto Samuel Macedo)

Juazeiro do Norte. Com dez dias de festas, o projeto Ciclo de Reis já realizou, até o dia 3 de janeiro, 16 terreiradas em diversos bairros da cidade, totalizando, 48 apresentações de grupos entre guerreiros, reisados, bandas cabaçais, lapinhas e cocos. Realizada pela Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com a Ong Zaíla Lavor, as festa chega nos seus últimos três dias. No sábado (06), Dia de Reis, um grande cortejo percorrerá o centro.

Ao todo, o projeto Ciclo de Reis realizará 20 terreiradas. Elas acontecem de forma descentralizada em diversos bairros da cidade onde há a incidência de grupos da tradição popular em Juazeiro do Norte. A ideia dos eventos é estimular a economia criativa e a interação entre os grupos.

A Coordenadora do Ciclo de Reis, Maria Gomide, explica que o Projeto também vem buscando proporcionar uma fraternidade entre os brincantes. Exemplo disso, é a visita que os Mestres e seus brincantes tem feito aos terreiros dos amigos mediante convite do próprio anfitrião. O objetivo também é proporcionar momentos de paz, uma vez que nesse período do ano, aconteciam algumas rivalidades entres os grupos.

O Projeto Ciclo de Reis foi construído democraticamente com a participação dos grupos, de forma que pudesse contemplar a todos da melhor forma possível. A programação e os locais de apresentação foram determinados a partir do desejo dos grupos.

“Os Mestres escolheram os dias de suas apresentações e também quais os outros grupos que queriam convidar para os seus terreiros. Isso é uma integração e é muito bonito de ver a presença das comunidades assistindo as brincadeiras, com pessoas de todas idades. A gente vê o brilho nos olhos das crianças e dos adultos, todo mundo assistindo a cultura com grande encantamento”, comenta Maria Gomide.

Outra característica marcante das terreiradas é a produção e distribuição de alimentos para os brincantes e para aqueles que vão assistir. Entre os mais populares, está o mugunzá que é servido enquanto as brincadeiras acontecem. Para enfeitar o ambiente, os terreiros estão sendo ornamentados com bandeirolas, palhas de coqueiros e iluminação artificial.

Programação das Terreiradas

04/01 (quinta-feira)
Mestre Valdir e Reisado Arcanjo Gabriel. Convidados: Reisado São Luiz, Reisado Manoel Messias, Reisado Santo Expedito.
Local: Avenida 31 de março, 2117, Jardim Gonzaga
Mestre Dede e Reisado Santa Helena. Convidada: Reisado Frei Damião.
Local: Cras Frei Damião
Horários: 18 horas

05/01 (sexta-feira)
Mestre Tarcisio e Reisado São Miguel. Convidado: Reisado Renascer a Tradição.
Local: Travessa Pio Norões
Mestre Bagaceira e Reisado São Jorge. Convidado: Reisado Nossa Senhora das Dores.
Local: Rua Jos´´e Mauricio Alves de Moreira, 52, Aeroporto

10:17 · 28.12.2017 / atualizado às 10:17 · 28.12.2017 por
São mais de 100 apresentações até dia 6 de janeiro. (Foto: Antonio Rodrigues)

Juazeiro do Norte. O Ciclo de Reis segue animando a programação de fim de ano. Até esta quarta-feira (27), a Secretaria Municipal de Cultura estima que um público de pelo menos 4 mil pessoas assistiu as apresentações dos grupos da tradição popular, que já se estiveram na Praça Padre Cícero, nos bairros João Cabral, Triângulo e Pio XII. Na noite de hoje, a programação estará mais uma vez no João Cabral, a partir das 18 h, com o Guerreiro Santa Madalena (Mestra Iara) e Reisado São Francisco (Mestre Dodô), nas ruas Jayme Dorcy e Farias Brito.

O projeto Ciclo de Reis, pioneiro em toda a Região do Cariri, tem uma vasta programação até o dia 06 de janeiro. Composto por cerca de 100 apresentações, envolvendo mais de 40 grupos entre reisados, lapinhas, guerreiros, maneiro-paus e bandas cabaçais, o evento está contribuindo para trazer de volta uma tradição que com o passar dos anos foi se perdendo nas apresentações dos grupos, principalmente, de reisado.

Como critério para a participação no projeto Ciclo de Reis, todos os grupos foram convidados a incluir nas suas apresentações pelo menos cinco personagens que integram a dramaturgia dos reisados, como o jaraguá, o lobisomen, a noiva, entre outros.

Esses personagens que encantam crianças e adultos foram construídos durante a oficina realizada no Núcleo Marcus Jussier pelos próprios brincantes, através de uma das primeiras ações do Centro de Artes do Cariri, que funcionará sob a coordenação da Cia. Carroça de Mamulengos, em parceria com a Secretaria de Cultura de Juazeiro do Norte, no Núcleo de Arte, Educação e Cultura Marcus Jussier, no Bairro Pirajá.

As apresentações desta quarta-feira, 27, foram realizadas no Bairro Pio XII, com o Reisado do Manoel Messias (Mestre Cicinho) e, mais uma vez, no Bairro João Cabral, com o Reisado Discípulos do Mestre Pedro, conhecido popularmente como Reisado dos Irmãos.

13:48 · 08.12.2017 / atualizado às 13:48 · 08.12.2017 por
Oficinas iniciam os preparativos para o Ciclo de Reis. (Foto: Samuel Macedo)

Juazeiro do Norte. A Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Núcleo de Educação, Arte e Cultura Marcus Jussier, está realizando uma série de ações para o fortalecimento das manifestações culturais populares. O trabalho inicia os preparativos para o Ciclo de Reis, entre de 25 de dezembro a 6 de janeiro, dentro da Programação do Natal de Paz.  A coordenação do projeto solicitou que todos os reisados tenham, no mínimo, cinco entremeios – personagens como o boi, o jaraguá e outros – em suas brincadeiras, e a presença de instrumentos musicais de harmonia acompanhando os festejos.

Para que isso seja possível, estão acontecendo oficinas de construção de bonecos, costura, bordado e adereços no Marcus Jussier, além da formação de músicos para acompanhar os grupos de reisado. A perspectiva é que nesse ano, 100 novos personagens sejam confeccionados, além do fortalecimento da musicalidade dos grupos através da presença de novos tocadores em todas as brincadeiras.

Centro de Artes do Cariri

O Ciclo de Reis também marca o início do Centro de Artes do Cariri, uma escola de saberes populares que está sendo implantada no Núcleo de Arte Educação e Cultura Marcus Jussier.  O objetivo é integrar e fortalecer o programa de residências artísticas que a Secretaria de Cultura vem implementando como meio de ocupação dos equipamentos da Cultura pelos grupos e artistas locais.

O Centro de Artes é organizado pela Cia Carroça de Mamulengos, com o patrocínio da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará em parceria com a Secult de Juazeiro do Norte..

04:55 · 05.10.2017 / atualizado às 04:55 · 05.10.2017 por

 

Juazeiro do Norte. A Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), enviou para licitação o projeto de reforma do Núcleo de Arte, Educação e Cultura Marcus Jussier. Com a reforma, o equipamento passará a ser Centro de Arte Popular do Cariri. O investimento está avaliado em R$ 700 mil. O projeto, autorizado pelo Prefeito Arnon Bezerra, será de grande relevância para a valorização dos que fazem a cultura no Município, que, pela primeira vez, terão um espaço exclusivo para as ações nesse âmbito.

De acordo com a Secretária de Infraestrutura, Gizele Menezes, a qual é autora do projeto, a concepção do Centro de Arte Popular do Cariri conta com o uso de elementos da cultura local, através de objetos que a caracterizam fortemente, tais como painéis em ACM colorido (alumínio) que remetem às fitas de lembrança da cidade, e algumas peças de revestimento em 3D da fachada, com aço inox, relembrando os espelhos utilizados nas roupas do reisado.

Fachadas imponentes

“Tal revestimento 3D, trata-se apenas de pisos sextavados em concreto. A ideia foi utilizar um material de baixo custo e amplamente encontrado na região, mas que proporcionasse o mesmo efeito dos revestimentos de alto custo. A criação de uma fachada mais imponente e mais resistente às mudanças climáticas, também fez parte do nosso objetivo”, destacou.

O projeto contemplou, além de toda a carga cultural e estética, uma ampla reforma interna com adequação da edificação às normas de acessibilidade, criação de uma lanchonete aberta ao público e de alojamentos masculino e feminino para artistas de fora que necessitem de hospedagem. Além disso, será criado um pátio frontal para apresentações culturais ao ar livre, com murais de pinturas em estilo xilogravura e um novo estacionamento.

Escola de saberes

Para a diretora do Núcleo, Maria Gomide, o local será também um espaço que servirá como museu, expondo as histórias dos grupos de tradição. A meta é transformar o Centro em uma escola livre para transmissão de saberes populares, reunindo todos os que fazem a cultura no Município, tornando Juazeiro do Norte e o Cariri um território de referência à cultura popular no Brasil.

Para a concepção do projeto, a secretária de Infraestrutura já realizou visitas ao espaço e conversou com a direção do Núcleo, com a finalidade de inserir elementos que contemplem às necessidades dos artistas e suas diversas formas de expressão.

06:35 · 28.09.2017 / atualizado às 09:46 · 28.09.2017 por
Reunindo artistas de vários segmentos, o Conselho foi eleito na manhã de ontem, 27. (Foto: Helio Filho)

Juazeiro do Norte. Os novos membros do Conselho Municipal de Cultura foram eleitos na manhã de ontem (27), no Memorial Padre Cícero. Em clima de tranquilidade, os artistas de cada segmento presente puderam participar de debates e das reuniões que elegeram por aclamação os novos conselheiros. O Conselho é um órgão colegiado com caráter deliberativo e consultivo, vinculado ao Poder Executivo, que tem o poder de controle sobre as ações públicas, ou seja, sobre os planos e orçamentos.

O Secretário de Cultura, Alemberg Quindins, avaliou de forma positiva o resultado da Assembleia. Ele destacou a intenção do Prefeito Municipal Arnon Bezerra em retomar os debates sobre a Cultura de Juazeiro do Norte e do Cariri. “Nós temos o pensamento de uma plataforma menos festiva e mais estrutural e uma responsabilidade que é transformar nossa realidade em algo melhor do que ela está. Para isso, precisamos de integração entre o poder público e os segmentos artísticos”, destaca o Secretário

O novo Conselho Municipal de Cultura é um dos componentes obrigatórios do Sistema Municipal de Cultura e terá vigência de 2 anos. Seu objetivo é garantir a participação da sociedade civil, no planejamento das ações culturais do Município em parceria com o Estados e a União.

De acordo com a Diretora de projetos e políticas culturais da Secult, Maria do Carmo Carvalho, o próximo passo é que cada segmento artístico crie seu fórum para a realização de reuniões e estudos das leis que regem as políticas culturais. “A Secretaria de Cultura está dando início a um processo. O papel do Conselho é manter o controle das ações culturais do Município. Ele está formado e agora seus membros devem dar sequência aos trabalhos”, comenta Maria do Carmo Carvalho.

Sistema Municipal de Cultura

O Conselho Municipal de Políticas Culturais é um dos componentes obrigatórios do Sistema Municipal de Cultura, advindos do Sistema Nacional de Cultura -MinC, que visa garantir a participação da sociedade civil, no planejamento e orçamento para as ações de municípios e estados, em parceria com a União. Assim é criada e organizada a política de Estado da Cultura no país.

O Sistema Municipal de Cultura foi criado através da lei municipal de nº 4001 de 14 de maio de 2012. Essa lei define os princípios, objetivos, estrutura, organização e gestão da cultura municipal e reforça a institucionalidade dos componentes que definem a estrutura do sistema municipal, podendo citar a Secretaria de Cultura e o Conselho Municipal de Política Cultural como já instituídos, bem como o fundo municipal, que faz parte do programa de incentivo à Cultura do município, o PAIC.

Novos Conselheiros

Os novos membros do conselho, titulares e suplente, são representantes de vários segmentos artísticos. Entre eles:

Artes Cênicas

Membro titular: Lucion Caeira

Suplente: João Alves

Artes Visuais

Membro titular: Petrônio Sampaio Alencar

Suplente: José Stênio Diniz

Associações

Membro titular: Josiel Bernardo da Silva

Suplente: Francisco Josué Farias da Silva

Literatura

Membro titular: Maria do Rosário Lustosa

Suplente: Arnaldo Damásio da Silva

Música

Membro titular: Lindemberg Alves Costa

Suplente: Luciano Pimentel Brayner

Tradição popular

Membro titular: Carlos Alberto Gomide de Freitas

Suplente: José Nilton do Nascimento de Souza

08:42 · 22.09.2017 / atualizado às 08:44 · 22.09.2017 por
Representantes de grupos de Tradição Popular também poderão compor o conselho (Foto: Antonio Rodrigues)

Juazeiro do Norte. Na próxima quarta-feira (27), às 8 horas, irá acontecer a Assembleia geral para a reativação do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC). A reunião será realizada no Memorial Padre Cícero e foi articulada pela Secretaria de Cultura, que convida todos os setores culturais da cidade para eleger seus representantes da sociedade civil. O Conselho é um órgão colegiado com caráter deliberativo e consultivo, vinculado ao Poder Executivo, que tem o poder de controle sobre as ações públicas, ou seja, sobre os planos e orçamentos.

O Conselho Municipal de Política Cultural de Juazeiro do Norte foi criado pela Lei Municipal de nº 3259, de 04 de abril de 2008, e regulamentado pelo Decreto 383 de 26/01/2010, e rege-se pelo Regimento Interno de 14/02/2010. Este espaço tem como objetivo promover a participação democrática dos vários segmentos da sociedade, que integram a ação cultural no Município, visando garantir a todos o pleno exercício dos direitos culturais e o acesso às fontes da cultura nacional, além de apoiar e incentivar a valorização e a difusão das manifestações culturais.

O Conselho é paritário, com seis representantes da Sociedade civil, que representam as linguagens da Cultura: artes cênicas (teatro, dança, circo), literatura, música, artes Visuais (desenho, pintura, escultura, gravura, design, artesanatos, fotografia, vídeo, produção cinematográfica e arquitetura) tradição (cultura popular, patrimônio)  e associações culturais; e seis  do Poder Público. Sendo um titular e um suplente em cada representação, conforme a Lei 4.313 de 22 de maio de 2014.

O Conselho Municipal de Políticas Culturais é um dos componentes obrigatórios do Sistema Municipal de Cultura, advindos do Sistema Nacional de Cultura – MinC, que visa garantir a participação da sociedade civil, no planejamento e orçamento para as ações de municípios e estados, em parceria com a União. Assim é criada e organizada a política de Estado da Cultura no país. O papel importante para a construção de políticas públicas é a implantação do CPF da Cultura, que se dá através do Conselho, do Plano e do Fundo Municipal de Cultura.

Com a reativação do Conselho, a principal meta a se cumprir será a regulamentação do Fundo Municipal de Cultura e a atualização e monitoramento do Plano Municipal de Cultura, os quais garantirão a formação, a criação, a produção e a difusão das políticas culturais em Juazeiro do Norte.

15:29 · 04.01.2017 / atualizado às 15:29 · 04.01.2017 por

1

A forte Tradição Cultural da região do Cariri, marcada pelas conhecidas apresentações de Reisado e saberes dos Mestres, é evidenciada no dia 6/1, quando se comemora o Dia de Reis. Celebrando a data, o Sesc realiza o I Seminário Políticas Públicas para Mestres e Brincantes da Tradição nos dias 4 e 5/1, bem como shows musicais, tradicionais apresentações de Reisado e Lapinha na missa campal em Juazeiro do Norte. A programação é realizada em parceria com o Centro Cultural do Banco do Nordeste CC(BNB).

O I Seminário Políticas Públicas para Mestres e Brincantes da Tradição visa discutir propostas que garantam a manutenção dos grupos de Reisado, compreendendo-os como patrimônio imaterial da região e valorizando as comunidades nas quais estão inseridos. Busca-se pensar meios para viabilizar mais espaços para a apresentação e transmissão de saberes a partir das necessidades apontadas pelos grupos.

Além das mesas de discussão do Seminário, a programação inclui também apresentações de Reisado no Terreiro da Mestra Margarida, na Unidade Juazeiro do Sesc e show com o artista Geraldo Junior no Teatro Sesc Patativa do Assaré. Um cortejo pelas ruas de Juazeiro do Norte e a realização de Missa campal de Reis também faz são atividades realizadas em celebração ao Dia de Reis.

PROGRAMAÇÃO
Dia 04, quarta-feira

Mesa Redonda: Rosemberg Cariry (Escola de Saberes), Alemberg Quindins (Secult – Juazeiro do Norte), Josiel Bernardo (Sesc), Ricardo Pinto (Banco do Nordeste), Daniel (Pro-reitor PROCULT UFCA)
Local: Teatro Sesc Patativa do Assaré/ Unidade Juazeiro do Sesc
Horário: 17h

Apresentação do Reisado São Luiz de Juazeiro do Norte
Local: Terreiro da Mestra Margarida/ Unidade Juazeiro do Sesc
Horário: 20h

Dia 05, quinta-feira
Mesa Redonda: Renato Dantas (Territórios Criativos), Padre Cicero (Basílica Nossa Senhora das Dores), Fabiano Piúba (SECULT), Mestre Expedito (Banda Cabaçal Padre Cicero), Mestra Marinês (Coco Frei Damião)
Local: Teatro Sesc Patativa do Assaré/ Unidade Juazeiro do Sesc
Horário: 17h

Show com Geraldo Junior
Local: Teatro Sesc Patativa do Assaré/ Unidade Juazeiro do Sesc
Horário: 19h

Dia 06, sexta-feira
Cortejo cultural com grupos* de Reisado de Juazeiro do Norte
Local de saída: Praça da Prefeitura – Juazeiro do Norte
Horário: 16h

Missa campal de Reis: Benção dos Mestres e Brincantes da Tradição
Local: Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Juazeiro do Norte
Horário: 17h

Apresentação dos *Grupos de Reisado e Lapinha
Local: Terreiro da Mestra Margarida/ Unidade Juazeiro do Sesc
Horário: 17h30