Busca

Tag: shopping


11:44 · 09.03.2017 / atualizado às 11:52 · 09.03.2017 por
Protesto iniciou na última segunda-feira (Foto André Costa)

Juazeiro do Norte. Quatro dias após serem instaladas numa das paradas de ônibus mais movimentadas da cidade, ao lado do shopping center, na Avenida Castelo Branco, as sombrinhas que simbolizavam protesto contra às péssimas condições dos pontos de espera dos passageiros, foram roubadas. Na noite desta quinta-feira, apenas dois dos quatro guarda-sóis ainda estavam na parada.

O Coletivo Cubo Urbano, grupo composto por acadêmicos e que foi responsável pela instalação das sombrinhas, comentou que “o fim da intervenção já estava previsto, pois o objetivo principal do protesto foi atingido”. Os estudantes rechaçam a hipótese de que o fim esteja ligado ao roubo das sombrinhas. Quem passou pela parada de ônibus hoje pela manhã, criticou o roubou.

>> Relembre: Sombrinhas instaladas em paradas de ônibus de Juazeiro expõem condições precárias

“Quando boas pessoas surgem boas ideias em prol da coletividade, vem um delinquente e interfere negativamente, roubando um objetivo que certamente pra ele terá pouca ou nenhuma serventia. É lamentável o roubo mas é digno de aplauso a intervenção. Que isso [protesto] abra os olhos dos gestores”, ponderou o enfermeiro Oliveira Custódio Sobreira.

Fique por dentro
Na última segunda-feira, um grupo de 15 estudantes universitários instalou quatro sombrinhas na parada de ônibus ao lado do shopping para que os passageiros pudessem se abrigar do sol. O objetivo, segundo eles, era “reivindicar melhorias nos espaços públicos”, um grupo de 15 universitários que compõem o “Cubo Urbano”.

De acordo com a Secretaria de Segurança e Cidadania do município, “será iniciado um trabalho de mapeamento nas paradas de ônibus e moto-taxi para identificar quais locais precisam de manutenção e em quais pontos precisam ser criadas novas paradas”. A pasta não informou o prazo para inicio nas obras.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

10:00 · 07.02.2017 / atualizado às 10:08 · 07.02.2017 por

 

Juazeiro do Norte. Dono de uma mente inquieta e amante da natureza, o mecânico Luciano Andrade, encontrou no ofício o dom da transformação. O lixo do ferro velho, as sucatas simplesmente descartadas por muitos, para o artista é matéria prima. Luciano fez do pensamento de Antoine Lavoisier, uma verdade absoluta: “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

Ele encontrou uma forma inteligente e criativa de ajudar o meio ambiente, deixar os lugares mais bonitos e ainda por cima, ganhar dinheiro. Apenas com ferro velho, solda elétrica, graxa e verniz, o artista produziu 15 peças que estarão em exposição no mall do Cariri Garden Shopping até o dia 18 deste mês.

A exposição tem como tema “Ferro: Moldando a Natureza”. O evento conta ainda com o apoio do Centro de Referência Casa da Pedra, do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Sebrae.

Reflexão

Mais do que impressionar com as obras de arte, a ideia da exposição é suscitar reflexões. O público será instigado a pensar sobre a importância da preservação do meio ambiente, a necessidade da reciclagem e um consumo mais consciente que leve à redução na geração de resíduos.

As peças inusitadas são feitas através de encaixe. Sua obra leva apenas solda, e muito jeito e criativa para cortar, dobrar como um enorme quebra-cabeças de ferro.

Natural da cidade do Crato, Luciano Andrade reside atualmente em Nova Olinda, também na região do Cariri, onde descobriu seu dom. Um sonho que aos poucos ganha forma e os olhos da sociedade, já que essa é a primeira vez que tem suas obras em uma exposição.

Entre as peças o latão ganha forma de cachorro, cavalo, aranha, jacaré, camaleão, coruja e até de um tiranossauro rex. As peças estão à venda e podem ser retiradas no último dia da exposição. A curadoria é de Ypsilon Félix.

(Clique nas imagens para ampliá-las) 

Serviço
Exposição Ferro: Moldando a Natureza
Local: Cariri Garden Shopping
Data: 06 a 18 de Fevereiro

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

08:30 · 02.02.2017 / atualizado às 10:10 · 02.02.2017 por

Juazeiro do Norte. De 29 a 12 de fevereiro os apaixonados por futebol e pelo Icasa poderão conhecer melhor a história de um time que, ao longo dos quase 54 anos, emocionou e encantou milhares de pessoas. A exposição do Verdão do Cariri é uma verdadeira viagem no tempo.

Fotos preto em branco relembram os primeiros passos do que um dia se tornaria o orgulho de uma cidade. O passeio pelas lembranças do time tem uma data marcante, o ano de 2013 quando o Icasa ficou a um ponto da série A do Campeonato Brasileiro, a elite do futebol. Hoje, o time alviverde luta para retornar a série A do Campeonato Cearense e quem sabe ao brasileirão.

Para voltar a empolgar a torcida, o Icasa irá apresentar no próximo sábado, 4 de fevereiro, às 19h, o novo uniforme da equipe num desfile, com participação dos jogadores. Outra novidade será a apresentação do time feminino de futebol do Icasa. Tudo no espaço localizado próximo a loja Sérgios.

Já neste domingo, dia 5, os apaixonados por futebol poderão participar do Campeonato de Embaixadinha. A programação gratuita está marcada para começar às 15h. As inscrições podem ser feitas na própria exposição e quem fizer mais embaixadinha, tem premiação. O terceiro e o segundo lugar irão ganhar uma bola de futebol oficial, já o primeiro lugar, além da bola, leva também uma camisa oficial do Verdão do Cariri.

Serviço
Exposição Icasa – A Fé nos Conduz a Vitória
Local: Cariri Garden Shopping
Data: De 29 a 12 de fevereiro
Entrada Gratuita

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018 ou ligue para nossa redação: (88) 3572-4214. Sua sugestão também pode ser enviada para o e-mail: andre.costa@diariodonordeste.com.br

15:41 · 07.11.2016 / atualizado às 15:47 · 07.11.2016 por

Juazeiro do Norte. O Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) apresentou denúncia na Justiça Federal contra quatro empresários e um bancário por crime contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro. De acordo com o MPF, o grupo, investigado na Operação Fratello, foi responsável por irregularidades em empréstimo com o Banco do Nordeste (BNB) para a construção de shopping center neste município.

Os empresários José Mauro Gonçalves de Macedo e David Ney Gonçalves de Macedo, administradores da JDMM Construções e Incorporações Ltda e do Shopping Center Juazeiro Ltda, utilizaram recursos obtidos junto ao banco, através de linha de financiamento com verba do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), para a construção de obras não previstas no projeto apresentado à instituição financeira – um hotel e uma torre comercial anexos ao shopping.

Para obtenção do empréstimo, os empresários apresentaram ao BNB um projeto que contemplava exclusivamente a construção do prédio do shopping, no valor de R$ 32,7 milhões. Do total, R$ 29,5 milhões foram financiados pelo FNE. Durante a execução das obras, os recursos federais foram desviados para o hotel e a torre comercial.

As irregularidades foram viabilizadas por meio de fiscalizações fraudulentas do BNB e da expedição de notas fiscais frias por parte das empresas contratadas para a construção do shopping. Além de José Mauro e David Ney, aparecem entre os denunciados pelo MPF, o bancário Danilo Régis da Silva Pontes, funcionário do BNB que atestou como regular o uso dos recursos, e Paulo André Santana de Melo e Ramon Machado da Silva, responsáveis pelas empresas que emitiram as notas frias.

O procurador da República Celso Leal, autor da denúncia, afirma que “recursos de um financiamento tem destinação específica, não podendo ser aplicados em finalidade diversa, sob pena de cometimento de crime”. De acordo com Leal, os acusados ainda tentaram novo financiamento com recursos federais apresentando projeto com informações falsas sobre a obra.

Em setembro de 2016, o MPF em conjunto com a Polícia Federal e o Ministério da Transparência, Fiscalização e Gestão, realizaram a Operação Fratello para investigar as fraudes cometidas no empreendimento Shopping Center Juazeiro. Durante a operação, feita com base em auditoria do Ministério da Transparência de 2015, foram apreendidos documentos, computadores portáteis, celulares, mídias digitais e R$ 20 mil. Na denúncia apresentada agora à Justiça, o MPF pediu que seja realizada a perícia do material de informática apreendido durante as medidas de busca e apreensão realizadas pela investigação.

O QUE DIZ A LEI
– Lei nº 7.492, de 16 de junho de 1986.
Dos crimes contra o sistema financeiro nacional
Art. 20 – Aplicar, em finalidade diversa da prevista em lei ou contrato, recursos provenientes de financiamento concedido por instituição financeira oficial ou por instituição credenciada para repassá-lo.
Pena – Reclusão, de 2 a 6 anos, e multa.

– Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998.
Dos crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores
Art. 1º- Ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal.
Pena: reclusão, de 3 a 10 anos, e multa

10:05 · 06.10.2016 / atualizado às 10:06 · 06.10.2016 por

Juazeiro do Norte. A exposição Cariri Arte e Desing, assinada pelo renomado arquiteto Carlos Zaranza, fica em cartaz até o próximo domingo, dia 09, no shopping da cidade. A exposição é um belo retrato da riqueza cultural existente na região do Cariri.

Em um só espaço, Carlos Aranza, foi do tradicional ao contemporâneo. Uma combinação perfeita, com sintonia e saudosismo. Papel, fitas, couro, madeira, tudo criado por mãos dos artistas Caririenses, como: Espedito Seleiro, Alan Bastos, Edênio Camilo, Rafael Vilarouca, Maurício Ferreira, George Macário e os artesãos do Centro Cultural Mestre Nosa.

As cores se misturam ao preto e branco, um misto de harmonia e emoção. Em alguns versos o poeta, Bráulio Bessa, retrata bem a força e o valor de povo Nordestino. “O Nordeste brasileiro enfrenta uma seca dura, mas na arte tem fartura, todo o dia o ano inteiro…”, que digam os alunos do curso de design do Senac, parceiro da exposição.

Para quem não entende do traçado e tem curiosidade de saber como um pedaço de tronco vira uma obra de arte, os visitantes têm a oportunidade de ver de perto os artesãos do Centro Mestre Nosa, Dim e Everaldo que estão esculpindo duas belas e representativas personalidades da cultura nordestina, Luiz Gonzaga e Padre Cícero. A exposição entrou em cartaz nodia 21 de setembro e segue até 09 de outubro, com entrada gratuita.

Faça o Diário Cariri conosco, envie sugestões de reportagens através do WhatsApp (85) 9.8736.2018