Busca

Tag: Urca


17:02 · 07.02.2018 / atualizado às 17:02 · 07.02.2018 por
O professor Allysson Pinheiro representou a URCA na Antártida. (Fotos: Divulgação/URCA)

Crato. O professor Allysson Pinheiro, da Universidade Regional do Cariri (URCA), participou do projeto Paleoantar, vinculado ao Programa Antártico Brasileiro, que se propõe a estudar fósseis do ‘Continente Gelado’, principalmente, vertebrados. A expedição aconteceu de dezembro do ano passado até fevereiro deste ano, sob a coordenação do Professor Dr. Alexander Kellner, do Museu Nacional “Paleoantar”.

Essa foi a 36a edição do Projeto, que contou com a ampliação de pesquisadores de diversas instituições, como pesquisadores da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE), Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Universidade Federal do ABC (UFABC). O professor Allysson Pinheiro destaca que a Antártica como o último ambiente verdadeiramente natural do planeta e por isso necessita de atenção especial.

Dentre o material coletado nesta campanha estão ossos de vertebrados, conchas de moluscos e lagostas que habitaram a Antártica há aproximadamente 70 milhões de anos. O material, que estima-se pesar cerca de 400 kg, será levado para o Brasil para que então se iniciem as pesquisas de laboratório. Esta é a quarta participação de paleontólogos brasileiros do projeto Paleoantar em terras Antárticas, desde o início de suas atividades em 2007.

As pesquisas têm sido voltadas principalmente para os estudos de vertebrados. Os pesquisadores foram levados pelo Navio de Apoio Oceanográfico Ary Rongel, da Marinha do Brasil, para a ilha de James Ross na Península Antártica, onde permaneceram acampados de 07 de dezembro de 2017 a 25 de janeiro de 2018.

A paleontóloga da UFPE, Juliana Sayão, participou de três expedições à Antártica. Ela coordenou a equipe em campo. Conforme a pesquisadora, a Antártica é uma das últimas fronteiras do conhecimento a ser explorada, o que faz com que todas as informações e materiais coletados constituam importantes descobertas científicas. Segundo a pesquisadora, entre os materiais encontrados, está um crânio de um grupo de vertebrados nunca antes encontrado na Antártica. Ela acredita que esta será a maior descoberta feita pelo projeto desde seu início.

10:40 · 31.01.2018 / atualizado às 23:09 · 01.02.2018 por
O reitor da URCA José Patrício Melo, representou o Geopark Araripe no México. (Foto: Divulgação/URCA)

Crato. Entre os dias 21 e 25 de janeiro, aconteceu o 1º Encontro da Rede de Geoparques da América Latina e do Caribe, em El Chico, Comarca de Minera, México. A Universidade Regional do Cariri (URCA) esteve presente, representando o Geopark Araripe, o primeiro das Américas, com o seu reitor, José Patrício Melo. Ele apresentou vídeos institucionais da área, mostrando o reconhecimento do território. No ano que vem, em março, será a vez do Cariri receber o evento.

A apresentação do Reitor esteve pautada nas estratégias educação ambiental e visibilidade, material, cartografia cultural e todo o trabalho político em torno da diversificação, para que os participantes do evento tivessem ideia do que está sendo desenvolvido. “Eles ficaram impressionados com todo o trabalho e a ampla gama de parceiros e as divulgações nas redes” afirmou Patrício. Além disso, ressaltou o alcance do vídeo sobre o GA divulgado em emissora local, com um grande número de acessos.

Em 10 de setembro deste ano, na Itália, o Geopark terá representação durante a Conferência Global de Geoparques. Na ocasião, acontecerá reunião com integrantes das redes. Também esteve participando da viagem, o diretor do Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens – URCA, Sérgio Vilaça. Na oportunidade, ele participou, junto com o Reitor, de importantes encontros relacionados a museus, voltados para a preservação de patrimônio científico.

Geoparques

A América Latina conta atualmente com quatro geoparques, dois deles no México (Comarca Minera e Mixteca Alta), um no Uruguai (Grutas Del Palacio) e outro no Brasil, pioneiro com a criação do Geopark Araripe. Durante a reunião, foi realizada a eleição e posse da primeira diretoria, com a elaboração do estatuto da Rede Latino-americana de Geoparks.

Segundo o Reitor, atualmente existem seis candidaturas a geoparques na América Latina, para a Rede Global da Unesco, podendo chegar a 10. A previsão é que haja apenas inscrições do Brasil somente este ano. “Esse foi o objetivo do nosso encontro e a minha fala era sobre o Geopark Araripe”, disse Patrício Melo, que faz parte do Conselho da Unesco.

Muitos projetos relacionados à educação não foram apresentados, mas ele destaca a diversidade de atuação que já vem sendo empreendida. O Reitor esteve participando como membro fundador da rede e palestrante. Foi eleito coordenador o Geoparque da Comarca Minera, no México, Carlos Cane, geofísico, como vice-coordenador, Patrício Melo, do GA. O secretário adjunto e tesoureiro, de Grutas do Palácio, além do vocal, do Mixteca Alta.

No final do encontro, foi realizada reunião para a apresentação dos primeiros resultados durante o encontro e de todos os aspirantes. Aqueles que ainda não apresentaram candidatura à Unesco estão apenas como projetos. O presidente da GGN e representante da Unesco também marcaram presença no encontro.

O Reitor destaca a importância da realização de uma conferência da rede latino americana no Cariri. Para ele, esse encontro foi importante para avanços em várias frentes, com a continuidade das ações, para a organização da rede. O Professor Patrício Melo esteve realizando visitas aos museus, com o diretor do Museu de Paleontologia da URCA, Sérgio Vilaça, e à Universidade Autônoma do México (UNAM), para trocar experiências de trabalho. Foi visitado também o Instituto de Geografia e Geofísica, onde estão sediados os projetos de Geoparque.

Rede

A Rede de Geoparques Mundiais da Unesco para a América Latina e Caribe foi fundada em maio de 2017, pelos quatro Geoparques Mundiais da Unesco. Ela, assim como algumas criadas em contentes como a Ásia e Europa, com construções de redes em sentido regional, se regem por seus estatutos, em consonância e sem prejuízos aos estatutos da Rede Global de Geoparques (GGN).

11:07 · 10.01.2018 / atualizado às 11:10 · 10.01.2018 por
Serão cerca de 7 mil peças na área de exposição. (Foto: Divulgação/URCA)

Santana do Cariri. O Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens será reinaugurado, pela Universidade Regional do Cariri (URCA), no próximo dia 17 de janeiro, às 18 horas. Na ocasião serão abertas as exposições Fósseis do Cariri, Memorial Plácido Cidade Nuvens, e Fossilis – Olhares sobre a Chapada, integrando a arte à ciência da paleontologia e contando um pouco da história do homem e sua vivência no seu habitat.

A renovação do museu traz além da nova forma de expor o acervo, de maneira facilitada ao entendimento do público em geral, as salas com exposições temáticas, a exemplo do fundador do local, Professor Plácido Cidade Nuvens, fundador do Museu e ex-reitor da URCA. São cerca de 7 mil peças que se inserem na área de exposições, além da reserva técnica do espaço, reunindo importante material do período Cretáceo, de mais de 110 milhões de anos.

Segundo o diretor do Museu, Sérgio Vilaça, haverá três mudanças importantes, conforme a direção, a partir da reabertura, como nova conceituação da exposição de fósseis, antes organizada por formações, como a Crato, Romualdo e Ipubi, e agora estará por espécies, destacando a diversidade de fósseis que existe no Museu. “Está mais interativa. E quem for ao local, terá a oportunidade de receber orientações dos monitores mirins, que vão guiar as pessoas pelo museu”, diz ele. Todos os fósseis expostos, contam com uma placa indicativa.

A segunda exposição poderá ser vista no salão interior, onde ficava o dinossauro. Pela primeira vez, estará sendo exibida no museu a exposição de artes “Fossilis”, com uma leitura sobre a paleontologia e a Chapada do Araripe. Os artistas convidados fizeram trabalhos específicos, para levar ao museu o diálogo entre a riqueza da Chapada, a cultura e a paleontologia.  São 12 artistas que estão trazendo trabalhos de artes sobre a leitura da Chapada.

Memorial

Também será aberto um espaço dentro do Museu com um memorial permanente em homenagem ao Professor Plácido Cidade Nuvens. Poderão ser vistas imagens desde o momento em que ele fundou o museu até o seu falecimento, há um ano. Nessa linha do tempo, é traçada a história do criador do Museu e o próprio espaço, que todos os anos recebe milhares de visitantes, entre pesquisadores, estudantes e pessoas interessadas em conhecer a história dos animais da pré-história que viveram na região. Na sala estarão dois fósseis especiais, a Libélula, muito famosa, e o primeiro fóssil do Museu.

11:33 · 05.01.2018 / atualizado às 11:38 · 05.01.2018 por
Xilogravuras expostas na Lira Nordestina. (Foto: Antonio Rodrigues)

Juazeiro do Norte.  Estão abertas as inscrições para oficina de xilogravura, que será realizada nos dias 10, 11 e 12 de janeiro, na sede da Lira Nordestina, que fica no mesmo prédio do Vapt Vupt, no Centro de Apoio aos Romeiros. A iniciativa é do Geopark Araripe, da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Universidade Regional do Cariri (URCA) e da Associação de Xilógrafos e Artesãos do Cariri (Axarca).

Estão sendo disponibilizadas 20 vagas voltadas, principalmente, para estudantes de Artes Visuais, mas quaisquer outros interessados podem participar. As aulas serão ministradas, das 8 às 11h, pelos xilógrafos Zé Lourenço, Cícero Lourenço, Ailton Laurindo, Antônio Dias e pela estudante de Artes Visuais da URCA, Cristiane Romão.

As inscrições são gratuitas devem ser feitas on line pelo link. Para mais informações: (88) 3108 1200 ou 3101 1237.

07:15 · 04.01.2018 / atualizado às 07:17 · 04.01.2018 por
Micael François assume a procuradoria após Bernardo Oliveira deixar a função. (Foto: Divulgação/Prefeitura)

Juazeiro do Norte. Na última terça-feira (02), tomou posse, de forma interina, o Procurador Geral do Município, Micael François, advogado, formado pela Universidade Regional do Cariri (Urca). Ele já foi Procurador em outros dois municípios cearenses, Caririaçu, em 2012, e Granjeiro, em 2016.

François também já atuou na Secretaria de Administração e Finanças (Seafin) e no Gabinete do prefeito Arnon Bezerra. “A minha expectativa é ajudar o Município e continuar ajudando o prefeito a administrar a cidade e também conseguir realizar todo o trabalho à frente da Procuradoria Geral do Município, dando todo suporte jurídico que é necessário”, destacou.

Ele assumiu o cargo após o ex-procurador, Bernardo Oliveira, ter sido aprovado em concurso público e ser convocado. Bernardo destacou a sua experiência nesse primeiro ano da administração Arnon Bezerra. “Tivemos diversas questões jurídicas relevantes na defesa do Município. Pude dar minha contribuição com essas vitórias que obtivemos durante o ano de 2017, para o povo de Juazeiro do Norte. Foi inesquecível para mim como profissional”, destacou Bernardo.

13:50 · 18.12.2017 / atualizado às 13:50 · 18.12.2017 por
Estudantes se manifestaram nas paredes do prédio durante passagem de Camilo Santana pelo Cariri. (Foto: Antonio Rodrigues)

Crato. A Universidade Regional do Cariri (URCA) divulgou, na última última sexta-feira (15), um comunicado sobre o andamento da compra do prédio do Sesi, unidade no Município, que irá abrigar o Centro de Artes. Segundo o documento, a instituição e o Governo do Ceará estão acelerando as tratativas para que o prédio possa ser o novo campus da universidade, que passará por pequenas melhorias e serão concluídas em até 30 dias. Lá, abrigará os cursos de Artes Visuais e Teatro, no ensino, pesquisa e extensão, além de outras atividades.

De acordo com a nota divulgada, os estudantes, professores e servidores dos cursos afetados tem se reunido com a Administração para planejar a reposição das aulas e o calendário acadêmico. “O prédio no estado em que se encontra precisa de melhorias emergenciais na rede elétrica, hidráulica, pintura, etc. Os recursos R$ 60.654,22 já estão alocados e o contrato para realização das melhorias já está aguardando publicação e será realizado pela empresa SM Construções LTDA”, diz.

Leia mais: Estudantes do Centro de Artes da URCA completam seis meses sem aula

O documento ainda informa que “todas as providências para a aquisição do prédio do SESI já foram realizadas pelo Governo do Ceará e pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC no Ceará, o fechamento do negócio, entretanto, ainda precisa da autorização da FIEC em Brasília”, completa a nota.

A aquisição do prédio foi anunciada pelo Governador Camilo Santana pessoalmente na URCA e através das redes sociais no último dia 31 de outubro. Porém, mais de um mês após o anuncio, os estudantes ainda não sabem quando terão suas atividades reiniciadas. No início de dezembro, completaram seis meses sem aula, desde que o prédio no bairro do Pirajá, em Juazeiro do Norte, foi interditado, após laudos da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros constataram o risco de desabamento da estrutura.

07:26 · 11.12.2017 / atualizado às 09:36 · 11.12.2017 por
A Câmara Municipal participará com dois representantes. (Foto: Divulgação)

Crato. Aprovado no ano passado, por meio da Lei Municipal 3.249, o Conselho Municipal de Água e Esgoto foi lançada na última sexta-feira (08), durante a I Conferência Municipal, promovida pela Sociedade Anônima de Água e Esgoto do Crato (Saaec). Ele será um órgão colegiado, consultivo, deliberativo e de controle social da prestação dos serviços de água e esgoto do município. Terá participação de setores da sociedade cratense, objetivando transparência e controle social.

Segundo o presidente da Saaec, Yarley Brito, a criação do Conselho irá proporcionar um elo entre população e empresa, no contexto de uma gestão participativa.

Além da SAAEC, Conselho terá representantes da Prefeitura do Crato, através das Secretarias municipais de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial, Saúde e Obras; Câmara Municipal; Universidade Regional do Cariri (URCA); sociedade civil, associações de moradores, organizações não-governamentais que atuam em atividades afins, OAB, entidades empresariais e da área de engenharia.

19:05 · 08.12.2017 / atualizado às 10:56 · 11.12.2017 por
Os estudantes se manifestaram nas paredes do Sesi durante passagem do governador pelo Cariri, no último fim de semana. (Foto: Antonio Rodrigues)

Crato. Os estudantes do Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri (URCA) completaram seis meses sem aulas, na última semana. São dois cursos paralisados, Teatro e Artes Visuais, desde que o prédio no bairro do Pirajá, em Juazeiro do Norte, foi interditado. Laudos da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros constataram o risco de desabamento da estrutura. No dia 31 de outubro, o governador Camilo Santana anunciou a aquisição do antigo prédio do SESI, em Crato, mas até agora segue indefinido quando os alunos voltarão às salas de aula.

Após o anúncio, os alunos se dirigiram até o prédio conhecer o local e foram impedidos de, sequer, usar a energia elétrica de lá. Segundo eles, o guarda disse que não podia estar ninguém ali, pois a compra não tinha sido efetivada. No entanto, no dia 17 de novembro o vice-reitor da URCA, Francisco do Ó de Lima Júnior visitou o local, junto com o corpo técnico, para decidir os detalhes da transferência do campus de Juazeiro do Norte para Crato. Há 10 anos sem funcionar, o Sesi do Crato possui salas de aula, apartamentos, estacionamento, áreas com piscinas, quadras e um auditório.

No dia 21 de novembro, a URCA anunciou que estava fazendo um levantamento para as reformas prioritárias, solicitadas pelo Vice-reitor após a visita. Disse que, inicialmente, os membros da administração dos cursos ocupariam as primeiras salas e que todo o mobiliário seria transferido na mesma semana. Mas, até agora, nada aconteceu.

De acordo com a estudante de Artes Visuais, Anália Lobo, que já está no sétimo semestre, seu desejo é que as aulas voltassem, pois está há muito tempo no curso. No entanto, ela acredita que é importante os alunos continuem lutando por um espaço físico de qualidade. “Estamos há quase 10 anos sem um espaço minimamente adequado. Esperamos que a reitoria e o governador, que já anunciaram em diversos veículos de comunicação que o prédio do SESI nos pertence, façam realmente pertencer”, afirma.

Enquanto o aluno de Artes Visuais, José Aparecido de Lima, afirma que os problemas no Centro de Artes estão desde sua fundação. É a segunda vez que os cursos mudam de prédio, já que, em 2010, o Centro de Artes saiu do Casarão da Rua Matriz, em Barbalha, para Juazeiro do Norte. “A partir daí, tem sido uma luta diária de lugar para funcionar e de fantasias que são postas em nossas cabeças, hora de valores que existe para construção de um prédio fabuloso para nos acomodar, hora desaparece tudo e voltamos à estaca zero”, lamenta.

A URCA e a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior foram procuradas, através da Assessoria de Comunicação, por e-mail e telefone durante toda a semana, mas não deram esclarecimentos sobre a efetivação da compra do prédio do Sesi e a previsão do retorno das aulas.

09:21 · 21.11.2017 / atualizado às 09:21 · 21.11.2017 por
O vice-reitor da URCA, Francisco do Ó de Lima Júnior, visitou as instalações do prédio do antigo Sesi. (Foto: Divulgação/URCA)

Crato. Adquirido no último mês pelo Governo do Estado, a Universidade Regional do Cariri (URCA) passa a ocupar, a partir desta semana, o prédio do antigo SESI. Lá, funcionará o Centro de Artes da Universidade. Na última sexta-feira (17), o Vice-reitor da URCA, Francisco do Ó de Lima Júnior, Gabinete e corpo técnico estiveram em reunião com a direção dos cursos de Artes Visuais e Teatro para decidir os detalhes da transferência do campus de Juazeiro do Norte para o Crato.

A mudança ocorre em função de uma melhor infraestrutura para os cursos. Alunos, professores, direção do Centro e coordenação estiveram participando da reunião, debatendo os detalhes da transferência. A avaliação dos que fazem os cursos de Artes Visuais e Teatro é positiva quanto ao novo local, que conta com uma grande infraestrutura, incluindo salas de aula, apartamentos, estacionamento, áreas com piscinas, quadras e um auditório, com mobiliário que terá grande parte aproveitada pelos novos ocupantes da Universidade.

Um levantamento para as reformas prioritárias foi solicitado pelo Vice-reitor, para que sejam feitas de forma imediata para os novos ocupantes, além de uma lavagem do local. Inicialmente, os membros da administração dos cursos estarão ocupando as primeiras salas, para organizar todo o processo de mudanças para início das aulas. Mas, todo o mobiliário será transferido ainda esta semana. Uma avaliação das instalações elétricas, hidráulicas e de internet também já vem sendo providenciada para o local.

Reestruturação

Segundo o Vice-Reitor, com a nova estrutura o Centro terá um redimensionamento e uma nova concepção, para a efetivação de suas atividades, no processo de formação. Com isso, haverá uma reestruturação. Durante a reunião, Lima Júnior destacou a necessidade das ações de encaminhamento, para a vinda dos cursos. Com isso, além de inicialmente a administração ser instalada, serão avaliadas as localizações das salas e dos laboratórios, com todas as condições pedagógicas para acolhimento dos estudantes e professores.

Os representantes do Centro de Artes, a diretora Mônica Vianna Mello, e o diretor adjunto, Ricardo Akira, destacaram as necessidades imediatas para o processo de mudança. Além disso, avaliaram o prédio como local de boa estrutura para abrigar os cursos.

Além do Centro de Artes, o prédio do antigo Sesi também contará com a adequação necessária, para possibilitar o funcionamento de equipamentos como piscinas e quadras esportivas, a serem utilizados na formação dos alunos do curso de Educação Física, além de atividades de extensão no espaço.

Conforme o Professor Lima Júnior, a aquisição do prédio vem sendo bastante comemorada pela comunidade acadêmica, num momento de significativa conquista para a Universidade Regional do Cariri. Durante esta semana, o local deve receber a visita do Secretário Adjunto da Casa Civil do Governo do Estado, Quintino Vieira, para realizar uma avaliação das possíveis mudanças que devem ocorrer para melhorias no prédio, com investimentos do Governo do Estado, para a URCA.

Centro de Artes

O Centro de Artes Reitora Maria Violeta Arraes da URCA abriga os cursos de Artes Visuais e Teatro e esta é a segunda vez que os estudantes e professores destas graduações mudam de equipamento. Em 2010, o Centro de Artes saiu do Casarão da Rua Matriz, em Barbalha, e se mudou para bairro Pirajá, em Juazeiro do Norte. Porém, em julho deste ano, o prédio foi interditado após laudo da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros constatar o risco de desabamento da estrutura. Os estudantes estão há cinco meses sem aula.

07:47 · 06.11.2017 / atualizado às 09:24 · 06.11.2017 por

Crato. O Governador do Estado do Ceará, Camilo Santana, anunciou, na sua página do Facebook, na última terça-feira (31), a compra do prédio do antigo SESI, no Município. O local passa a fazer parte da Universidade Regional do Cariri (URCA). A aquisição estava sendo aguardada com expectativa pela Universidade. A luta para a conquista do novo espaço, vinha sendo mantida pelos que integram a comunidade acadêmica e a Administração Superior da Instituição.

O Reitor da URCA, Patrício Melo, esteve na última semana, na Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e também na Casa Civil, para fortalecer o processo de aquisição do novo prédio. O local irá abrigar o Centro de Artes, com os cursos de Artes Visuais e Teatro, além de passar a contar com equipamentos importantes voltados à formação em cursos como o de Educação Física, além de ações de extensão.

O Reitor destacou a luta pelo Curso de Artes de uma infraestrutura para abrigar os cursos durante os últimos anos. Segundo ele, houve muito empenho para essa aquisição. “Essa é uma luta coletiva, com a vitória da Universidade, além do apoio da Secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado (SECITECE) e da URCA”, disse.

Conforme o Reitor da Universidade, a aquisição do prédio tem uma grande relevância para a cidade do Crato, principalmente num momento de crise que passa o Brasil. “Era um equipamento que estava desativado e precisava ter vida para dar uma nova visibilidade à geografia do Crato”, avalia.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado, Inácio Arruda, também comemorou a conquista do SESI, que foi desapropriado para dar lugar ao um novo campus da URCA. “É uma conquista que faz parte da história dessa gestão e marca o dia que os novos professores entram oficialmente na universidade. É mais um espaço para produção do conhecimento”, afirma.

Centro de Artes

O Centro de Artes Reitora Maria Violeta Arraes da URCA abriga os cursos de Artes Visuais e Teatro e esta é a segunda vez que os estudantes e professores destas graduações mudam de equipamento. Em 2010, o Centro de Artes saiu do Casarão da Rua Matriz, em Barbalha, e se mudou para bairro Pirajá, em Juazeiro do Norte. Porém, em julho deste ano, o prédio foi interditado após laudo da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros constatar o risco de desabamento da estrutura. Os estudantes estão há quatro meses sem aula.