Busca

Categoria: arte


10:19 · 20.12.2016 / atualizado às 10:19 · 20.12.2016 por
Festival Icozeiro movimenta noites na cidade
Festival Icozeiro movimenta noites na cidade e evento ocorre na antiga Casa de Câmara e Cadeia.

Um cortejo brincante, seguido do relançamento do DVD “Icó: Onde os Caminhos se Encontram” do historiador Altino Afonso e de forró pé de serra animado ao som do Trio “Meu Xodó” e Kauã do Acordeon. Este foi o cenário da abertura, neste domingo (18), do maior evento gratuito multicultural, ambiental e social independente do Sul do Ceará, o Festival da Cultura Icoense, conhecido como “Icozeiro”, que chega na sua 6ª edição em 2016.

Contando com 13 dias ininterruptos de programação, com cerca de 100 atrações, 11 exposições, cinco oficinas e programação simultânea em parceria com o Teatro Municipal da Ribeira dos Icós, além de quatro eventos paralelos, o Festival Icozeiro leva a riqueza cultural do município de Icó, região e o estado do Ceará, com a presença de artistas de Iguatu, Maracanaú, Orós e Fortaleza.

Forró, mpb, rock e gospel, na música, além de teatro, dança, literatura, artes visuais, artes plásticas, palestras e homenagens marcarão esta sexta edição, que receberá como convidada especial Gilda Théberge, a trineta de Dr. Pedro Théberge, idealizador do Teatro da Ribeira dos Icós e que teve ações voltadas à Memória, História e Cultura icoense no século XIX. Ela chega a Icó nesta quarta-feira, 21.

CULTURALIDADE – Desde sua primeira edição, em 2011, o Festival, realizado pela Associação Filhos e Amigos de Icó (Amicó), já somou um público estimado em cerca de 55 mil pessoas em cinco edições.

O evento é realizado no Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro (CACPAMM), localizado na antiga Casa de Câmara e Cadeia, entre os dias 18 e 30 de dezembro de 2016, a partir das 19h, gratuitamente.

Além destes, o IV Concurso Literário Icoense (CLIC) Poeta José de Oliveira Neto (charge, conto, crônica, poesia e cordel) e o Troféu Louro Verde (pessoa jurídica e escola) também integram as ações do evento, que contará novamente com os voluntários, que se inscrevem anualmente para amplificar a atuação do evento.

O Festival tem como objetivo promover a integração e a valorização de todos os segmentos da cultura e da arte e estimular a criação e divulgação artístico/cultural em nosso município e dos municípios vizinhos.

Na última edição, em 2015, o evento mobilizou cerca de 20 mil pessoas, registrando um novo recorde de participação da comunidade local, regional e estadual. O Festival é uma das programações mais aguardadas pela população icoense no final do ano.

16:35 · 06.12.2016 / atualizado às 16:35 · 06.12.2016 por

 

Toninho Ferragutti é uma das atrações do festival.
Toninho Ferragutti é uma das atrações do festival.

Se dezembro é mês de festas, o período não poderia ser melhor para comemorar a 10ª edição do Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte, que acontecerá de 08 a 10 de dezembro. Este é um evento tradicional do Vale do Jaguaribe, que depois de um longo hiato, foi resgatado em 2006 pelo Instituto Brasil de Dentro, que trabalha pelo fortalecimento da cultura local, revela talentos e valoriza vocações.

Durante três dias a cidade de Limoeiro do Norte receberá grandes nomes no palco da Praça da Matriz, para uma intensa programação de forró e outros gêneros da música brasileira e internacional, tão bem interpretados pelos artistas convidados. Entre eles, o paulista Toninho Ferragutti; o pernambucano Mahatma Costa, vencedor de festivais na Itália, Finlândia e Suiça; o maranguapense Sirano, um dos grandes nomes da sanfona no Ceará; e o juazeirense Targino Gondim, vencedor do Grammy 2001 com a canção “Esperando na Janela”.

A programação acontecerá nas três noites, a partir das 20h. A abertura será em grande estilo, com um cortejo de sanfonas em direção ao palco do festival, congregando músicos da cidade e convidados, amadores e profissionais, unidos pelo prazer de tirar o som do fole e encantar público de qualquer canto do mundo. Após o cortejo de abertura, começa a programação de shows, com cerca de quatro atrações por noite. No primeiro dia o Festival de Sanfoneiros apresenta Herivelto e amigos da sanfona, Venâncio, Targino Gondim e Caninana.

Mahatma Costa faz apresentação em festival em Limoeiro do Norte
Mahatma Costa faz apresentação em festival em Limoeiro do Norte

Na sexta-feira, 09, quem abre a festa da sanfona às 20h em Limoeiro é Chico Bem. Na sequência, o palco é de Nonato Lima, cearense, vencedor do 8º Festival de Sanfoneiros, que foi a última edição com premiação, retornando agora com duo violão-sanfona, Mahatma Costa e a programação termina ao som do renomado Sirano. A noite de encerramento não vai deixar por menos, com atrações que prometem fechar com chave de ouro a comemoração de 10 edições do festival. No palco da Praça da Matriz, o primeiro show é de tradicionais sanfoneiros da região, Zé Wilson, Cristalino Brandão e Zé Simão. Depois sobem ao palco os sanfoneiros Dedê e Damião. A terceira atração da noite é Graciano e Filhos e, para encerrar esta edição, o festival recebe Toninho Ferragutti, um dos grandes nomes da sanfona do país.

Apresentado pela Enel, o X Festival de Sanfoneiros é uma realização do Instituto Brasil de Dentro, com o apoio cultural da Universitária FM, SAAE, Instituto Centro de Ensino Tecnológico – CENTEC, Unimed, CDL Limoeiro do Norte e Governo do Estado do Ceará, via Secult.

Canina tem apresentação no festival
Canina tem apresentação no festival

Alguns destaques

Mahatma Costa – O pernambucano foi o primeiro músico brasileiro a se tornar campeão mundial de acordeon. Foi 1° lugar no Strumenti e Musica Festival (Spoleto, Italia – 2014), 1° lugar no 68ª Coupe Mondiale (Turku, Finlândia – 2015) e também no 66° Trophée Mondial de l’accordeon (Martigny, Suíça – 2015). Com 15 anos de carreira, Mahatma Costa tem uma grande bagagem como artista, com experiências nacionais e internacionais, sendo o destaque em festivais, shows, concertos e competições realizados no Brasil, Europa, Ásia e nas Américas do Norte e do Sul.

Toninho Ferragutti – Músico, compositor e arranjador paulista, com 9 CDs autorais e uma extensa participação em shows e em CDs de artistas importantes no Brasil e no exterior, além de duas indicações ao Grammy Latino.

Targino Gondim – Vencedor do Grammy 2001 com a canção “Esperando na Janela”, que ganhou a voz de Gilberto Gil e deu ao artista espaço no longa brasileiro “Eu, Tu, Eles”.

Sirano – O Sanfoneiro nascido em Maranguape é um dos mais atuantes instrumentistas cearenses desde a década de 1980.

Caninana – Cearense de Assaré, autor de sucessos gravados por bandas como Aviões do Forró (“Fiquei Sabendo” e “Quem Muito Fala Muito Erra”) e pelo cantor Wesley Safadão (“Quem chorava, hoje ri”).

HISTÓRICO DO FESTIVAL

A retomada do Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte foi, de muito tempo, uma demanda cultural da população do Vale do Jaguaribe, pela importância que suas cinco primeiras edições alcançaram, de 1968 a 1972. O Festival surgiu em 1968, a partir do programa Vesperal do Volante, da Rádio Educadora Jaguaribana, apresentado pelo radialista Luiz Gonzaga de Freitas, que reunia filas de sanfoneiros em busca de oportunidade. O evento permaneceu no imaginário cultural do sertão do Vale pela efervescência provocada, o surgimento de novos valores e os tantos casos que, até hoje, alimentam a memória local.

Em 2006 o Instituto Brasil de Dentro retomou a ideia do Festival, ao promover o Grande Encontro de Sanfoneiros, numa parceria com a Prefeitura Municipal de Limoeiro do Norte. Teve também o apoio integral do fundador do Festival, o radialista Luiz Gonzaga de Freitas, convidado especial da festa, que reuniu na Praça da Catedral cerca de 40 instrumentistas de várias regiões do Brasil, em três noitadas de shows. Este evento impulsionou a realização da 6ª edição do Festival, em 2007, com participantes de várias regiões do Ceará e de outros Estados. Em 2008, na edição comemorativa de 40 anos, obteve a aprovação no Edital Festival Petrobras, que possibilitou implantar aulas de formação, palestras, shows de atrações locais e uma atração internacional, a sanfoneira alemã Cathrin Pfeifer.

Em 2010, na 8ª edição, o Festival teve um crescimento no formato e no público. Foram mais oficinas, teve novas atrações regionais, nacionais e participação do bandoneonista argentino Martin Mirol, que engrandeceram o evento, e homenageou os que contribuíram para a história do Festival, com entrega de 60 troféus.

A 9ª edição aconteceu em maio de 2015, com uma inovação: aboliu o concurso que premiava os melhores, tornando-se uma grande mostra da arte da sanfona, priorizando a livre expressividade dos instrumentistas, a formação, o intercâmbio e o prazeroso encontro entre músicos, produtores culturais e o público. Foram três dias de shows, exposições e palestras.

SERVIÇO
X Festival de Sanfoneiros de Limoeiro do Norte – De 08 a 10 de dezembro de 2016, a partir das 20 horas, na Praça da Matriz de Limoeiro do Norte, Ceará. Informações: (85)9.8777.0335. Toda a programação tem acesso gratuito.

PROGRAMAÇÃO

Quinta, 08/dezembro
20:00 – Cortejo – Abertura
20:30 – Herivelto e amigos da sanfona
21:00 – Venâncio
21:30 – Targino Gondim
22:30 – Caninana

Sexta, 09/dezembro
20:00 – Chico Bem
20:40 – Nonato Lima
21:30 – Mahatma Costa
22:30 – Sirano

Sábado, 10/dezembro
20:00 – Zé Wilson/ Cristalino Brandão/ Zé Simão
21:00 – Dedê e Damião
21:30 – Graciano e Filhos
22:30 – Toninho Ferragutti

10:26 · 28.11.2016 / atualizado às 10:27 · 28.11.2016 por

oswaldo montenegro a        O Sistema Fecomércio do Ceará, por meio do Sesc, recebe o cantor Osvaldo Montenegro no projeto “Estacionamento da Música”. As apresentações acontecem nas unidades Iguatu, Juazeiro do Norte e Fortaleza do Sesc, respectivamente, nos dias 1, 2 e 3/12, às 21h.

Em um encontro afetivo e musical, o cantor e compositor apresenta ao público sua turnê, “Nossas Histórias”, tocando suas músicas mais conhecidas e comemorando 40 anos de parceria com a flautista Madalena Salles.

Em suas bagagens musicais, os artistas já somam mais de trinta espetáculos teatrais, três longas metragens, séries pata TV, danças e histórias, tudo retratado no repertório que apresentam neste show.

Durante as apresentações, o público confere um mix de instrumentos musicais, entre teclado, violão e sopro, tocando pérolas como: “Bandolins”, “Lua e flor”, “Metade”, “Estrada nova”, “A lista”, “Intuição”, “Léo e Bia”, “Estrelas”, “Sem mandamentos” e “Travessuras”, entre outras.

07:22 · 18.11.2016 / atualizado às 20:38 · 17.11.2016 por

 

Mestres da cultura terão encontro em Limoeiro do Norte. Foto: divulgação
Mestres da cultura terão encontro em Limoeiro do Norte. Foto: divulgação

Com um trabalho permanente de valorização dos Mestres da Cultura do Ceará e em sintonia com a política cultural do Estado, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) apresenta o X Encontro Mestres do Mundo, que será realizado de 24 a 26 de novembro, em Limoeiro do Norte, a 198 km de Fortaleza.

Com o tema “Mestres do Mundo, Saberes Para Todos os Tempos”, esta edição do evento terá um momento diferenciado e de grande simbologia, com a entrega pela primeira vez do Título de Notório Saber em Cultura Popular, concedido pela Universidade Estadual do Ceará (Uece),em articulação com a Secult, aos Mestres da Cultura cearenses.

O encontro contará com uma ampla programação e a participação de atrações internacionais, como o mestre Hosoo, da Mongólia, e atrações nacionais, como Luizinho Calixto (PB/CE), a Banda Cabaçal Irmãos Aniceto (CE), o grupo musical “Os Quentes da Madrugada”, da Irmandade de Carimbó de São Benedito (PA), a Nau Catarineta (PB), entre outros. O evento é promovido pela Secult, em parceria com a Comissão Cearense de Folclore, a Universidade Estadual do Ceará (Uece) e a Prefeitura de Limoeiro do Norte, e com apoio do IFCE Limoeiro do Norte, do Centec, do CVT Limoeiro do Norte e da Academia Limoeirense de Letras.

Durante os três dias do Mestres do Mundo, o público terá acesso às diversas manifestações de saberes e fazeres da cultura popular, personificadas pelos mestres da cultura. Ao longo da programação, serão realizados seminários, rodas de mestres, apresentações artísticas, relatos de experiências dos mestres e exposição de produtos artesanais na Vila Cenográfica montada na praça da Igreja Matriz de Limoeiro do Norte.

“O Encontro Mestres do Mundo é um dos momentos mais belos, importantes e marcantes de nosso calendário cultural e uma das ações fundamentais da política de patrimônio e da política cultural como um todo. É uma oportunidade para conhecimento, reconhecimento e intercâmbio de saberes e fazeres dos mestres oficialmente reconhecidos pelo Governo do Estado, de outros mestres do Ceará, do Brasil e do exterior, e do público participante do Encontro”, destaca o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Fabiano dos Santos Piúba.

“Neste ano, o encontro retorna a Limoeiro do Norte, atendendo a um pedido dos próprios mestres, e é ainda mais especial, por chegar à décima edição e por marcar a entrega do Título de Notório Saber emCultura Popular aos mestres da cultura, conferido pela Uece”, acrescenta o gestor, ressaltando que todos estão convidados a comparecer a Limoeiro do Norte, para a atividade prévia do dia 23/11 e para o encontro, que acontece de 24 a 26/11, com entrada franca em todas as atividades.

'Quentes da Madrugada' faz apresentação no festival em Limoeiro do Norte
‘Quentes da Madrugada’ faz apresentação no festival em Limoeiro do Norte

Confira a programação

Na quarta-feira, 23/11, uma atividade prévia ao encontro é a palestra/curso de formação “Patrimônio Imaterial na sala de aula” com a Profa. Dra. Letícia Viana (UNB), coordenadora do Projeto Celebrações e Saberes da Cultura Popular, de inventários e registros de bens de natureza imaterial do CNFCP–RJ/Iphan.

Na quinta-feira, 24/11, será aberta a exposição “Da Resistência da Vida Brotam os Tesouros Vivos da Cultura Cearense” e será realizado o colóquio “Reconhecimento de Saberes e Ofícios de Povos e Comunidades – Diálogos Necessários”, da Comissão Cearense de Folclore, com as mesas sobre os temas”Reconhecimento de povos e comunidades tradicionais – a fala deles” (às 14h) e “Saberes e ofícios tradicionais na Universidade – diálogos necessários” (às 16h).

No mesmo dia, a abertura oficial do Encontro contará com a acolhida dos atuais mestres, a diplomação dos novos nove mestres e dois grupos reconhecidos pelo Governo do Estado e o credenciamento dos participantes, além do “Cortejo Andanças e Cheganças”, terminando com o sineiro tocando o sino da Matriz. Também haverá apresentação/coroação da Rainha do Maracatu, a Sagração do Chão dos Mestres pelos Penitentes de Genizaré (Assaré/CE), apresentação dos mestres aboiadores Dona Dina (Canindé) e Pedro Coelho (Acopiara), cerimonial de abertura Institucional e diplomação dos novos Mestres da Cultura.

A noite se encerra com o Reisado Boi Coração, de Quixadá, o Boi do Mestre Felipe, de Juazeiro do Norte, e a riqueza de sons da sanfona de oito baixos do paraibano de nascimento e cearense de coração Luizinho Calixto, que irá animar a noite de Limoeiro com um caleidoscópio de ritmos. Em paralelo, a programação contará com a feira para exposição e venda dos trabalhos feitos pelos mestres.

A manhã da sexta-feira, 25/11, será marcada pelas Rodas de Conversa e vivência com os Mestres. À tarde acontecem oficinas para crianças e para mulheres e a oficina/vivência da dança do Carimbó de São Benedito. além da cerimônia de titulação de Notório Saber em Cultura Popular, para os 58 Mestres da Cultura do Ceará. À noite, é a vez do Boi da Faceira, de Mestre Chico (Limoeiro do Norte), Reisado do Mestre Aldenir (Juazeiro do Norte), Banda Cabaçal Irmãos Aniceto (Crato) e Irmandade de Carimbó de São Benedito – Grupo Os Quentes da Madrugada (PA).

Já no sábado, 26/11, último dia de evento, a manhã terá a Terreira da “levantando poeira e girando afeto”. Na programação infantil, haverá o Coral com as crianças participantes da Oficina de Canto, além de apresentação do mestre Palhaço Pimenta. A noite contará com a Sagração do Chão dos Mestres, com a Mestra Maria do Horto e seus benditos, a Cerimônia de Encerramento e apresentação de Dramas, Boi do Mestre Piauí, Dança de Coco do Mestre Moisés de Trairi e Dança de São Gonçalo de Tianguá.

Nau Catarineta e Mestre Hossoo no sábado

O palco principal dos espetáculos do Encontro Mestres do Mundo terá duas atrações especiais para encerrar a programação na noite do sábado. Direto de Cabedelo (PB) e com mais de 100 anos de história de apresentações, a Nau Catarineta é uma dança dramática inspirada nas viagens marítimas portuguesas e a manifestação popular lusa, em forma de Auto. O tradicional grupo é considerado patrimônio cultural e imaterial na Paraíba.
Em seguida, vindo direto da Mongólia, o Mestre Hosoo mostrará a tradição da música e do canto lírico höömii, que exige que o cantor gere duas notas de cada vez. As canções falam da natureza, do vento, das montanhas, dos rios, e dos animais que fazem parte da cultura e da tradição mongol, como cavalos e camelos. Hosoo é filho de uma família de cantores tradicionais da Mongólia e hoje em dia é o representante mais conhecido deste tipo de música no mundo.

Título de Notório Saber em Cultura Popular

Em agosto deste ano, a Secult assinou um convênio com a Uece, validando o título de Notório Saber em Cultura Popular. Todos os Mestres da Cultura Popular oficialmente reconhecidos pelo Governo do Estado receberão a condecoração na sexta-feira, 25/11, no X Encontro Mestres do Mundo, em Limoeiro do Norte.
Com a medida, os mestres ganharão ainda mais visibilidade e atenção, além de terem endossado, pela academia, o reconhecimento a seus saberes e fazeres. Com o título de notório saber, eles poderão, inclusive, ser convidados por universidades e outras instituições de ensino para palestras e outras atividades, sendo remunerados da mesma forma que professores que contam com essa distinção.

O secretário Fabiano dos Santos Piúba destaca a importância do reconhecimento da academia aos mestres. “Agradecemos muito à Uece, ao reitor, professor Jackson Coelho Sampaio, e a todos os integrantes do Conselho Universitário, que aprovou a titulação dos mestres, para o reconhecimento pelo notório saber em cultura popular. Será uma medida importante para os mestres, para a Universidade e para toda a sociedade, para maior difusão dos conhecimentos, saberes e fazeres desses grandes cearenses, que dizem tanto da nossa cultura, da nossa arte, da nossa identidade”, ressalta.

12:04 · 15.11.2016 / atualizado às 12:04 · 15.11.2016 por
Peças de teatro chegam aos Inhamuns neste mês. Foto: divulgação
Peças de teatro chegam aos Inhamuns neste mês. Foto: divulgação

          De 18 a 30 de novembro, o Sertão Sul cearense recebe a nona edição do Festival dos Inhamuns Circo, Bonecos e Artes de Rua. Grupos do Ceará, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Argentina se apresentam nos polos dos municípios de Tauá e Arneiroz. A programação é gratuita!

 

A tradicional festa das artes de rua chega a partir do dia 18 de novembro no município de Tauá (Região dos Inhamuns). É a nona edição do esperado Festival dos Inhamuns Circo, Bonecos e Artes de Rua, que vai tomar conta do Parque da Cidade durante dois dias de programação com espetáculos gratuitos e livre para todos os públicos.

A novidade desta edição é que ela vem sendo pensada e realizada em parceria com outros dois festivais, o Festival Popular de Teatro de Fortaleza e Festival Nacional de Teatro de Rua do Ceará fizeram uma parceria articulando ações cooperadas potencializando as atividades e minimizando custos e otimizando os recursos cada vez mais escassos.

No polo Tauá, a partir das 18h, o público vai conferir atrações locais com apresentação do Grupo de Capoeira Garra Cearense (Mestre Jaguar), o espetáculo “O Desejo de Catirina” do Grupo Cecit´Arte e “A Farsa de Romeu e Julieta” do Grupo Muc’Arte.

As apresentações cearenses convidadas ficam por conta do Mágico Mister Van de Juazeiro do Norte e Orlângelo Leal do Grupo Dona Zefinha de Itapipoca com seu novo trabalho Autômato além do encantador Laguz Circo, uma dupla de artistas circenses de Fortaleza e Argentina.

No cenário nacional, o Festival traz dois grupos do Sul do país: UEBA do Rio Grande do Sul com dois espetáculos “Zão e Zoraida” e ‘As aventuras do Fusca a Vela’ e o Cirquinho do Revirado de Santa Catarina com o espetáculo “Julia”.
De Tauá, o Festival segue para Arneiroz, sede da Arte Jucá que realiza o projeto para mais dois dias de programação (29 e 30 de novembro). As atrações ficam por conta dos melhores e mais experiente grupos de teatro de rua do Ceará. Três espetáculos recém-estreados como “Urubus” do Grupo Pavilhão da Magnólia, “O Auto do Rei Leal” fruto de um coletivo homônimo e “Devorando Heróis.

 Em Arneiroz ainda acontece a performance de “A Tragédia segundo os Pícaros” do Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis. A apresentação internacional ficará com o grupo Patos Mojados (ARG), que faz uma performance em parceira com o grupo cearense Dona Zefinha no espetáculo “Hijo de las Américas”.

O festival tem o apoio da Secretaria de Cultura do Governo do Ceará, através do Edital de Demanda Espontânea; uma realização da Associação dos Amigos da Arte, Ciência e Cultura de Arneiroz – ARTEJUCÁ e produção da Iluminura Produtora Cultural.

Festival de artes cênicas leva cultura aos Inhamuns
Festival de artes cênicas leva cultura aos Inhamuns

Grupos Participantes
Grupo Coletivo Rei Leal (Fortaleza/Ce);
Dona Zefinha (CE); Patos Mojados (ARG); Grupo Muc’arte – (Arneiroz/Ce)
Grupo Pavilhão da Magnólia (Fortaleza/Ce); Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis (Fortaleza/Ce); Capoeira Garra Cearense – Mestre Jaguar (Tauá/Ce); Grupo Cecit’Arte (Tauá/Ce); Grupo UEBA (RS); Mister Van (Juazeiro/Ce); Companhia de dança Anjos (Tauá/Ce); Orlângelo Leal (Itapipoca/Ce); Grupo Muc’Arte (Arneiroz/Ce); Grupo de Teatro Cirquinho do Revirado (SC); Palhaços Xenhenhen e Pezão (Tauá/Ce e Laguz Circo (Itapipoca/Ce)

Sobre o Festival
O Festival dos Inhamuns Circo, Bonecos e Artes de Rua é um importante encontro de artes cênicas realizado no Sertão dos Inhamuns, interior do Ceará. É o único em todo o estado cearense que trabalha com as múltiplas linguagens do Circo, Bonecos e Artes de Rua e um dos pioneiro no Brasil com esta linguagem da diversidade cultural, de caráter itinerante e integrando as regiões que têm pouco acesso ao teatro e às manifestações artísticas de outros países e estados brasileiros.

Em 2016, o Festival chega a sua nona edição com a participação de companhias teatrais, artistas circenses, bonequeiros, pesquisadores, performances e amantes da arte pública de todo o País e do exterior transformando o Sertão dos Inhamuns em um grande palco de entretenimento, reflexão, formação e intercâmbio.
Serviço:
IX Festival dos Inhamuns Circo, Bonecos e Arte de Rua
Mostra Polos dia 18 e 19/11 em Tauá e 29 e 30/11 em Arneiroz
Gratuito

 

Programação
IX Festival dos Inhamuns. Circo, Bonecos e Artes de Rua (Mostra Polos)
TAUÁ / Parque da Cidade

18 de Novembro (Sexta-Feira)
CALÇADÃO
18h – No Tempo da Escravidão – Capoeira Garra Cearense – Mestre Jaguar (Tauá/Ce)
18h30 – O desejo de Catirina – Grupo Cecit’Arte (Tauá/Ce)
19h – As aventuras do Fusca a Vela – Grupo UEBA (RS)

ANFITEATRO
20h – Magico – Mister Van (Juazeiro/Ce)
20h30 – Palhaço Futriko (Fortaleza/Ce)

ARENA
21h – Reginho Show (Fortaleza/Ce)
21h30 – Autômato – Orlângelo Leal (Itapipoca/Ce)
22h – William Ramon (Fortaleza/Ce)

19 de Novembro (Sábado)

CALÇADÃO
18h – A Farsa de Romeu e Julieta – Grupo Muc’Arte (Arneiroz/Ce)
20h – Júlia – Grupo de Teatro Cirquinho do Revirado (SC)

ANFITEATRO
19h – Zão e Zoraida em Mapa para Brincar – Grupo UEBA (RS)

ARENA
21h – Palhaços Xenhenhen, Pepêto e Xibiu (Tauá/Ce)
21h30 – Suspiros e Burbujas – Laguz Circo (Itapipoca/Ce)
22h – Trio Malabares (Fortaleza/Ce)

ARNEIROZ / Praça da Igreja Matriz

29 de Novembro (Terça-Feira)
19h – A Farsa de Romeu e Julieta – Grupo Muc’arte – (Arneiroz/Ce)
20h – O Auto do Rei Leal – Grupo Coletivo Rei Leal (Fortaleza/Ce)
21h – Urubus – Grupo Pavilhão da Magnólia & Cia Prisma (Fortaleza/Ce)
30 de Novembro (Quarta-Feira)

19h – A Farsa do Cuviteiro – Grupo Juká de Teatro (Arneiroz/Ce)
20h – Devorando Heróis. A Tragédia segundo os Pícaros – Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis (Fortaleza/Ce)
21h – Hijo de las Américas – Dona Zefinha e Patos Mojados (BRA/CE)
TAUÁ / Parque da Cidade

18 de Novembro (Sexta-Feira)
CALÇADÃO
18h – No Tempo da Escravidão – Capoeira Garra Cearense – Mestre Jaguar (Tauá/Ce)
18h30 – O desejo de Catirina – Grupo Cecit’Arte (Tauá/Ce)
19h – As aventuras do Fusca a Vela – Grupo UEBA (RS)

ANFITEATRO
20h – Magico – Mister Van (Juazeiro/Ce)

ARENA
21h – Tá no Peito, Tá na Raça, Tá na Cor – Companhia de dança Anjos (Tauá/Ce)
21h30 – Autômato – Orlângelo Leal (Itapipoca/Ce)

19 de Novembro (Sábado)
CALÇADÃO
18h – A Farsa de Romeu e Julieta – Grupo Muc’Arte (Arneiroz/Ce)
20h – Júlia – Grupo de Teatro Cirquinho do Revirado (SC)

ANFITEATRO
19h – Zão e Zoraida em Mapa para Brincar – Grupo UEBA (RS)

ARENA
21h – Palhaços Xenhenhen e Pezão (Tauá/Ce)
21h30 – Suspiros e Burbujas – Laguz Circo (Itapipoca/Ce)
ARNEIROZ / Praça da Igreja Matriz

29 de Novembro (Terça-Feira)
20h – O Auto do Rei Leal – Grupo Coletivo Rei Leal (Fortaleza/Ce)
21h – Hijo de las Américas – Dona Zefinha e Patos Mojados (BRA/CE)
30 de Novembro (Quarta-Feira)
19h – A Farsa de Romeu e Julieta – Grupo Muc’arte – (Arneiroz/Ce)
20h – Urubus – Grupo Pavilhão da Magnólia (Fortaleza/Ce)
21h – Devorando Heróis. A Tragédia segundo os Pícaros – Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis (Fortaleza/Ce)
Grupo: Grupo Ueba/RS
Espetáculo: AS AVENTURAS DO FUSCA À VELA

“As Aventuras do Fusca a Vela” é um espetáculo divertido e sensível apresentado em praças, parques, ruas ou espaços alternativos. Trata-se de uma obra com forte inspiração nas aventuras de Moby Dick, do norte-americano Herman Melville.

A inusitada montagem do Grupo Ueba se passa em torno de um ferro velho, onde dois personagens vivenciam em uma situação singular, confundindo realidade com fantasia. O velho Ismael conta e experimenta sua história através do seu fusca, transformando o carro em uma embarcação, conduzindo o espectador a viajar com seus devaneios.

Delírios de um homem experiente que viu de perto a fúria de uma vingança. O jovem Jonas, nome inspirado no profeta Jonas que foi engolido pela baleia, entra na história ao jogar uma bola contra o fusca e assim chamar a atenção do velho Ismael.

O espetáculo, assim como o livro, pode ser definido como “uma extraordinária metáfora da condição humana”, pois aborda as obsessões de cada um, o quanto comportamentos extremistas interferem na vida das pessoas. A peça é leve, divertida e ao mesmo tempo com forte carga dramática, explorando as nuances destes sentimentos.

Dois performers dão suporte ao espetáculo, revelando a ludicidade e fantasia no olhar dos personagens principais, conduzindo o público a viajar com eles nesta trama. Eles serão portadores de elementos como bonecos, sereias, tubarões, além de um Drone, e atuam como personagens complementares, de forma versátil.

A equipe conta com renomados nomes em suas áreas de atuação, como Luciano Wieser, Márcio Silveira, Projeto CCOMA, Gnatta Guimicks, Atelier Raquel Cappelletto e Nazareno Bonecos. Além da experiência já adquirida por Jonas Piccoli na direção e dramaturgia do Grupo Ueba, que potencializa a atuação do elenco do espetáculo, em contar a história nestas duas camadas de significação.
Duração: 45 minutos
Classificação livre
Teatro de rua

• FICHA TÉCNICA

País: Brasil
Estado: Rio Grande do Sul
Autor: Jonas Piccoli
Direção: Jonas Piccoli