Categoria: cidades


18:32 · 20.04.2019 / atualizado às 18:32 · 20.04.2019 por

Policiais militares encontraram no quintal de uma residência localizada no sítio Logradouro, em Umari, um revólver calibre 32, desmuniciado, com numeração ilegível, e uma pistola, capacidade para duas munições, com uma deflagrada, de calibre 22.

As armas foram apresentadas na Delegacia Regional de Polícia Civil de Iguatu, unidade plantonista. O suspeito de ter a posse das armas não foi localizado.

Policiais militares encontraram as duas armas após o comerciante, José Audicélio Evangelista Barros, 45 anos, no sítio Logradouro, que teria denunciado à Polícia Militar, que um filho dele, na noite anterior, havia quebrado objetos dentro de casa e ainda efetuado disparos.

18:25 · 20.04.2019 / atualizado às 18:25 · 20.04.2019 por

O suspeito de ser o autor do furto de uma motocicleta Honda Titan, vermelha, sem placa, ocorrida na cidade paraibana de Santa Helena, que faz divisa o Ceará, Fábio da Silva Lima, foi preso na cidade de Umari, no Centro-Sul do Ceará.

A moto pertence ao vendedor José Artur Dantas Lisboa, 26 anos. A Polícia Militar depois de diligências, acabou prendendo Fábio com a moto furtada e o suspeito foi levado de Umari para Delegacia Regional de Polícia Civil de Iguatu, que estava de plantão.

18:19 · 20.04.2019 / atualizado às 18:19 · 20.04.2019 por

 

Paixão de Cristo em Cedro. Fotos de Marciel Bezerra

O espetáculo da Paixão de Cristo realizado na cidade de Cedro chegou à sua V edição e mais uma vez emocionou os moradores, nesta Sexta-Feira Santa (19/4) a partir das 17 horas. A peça começou na Igreja Matriz de São João Batista e foi finalizado no morro de entrada da cidade, com as cenas da morte e da crucificação de Jesus Cristo, o Nazareno.

Neste domingo, (21) acontece a cena da ressurreição de Jesus Cristo a partir das 21 horas na Igreja Matriz de São João Batista, após a liturgia da Vigília Pascal.

Desde a primeira edição, a Prefeitura de Cedro dá apoio à realização do evento, com ações de limpeza, liberação de verba, disponibilização da Guarda Municipal e dos agentes do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran), além de servidores da secretaria de Cultura.

“Recriar os últimos instantes de Jesus na terra, seus sofrimentos, humilhações, dores e, sobretudo, seus ensinamentos de vida, é algo mágico, encantador”, destaca o gestor municipal, Dr. Nilson Diniz.

“Fiquei feliz em olhar os jovens vivenciando a vida de Jesus, que deu sua vida por nós. Sentada na calçada com os vizinhos, acompanhei tudo”, disse a aposentada Francisca Bezerra, 81 anos. 

 

Para o Padre Ademar Alves, o momento foi especial, com a participação da população e dos atores ensejando uma profunda reflexão da grandeza do amor de Deus por cada um de nós. “Foi tudo muito organizado, a desenvoltura dos jovens me impressionou, deixando uma mensagem muito forte para toda esta multidão. Meu coração está transbordando de alegria”, sustentou o religioso.

Thiago Teixeira, 21 anos, que interpretou Jesus Cristo no espetáculo, destaca o momento especial em sua vida, que proporciona também o engrandecimento e aprofundamento da sua fé. “Neste momento em que estamos vivendo momentos difíceis, a encenação mostra como é importante continuar vivendo o papel de Jesus. Só tenho a agradecer a todos por fazerem deste espetáculo algo bem especial. Estou feliz”, destacou o ator e um dos coordenadores do evento.

 

 

 

19:19 · 19.04.2019 / atualizado às 19:21 · 19.04.2019 por
Saída das imagens de Senhor Morto e de Nossa Senhora das Dores da Matriz de Sant’Ana. Fotos de HB

Após celebração da Paixão de Cristo com o rito da adoração da cruz, na Igreja Matriz de Senhora Sant’Ana, em Iguatu, centenas de católicos participaram da tradicional procissão do Senhor Morto.

Homens conduzem o corpo que representa Jesus Cristo, e logo atrás segue a imagem de Nossa Senhora das Dores.

O padre Carlos Roberto Alencar, pároco da Matriz de Sant’Ana, disse que a caminhada segue a tradição da paróquia e é um memorial da dor, do sofrimento e do flagelo de Jesus Cristo. “Ele derramou o seu sangue para nos salvar, por amor incondicional”, frisou. “Mas o nosso Deus venceu a morte, ressuscitou”.

Após a caminhada, centenas de católicos rezam em torno da imagem do Senhor Morto e depositam oferta em dinheiro. Outros grupos fazem a vigília Pascal com orações em frente ao sacrário.

A aposentada Francisca Lopes disse que desde criança participa das celebrações da Sexta-Feira santa em Iguatu. “Faz tempo que tem a procissão do Senhor Morto”, lembrou. “É uma tradição, mas que nos últimos anos vem diminuindo a quantidade de pessoas que participam”.

O estudante Carlos Henrique Gomes disse que participa há cinco anos da procissão. “Comecei a vir com minha mãe, ainda criança”, disse. “Hoje é um dia de silêncio, de reflexão com Deus”.

Devotos seguem a caminhada com o Senhor Morto

 

Vídeo com o início da procissão do Senhor Morto em Iguatu:

 

 

10:36 · 19.04.2019 / atualizado às 10:41 · 19.04.2019 por

 

Em Iguatu, o empresário João Alencar Oliveira manteve um gesto de solidariedade que foi iniciado por seu pai, Nelson Alencar, há décadas.

Na manhã desta Sexta-Feira Santa, quando os católicos celebram a Paixão de Cristo, o empresário João Alencar fez a doação de 800 cestas básicas para famílias de baixa renda.

O padre Yukio Adelly Vieira, pároco da Catedral de São José, em Iguatu, fez a bênção da ação solidária destacando a importância de gestos concretos de caridade, solidariedade. “Reflete o amor ao irmão, o socorro ao necessitado”, pontuou o sacerdote. “É um exemplo a ser seguido”. 

O empresário João Alencar lembrou com saudades do pai que fazia gesto semelhante e que mantém a tradição há vários anos. “É uma forma de agradecer a Deus pelo crescimento da nossa empresa e uma ação concreta de apoio às famílias necessitadas nessa época de caridade e fraternidade”, pontuou. 

O fotógrafo Kaká Nascimento acompanhou o momento e mostrou-se emocionado. “A gente fica tocado com a multidão, pessoas que querem comer a Páscoa, fazer um almoço neste dia santo”, frisou. “É um gesto muito bonito”.

O ex-vereador João Lázaro participou da organização e mobilização das famílias e da entrega das cestas. “É um ato que acompanho a cada ano e sempre me emocionou por ser feito com pureza do coração”, afirmou.

Moradores esperam por entrega de cestas básicas. Fotos de Kaká Nascimento

 

09:50 · 19.04.2019 / atualizado às 09:50 · 19.04.2019 por

Nesta quinta-feira, 18, na estrada de terra que dá acesso ao sítio Ribeira, zona rural de Tarrafas, próximo ao matador público do município, moradores  localizaram um corpo de um homem.

Policiais militares identificaram a vítima como Expedito de Souza, 49 anos, cabeleireiro, sem antecedentes criminais. Segundo familiares, a vítima estava desaparecido desde a noite do último dia (17).

Expedito Souza apresentava várias perfurações ocasionadas por faca. Policiais não identificaram o autor do crime de morte.

 

Saboeiro – prisão de homicida

Por volta das 5h30 desta quinta-feira, 18, ocorreu um homicídio na localidade de Cruzeta,  a 8 km da sede de Saboeiro. Um homem foi morto por pancadas de uma barra de ferro. A vítima foi identificada como Carlos Santos.

O crime ocorreu às margens da rodovia que liga Cruzeta à cidade de Saboeiro. O suspeito é Woshigton Souza que confessou a autoria do crime. O réu confesso, segundo a Polícia Militar, disse ter cometido o crime em razão da vítima ter tentado praticar sexo a força, coagindo-o com uma faca, e ele conseguiu golpear a vítima com a barra de ferro.

Os policiais encontraram com o suspeito uma chave de fenda na cor amarela e uma faca tipo peixeira. Os dois estavam bebendo juntos desde o dia anterior e encontravam-se embriagados.

O suspeito foi conduzido à Delegacia Regional de Polícia Civil de Iguatu para a lavratura do flagrante delito.

09:29 · 19.04.2019 / atualizado às 10:09 · 19.04.2019 por

 

Nos sertões de Cedro, Lavras da Mangabeira, Várzea Alegre e Barbalha grupos de penitentes percorreram estradas na noite desta quinta-feira, 18, e madrugada desta Sexta-feira Santa com o objetivo de recolher doações nas casas.

Os grupos mantêm a tradição secular, rezam benditos e seguem ritual próprio da época.

A pesquisadora e escritora Cristina Couto lembrou que o costume foi mantido neste ano em Lavras da Mangabeira. “É uma tradição secular. Eles saem à noite na quinta-feira santa com cantos que lembram a idade média, pedem esmolas nas casas”, pontuou. “Em Barbalha, existe ainda a tradição de encontro de grupos de penitentes de homens e de mulheres que são as ‘incelenças'”.

Para Cristina Couto, a tradição começou por volta de 1868 com o padre Ibiapina, na Serra do Araripe. “Antigamente havia autoflagelação, mas essa prática foi proibida”, lembrou. “Na época de epidemia do cólera no sertão, doença que era atribuída a prática de pecados e os penitentes iam às casas para as pessoas se arrependerem, rezarem”.

Apesar da modernização dos tempos, o penitentes ainda mantêm suas práticas. “Como disse é uma cultura secular que precisa ser preservada e a nossa tradição pede socorro”, destacou Cristina Couto.

Penitentes em Cedro 

No sertão cearense, nessa época do ano em que os católicos celebram a Semana Santa, a religiosidade popular expressa seus ritos seculares: grupos de penitentes circulam por ruas das cidades e por estradas de localidades rurais, mantendo viva a tradição e a cultura do lugar.

O sertão se renova com as chuvas, e as manifestações folclóricas e de religiosidade popular afloram. Um exemplo vem da cidade de Cedro. Grupos de penitentes realizam caminhadas nos sítios rezando, cantando benditos e pedindo esmolas. Um deles, formado por 12 agricultores, percorre estradas de sítios e vilas rurais. Por onde passam o silêncio da noite é quebrado por rezas e cantos de benditos.

Vestidos com ‘opa’, uma espécie de bata, com cruzes, em estilo de roupa medieval e na mão portando “cacho” (chicote com lâminas de ferro afiadas), cruz e com as cabeças cobertas, os penitentes cumprem a tradição que chegou ao Cariri cearense por volta de 1850 e se espalhou por regiões vizinhas.

Antônio Cipriano, decurião, isto é, o líder do grupo e diz que se esforça para manter vivo o ritual. “O que nós fazemos é penitência, tradição e obrigação”, explicou. “Jesus sofreu por nossos pecados e nós rezamos para não cair em tentação”. Ele lembra que em 1950, o avô materno já coordenação grupo na região.

O agricultor Edenilson Batista ingressou no grupo há dois anos. “Alcancei essa graça e estou participando”, disse. “Rezamos e refletimos sobre o sofrimento de Jesus”.

Os penitentes são homens simples e abnegados, que mantêm a tradição. Identificam-se com crendices populares e dogmas religiosos. O ritual é próprio e os benditos são cantados em voz alta, misturando agudos e graves, que ecoam nas estradas e casas do sertão nordestino noite adentro.

Em frente às casas, o grupo canta e reza até que saia um morador para doar uma esmola. Às vezes são convidados pelo dono da casa, a entra e rezar, abençoando o lar, a família, como forma de agradecimento ou para expressar pedido por graças.

Os penitentes do Vale do Machado em Cedro e Lavras da Mangabeira herdaram a tradição dos avós. No passado, tiveram apoio de líderes religiosos. Hoje, o ritual resume-se a cantar em portas de amigos, nos cruzeiros nas estradas e pedir esmolas para o desjejum na Sexta-Feira Santa, quando os católicos celebram a Paixão e Morte de Jesus Cristo.

Penitentes participaram de procissão do fogaréu em Várzea Alegre. Fotos de Fábio Oliveira

Opinião do especialista 

 João Batista Moreira, Padre e psicólogo 

Sem dúvida é uma manifestação cultural e de cunho religioso popular de grande valor.

Corrigidas as distorções e exageros que no passado causavam contaminações por doenças e flagelos desnecessários, a prática hoje precisa ser sempre mais valorizada e conhecida. Principalmente quando adaptada no contexto da arrecadação de alimentos e donativos para o socorro aos pobres e desvalidos.

Outro aspecto pertinente é que o ritual em si e os cânticos de lamento repercutem as dores deles e seus sofrimentos diários mergulhados na dor e no flagelo de Jesus.

Eles se identificam com Jesus sofredor e ao fazerem do suplício da vida um rito cadente e profundo, re-significam tudo e ganham fôlego para continuem e resistir a tudo.

 

 

Canto antigo por grupo de penitentes em Lavras da Mangabeira 

Vídeo feito à noite mostra grupo de penitentes em Lavras da Mangabeira cantando seus benditos em frente à uma casa. A imagem foi captada à noite, está escura, e os penitentes estão de costas, mas o curioso é a forma, o estilo do cantar e rezar:

 

 

08:51 · 19.04.2019 / atualizado às 08:57 · 19.04.2019 por

 

Público se concentra para início da Via Sacra. Fotos de HB

Na manhã desta sexta-feira, 19, quando os católicos celebram a Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, cerca de 70 pessoas participaram da Via Sacra, em Iguatu. Implantada há mais de cinco anos, o evento que integra a programação religiosa da Semana Santa da Diocese de Iguatu vem perdendo público a cada edição.

A concentração ocorreu por volta das 6h30 na Praça Maestro Eleazar de Carvalho, no entorno do antigo Centro Social Urbano (CSU).

Depois de momentos de reflexões sobre crises política e social – desemprego, corrupção, precariedade dos serviços de saúde, questões indígenas, reforma da previdência social, os peregrinos seguiram por ruas da cidade, com paradas ‘estações’ em frente a instituições públicas (Centro de Atenção Psicossocial, Previdência Social, delegacia de Defesa e Proteção da Mulher, Cadeia Pública, igrejas de Senhora Sant’Ana, Catedral de São José e Matriz de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Os padres Anastácio Ferreira e Leiva Carvalho conduziram a Via Sacra. Em cada estação momentos de reflexões sobre a temáticas sociais feitas pelos sacerdotes e por integrantes da caminhada: a exploração dos trabalhadores, a discriminação dos pobres, negros, a desigualdade, a falta de oportunidades, a concentração de renda, ações contra  os direitos dos povos indígenas.

 

Uma cruz foi conduzida pelos fiéis. A caminhada durou cerca de três horas.

 

 

 

Veja vídeo da saída da Via Sacra:

 

 

 

08:01 · 19.04.2019 / atualizado às 08:01 · 19.04.2019 por

 

Bispo de Iguatu dom Édson de Castro Homem seguiu o rito do lava-pés. Fotos de HB

Nesta quinta-feira, 18, quando os católicos celebram a abertura dos ritos do Tríduo Pascal, o bispo da diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, presidiu a solenidade da Missa da Ceia do Senhor, na Catedral de São José, em Iguatu.

Durante a liturgia, houve o lava-pés – um rito que reflete a imitação ao gesto de Jesus que lavou os pés dos discípulos durante a última ceia. Neste ano, 12 jovens integrantes do Encontro de Jovens com Cristo  foram escolhidos para participar da cerimônia. “Jesus fez um gesto de humildade, de serviço ao próximo e, sobretudo, de amor”, frisou o bispo. “Ele nos deixou o exemplo que precisa ser seguido por todos”.

O bispo lavou, beijou os pés e distribuiu pão de coco com os jovens escolhidos para o rito desejando-os feliz Páscoa.

Dom Édson de Castro frisou o amor que não tem medida, que nos foi ensinado por Jesus, a humildade e a solidariedade para com os irmãos, o serviço ao necessitado. O bispo também abordou o problema de corrupção, de desvio de dinheiro público e a precariedade de assistência nos serviços públicos à população.

Após lavar, o bispo também beijou os pés dos jovens do EJC.
12:29 · 18.04.2019 / atualizado às 12:31 · 18.04.2019 por

 

Grupo dos Irmãos do Santíssimo abre procissão de Nosso Senhor dos Passos. Fotos de HB

A Paróquia de Senhora Sant’Ana em Iguatu promoveu nesta quarta-feira, 17, o encontro das imagens de Nosso Senhor dos Passos e de Nossa Senhora das Dores. O evento abre a programação da Semana Santa em Iguatu.

O evento religioso que ocorre tradicionalmente na Semana Santa reuniu centenas de católicos. Divididos em dois grupos, homens e mulheres participaram de duas caminhadas com a condução das imagens.

Os homens trouxeram a imagem de Bom Jesus dos Passos a partir da Capela de Santa Rita de Cássia e as mulheres também em procissão seguiram com a imagem de Nossa Senhora das Dores, saindo da capela de Santa Luzia, no Bairro Flores.

O encontro dos dois grupos ocorreu em frente à Igreja Matriz de Senhora Sant’Ana. Houve orações e preces e em seguida a celebração de missa.

As caminhadas evocam a memória da via percorrida por Jesus Cristo desde sua condenação à morte até a crucificação. O padre Roberto Alencar, pároco da Matriz de Senhora, destacou a participação dos católicos no evento religioso. “Temos mantido um bom número de participantes a cada ano”, pontuou. 

A aposentada, Francisca Lima, disse que participa da procissão desde o seu começo há mais de cinco anos. “Sempre assisto a todas as celebrações, missas e procissões, da Semana Santa”, contou. O comerciário, Francisco Moreira, participou neste ano pela primeira vez da programação. “Gostei e quero voltar a participar no próximo ano”, disse.

Imagem de Nosso Senhor dos Passos
Imagem de Nossa Senhora das Dores
Encontro das imagens em frente à Igreja Matriz de Santana

 

 

 

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Diário Centro Sul

Fatos diários das regiões Centro-Sul, Vale do Jaguaribe e Inhamuns em infraestrutura, polícia, economia, política, esporte e cultura. Por Honório Barbosa.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags