Categoria: cidades


11:33 · 18.05.2019 / atualizado às 11:33 · 18.05.2019 por

 

Presidente do Consórcio Centro-Sul I, prefeito Zé Hélder, mostra confiança no projeto. Foto de Honório Barbosa

Foi aprovado o ingresso dos municípios de Icó e de Orós no Consórcio de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Região Centro-Sul I. A aprovação ocorreu por unanimidade em reunião realizada na manhã desta sexta-feira, na cidade de Várzea Alegre.

O consórcio já foi constituído e tem a participação das seguintes cidades: Baixio, Cedro, Granjeiro, Icó, Ipaumirim, Lavras da Mangabeira, Orós, Umari e Várzea Alegre e uma população estimada em 217 mil habitantes. 

“É obrigação do município cumprir a lei ambiental e através dos consórcios e esse objetivo será alcançado”, definiu o prefeito de Cedro e presidente da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Nilson Diniz. “A situação atual é preocupante porque há muito tempo, no Brasil, as leis são feitas e os municípios tem que cumprir sem que para isso sejam destinados os recursos financeiros”.

Agora os municípios consorciados têm recebimento de recursos da ordem de 2% do ICMS Ecológico por meio do Índice Municipal de Qualidade do Meio Ambiente.

A articulação de formação dos consórcios é da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema).

Os valores são lineares e o consórcio Sertão Centro-Sul I vai receber R$ 430 mil, neste primeiro ano.

O prefeito Dr. Nilson Diniz destacou que a reunião marcou mais um avanço para estruturar a coleta seletiva, ou seja, implantar a política de pré-aterro. “Essa é uma política importante e temos uma política atrelada ao interesse do governo do Estado e do Ministério Público”, frisou.

Cada cidade terá uma Central de Resíduos Sólidos (CRS) que contará em uma área de 10 mil metros quadrados de galpão de resíduos secos, compostagem, poda e unidade de rejeitos. A sua viabilidade depende da coleta seletiva.

O presidente do consórcio, prefeito de Várzea Alegre, Zé Hélder, disse que a unidade está entrando em processo de execução. “Vamos licitar as centrais de resíduos e o nosso consórcio está adiantado e bem organizado”, pontuou. “Precisamos tratar o meio ambiente de forma responsável”.

O superintendente do consórcio, André Alexandre, ressaltou que os municípios que não aderirem à política de consórcio sofrerão medidas punitivas por parte do Ministério Público.

Consórcio Sertão Centro-Sul II

Está em formação o consórcio Centro-Sul II que vai englobar Iguatu, Quixelô, Jucás, Cariús, Saboeiro e Tarrafas e terá uma população estimada em 186 mil habitantes. 

Prefeito Nilson Diniz, presidente da Aprece, destacou importância da separação dos resíduos pelos moradores, ou seja, a coleta seletiva. Foto de HB
10:08 · 18.05.2019 / atualizado às 10:08 · 18.05.2019 por
Bicicletas furtadas foram devolvidas. Foto de Richard Lopes

Dois furtos de bicicletas ocorreram nesta sexta-feira, em Icó. O suspeito foi preso, o agricultor, Francinaldo Nogueira da Silva de 25 anos, conhecido por ‘Deca’, residente no bairro Santa Luísa de Marillac.

Câmeras de segurança registraram imagens da ação do furto, no Centro da cidade. No interior da casa do suspeito, os militares encontraram as duas bicicletas furtadas. O suspeito confessou o crime e foi conduzido à Delegacia Regional de Polícia Civil de Icó, onde foi autuado por furto, pelo delegado George Alexandre Irineu Segundo. As bicicletas foram devolvidas às proprietárias.

09:58 · 18.05.2019 / atualizado às 10:43 · 18.05.2019 por
Chuva deixou vários pontos de alagamento. Fotos de Gustavo Veras

Os moradores da cidade de Icó foram surpreendidos na manhã desta sexta-feira, (17), por uma chuva forte, rápida que deixou várias ruas e avenidas alagadas. A precipitação repentina ocorreu por volta das 10 horas e se estendeu cerca de 25 minutos.

Houve vários pontos de alagamentos. Em um deles, no cruzamentos das avenidas Nogueira Acioly e Monsenhor Frota, a água impediu a passagem de pedestres. É um ponto de intensa movimentação de pessoas e veículos.
Outros pontos de alagamentos: Avenida Josefa Nogueira Monteiro, Rua Rejente Feijó, José Ribeiro Monte e Rua General Piragibe.

A Funceme registrou apenas 11,5 milímetros na chuva ocorrida pela manhã, que provocou os pontos de alagamento, e na madrugada deste sábado, 18, foram observados 48.5mm.

 

 

09:50 · 18.05.2019 / atualizado às 09:50 · 18.05.2019 por

 

Matadouro de Icó funciona com prática de crime ambiental

O promotor de Justiça de Icó, Renato Magalhães de Melo, ingressou na vara única da comarca de Icó, na região Centro-Sul do Ceará, com Ação Civil Pública, com pedido de liminar, visando ao fechamento do matadouro público municipal por prática de crime ambiental mediante a precariedade da unidade.

O Matadouro Público de Icó foi embargado em 2011 pela Semace e estava com licença de operação suspensa. Em 2018, o Ministério Público do Estado do Ceará, por meio da comarca de Icó, realizou diligências na unidade e expediu recomendação à Prefeitura Municipal de Icó que providenciasse o fechamento do matadouro em prazo de dez dias.

De acordo com o promotor de Justiça, Renato Magalhães de Melo, a recomendação não foi atendida e o Ministério Público decidiu ingressar com Ação Civil Pública com pedido de liminar nesta quinta-feira, 16.

Há relatório do Conselho Regional de Medicina Veterinária  e laudo de fiscalização da Semace que apontam prática de crime ambiental e irregularidades no abate, conservação da carne e carcaça e no destino final dos dejetos, além do abate cruel com marretadas.

Irregularidades

Na Ação Civil Pública, o promotor aponta irregularidades, dentre elas, falta de higiene, de sanitários para operar sem que ofereça riscos ao consumidor, falta de equipamentos adequados e utensílios mais simples para execução dos trabalhos – mesas para inspeção de vísceras e condução de produtos de origem animal, em inox; ausência de câmara frigorífica; não há destino adequado para os efluentes líquidos e sólidos, ao ponto de serem lançados indevidamente no meio ambiente; inexistência de equipamento adequado para lavagem de meias carcaças, ausência de esterilizadores, banheiro sem condições de uso e com localização inadequada, inexistência de dispositivos na rede sanitária que evitem refluxo de efluentes, inexistência de lavatórios adequados, área de matança não separada da área suja, abate cruel (marretadas).

O promotor de Justiça observou ainda a inexistência de qualquer tipo de fiscalização criteriosa quanto à sanidade dos animais abatidos, o que gera elevado risco de contaminação por inúmeras doenças (as temidas zoonoses), perigo que paira sobre toda a população desta cidade que consome a carne oriunda do matadouro em questão.

Apesar dos embargos, o matadouro permanecia em plena atividade, a despeito do embargo e da ausência de licença ambiental.

Resposta da Prefeitura

Em resposta, a Prefeitura de Icó, limitou-se a informar que logo que tomou conhecimento do embrago, buscaram recursos junto ao Estado do Ceará, e que estavam providenciando a construção de um novo abatedouro público, bem como que, no momento, não possuíam outro local para abater animais.

09:15 · 18.05.2019 / atualizado às 09:15 · 18.05.2019 por

Nesta sexta-feira, 17, por volta das 20 horas na rua Francisco Alves Martins, bairro Nova Acopiara, ocorreu um homicídio. O mototaxista Francisco de Morais foi morto a tiros. Moradores contaram que apenas ouviram barulho de tiros e depois viram o corpo da vítima caído no chão. Uma unidade do Samu foi acionada e constatou a morte. O corpo foi conduzido pelo Rabecão para o IML de Iguatu.

09:10 · 18.05.2019 / atualizado às 09:10 · 18.05.2019 por

 

Captação de água no Açude Arneiroz II para Catarina. Fotos de Diomar Araújo

A cidade de Catarina já está sendo abastecida pela adutora do açude Arneiroz II. A informação foi confirmada pelo gerente operacional da Cagece, em Catarina, Pablo Feitosa. A operação de transferência de água do reservatório Arneiroz II para o São Gonçalo (Rivaldo de Carvalho) começou nesta sexta-feira, 17.

O projeto de responsabilidade do Dnocs começou em março de 2018 e foram concluídos em setembro daquele ano. A adutora é resultado de um esforço coletivo de várias lideranças políticas. Faltava a instalação da rede elétrica de responsabilidade da empresa Enel. Após realização de audiência pública com representantes de vários órgãos, a Enel concluiu o trecho da rede elétrica da adutora que estava faltando em abril passado.

“ É um sonho realizado, foi uma grande conquista”, disse o prefeito de Catarina, Dr. Thiago Paes de Andrade Rodrigues. 

O sistema de abastecimento de água da Cagece em Catarina tem captação direta do Açude São Gonçalo.

22:31 · 16.05.2019 / atualizado às 10:48 · 18.05.2019 por

 

Monsenhor Queiroga mostra diploma do Instituto Cigano do Brasil. Foto de HB

O monsenhor Afonso Queiroga recebeu o diploma ‘Amigo dos Ciganos’ da Associação de Preservação da Cultura Cigana do Ceará. O sacerdote integra o quadro da Diocese de Iguatu e tem um trabalho de apoio aos povos ciganos, em defesa de sua cultura, memória e contra preconceitos e discriminação social que a comunidade enfrenta. “Fiquei muito feliz com a comenda de reconhecimento ao nosso trabalho”, disse o religioso.

Há comunidades ciganas no Ceará em 56 municípios e o governo do Estado começou a fazer um mapeamento desses núcleos, cuja maior fica localizada na zona rural.

Os ciganos da região Centro-Sul do Estado contam com o apoio irrestrito do padre Afonso Queiroga, um defensor desta minoria étnica e que representa no Ceará a Pastoral dos Povos Nômades – que inclui ciganos, circenses e parquistas.

Ex-vigário geral da Diocese de Iguatu e ex-reitor do Seminário Diocesano de Iguatu, o padre despertou o interesse para a cultura cigana na infância.

“Era menino no Interior, em Mombaça, e ficava fascinado vendo eles passarem em grupos. Aquela imagem ficou em mim. Já como padre, assumi a Paróquia de Catarina. Foi nessa cidade que conheci alguns ciganos e procurei me inteirar da maneira como eles viviam”, relata.

Engajamento

De acordo com o religioso, o engajamento mesmo ocorreu ao participar de um encontro de casais da Igreja em Aracaju, onde conheceu dom José Édson de Oliveira, que era presidente da Pastoral dos Povos Nômades. “No encontro, falei do meu interesse por esse povo. De pronto, ele me mandou um vasto material para trabalhar. A partir daí, comecei a estreitar o meu relacionamento com eles”. Ele explica ainda que em Catarina, realizou uma confraternização em maio de 2009, mês em que é comemorado o Dia Nacional dos Ciganos.

“Convidei as autoridades da cidade para um grande encontro. Foi a primeira investida para quebrar um pouco desse enorme preconceito que existe. Todos puderam falar, expor suas ideias”.

A iniciativa lhe valeu a fama de “padre dos ciganos” e o convite para ir até Souza, na Paraíba, local onde a presença cigana é bem significativa. “Lá existem três grandes ranchos. Pude passar três dias com eles, o que me deu muita experiência. Senti o quanto eles têm um espírito religioso, devocional. Adoram o padre Cícero, frei Damião e outros personagens da Igreja, como San Ceferino Gimenez de Malla, o primeiro santo cigano reconhecido pela Igreja Católica, de origem Kalon espanhol”.

Padre Afonso Queiroga se disse impressionado com o respeito que os ciganos têm pelos idosos e crianças. “Interessante é que a devoção religiosa é tamanha que eles adoram o batismo. Outro aspecto a destacar é a união familiar. Tanto é verdade que, quando uma família se muda, geralmente todas as demais vão juntas”.

Em relação às desavenças, têm uma postura fechada. “Apesar do respeito e amizade, nunca me chamaram ou permitiram que eu interviesse em qualquer querela ou disputa entre eles. Nesse ponto, são bastante reservados”.

 

22:06 · 16.05.2019 / atualizado às 22:07 · 16.05.2019 por

 

Reunião na casa de dom José Mauro sobre o caso Maria Augusta. Foto de Honório Barbosa

Foi realizada na manhã desta quinta-feira, 16, na casa do bispo emérito da Diocese de Iguatu, dom José Mauro Ramalho, uma reunião com o objetivo de dar continuidade aos trabalhos de coleta de dados e depoimentos sobre Maria Augusta, que foi assassinada pelo próprio pai, em 23 de junho de 1965, aos 14 anos, após resistir a tentativas de sedução, no sítio São Joaquim, zona rural deste Município, na região Centro-Sul do Ceará.

Em novembro de 2017, o bispo da Diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, determinou que o pároco da Igreja Matriz de Senhora Sant’Ana, Carlos Roberto Alencar, colhesse depoimentos de parentes e amigos de Maria Augusta e de pessoas que relatam graças alcançadas por intercessão dela.

Participaram da reunião, o bispo emérito, dom José Mauro Ramalho, os padres, João Batista Moreira, Gilberlândio José da Silva, monsenhor Afonso Queiroga, o ex-prefeito, Elpídio Cavalcante, e o promotor de Justiça, Leidomar Nunes Pereira. 

“Vamos elaborar um documentário a partir de relatos de pessoas que conviveram com Maria Augusta, com aquelas que relatam graças, curas alcançadas”, disse José Elpídio Cavalcante.

O bispo emérito, dom José Mauro Ramalho, espera avanços nos trabalhos e chama Maria Augusta de “a nossa santinha”. 

O promotor de Justiça, Leidomar Nunes Pereira, está em busca do processo sobre o crime de Maria Augusta e Elpídio Cavalcante em busca de notícias nos jornais da época.

A ideia do bispo é, a partir da coleta de relatos e de outras fontes históricas, analisar a possibilidade de abertura do processo de beatificação, que deve ser autorizado pela Santa Sé. Em novembro de 2017, dom Édson de Castro explicou: “Não há comissão oficial criada. Pedi ao padre Roberto Alencar que colhesse informações. Não há pressa e não é um assunto fácil”.

Túmulo mais visitado

 

O túmulo de Maria Augusta é o mais visitado no Cemitério Senhora Sant’Ana, nesta cidade, ao longo do ano e, em particular, no Dia de Finados. As pessoas depositam flores, acendem velas e fazem orações. Há dezenas de relatos de graças alcançadas. Recentemente, uma família fez uma reforma na sepultura por agradecimento. Outros fazem a visita, mesmo sem conhecer bem a história da tragédia familiar que repercutiu em Iguatu em meados da década de 1960.

O escritor Cícero Cruz, que publicou um livreto sobre a vida de Maria Augusta, em 2009, acredita que a vinda de um piloto argentino a Iguatu, na década de 1970, com um relato impressionante, despertou a atenção dos moradores, que começaram a visitar o túmulo. “Houve um acidente aéreo. O piloto fez uma prece e conseguiu pousar a aeronave sem vítimas e viu uma jovem na asa do avião que teria dito ser Maria Augusta de Iguatu”, contou. “Esse homem visitou Iguatu, conversou com parentes, contou a história e queria construir uma capela, mas infelizmente não guardaram dados sobre ele”.

Cruz fez entrevistas e publicou a obra motivado pelos relatos da história e das graças alcançadas que ouvia da avó, da mãe e de visitantes ao túmulo. “Há uma senhora que colheu vários relatos, está idosa, e um dia me disse: ‘Meu filho, temos uma santa em Iguatu’. Isso demonstra a crença e a fé de muitas pessoas”. Segundo as informações do escritor, a maioria das promessas é feita para cura em crianças e adolescentes.

O padre João Batista, pároco da Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Iguatu, disse que o bispo mostrou-se interessado em conhecer mais a fundo a história. “Essa é uma questão que deve ser tratada com muito cuidado, mas, à primeira vista, nos remete a um tema muito atual, a violência contra a mulher e a criança”, pontuou. “Por outro lado, há o resgate da devoção popular, que é natural, nasce do povo e a Igreja só dá o reconhecimento”.

Testemunho

O irmão da vítima, Raimundo Augusto contou que passou pelo pai, José Augusto da Silva, na época com 58 anos, momentos antes do crime, vindo para a cidade. A irmã, estava em casa, na zona rural. “Momentos depois soube do ocorrido e vim com a Polícia e vi minha irmã morta, a golpes de roçadeira”, contou emocionado. “Mamãe falava para a gente sobre as intenções de papai, mas ninguém acreditava”.

O crime ocorreu em 23 de junho d 1965. Maria Augusta tinha 14 anos de idade.

José Augusto fugiu e foi preso no sítio Ambrósio, em Acopiara, após perseguição policial. Foi transferido para Fortaleza e até hoje a família não tem informação sobre o pai. A mãe, com quatro filhos homens e duas mulheres passaram a morar na cidade de Iguatu.

Túmulo de Maria Augusta é um dos mais visitados no Dia de Finados. Foto de HB
21:41 · 16.05.2019 / atualizado às 21:41 · 16.05.2019 por

 

Miguel de Oliveira, dono da LAN House. Fotos e vídeos de Honório Barbosa

Policiais militares prenderam o suspeito de assaltar uma LAN House usando uma faca tipo peixeira, artesanal, feita de ação, com cabo de ferro, no bairro Flores, na cidade de Iguatu: Alisson Matias de Oliveira Alexandre, 19 anos.

Ainda foram presas mais três pessoas suspeitas de envolvimento com o assaltante: Anderson Oliveira Alexandre, que é irmão de Alisson Alexandre, 22 anos; Francisco Anderson Ferreira Lopes, 20 anos; e José Anderson Paulino Souza. 

A LAN House foi aberta há três meses e funciona na garagem da casa de Miguel Alves de Oliveira. “Ele passou mais cedo e perguntou até que horas ficaria aberta e também se poderia fazer um trabalho para ele”, contou o dono do estabelecimento. “Ele praticou o assalto usando uma faca, tipo peixeira, artesanal, feita de aço, e ainda deixou a arma do crime com a adolescente que estava tomando conta porque eu havia saído”.

O crime foi praticado na última segunda-feira, 13, e os suspeitos foram presos no dia seguinte. A identificação ocorreu porque o assaltante deixou a página do Facebook aberta em um dos computadores, facilitando o trabalho de investigação da Polícia. 

 

LAN Houe foi assaltada em Iguatu.

Dono da LAN House conta como foi o assalto. Veja:

17:35 · 16.05.2019 / atualizado às 17:35 · 16.05.2019 por

A Prefeitura de Tauá promove no fim da tarde desta quinta-feira, 16, festa para homenagear as mães com sorteios de brindes e de cestas básicas, doados por empresas e pessoas parceiras da gestão municipal.

A programação começa a partir das 17 horas, no Parque da Cidade. As senhas para sorteios serão distribuídas no início da festa.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Diário Centro Sul

Fatos diários das regiões Centro-Sul, Vale do Jaguaribe e Inhamuns em infraestrutura, polícia, economia, política, esporte e cultura. Por Honório Barbosa.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags