Busca

Categoria: comércio


10:10 · 26.05.2018 / atualizado às 10:17 · 26.05.2018 por

 

Em Iguatu, 15 dos 16 postos não têm mais estoque de gasolina. Fotos de Wandemberg Belém

Dos 16 postos de combustíveis na cidade de Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará, apenas um ainda mantinha um estoque mínimo de gasolina e etanol na manhã deste sábado, 26. Na noite desta sexta-feira e na manhã cedo deste sábado, longas filas se formaram de condutores de carros e motos em busca de abastecer os seus veículos.

O posto localizado no Centro, no entorno da antiga estação de trem é o último a manter o estoque de gasolina e etanol. Há longa fila. A previsão é de que por volta das 11 horas, da manhã deste sábado, o estoque chegue ao fim. “Espero que dê tempo abastecer o carro para poder trabalhar na semana”, disse o lojista, Mauro Souza. “Acho que essa crise vai se agravar ainda mais”.

O litro da gasolina comum passou a ser vendido a R$ 4,89. “Isso é um absurdo”, disse a servidora pública federal, Márcia Campos. “Infelizmente o governo perdeu o controle da situação e essa situação pode se complicar com a paralisação de vários setores”.

Os mototaxistas também correram para encher os tanques das motos. “Se não tiver gasolina não poderemos trabalhar”, disse Ricardo Lopes. Nos últimos dois dias, os proprietários de veículos acorreram aos postos de combustíveis para assegurar o abastecimento de seus veículos.

A comerciária Luíza Silva mostrou-se preocupada. “A gasolina só vai dar até terça-feira e como vou trabalhar e deixar os filhos na escola?”, questionou.

Para alguns a saída na noite desta sexta-feira foi abastecer com etanol, mas os estoques também chegaram ao fim. Muitos motoristas e motociclistas enfrentaram dificuldades e longas filas.

Na manhã deste sábado, motociclistas e motoristas enfrentaram longas filas em postos de Iguatu.

 

Preço da gasolina subiu ainda mais
Neste posto o combustível acabou na manhã deste sábado.
Fila no único posto com combustível por volta das 10 horas da manhã deste sábado. Foto de Paulinho Neto
08:16 · 03.02.2018 / atualizado às 08:16 · 03.02.2018 por

A sete dias para começar a maior festa popular do Brasil, o Carnaval, os consumidores da cidade de Várzea Alegre, na região Centro-Sul do Ceará, intensificam as compras de fantasias, adereços e outros produtos relacionados com a festa.

Os empresários estão satisfeitos e comemoram o crescimento nas vendas. O clima já é de Carnaval no comércio das cidades do Interior que vão promover folia. O som de marchinhas, sambas e forró em ritmo carnavalesco chama a atenção dos clientes que visitam o centro comercial. Até o próximo sábado, quando começam os festejos, os empresários esperam acabar com o estoque dos artigos de Carnaval.

“O crescimento nas vendas foi de 30% em relação ao mesmo período do ano passado”, comemora a empresária, Claudiana Ferreira.  “Neste ano, o item que mais é comercializado são as fantasias”.

As mães lotam as lojas atrás de fantasias e adereços para os filhos brincarem as festinhas de Carnaval promovidas pelas escolas. “Tenho dois filhos e comprei duas fantasias de super-heróis”, disse a dona de casa, Marleide Souza.

Na próxima sexta-feira, que antecede o Carnaval, a maioria das escolas faz bailes para animar as crianças. “Os pequenos adoram brincar fantasiados, mantendo a tradição”, disse a lojista, Badi Bezerra.

Até sábado, lojas em Várzea Alegre utilizam a estratégia de promover vendas em uma tenda armada no Calçadão, no Centro da Cidade. “A nossa expectativa é de acabar com todo o estoque até sábado”, disse Ana Bezerra. O preço das fantasias varia de R$ 30,00 a R$ 100,00, mas há adereços bem mais em conta, vendidos a partir de R$ 5,00.
Glitter, purpurina, chapéus, pulseiras, fantasias, máscaras, espumas, confetes, serpentinas e buzinas são os produtos mais adquiridos para atender a demanda dos clientes e fazer a alegria dos foliões.

10:27 · 02.01.2018 / atualizado às 10:27 · 02.01.2018 por

    O setor varejista em Iguatu, cidade polo da região Centro-Sul, espera que em 2018 as vendas sejam retomadas em percentual melhor do que em 2017. “A nossa expectativa é de melhoria do setor”, disse o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Iguatu, Francisco José Mota Luciano, o Dedé Duquesa. 

O gerente geral do Armazém Paraíba, Ébio Gouveia, disse que as vendas no último semestres fecharam 12% acima do mesmo período em 2016. “Estamos confiantes de que teremos um ano bom, com chuvas, e com boas vendas”, frisou.

O vendedor lojista, Carlos Aragão,disse que os últimos dois anos foram ruins, com queda nas vendas, mas também se mostra confiante de que em 2018 haverá crescimento do varejo.

10:02 · 13.03.2017 / atualizado às 10:43 · 13.03.2017 por
Prefeito Ednaldo Lavor anuncia vinda das Lojas Americanas para Iguatu.

A cidade de Iguatu vai ganhar uma unidade varejista das Lojas Americanas. O protocolo de intenções foi assinado na manhã desta segunda-feira, após café da manhã, entre o empresário, Fernando Linhares, e o prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, no Diocesano Hotel.

Secretários, assessores, vereadores, o vice-prefeito, Marcos Sobreira, além de empresários e religiosos participaram do evento.

A reforma do imóvel localizado na Avenida Agenor Araújo vizinho a empresa Ares Moto, próximo ao Largo da Telha começa em 45 dias. A expectativa do empresário é inaugurar a Lojas Americanas em novembro próximo. “Estou devolvendo o muito que Iguatu já me deu”, disse Linhares. “Estou muito feliz”.

O empresário lembrou que Iguatu é uma cidade com forte potencial econômico. Fernando Linhares é o diretor presidente da Ares Moto, revenda da Honda, em Iguatu.

O prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, destacou o esforço e a boa vontade do empresário para a vinda das Lojas Americanas e disse que recentemente solicitou do governador Camilo Santana a instalação de uma fábrica para o município. “Temos necessidade de atrair investidores, gerar emprego e renda”, frisou. “Está começando um novo ciclo de desenvolvimento para Iguatu”. O gestor observou a parceria firmada com o empresário. “Vamos continuar trabalhando para uma vida mais digna e geração de mais emprego para Iguatu”.

O vice-prefeito, Marcos Sobreira, afirmou que a administração está empenhada em proporcionar a geração de emprego e renda para o município. “Nos últimos anos ficamos paralisados”, frisou. “Estamos trabalhando para a vinda de novas empresas e a implantação do Distrito Industrial, apesar das dificuldades e da crise que o país atravessa”.

CEARÁ

Outras cidades: Aracati, Sobral, Quixadá, Crateús, Crato, Juazeiro do Norte e Itapipoca já contam com Lojas Americanas. 

Empresário diz da alegria em trazer empreendimento para Iguatu
Empresário explicou investimento a ser feito em Iguatu
12:57 · 06.02.2017 / atualizado às 12:57 · 06.02.2017 por

 

Depois de mais de dez anos, concessionária da Ford em Iguatu encerra suas atividades. Foto de Honório Barbosa

A revendedora autorizada de veículos da marca Ford, na cidade de Iguatu, encerrou suas atividades, depois de mais de dez anos atuando no mercado regional de venda de veículos, de peças e assistência técnica. Há riscou de outra concessionária desta cidade também seguir o mesmo caminho. Recentemente, a filial da rede de eletrodomésticos, Rabelo, fechou suas portas, e a loja Leitão Móveis seguiu o mesmo caminho.

Outras empresas devem fechar suas portas no decorrer deste ano em razão da crise econômica, retração nas vendas e problemas administrativos próprios de cada loja.

O fechamento de empresas significa perda de postos de trabalho e revela a dimensão da crise. “Estou há seis meses procurando emprego e não consigo”, disse o comerciário, Paulo Moreira, que todas as semanas vai ao posto do Sine (Sistema Nacional de Emprego), em Iguatu.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Iguatu, CDL, Dedé Duquesa, lamentou o encerramento de atividades de lojas na cidade. “É o reflexo da crise que atinge o varejo”, frisou. O presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindlojas), Tadeu Rolim, também frisou que os lojistas apresentam queixas das dificuldades que enfrentam e lamentou a persistência da crise nacional que  já chegou com força às pequenas cidades do Interior.

17:46 · 28.12.2016 / atualizado às 17:57 · 28.12.2016 por

 

Setor varejista enfrenta queda nas vendas. Foto de Honório Barbosa
Setor varejista enfrenta queda nas vendas. Foto de Honório Barbosa

As vendas no Natal deste ano no setor varejista foram 5% menores do que em relação ao mesmo período de 2015. A estimativa é do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Iguatu, Francisco José Mota Luciano (Dedé Duqueza). “Os consumidores estão comprando somente o necessário, trocando itens por preços menores e pagando os débitos”, frisou o dirigente da CDL. “A gente espera que no próximo Natal seja bem melhor porque se ficar pior será o fim”.

A CDL de Iguatu lançou uma campanha de incentivo à quitação de débitos com descontos de até 100% em juros e multas. “Houve boa adesão”, disse Dedé Duqueza. “A pesquisa do SPC/Brasil mostrou que a prioridade do consumidor neste fim de ano era ‘limpar o nome’, pagar dívidas”.

O setor de supermercados também ressentiu-se da crise econômica. “Neste ano, as vendas foram menores em relação ao ano passado. Nos dois dias que antecederam o Natal de 2015 havia filas, mas agora a movimentação foi menor”, disse o caixa de um supermercado, Paulo Gomes. 

Basta um olhar nas lojas e nas ruas que é possível perceber menor movimentação de pessoas. “A nossa esperança é que em 2017 seja bem melhor, que o Brasil comece a superar a crise”, disse o presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindlojas) de Iguatu, Tadeu Rolim.

A crise atingiu o setor varejista das lojas de confecções, calçados, perfumaria e de material de construção que nessa época do ano costuma registrar elevadas vendas. “A gente vendeu menos do que esperava”, disse o vendedor, Cláudio Lopes.

10:46 · 16.05.2016 / atualizado às 10:57 · 16.05.2016 por
Imóvel fechado, novo, para alugar. Foto de HB
Imóvel fechado, novo, para alugar. Foto de HB

Reflexo da crise econômica, no Centro da cidade de Iguatu, há 46 imóveis comerciais, 17 casas e 16 apertamentos fechados e disponíveis para alugar. Em todas as ruas as placas de ‘aluga-se’ estão nas fachadas dos prédios. O levantamento é da Associação Comercial de Iguatu.

Nos últimos meses, o número de imóveis fechados vem aumentando. “Faço um acompanhamento bimensal e percebo que a oferta é crescente por causa da crise”, disse o presidente da Associação Comercial, Gilvânio Oliveira de Araújo.

O preço do aluguel varia, mas os imóveis comerciais têm preço que oscila entre R$ 10,00 e R$ 20,00, o metro quadrado.

O Centro comercial, segundo levantamento da Associação Comercial, inclui o perímetro entre as ruas Guilherme de Oliveira, José de Alencar, Deocleciano Bezerra e professor João Coelho.

Prédio onde funcionou por mais de 30 anos a loja Esplanada agora está disponível para aluguel. foto: HB
Prédio onde funcionou por mais de 30 anos a loja Esplanada agora está disponível para aluguel. foto: HB

 

 FAÇA O BLOG DIÁRIO CENTROSUL COM A GENTE.

ENVIE SUGESTÕES DE REPORTAGENS PARA WHATSAPP (88) 9 9967.5339

15:48 · 12.05.2016 / atualizado às 15:53 · 12.05.2016 por

 

Loja Esplanada encerrou atividades em Iguatu. Foto de HB
Loja Esplanada encerrou atividades em Iguatu. Foto de HB

Depois de mais de 30 anos, a loja Esplanada encerrou de forma definitiva suas atividades na cidade de Iguatu. No passado, o estabelecimento gerou mais de 100 empregos diretos e atraia consumidores da região Centro-Sul.

O fechamento da loja Esplanada surpreendeu os moradores, embora nos últimos meses comentava-se essa possibilidade em face do encerramento das atividades em outras cidades.

“É triste, mas é resultado da crise que estamos vivendo”, disse o comerciário, Afonso Rodrigues. A aposentada, Maria Gomes, lamentou. “Foi uma surpresa, pois vim aqui para comprar um lençol”, disse. “Não esperava e lamento muito”.

Na porta da loja, há um comunicado sobre o fechamento da loja, forma de pagamento de débitos parcelados e em atraso. No interior, algumas pessoas trabalham retirando mercadoria e desmontando prateleiras.

No centro comercial de Iguatu há dezenas de prédios fechados, com placa ‘Aluga-se’.  Recentemente, a loja da Hering também fechou suas portas, embora há uma faixa que avisa que foi para reforma.

Comunicado confirma fechamento da loja.
Comunicado confirma fechamento da loja.
16:24 · 28.12.2015 / atualizado às 16:24 · 28.12.2015 por

venda, reduzida IMG_8725
O comércio varejista registrou o Natal mais fraco no volume de vendas dos últimos cinco anos. De acordo com o indicador apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), as consultas para vendas a prazo registraram queda de 15,84% na semana que antecedeu o Natal, entre os dias 18 e 24 de dezembro.

Trata-se do segundo ano consecutivo em que as parcelas parceladas apresentaram queda no período, mas em 2014 a contração havia sido um pouco mais branda de 0,7%. Nos anos anteriores as variações positivas foram de 2,97% em 2013; 2,37% em 2012; 2,33% em 2011 e 10,89% em 2010.

O resultado negativo já era aguardado pelos lojistas e reflete a tendência de desaquecimento das vendas no varejo observado ao longo de 2015, em virtude do cenário econômico desfavorável, com crédito mais caro, inflação elevada, aumento do desemprego e baixa confiança do consumidor para se endividar.

    O ano de 2015 foi fraco para o comércio. A CDL de Iguatu ainda não divulgou levantamento sobre as vendas no período de Natal, mas o presidente da instituição, José Mota Luciano (Dedé Duqueza), disse que o varejo local seguiu a tendência nacional, que refletiu queda nas vendas em comparação com o mesmo período de anos anteriores.

19:32 · 07.07.2015 / atualizado às 19:32 · 07.07.2015 por
Feira de Negócios de Tauá movimenta economia local. Foto: divulgação
Feira de Negócios de Tauá movimenta economia local. Foto: divulgação

No período de 09 a 11 deste mês, no espaço de eventos do Parque da Cidade, na cidade de Tauá, na região dos Inhamuns, será realizada a 15ª edição da Feira de Negócios da Região dos Inhamuns – XV FENERI.

A promoção é do Sebrae e o evento acontece em parceria com a Prefeitura Municipal de Tauá, Banco do Nordeste, Câmara de Dirigentes Lojistas e Associação Comercial e Empresarial de Tauá.

A feira tem periodicidade anual e, em seus bem sucedidos 15 anos de realização, se consolidou como o principal evento de fomento ao comércio, indústria, artesanato e prestação de serviços da região do Inhamuns (Tauá, Quiterianópoles, Aiuaba, Arneiroz e Parambú).

A partir de avaliações feitas com base em prospecções e nos resultados da edição passada, a equipe organizadora estima que a FENERI atinja o público visitante de 13 mil pessoas e um volume de negócios na ordem de R$ 830 mil.