Busca

Categoria: greve


12:37 · 01.10.2013 / atualizado às 12:37 · 01.10.2013 por
Devido à greve, agência registra pouco movimento de clientes. Foto de Honório Barbosa
Devido à greve, agência registra pouco movimento de clientes. Foto de Honório Barbosa

 

Em greve desde o último dia 17, funcionários dos Correios da agência de Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará, distribuíram na manhã de hoje, ‘Carta aberta à população’, com o objetivo de esclarecer sobre o movimento de paralisação.

De acordo com a nota, os carteiros e servidores administrativos dizem que ‘a empresa continua intransigente nas negociações’.

Os funcionários em greve reivindicam contratação de mais trabalhadores, segurança nas agências, melhores condições de trabalho, fim do assédio moral nas agências, reajuste salarial de 8%, mais inflação e reajuste linear de R$ 100,00.

Hoje o piso salarial é de R$ 1.004,00, o mais baixo de todas as estatais do governo. A luta também é pela manutenção do plano de saúde.

Ao fim da nota, os funcionários pedem a compreensão e o apoio da população. Um terço dos funcionários estão trabalhando durante a greve.

12:41 · 19.09.2013 / atualizado às 12:41 · 19.09.2013 por

 

Na cidade de Iguatu, na região Centro-Sul do Estado, as agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste e do Bradesco aderiram à greve nacional da categoria.  A agência dos Correios está também em greve.

Por todo o dia de hoje (19) não houve atendimento ao público.

Os grevistas acompanham a reivindicação nacional da categoria e pedem reajuste de 11,1%. O movimento é por tempo indeterminado.

Empresários e clientes reclamaram contra a paralisação. “Sou contra a greve porque prejudica o comércio”, disse o lojista, Gilson Alves. A professora, Carmen Pedrosa, disse que é a favor da greve. “É o único jeito de conseguir uma melhoria salarial e de condições de trabalho, apesar de prejudicar a população que necessita dos serviços dos bancos e Correios”, observou.

REIVINDICAÇÕES

Os trabalhadores dos Correios rejeitaram a proposta de 8% sobre o salário e 6,27% sobre benefícios. De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos (Sintect-CE), Lourdinha Félix, a categoria pede 15% de reajuste salarial e a manutenção do plano de saúde. “Temos o benefício há 20 anos e a empresa quer tirar”, ressalta. Além disso, acrescenta ela, a reivindicação é, também, por mais segurança no banco postal, redução na jornada de trabalho, a contratação de mais profissionais e melhores condições nos postos de trabalho.

 

BANCÁRIOS

O presidente do Sindicato dos Bancários em Iguatu, Edvar Costa, disse que a categoria decidiu na quinta-feira passada (12) a adesão ao movimento de paralisação de âmbito nacional. A decisão foi tomada na noite desta quarta-feira, dia 18.

 

Bancos e Correios em Iguatu aderiram à greve nacional. Foto de Honório Barbosa
Bancos e Correios em Iguatu aderiram à greve nacional. Fotos de Honório Barbosa

greve bradesco greve cef greve correios IMG_4051

11:33 · 30.08.2013 / atualizado às 11:34 · 30.08.2013 por

A GREVE DE UM DIA É NACIONAL

Servidores da agência da Previdência Social em Iguatu distribuíram pizzas na manhã de hoje. Foto: Honório Barbosa
Servidores da agência da Previdência Social em Iguatu distribuíram pizzas na manhã de hoje. Foto: Honório Barbosa

Servidores da Agência da Previdência Social na cidade de Iguatu aderiram ao dia de paralisação nacional. Hoje, dia 30, não há expediente na agência. Em protesto, os funcionários distribuíram pizzas para quem passava em frente ao prédio do INSS.

A greve de um dia tem por objetivo chamar a atenção da sociedade e das autoridades sobre as reivindicações apresentadas pela categoria. A pauta inclui recuperação da perda de percentual de insalubridade; incorporação de gratificações ao salário; realização de concurso público para ampliar o número de servidores e reduzir o tempo de espera no atendimento.

A adesão à paralisação foi total. “Não estamos reivindicando aumento, mas lutando pelos nossos direitos que foram retirados pelo governo”, esclareceu Alan Araújo.

“O nosso objetivo é melhorar o atendimento e acabar com a fila virtual”, frisou a servidora, Tamires Santos. “Infelizmente, o governo não reconhece e não valoriza o nosso trabalho”.

ATENDIMENTO

A Agência da Previdência Social atende além de Iguatu sete cidades: Cariús, Cedro, Jucás, Quixelô, Saboeiro, Tarrafas e Várzea Alegre. A média de atendimento diário é de 250 pessoas.

Nove servidores que trabalham na agência de Iguatu serão removidos para agências que serão inauguradas em breve nas cidades de Cedro e Lavras da Mangabeira.

16:43 · 27.08.2013 / atualizado às 16:43 · 27.08.2013 por

Na próxima sexta-feira, dia 30, servidores da agência regional do INSS na cidade de Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará, vão aderir à greve nacional. As atividades de atendimento ao público serão paralisadas.

Os servidores da Previdência Social reclamam contra a retirada de direitos trabalhistas, perda de gratificações e de outros benefícios.

A agência regional da Previdência Social atende nove municípios. Além de Iguatu, Cariús, Cedro, Jucás, Saboeiro, Várzea Alegre e Quixelô. 

17:04 · 03.01.2012 / atualizado às 17:04 · 03.01.2012 por
Comércio fechou mais cedo temendo assalto ontem a tarde em Iguatu. Foto: Honório Barbosa

O medo de assalto e boato de que aconteceria arrastão no centro comercial da cidade de Iguatu, principal pólo econômico da Região Centro-Sul, fez com que empresários locais fechassem suas lojas hoje a tarde a partir das 15 horas.

         A primeira loja a fechar foi a sapataria Azteca, que recebeu orietnação da matriz em Juazeiro do Norte. Em seguida, os boatos se espalharam de que o estabelecimento havia sido assaltado e começou o fecha-fecha.

         Informações oriundas de Juazeiro do Norte sobre assalto, arrastão e tiros se espalharam rapidamente entre comerciantes e clientes. “Está uma loucura com boatos de assalto aqui e em outras cidades”, disse a vendedora, Rosângela Oliveira.

         Em poucos minutos, o centro da cidade mais parecia com um dia feriado. Os lojistas ficaram temerosos e cerraram as portas. “É horrível o que está acontecendo e isso prejudica o comércio”, disse o empresário Stênio Chaves. “Os outros fecharam e o jeito é fechar também”.

         O coronel Jarbas Freire chegou ao centro comercial por volta das 16 horas com mais três policiais que não aderiram ao movimento de paralisação em carona numa viatura da Polícia Civil com o delegado regional, Agenor Freitas de Queiroz. “O nosso objetivo é demonstrar que só há boatos e dar uma certa segurança aos lojistas”, explicou. “Por enquanto, só há uma onda de terror e não houve registro de nenhuma ocorrência de roubou ou assalto”.

         O delegado Agenor Queiroz permaneceu por quase duas horas circulando em viatura pelo centro da cidade, que ficou vazio. Lojas, casas lotéricas, Correios e até restaurantes e lanchonetes suspenderam o expediente na meio da tarde de ontem.

         Em casa, muitos moradores temeram sair. “Estou com medo de assalto”, disse a estudante, Fabriciana Lima. “Vou ficar em casa o resto do dia”. A aposentada, Maria Gomes, que costuma sentar à calçada no fim de tarde e início da noite suspendeu, ontem, o hábito de mais de quatro décadas. “Com a Polícia na rua já tem violência, imagine com essa greve”, observou.

Coronel Jarbas Freire e mais três policiais foram para o centro ontem a tarde, em Iguatu. Mesmo com a presença dos policiais a maioria dos lojistas fechou as lojas. Foto: Honório Barbosa