Busca

Categoria: religião


17:46 · 29.11.2017 / atualizado às 17:46 · 29.11.2017 por

 

Cerimônia de despedida a dom José Doth emocionou religiosos e leigos. Foto de Honório Barbosa

O corpo do bispo emérito da diocese de Iguatu, dom José Doth de Oliveira, 79 anos, foi sepultado, ontem, às 11 horas da manhã, na cripta da Catedral de São José, nesta cidade, após cerimônia religiosa que contou com a participação de seis bispos, três arcebispos e dezenas de padres e freiras. A missa de corpo presente foi presidida pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio Aparecido Tosi.

Centenas de católicos lotaram a Catedral de São José que foi construída por dom José Doth, o segundo bispo desta diocese (2000 a 2009). Durante toda a cerimônia, o caixão com o corpo do religioso permaneceu no chão sobre o altar. Ao final, os bispos aspergiram água benta, proferiram as orações e o rito do funeral foi concluído com a condução do esquife por padres e seminaristas até a gaveta aberta por trás do altar.

 Dom José Doth morreu no domingo passado, dia 26, às 17 horas, no Hospital Municipal São Sebastião, em Pedra Branca, sua cidade natal, decorrente de uma pneumonia. O religioso sofria de Alzheimer e renunciou ao cargo de bispo em 2009.

Os ritos do funeral começaram na segunda-feira, 27, com celebrações de missas de corpo presente naquele centro urbano e em Mombaça. À noite o cortejo fúnebre chegou à cidade de Iguatu e o velório ocorreu na Catedral de São José com a celebrações de missas de duas em duas horas, ininterruptamente.


Homenagens
A CNBB nacional e a Regional Nordeste I, a diocese de Palmares (Alagoas) e o Santuário do Pai Eterno em Trindade (Goiás) enviaram notas de condolências à diocese de Iguatu.

O arcebispo de Fortaleza, dom Antônio Tosi, lembrou trecho do Evangelho anunciado na missa em que há um lugar preparado na Casa do Pai para os justos. “Vimos entregar dom José Doth, o segundo bispo desta diocese, nas mãos do pai”, disse. “Era generoso, dedicado, construiu essa igreja, ampla, moderna, realizou seu sonho, era um artista, um servo bom, que continuou a obra de dom José Mauro, fortalecendo e unindo a Igreja”.

Dom José Doth era um arquiteto informal e restaurador de imagens sacras. Planejou, desenhou e pintou afrescos na Catedral, inaugurada em 2006. “Foram seis anos de muito trabalho e dedicação”, lembrou o bispo emérito e primeiro da diocese de Iguatu, dom José Mauro Ramalho. “Para ele, não havia limites”.

O atual arcebispo de Aracaju, dom João Costa, que sucedeu dom José Doth, na diocese de Iguatu, lembrou do seu compromisso com a igreja e da dedicação da obra da Catedral. “Foi um religioso simples, muito dedicado, que deixou essa obra física e outras ações imateriais a favor da igreja”.

A devoção a São José e a Maria Santíssima foi lembrada por vários religiosos presentes à cerimônia. “Vem José para mim, para o lugar que lhe preparei”, reforçou as palavras do Evangelho, o arcebispo dom José Antônio Tosi. “Ele já está com o pai e vai permanecer na nossa lembrança, no coração de seu povo”.

O bispo da diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, também enfatizou a construção da catedral criando um estilo próprio. “Nasceu aqui o estilo ‘dothiano’, pois ele projetou, pintou e deixou exemplos, que já são seguidos em outros templos”, pontuou. “Há o legado de uma obra e de um testemunho de fé. Enfrentou o sofrimento com serenidade”. Ao final, dom Édson de Castro fez um desabafo: “Sofreu incompreensões, foi criticado, e muitos deviam pedir perdão a Deus e a ele”.

O bispo dom Édson de Castro Homem referia-se ao fato da catedral ser dedicada à São José, e retirando esse status da antiga igreja Matriz de Senhora Sant’Ana (padroeira de Iguatu). Dom José Doth também enfrentou duas rebeldias de padres e de seus seguidores em Mineirolândia e Solonópole. “O tempo já mostrou que o bispo estava com a razão, foi mal compreendido”, observou o arcebispo de Fortaleza.

Em nome da família, o professor, Mário Ângelo, e o jovem vocacionado, Paulo Lucas Ferreira, agradeceram o gesto de carinho, os atos de solidariedade prestados nas homenagens fúnebres de dom José Doth. No cortejo fúnebre no interior da igreja, houve aplausos e alguns católicos e padres choraram. “Foi um pai para mim”, disse o sacerdote, João Batista Moreira.

Participaram também da liturgia de exéquias, o arcebispo emérito de Natal, dom Matias Patrício, os bispos de Quixadá, Ângelo Pignoli; de Tianguá, dom Edmilson Neves; o emérito de Limoeiro do Norte, José Haring.

Prefeito 

O prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, prestou solidariedade à família e à Diocese de Iguatu e destacou o trabalho incansável de dom José Doth na edificação da Catedral. “Em apenas seis anos construiu com coragem essa igreja, e nos pregou a justiça e a solidariedade”.

21:18 · 27.11.2017 / atualizado às 21:18 · 27.11.2017 por

 

Chegada do corpo de dom José Doth à Catedral de Iguatu. Fotos de Honório Barbosa

Emoção marca chegada do cortejo fúnebre de dom José Doth de Oliveira à cidade de Iguatu, na noite desta segunda-feira, 27. Após celebração de missas de corpo presente em Pedra Branca e Mombaça, o corpo do bispo emérito da diocese de Iguatu chegou por volta das 20 horas, conduzido em um carro do Corpo de Bombeiros a partir do sítio Barreiras, percorreu ruas da cidade e passou em frente às igrejas de Senhora Sant’Ana e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

O cortejo terminou na Sé Catedral de São José. Em vários pontos da cidade houve aglomeração de moradores que aplaudiram a passagem do esquife. Um grupo de motociclistas também acompanhou o cortejo.

Mas foi reduzido o número de veículos e pessoas que assistiram ao evento.

Padres da diocese e centenas de católicos recepcionaram a entrada do caixão com o corpo do religioso, que recebeu aplausos e ingressou na Sé Catedral de São José ao som da música ‘Segura na mão de Deus’ executada pela Banda de Música do Município Maestro Manoel Ferreira Lima.

Missas de 2 em 2 horas 

Após a recepção do caixão que ficou em frente ao altar, na Sé Catedral, houve a celebração da primeira missa de corpo presente, presidida pelo padre Glauberto Oliveira, iniciada às 21 horas. No total, serão 19 liturgias. 

A cada duas horas, ininterruptamente, serão celebradas missas até as 9 horas da manhã desta quarta-feira, 29, quando haverá a última liturgia solene com a participação de padres e bispos de várias dioceses. 

Em seguida, haverá o sepultamento que está previsto para as 11 horas, na cripta da Catedral, atrás do altar.

Emoção 

O seminarista Henrique Teixeira estava chorando no altar, após a chegada do caixão. “Estou muito emocionado, embora tenha convivido pouco com ele, que morava vizinho aos meus pais, na cidade de Pedra Branca”, disse.

Os padres Glauberto Oliveira, João Batista, Carlos Roberto Alencar e João Melo choraram ao entrarem na Catedral ao lado do caixão.

Os padres Carlos Roberto e Glauberto Oliveira se abraçaram na escadaria da Igreja. “Foi um grande bispo, um amigo, um pai”, disseram.

Dom José Doth sofria de problemas decorrentes de doença degenerativa (Alzheimer). Estava sob os cuidados de parentes, em sua cidade natal, Pedra Branca.

Consagração 

O religioso foi consagrado bispo em 1990, assumindo a função de bispo coadjutor da Diocese de Palmares. A solenidade de consagração episcopal ocorreu em Iguatu. Dois anos depois, em fevereiro de 1992, foi transferido e assumiu a função de bispo coadjutor da diocese de Iguatu.

Renúncia

    Em 2000, sucedeu o primeiro bispo da diocese de Iguatu, dom José Mauro Ramalho, ficando até 2009, quando renunciou ao cargo devido a problemas de saúde. Em seu lugar, assumiu dom João Costa, que ficou no cargo até 2014, quando foi nomeado arcebispo coadjutor de Aracaju. 

Em Junho de 2015, assumiu a diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, oriundo do Rio de janeiro.

 

12:08 · 27.11.2017 / atualizado às 12:08 · 27.11.2017 por

 

Dom José Doth está internado em estado grave em Hospital Municipal de Pedra Branca

A Diocese de Iguatu divulgou a programação de velório, celebrações de missas de corpo presente e sepultamento do bispo emérito dom José Doth de Oliveira, que morreu neste domingo, 26, às 17 horas no Hospital Municipal São Sebastião, na cidade de Pedra Branca, onde estava internado para tratamento de pneumonia. O estado de saúde do religioso era grave, decorrente de Alzheimer.

Nesta segunda-feira, 27, houve celebração de missa de corpo presente na Igreja Matriz de Pedra Branca, pelo pároco, Antônio Menezes, às 8 horas da manhã, e às 10 horas, segunda liturgia, pelo padre Carlos Roberto Alencar.

Às 11 horas saída do féretro em direção ao distrito de Mineirolândia, para visitação pública.

Está prevista para logo mais às 15 horas, chegada do corpo à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória, em Mombaça, onde será celebrada missa de corpo presente a partir das 16 horas pelo padre, Lázaro Nogueira.

Em seguida o cortejo fúnebre sai em direção à cidade de Iguatu, com início de velório a partir das 19h30 na Sé Catedral de São José, que foi construída durante o bispado de dom José Doth.

A programação prevê a celebração de missa de duas em duas horas.

Sepultamento

Na quarta-feira, 29, haverá missa solene com a participação de bispos das dioceses do Ceará e do clero da diocese de Iguatu e em seguida sepultamento na Cripta da Sé Catedral de São José.

No próximo sábado, dia 2 será celebrada missa de 7º Dia, liturgia da esperança, que será presidida pelo bispo de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, a partir das 18 horas.

Repercussão 

A morte de dom José Doth repercute em toda a diocese de Iguatu. A deputada estadual, Mirian Sobreira, divulgou nota lamentando profundamente o falecimento do bispo emérito. “Ele muito fez pelas pessoas e pelo município de Iguatu”, disse a deputada.

O ex-prefeito de Iguatu, Aderilo Alcântara, lembrou o jeito simples e humilde de dom José Doth. “Era uma pessoa dedicada à Igreja, simples, que não se envolvia com política, e com quem eu gostava muito de conversar”, lembrou. “Ele construiu a Sé Catedral, uma igreja moderna e bonita, ampla, que Iguatu precisava”.

O deputado estadual, Agenor Neto, também enviou mensagem de pesar à Diocese de Iguatu e destacou o trabalho diário de dom José Doth nas paróquias da diocese e na construção da Catedral. “Era o sonho dele e dom José muito se dedicou a essa obra”, frisou. “Deixou um exemplo de um religioso simples e atencioso”.

19:33 · 26.11.2017 / atualizado às 19:36 · 26.11.2017 por

 

Dom José Doth em novenário dedicado à padroeira de Iguatu, Senhora Sant’Ana. Foto de Honório Barbosa

 

Dom José Doth está internado em estado grave em Hospital Municipal de Pedra Branca

Morreu neste domingo, 26, no Hospital Público Municipal São Sebastião, na cidade de Pedra Branca, por volta das 17 horas, o bispo emérito da Diocese de Iguatu, dom José Doth de Oliveira, 79 anos. Internado desde a última quinta-feira, 23, o religioso teve o seu estado de saúde agravado neste sábado, quando apresentou pneumonia.

O bispo da diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, divulgou nota de falecimento. A diocese de Iguatu decretou lutou oficial por sete dias para que as devidas honras e despedidas sejam prestadas pela população ao bispo emérito.  

      Após liberação do corpo haverá missas de corpo presente na cidade de Pedra Branca, no distrito de Mineirolândia, em Mombaça e em Iguatu, onde será sepultado na Catedral de São José. 

A diocese ainda não definiu a data da missa e do sepultamento em Iguatu, que deverá ocorrer nesta quarta-feira próxima.

Dom José Doth sofria de problemas decorrentes de doença degenerativa (Alzheimer). Estava sob os cuidados de parentes, em sua cidade natal, Pedra Branca.

No início deste mês, o bispo dom Édson de Castro Homem visitou dom José Doth, em Pedra Branca, e neste domingo lamentou o ocorrido.

“Foi um pastor dedicado, homem simples e um pai para mim”, disse o padre João Batista. 

O primeiro bispo de Iguatu e emérito, dom Mauro Ramalho, lamentou a morte de dom José Doth e disse que ele foi um padre e bispo dedicado ao serviço da igreja.

Dom José Doth deixou como principal legado a construção da Catedral de Iguatu, dedicada a São José.

Dom José Doth ao centro, quando renunciou em 2009. Foto de Honório Barbosa

Consagração 

O religioso foi consagrado bispo em 1990, assumindo a função de bispo coadjutor da Diocese de Palmares. A solenidade de consagração episcopal ocorreu em Iguatu. Dois anos depois, em fevereiro de 1992, foi transferido e assumiu a função de bispo coadjutor da diocese de Iguatu.

Renúncia

    Em 2000, sucedeu o primeiro bispo da diocese de Iguatu, dom José Mauro Ramalho, ficando até 2009, quando renunciou ao cargo devido a problemas de saúde. Em seu lugar, assumiu dom João Costa, que ficou no cargo até 2014, quando foi nomeado arcebispo coadjutor de Aracaju. 

Em Junho de 2015, assumiu a diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, oriundo do Rio de janeiro.

 

10:05 · 08.07.2017 / atualizado às 10:05 · 08.07.2017 por

Os católicos da cidade de Jucás, na região Centro-Sul do Ceará, celebram o novenário em louvor à Nossa Senhora do Carmo, padroeira do município. A Festa religiosa é uma das mais antigas do Estado. “Esperamos a participação de todos os devotos”, pontuou o padre Edival Barbosa Amorim. 

Católicos participam do novenário em Jucás. Foto de Honório Barbosa

A primeira noite de novena ocorreu nesta sexta-feira, 7, e prossegue até o próximo dia 15. A celebração é campal, em frente à Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo.

A festa religiosa termina no próximo dia 16, quando haverá missa solene às 9 horas, presidida pelo vigário geral da diocese de Iguatu, padre Lázaro, e procissão pelas ruas da cidade a partir das 16 horas. Ao término da caminhada ocorre a bênção do Santíssimo Sacramento e queima de fogos de artifício.

Até o próximo dia 15, a programação inclui diariamente às 5 horas salva, às 6 horas, celebração de missa, às 12 horas, ofício e às 19 horas, novenário.

No dia 16, às 12 horas, será celebrada a Missa das Graças.

 

19:31 · 13.12.2015 / atualizado às 19:31 · 13.12.2015 por
Bispo, padres e fiéis seguem para procissão. Foto de Honório Barbosa
Bispo, padres e fiéis seguem para procissão. Foto de Honório Barbosa

O bispo da diocese de Iguatu, dom Edson de Castro Homem, seguiu programação definida pela Igreja Católica, e no início da noite deste domingo, 13, fez a abertura da ‘Porta Santa’, na Catedral de São José, em Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará.
Antes houve concentração de devotos, padres das paróquias da diocese, religiosos e leigos, na Igreja Matriz de Senhora Sant’Ana, para leitura do Evangelho e de documentos do Papa Francisco sobre o Ano Santo da Misericórdia. Em seguida, centenas de católicos seguiram em procissão até a Catedral de São José, onde houve continuidade do rito religioso.

“Abrir a porta da Igreja representa o acolhimento de Jesus, o coração misericordioso de Deus”, disse dom Edson de Castro Homem.

O evento religioso coincide com o terceiro domingo do Advento, de preparação para o Natal. Bispos de todo o mundo fizeram a abertura do Ano Misericordioso em suas dioceses. No Vaticano, o lançamento ocorreu no último dia 8, solenidade de Imaculada Conceição.

O Ano da Misericórdia vai terminar no dia 20 de novembro de 2016, por ocasião da solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Deus do Universo.  Nesse período, as pessoas são chamadas a perdoar, acolher o irmão, ser solidárias.

É um tempo especial, de graças, de indulgência plena. Na diocese de Iguatu, o padre João Batista foi nomeado pelo Papa como missionário no Ano da Misericórdia. Ele está em Roma e deve chegar em fevereiro.

Católicos seguem em procissão na abertura do Ano da Misericórdia. Foto de HB
Católicos seguem em procissão na abertura do Ano da Misericórdia. Foto de HB
19:14 · 08.12.2015 / atualizado às 19:20 · 08.12.2015 por

 

Procissão em Guassussê reuniu centenas de devotos. Foto de Honório Barbosa
Procissão em Guassussê reuniu centenas de devotos. Foto de Honório Barbosa

Católicos de 35 municípios do Interior do Ceará celebraram, nesta terça-feira, dia 8, a padroeira Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

Milhares de devotos participaram de missa e procissão, em Igrejas sedes de diocese, paróquias e em centenas de capelas nas áreas rurais.

No Ceará, Nossa Senhora da Imaculada Conceição é padroeira de 35 municípios, além de centenas de capelas.

Os devotos participaram da programação religiosa com muito fervor. Na diocese de Iguatu, as festividades tradicionais ocorrem nas localidades de Várzea da Conceição, em Cedro; e em Guassussê e Palestina, em Orós. Nessas comunidades há forte devoção religiosidade popular. Outros sítios e bairros também celebram a santa.

Na localidade de Várzea da Conceição houve missa e procissão, pela manhã.

Nas localidades de Palestina e Guassussê os festejos foram celebrados no fim da tarde e início da noite.

A maioria dos católicos que participa dos festejos religiosos veste branco. Idosos, jovens e crianças seguem a tradição herdada pelos pais e avós.

As celebrações em Guassussê e Palestina estão relacionadas com a construção do Açude Orós, no fim da década de 1950. Antes, havia a localidade de Conceição do Buraco, nas margens do Rio Jaguaribe. As águas foram barradas e os moradores tiveram que sair em busca de novas áreas para morarem. Levaram a fé e a devoção na santa.

IMACULADA CONCEIÇÃO É PADROEIRA DE 35 CIDADES

No Ceará, Nossa Senhora da Imaculada Conceição é padroeira de Acaraú, Amontada, Aracoiaba, Bela Cruz, Cascavel, Deputado Irapuan Pinheiro, Farias Brito, Granjeiro, Guaramiranga, Hidrolândia, Iracema, Ipaumirim, Ipueiras, Itapiúna, Jaguaretama, Limoeiro do Norte, Madalena, Martinópole, Mauriti, Meruoca, Milhã, Moraújo, Pacatuba, Pacajus, Pacoti, Palhano, Pentecoste, Pindoretama, Porteiras, Potiretama, Quixeré, Redenção, Sobral (sede de diocese), Tururu e Quiterianópolis.

 

Imagem da santa vem da época anterior à construção do Açude Orós; foto de Honório Barbosa
Imagem da santa vem da época anterior à construção do Açude Orós; foto de Honório Barbosa
17:39 · 07.12.2015 / atualizado às 17:39 · 07.12.2015 por

 

Devotos celebram Imaculada Conceição. Foto de Honório Barbosa
Devotos celebram Imaculada Conceição. Foto de Honório Barbosa

Dezembro é mês de intensas festividades religiosas na cidade de Icó, na região Centro-Sul do Ceará.

Após o novenário em louvor a Nossa Senhora da Imaculada Conceição que será concluído nesta terça-feira, 8, com missa e procissão, começa a festa da padroeira do município, Nossa Senhora da Expectação.

As celebrações ocorrem na Igreja Matriz construída há mais de 300 anos, no centro histórico da cidade. A programação inclui novenas, missas e caminhada.

No fim do mês, acontece uma das maiores festas religiosas do Interior, o novenário em honra ao Senhor do Bonfim, que será encerrado no dia 1º com procissão e missa reunindo cerca de 20 mil devotos.

15:21 · 28.11.2015 / atualizado às 15:21 · 28.11.2015 por

JUBILEU MISERICORDIA LOGOMARCA OFICIALO Ano Santo do Jubileu da Misericórdia terá início na Festa da Imaculada Conceição, 8 de dezembro próximo, e o Papa Francisco presidirá a abertura da Porta Santa. Por determinação do santo padre, todas as Dioceses deverão também celebrar a abertura da Porta Santa.

Em Iguatu, a celebração será dia 13 de dezembro, às 18h, na Catedral de São José, presidida pelo Bispo dom Edson de Castro Homem, e concelebrda por todos os padres da Diocese, que conduzirão até lá as caravanas com fiéis das suas Paróquias.

Conforme a Bula Misericórdia Vultus n°03, “além da Porta da Misericórdia escolhida para a diocese, os Ordinários diocesanos poderão também dispor a abertura de mais Portas da Misericórdia em Santuários de particular importância, especialmente naqueles lugares frequentados por muitos fiéis onde estes possam encontrar o abraço misericordioso do Pai na confissão”.

Em vista disso, o Bispo de Iguatu, dom Edson de Castro, decidiu estabelecer no Território da Diocese também outras Igrejas como lugares especiais de indulgências por ocasião do Ano Santo. Além da Catedral de São José, também as seguintes foram nomeadas para este fim:
Igreja Matriz de Senhora Santana em Iguatu.
• Santuário do Senhor do Bonfim em Icó
• Igreja N. Sra. do Perpétuo Socorro em Mineirolândia

Cada Zonal da Diocese fará uma programação especial com celebrações, mutirão de Confissões e Catequeses específicas sobre o tema da Reconciliação, incluindo Semanas da Misericórdia. As demais datas constarão no Calendário da Diocese a ser divulgado nos próximos dias.

banner-logo-misericordia-mai-2015

Outras celebrações no decorrer no Ano Santo:
• A Porta Santa da Basílica de Santa Maria Maior será aberta no dia 1º de janeiro, Solenidade de Santa Maria Santíssima Mãe de Deus. E, a abertura da Porta Santa da Basílica de São Paulo Extramuros será no dia 25 de janeiro, Festa da Conversão de São Paulo.
• Em fevereiro, no dia 2, Festa da Apresentação do Senhor, quando a Igreja comemora o Dia da Vida Consagrada, será realizado o Jubileu e encerramento do Ano da Vida Consagrada.
• No dia 10 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, acontecerá o envio dos Missionários da Misericórdia, na Basílica de São Pedro.
• Duas semanas depois, no dia 3 de abril, a Igreja vai celebrar o Domingo da Divina Misericórdia. Neste dia, acontecerá o Jubileu para todos os que aderem a essa espiritualidade. Ainda neste mês, os adolescentes de 13 a 16 anos terão o seu Jubileu, no dia 24.
• Os sacerdotes celebrarão seu jubileu em 3 de junho, Solenidade do Sagrado Coração de Jesus e comemoração pelos 160 anos do começo desta festa, iniciada em 1856, por Pio IX.
• No dia 12 de junho será o Jubileu dos Doentes e das Pessoas com deficiência.
• Em seguida, vem a Jornada Mundial da Juventude, que acontece de 26 de julho a 1º de agosto, em Cracóvia, Polônia, celebrando, assim, o Jubileu dos jovens. Esta JMJ terá como tema “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia”.
• No dia 4 de setembro, em razão da memória da Beata Teresa de Calcutá que é celebrada em 5 de setembro, acontecerá o Jubileu dos operadores e voluntários da misericórdia.
• Já os catequistas terão seu Jubileu no dia 25 de setembro.
• Em outubro, quando a Igreja a festa de Nossa senhora do Rosário (7 de outubro), acontecerá o Jubileu Mariano, nos dias 8 e 9.
• Em novembro, por ocasião da Solenidade de Todos os Santos, no dia 1º, a Santa Missa presidida pelo Santo Padre em memória dos fiéis defuntos estará inserida programação oficial do Jubileu da Misericórdia. E, no dia 6, será o Jubileu dos presos, em São Pedro.
• Chegando ao fim do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, haverá o encerramento da Porta Santa nas Basílicas de Roma e nas Dioceses, no dia 13 de novembro, e o encerramento da Porta Santa em São Pedro e conclusão do Jubileu, no dia 20, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo.

15:11 · 28.11.2015 / atualizado às 15:11 · 28.11.2015 por

 

Padre João Batista conclui estudos em roma
Padre João Batista conclui estudos em roma

O Vaticano, através do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, enviou carta apresentando o padre João Batista Moreira, do clero da Diocese de Iguatu, como Missionário da Misericórdia, para o Ano Jubilar que o Papa Francisco convocou para toda a Igreja a ser celebrado a partir de 8 de dezembro próximo.

Os missionários serão enviados em 9 de fevereiro por ocasião da celebração da Quarta-Feira de Cinzas para animar as missões populares ou as iniciativas específicas relacionadas com o Jubileu, com especial referência ao sacramento da Reconciliação.

O Santo Padre, com efeito, vai conceder aos padres a faculdade para perdoar também os pecados reservados à Sé Apostólica.

O padre João Batista está atualmente residindo em Roma, concluindo estudos de mestrado em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Salesiana. Em fevereiro apresentará sua Tese de conclusão do curso, e retornará ao Brasil, para e exercer essa missão anunciada pelo Papa Francisco na Bula “Misericordiae Vultus”.

Os Missionários da Misericórdia “serão um sinal da solicitude materna da Igreja pelo povo de Deus, para que entre em profundidade na riqueza deste mistério tão fundamental para a fé”, descreve o Santo Padre na Bula de Promulgação do Jubileu Extraordinário.

“Recebo esta missão na Igreja com imensa alegria e responsabilidade, ainda mais agora por ocasião do meu retorno para a Diocese depois de quase dois anos de estudo e aprofundamento aqui em Roma. Esse serviço na Igreja chegou a boa hora, justamente quando celebrarei os 10 anos da minha ordenação sacerdotal também em 2016. Será um Ano da Graça de Deus também para mim e peço que Ele me conceda a inspiração e a força necessárias para bem cumprir essa Missão”, afirmou o Pe.João Batista, ao receber a notícia.

O sacerdote ressalta que por inspiração do Papa Francisco estes Missionários “serão, sobretudo, sinal vivo de como o Pai acolhe a todos aqueles que andam à procura do seu perdão e procurarão ser anunciadores da alegria do perdão”. (Bula Misericórdia Vultus n°18)

 No próximo dia 9 de fevereiro o padre João Batista participará de um encontro com o Papa Francisco, em Roma. No dia seguinte, ele e os demais missionários escolhidos para este serviço em todo mundo serão “enviados” em missão pelo Romano Pontífice, durante a Selena celebração da Quarta-Feira de Cinzas na Basílica de São Pedro no Vaticano.