Busca

Polícia ainda caça assaltantes na região de Catarina

14:37 · 28.02.2012 / atualizado às 14:58 · 28.02.2012 por

Um dia após o assalto praticado contra a agência do Banco do Brasil de Catarina e a uma casa lotérica, policiais militares permanecem no município em busca dos assaltantes. Há várias viaturas com o apoio de um helicóptero do Ciopaer.

Quatro horas após assalto ao Banco do Brasil helicópteros conseguiriam identificar possíveis carros com bandidos próximos à cidade? Foto: HB

Por enquanto, só está preso o suspeito de integrar a quadrilha, Pedro Cruz Negreiros, conhecido por Naldo, morador da cidade de Icó. O acusado foi preso ontem (27) à tarde pelo cabo Elói Souza da Polícia Rodoviária Estadual em uma estrada de terra no sítio Cavalo Magro, próximo ao distrito de São Gonçalo, graças a informações de populares que indicaram um homem em uma moto vermelha.

O restante da quadrilha dispersou. Ontem (27) no período da tarde era nítida a falta de um comando central nas ações de buscas aos assaltantes. Dezenas de viaturas vindas de vários municípios da região passavam uma pela outra em estrada de terra entre a cidade de Catarina e o distrito de São Gonçalo, num indo e vindo por toda a tarde.

Com a chegada do comandante geral da Policia Militar e do Comandante de Policiamento do Interior dois helicópteros ficaram fazendo sobrevôos, acompanhando o comboio de viaturas em direção a São Gonçalo e depois de volta para a cidade, mas as aeronaves não fizeram buscas efetivas.

Há informações de que hoje pela madrugada o acusado de participar do assalto, Naldo, foi levado até a cidade de Icó para identificar casas e locais de possíveis comparsas. Ontem à noite, ele teria mostrado à Polícia, locais da zona rural onde a quadrilha permaneceu antes do assalto. A Polícia já identificou todos os participantes da quadrilha.

O policial militar morto com um tiro de pistola nas costas no interior do destacamento de Catarina, Francisco Alves Neto, será enterrado logo mais às 16 horas no Cemitério Parque da Saudade em Iguatu.

Vai-e-vem de viaturas na caça aos assaltantes; falta de comando centralizado e planejamento. Foto: HB

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *