Busca

Tag: água


15:28 · 21.06.2018 / atualizado às 15:48 · 21.06.2018 por
Disputa por terra e água são comuns e geram conflitos graves no sertão. Foto de HB

Os conflitos por terra e água no Ceará têm sido um dos principais focos de reflexão envolvendo instituições de ensino superior localizadas no interior do estado. O debate em torno deste contexto guiará a mesa-redonda “Os (des) caminhos do acesso à terra e à água no espaço agrário cearense: conflitos e contradições”, nesta sexta-feira (22), às 19h, no auditório do IFCE campus de Crateús.

A mesa-redonda precede de uma atividade de campo que será realizada nos dias 23 e 24, no acampamento da Fazenda do Besouro e no assentamento Palmares, no município de Crateús. A iniciativa é organizada por docentes dos cursos de licenciatura em Geografia do IFCE campus Crateús e da Universidade Aberta do Brasil/UECE, numa parceria com movimentos sociais que atuam no contexto local.

11:17 · 19.06.2018 / atualizado às 11:19 · 19.06.2018 por
Reunião do Comitê da Seca

O Comitê Integrado de Convivência com a Seca esteve reunido na manhã desta segunda-feira (18), no auditório do Corpo de Bombeiros em Fortaleza. O Prefeito de Cedro, Dr. Nilson Diniz participou de encontro, presidido pelo secretário-executivo da Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA), José Leite Cruz, para discutir o decreto, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), na sexta-feira (15/6), que declara situação de emergência em Cedro e mais 25 municípios do Ceará.

O gestor cedrense ressaltou a importância do encontro e solicitou medidas para amenizar escassez de água nas localidades que foram inseridas no decreto. “Fiz a solicitação de carros pipas e poços profundos para as comunidades rurais que foram prejudicadas, sabemos que temos reservatórios praticamente secos em regiões do distrito de Várzea da Conceição, Lajedo e São Miguel que precisam de ajuda”, ressalta Dr. Nilson Diniz.

Com a publicação do decreto, o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (SINPDEC), irá prestar apoio complementar aos municípios afetados. As ações serão coordenadas pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Além de Cedro os municípios de Acopiara, Assaré, Bela Cruz, Chaval, Crateús, Crato, Groaíras, Hidrolândia, Icapuí, Icó, Iguatu, Independência, Ipu, Itapajé, Jaguaruana, Lavras da Mangabeira, Madalena, Missão Velha, Nova Olinda, Ocara, Parambu, Paramoti, Reriutaba, São Gonçalo do Amarante e Umirim, também tiveram decretada situação de emergência.

11:19 · 18.06.2018 / atualizado às 11:19 · 18.06.2018 por
Reúso de água cinza chega às comunidades rurais e a instituições federais, como é o caso do IFCE de Crateús. Foto de Honório Barbosa

A implantação de tecnologia alternativa vai possibilitar o reaproveitamento das chamadas águas cinzas, provenientes do uso em chuveiros e pias instaladas no refeitório do IFCE campus de Crateús. Trata-se do bioágua, sistema que garante a filtragem utilizando-se de materiais alternativos, tais como cascalho, areia, serragem, esterco e minhocas. No IFCE, o mecanismo vai favorecer experimentos didáticos, especialmente na área de Agrárias.

Como funciona

O processo de funcionamento do sistema começa com o desvio da água para uma caixa de gordura, onde é feita a eliminação do excesso de poluentes. Em seguida, se dá a etapa de filtragem, numa caixa feita com placas de cimento, preenchida com camadas respectivas de cascalho, brita, areia, pó de serra, sobrepostas por esterco bovino, húmus e minhocas.

Na primeira camada, é iniciado um processo de decomposição da matéria orgânica presente na água. Essa tarefa é feita pelas minhocas, também responsáveis pela mineralização da água, fornecendo nutrientes para as plantas.

Na medida em que o líquido vai se infiltrando na caixa, as outras camadas vão retendo o excesso de sabão e demais materiais de limpeza. A partir daí, essa água já pré-filtrada é canalizada para um tanque de armazenamento, de onde é bombeada para uma caixa d’água, podendo ser canalizada para a irrigação.

Agregado ao sistema, outro componente que amplia as suas vantagens ecológicas e econômicas é a captação de energia solar, por meio de uma célula fotoelétrica, que propicia o funcionamento da bomba hidráulica, usada para bombear a água.

Processo de implantação

A instalação do sistema no campus de Crateús está em fase de conclusão, numa parceria entre o IFCE, a Cáritas Diocesana, o Instituto Bem Viver e a ONG italiana We Word. As primeiras fases do projeto ocorreram durante a Feira da Agricultura Familiar e Economia Popular, realizada no início de junho. O processo de construção foi acompanhado por alunos e servidores do campus, além de técnicos de outras instituições parceiras.

De acordo com o professor Liandro Beserra, a disseminação dessa tecnologia propicia grandes vantagens para a região do semiárido, destacadamente para a agricultura e produção de forragem. “No IFCE ela serve de ferramenta de pesquisa, ensino e extensão, voltada para o desenvolvimento de sistemas de produção mais eficientes adaptados ao semiárido”, salienta Liandro.

19:48 · 12.06.2018 / atualizado às 19:52 · 12.06.2018 por

 

Alunos participaram de palestra sobre meio ambiente. Foto de Marcos Rodrigues

Limpeza em bairros, palestras, panfletagem e orientações sobre o calendário da coleta de lixo fizeram parte das ações sobre conscientização ambiental em Cedro. Durante a Semana do Meio Ambiente houve mobilização com o objetivo de chamar a atenção de crianças e adolescentes para a importância da preservação dos recursos naturais.

Dentre os projetos escolares, os professores discursaram sobre o tema “Água: um bem precioso que necessita ser preservado”. As apresentações contaram com discussões em sala de aula sobre medidas para colaborar com o meio ambiente.

Uma iniciativa, que segundo o prefeito Dr. Nilson Diniz, deve ser estimulada ainda na infância. “Os estudantes são o futuro da nossa nação e oferecer palestras sobre educação ambiental a todos eles é, sem dúvida, garantir um progresso local com um planeta mais sustentável”, afirmou.

Escola Municipal Gabriel Diniz realizou um passeio ecológico no Marco Zero, onde os alunos assistiram à um filme que fala sobre os problemas ambientais. Na ocasião, eles apresentaram textos literários sobre o assunto. “Diariamente as nossas escolas estão trabalhando acerca dessa temática, e pensando nisso, iremos ampliar ainda mais as ações com ideias inovadoras que melhorem ainda mais nossa região”, assegura a Secretária de Educação, Esmeraldina Bezerra.

 

16:54 · 15.05.2018 / atualizado às 16:54 · 15.05.2018 por

O município de Mombaça é o primeiro no Estado do Ceará a implantar o Sistema Salta-Z (Solução Alternativa Coletiva Simplificada de Tratamento de Água). Várias comunidades da zona rural do município estão sendo beneficiadas com essa tecnologia, que leva água de qualidade para os moradores.

De acordo com o prefeito Ecildo Filho, o sistema Salta-Z é uma tecnologia de fácil aplicabilidade, baixo custo de implantação e manutenção simplificada, que faz uso de filtros e dosadores de construção. Com montagem artesanal, é fácil de operar e apresenta resultados da água compatível aos padrões de potabilidade estabelecidos pela Portaria nº 2.914/11, do Ministério da Saúde.

Com a colocação da Salta-Z, a população de Mombaça se manterá mais saudável, considerando a queda dos índices de doenças vinculadas à falta de água potável. “É uma grande satisfação ver o projeto acontecer, sair do papel, beneficiando as comunidades e melhorando a vida de todos que moram na zona rural do município”, destacou o prefeito.

Mais água

Em audiência na Funasa, com o presidente do órgão, Ricardo Silveira, o prefeito Ecildo Filho tratou sobre a vinda de um técnico para vistoriar e em seguida aprovar os projetos de abastecimentos de água das localidades de Serrote Preto, Queimadas, Travessão dos Gonçalves, Xixa, Pitombeira, Serra dos Cruz e Palmas.

Para as localidades de Santa Rita, Cipó, Lajes (Carnaúba), Chico Preto (Cacimbas) e Trapiá, o gestor anunciou a conquista de instalações de poços profundos com chafarizes. De imediato serão beneficiadas com perfurações de poços as comunidades de São Miguel, Riacho Verde, Araçá e Manoel Gonçalves.

A reunião na Funasa foi encerrada com a definição da data, 25 de maio, para a inauguração dos sistemas Salta-Z das localidades de Queimadas e São Paulino. “Todas essas ações hídricas fazem parte do programa Mais Água criado pela Prefeitura objetivando melhorar a situação na zona rural da cidade”, lembrou o prefeito Ecildo Filho.

12:22 · 03.05.2018 / atualizado às 12:22 · 03.05.2018 por

 

Protesto começou na Vila São Gonçalo e chegou até o escritório da Cagece. Fotos de Diomar Araújo.

Dezenas de moradores da Vila São Gonçalo, distante 19 km da sede do município de Catarina, realizaram na manhã desta quarta-feira (2), manifestação em frente ao escritório da Cagece de Catarina e em seguida caminharam até o Fórum de Justiça onde uma comissão foi recebida pelo promotor de Justiça da comarca local, Alexandre Paschoal Konstantinou.

O protesto dos moradores da Vila São Gonçalo se deu a partir do momento em que a Cagece iniciou o abastecimento de água a partir da barragem Rivaldo de Carvalho, na vila, para a cidade de Catarina através da adutora, na última semana.

Os moradores da Vila de São Gonçalo temem ficar sem água, já que a barragem acumula atualmente 6,50% da capacidade, ou seja, 1 milhão e 300 mil metros cúbicos de água. Segundo os moradores, seria insuficiente para abastecer a cidade de Catarina e a própria vila.

Os moradores da Vila São Gonçalo alegam que atualmente a cidade de Catarina vem sendo atendida pela adutora emergencial do açude Buenos Aires, que fica próximo à sede, e que o mais tardar até o final do mês de julho a adutora do açude Arneiroz II já vai está pronta para abastecer a cidade de Catarina.

Os moradores então se reuniram e realizaram o protesto saindo da Vila São Gonçalo, passando pelo Bairro Lagoinha, centro da cidade onde aconteceu a primeira parada em frente ao escritório da Cagece. Os moradores da Vila São Gonçalo permaneceram por cerca de 10 minutos, e não foram recebidos por nenhum funcionário da empresa.

Em seguida os moradores com faixas e cartazes seguiram em direção ao Fórum de Catarina, onde uma comissão foi recebida pelo promotor Dr. Alexandre Paschoal Konstantinou, que marcou uma audiência pública para esta sexta-feira (4), às 14h, nas dependências do Fórum.

O protesto foi coordenado pela professora Luíza Gomes e pela enfermeira Guiomar Altino.

(Com colaboração de Diomar Araújo)

17:40 · 25.04.2018 / atualizado às 17:40 · 25.04.2018 por

  O reúso de Águas Cinzas é a tecnologia social de convivência com o Semiárido que está presente na região Centro-Sul do Ceará, desde outubro de 2016. Através do Instituto Elo Amigo (IEA), a Fundação Banco do Brasil (FBB) e do Governo do Estado pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), a tecnologia gera renda a agricultores de base familiar pelo aproveitamento das águas de pias, banho e da cozinha, para irrigar plantas no quintal produtivo em torno da residência.

O projeto está beneficiando 75 famílias, com pouco menos de 2 anos, da área rural dos municípios de Iguatu (25 famílias), Orós (30 famílias), Acopiara (10 famílias), e por último, a cidade de Jucás (10 famílias), nas comunidades de Canafístula, Cachoeira Preta, Currais, Cumbucas, Jenipapeiro e Tabuleiro dos Batistas.

A indicação das comunidades para receber a tecnologia acontece através da “Comissão Municipal Pela Vida no Semiárido”. Depois, as famílias são escolhidas através do Instituto Elo Amigo, que realiza visitas técnicas para averiguar os critérios, como: ser agricultor (a) e possuir as cisternas de beber (16 mil litros) e de tecnologia de segunda água para produção de alimentos.

Segundo o coordenador do Projeto Reúso no Elo Amigo, Claudenê Lima, a ação é uma forma de diminuir os impactos ambientas à medida que ajuda o homem do campo a produzir seus próprios alimentos. “O projeto de reuso vem resolver um problema de poluição gerado pelas águas cinzas que viram esgotos a céu aberto gerando doenças, e promove a segurança alimentar através da produção de alimentos”, frisa Claudenê Lima.

15:05 · 23.04.2018 / atualizado às 15:05 · 23.04.2018 por

 

Sistema foi inaugurado em Cedro. Foto: Marcos Rodrigues

A obra inaugurada em Cedro, na região Centro-Sul do Ceará, de interligação traz água do açude Ubaldinho, por meio da adutora de engate rápido, beneficiando as comunidades de Marreca, Juá, Vaca Morta e Santo Antônio.

Os moradores do distrito de Santo Antônio têm muito que comemorar. Neste fim de semana aconteceu a inauguração do sistema de abastecimento de água que beneficiará cerca de 400 famílias das comunidades de Marreca, Juá, Vaca morta e Santo Antônio.

O prefeito, Dr. Nilson Diniz; primeira-dama, Ana Clécia; vice-prefeito, Joãozinho de Titico; presidentes de associações; representantes do Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar); secretários; vereadores e o ex-prefeito de Brejo Santo, Guilherme Landim estiveram presentes.

“Nos últimos anos criamos diversas alternativas de abastecimento de atendimento à população. Esta interligação que traz água do açude Ubaldinho, por meio da adutora de engate rápido é uma delas”, pontuou o prefeito, Dr. Nilson Diniz.

Os distritos de Várzea da Conceição e Candeias também recebem abastecimento por meio da adutora. “Conheço de perto a luta dos moradores do distrito de Santo Antônio, por diversas vezes nos reunimos, e hoje realizamos este antigo sonho”, ressalta o secretário de Agricultura, Manoel Bezerra. Com 600 ligações por meio de hidrômetro com 20 comunidades atendidas, Cedro é destaque na região.

“O município de Cedro é parceiro com convênios para execução de projetos, poços profundos, extensão por meio da adutora e não mede esforços com uma gestão equilibrada”, reforça Jomávia Lacerda, supervisora técnica do Sisar.

A maioria dos sistemas rurais executados pela Cagece, através do programa São José, é gerenciada pelo Sisar. Ao todo, 15 projetos de abastecimento realizados no município foram aprovados. Também foram perfurados 15 poços profundos viabilizando água para atender as famílias. “Tudo isto é motivo de alegria, os moradores sofreram muito, mas estamos buscando melhorar a vida deles”, destaca vereador Gilberto Barbosa,

“É uma riqueza este momento e nós sofremos muito aqui e podemos dizer que estamos ricos, pois água é vida e as chuvas que estão caindo estão renovando nossa esperança de um bom inverno”, disse a moradora, Denize Barbosa, do distrito de Santo Antônio.

17:43 · 20.04.2018 / atualizado às 17:43 · 20.04.2018 por


Um grande desafio da gestão atual tem sido levar água para os moradores de Cedro por meio de sistemas de abastecimentos de água, cisternas, poços profundos e construção de açudes. A busca por melhorias é para atender famílias que convivem com a seca no município.

Para amenizar o impacto da escassez de água, Cedro vai inaugurar um sistema de interligação de água das comunidades Angicos e Santo Antônio que irá atender também a comunidade de Vaca Morta. O encontro contará com a presença do prefeito Dr. Nilson Diniz, o vice-prefeito, secretários, vereadores, representantes do Sistema Integrado de Saneamento Rural (SISAR) e de associações locais, lideranças comunitárias e famílias beneficiadas.

A Prefeitura tem, ao longo dos últimos anos, trabalhado com afinco para garantir a universalização da água de qualidade. “É uma tarefa enquanto gestor municipal, atender as famílias que estão precisando de abastecimento de água. As melhorias podem ser contempladas através do acesso a água potável com agilidade, o que tem sido facilitado pela construção da adutora em nossa cidade”, reforçou Dr. Nilson Diniz,.

A conquista tem sido motivo de vitória para a Associação Comunitária Vicente Batista de Oliveira que uniu forças e procurou a gestão municipal para agilizar a concretização desta demanda. “Hoje a gente percebe que a água na zona rural tem sido destaque pelas ações inovadoras do Prefeito Dr. Nilson Diniz, que junto ao Estado tem conseguido uma melhor vida para toda nossa gente”, afirma o secretário de agricultura, Manoel Bezerra.

20:00 · 19.04.2018 / atualizado às 17:37 · 20.04.2018 por
Poço perfurado passa por teste de vazão no Interior do Ceará. Foto de Honório Barbosa

Garantir abastecimento de água para as futuras gerações. Esse é o objetivo do projeto de Avaliação Hidrogeológica Quali-Quantitativa, desenvolvido pelo Governo do Estado, que envolve as bacias dos municípios de Iguatu, Orós, Quixelô e Icó.

O objetivo é identificar e mapear os mananciais dos lençóis subterrâneos, visando ao seu aproveitamento hídrico.

Inédito na região, o projeto está sendo desenvolvido pela Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), em parceria com a Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) do Estado. O estudo tem um custo superior a R$ 1 milhão de reais. O processo licitatório já foi concluído pelo Estado, faltando apenas a assinatura da ordem de serviço, que deverá ocorrer em breve.

 

Secretário Aderilo Alcântara

O secretário Executivo da SRH, Aderilo Alcântara, é o coordenador do projeto. Ele ressalta a importância desse estudo, e lembra que o Ceará vive um momento crítico de escassez d’água, por conta de vários anos seguidos de estiagem, e que as estatísticas mostram a necessidade de se pensar em novos meios adequados para usufruir da água existente no subsolo.

Alcântara aponta que através desse monitoramento será possível avaliar a qualidade e quantidade dos aquíferos, facilitando assim o trabalho de perfuração de poços nessas regiões, proporcionando, dessa forma, uma segurança hídrica maior para a população.

“Não podemos sair por aí perfurando e definindo poços sem conhecer a área. E esse projeto chega num momento em que o Ceará vive uma escassez de água muito grande, e com esse trabalho, que em breve estaremos iniciando, certamente iremos ter uma segurança hídrica maior”.pontuou Alcântara. “A perfuração de poços vai proporcionar uma oferta de água maior, tanto para o consumo humano como também para o uso na produção de alimentos e outras atividades”.