Busca

Tag: carnaval


12:00 · 09.03.2017 / atualizado às 12:00 · 09.03.2017 por
Brincante da Esurd

O Carnaval de Várzea Alegre, realizado pela Prefeitura de Várzea Alegre em parceria com a iniciativa privada, no período de 25 a 28 de fevereiro, foi avaliado como evento de sucesso pelos organizadores e pelo gestor, Zé Helder.

A festa retornou neste ano e tem relevante importância cultural e fomenta a economia através do turismo. É o maior da região.

O prefeito destacou que foi lançado o edital de licitação vencido pela empresa Pop Eventos que pagou o lance de R$ 12.000,00 pelo espaço do Parque Cívico São Raimundo Nonato, montou toda a estrutura, respeitando as regras do edital, ou seja, explorando seus espaços com a venda de publicidade, camarotes, comidas e bebidas.

 Zé Helder explicou que essa modalidade de licitação foi estudada pela equipe jurídica do governo que fez consultas ao Tribunal de Contas dos Municípios – TCM.

Zé Helder declarou acreditar que no próximo ano, com o Carnaval vindo a ser organizado com mais tempo, a empresa que vier a ganhar a licitação do evento terá mais tempo para planejar a contratação das atrações. “Mas, para a crise que vivemos e para a dimensão do Carnaval que foi realizado, eu acho que foi de bom tamanho, foram perfeitas todas as atrações”, disse.

Império estreou com destaque

Com relação às escolas de samba Unidos do Roçado de Dentro, Mocidade Independente do Sanharol e a estreante Império Cadenciando, Zé Helder fez elogios e destacou a grande importância cultural que tem as agremiações carnavalescas para Várzea Alegre e fez agradecimentos.

Outro ponto elogiado pela população foi o aparato de segurança, sob o comando do Major Oliveira. Ele também agradeceu o apoio do Major Luciano.

Destaque da MIS
07:30 · 25.02.2017 / atualizado às 23:00 · 24.02.2017 por

 

Carnaval do Sesc animou comerciários e associados. Foto de Honório Barbosa

Em clima de muita alegria sob a animação de João Dino e Banda, o Sesc de Iguatu promoveu Carnaval no ginásio esportivo. No repertório marchinhas, frevo e samba. Pessoas de todas as idades participaram da festa, que foi bem participativa e animada. Destaque para o grupo da Terceira Idade.

07:25 · 25.02.2017 / atualizado às 22:55 · 24.02.2017 por

Em mais uma ação de ordenamento do carnaval implementada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), a comissão organizadora dos festejos da Vila São José, localizada no município de Solonópole, assinou nesta quinta-feira (23/02) um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que garante o livre trânsito da população na festa realizada em praça pública por um grupo de comerciantes da localidade.

De acordo com a promotora de Justiça responsável pela Comarca de Solonópole, Regina Mariana de Oliveira, o TAC garante que a população brinque o carnaval na praça pública podendo levar sua própria bebida e comida. “Antes, os organizadores estavam querendo fechar as ruas de acesso à praça e exigir que a população comprasse bebida e comida no local da festa, que é público. Agora, a festa de Carnaval está garantida com acesso livre de todos”, esclarece.

O Carnaval em São José de Solonópole vem crescendo a cada ano e reúne cerca de 10 mil foliões. Neste ano corria o risco de não ser realizado mediante o impasse entre organizadores e MPCE.

07:20 · 25.02.2017 / atualizado às 22:49 · 24.02.2017 por

 

Escolhidos Rei Momo e Rainha do Carnaval

O Carnaval de Várzea Alegre será aberto oficialmente na noite deste sábado, 25, no Parque Cívico São Raimundo Nonato, com a presença do prefeito Zé Helder (PMDB), da primeira-dama, Sônia Fortaleza, secretários do governo e convidados.

Por ocasião da abertura oficial do evento, serão apresentados ao público o Rei Momo e a Rainha do Carnaval 2017.

A chave da cidade será entregue simbolicamente ao Rei Momo, Lucas Egberton Felipe da Silva, 25 anos, estudante universitário de Educação Física, e Vânia Gino Pereira, 24 anos, receberá a faixa de Rainha do carnaval.

Lucas Egberton já representou a cidade como Rei Momo nos carnavais de 2014 e 2015 e retoma o posto neste ano pela terceira vez.

O ato público acontecerá a partir das 22h, entre as apresentações das bandas Bom de Mexer, Lagosta Elétrico e Irmãos de Farra.

Atrações do Carnaval

Sábado, dia 25/02
– Bom de Mexer; Lagosta Elétrico; Irmãos de Farra

Domingo, dia 26/02
– Açoite; Magníficos Elétrico; Theska Lima

Segunda-feira, dia 27/02
– Dona Rosa; Guilherme Dantas e Pagodão 26

Terça-feira, dia 28/02
– Fabinho; Ítalo & Renno e Boca Loka

Desfile das escolas de samba

As escolas de samba vão desfilar na Rua Durval Soares, trecho da CE 060, conhecida por Marquês de Papai Raimundo.

No domingo, dia 26, desfila a Escola de Samba Unidos do Roçado de Dentro – ESURD. Na segunda-feira, dia 27, o desfile é da Mocidade Independente do Sanharol – MIS. Na terça-feira, 28, é dia do desfile da estreante Império Cadenciando do Riachinho.

15:32 · 24.02.2017 / atualizado às 15:32 · 24.02.2017 por

 

Justiça determinou que não ocorra gasto de dinheiro público com o Carnaval em Aracati.

A juíza da Comarca de Aracati, Cristiane Castelo Branco Machado Ramos, deferiu, nesta sexta-feira (24/02) pedido do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e determinou que o Município se abstenha de realizar gastos públicos com promoção, organização e realização do evento Carnaval Popular de Aracati 2017, bem como com a contratação e realização de pagamentos a quaisquer credores em decorrência do evento até posterior deliberação do Juízo.

A magistrada estabeleceu pena de incidência de multa diária no valor de R$ 10.000,00 limitado ao montante total de R$ 500.000,000, a ser suportada pela pessoa física do prefeito de Aracati para evitar maiores danos ao erário do Município, “sem prejuízo de posterior condenação por ato atentatório à dignidade da Justiça, nos termos do artigo 77, inciso IV e § 2º, do NCPC ou mesmo caracterização de crime de desobediência.”

Na análise sobre o pedido formulado pela Promotoria de Justiça do Juizado Especial Cível e Criminal de Aracati, a juíza considera que “nesse contexto de aparente mau uso de recursos públicos pelo Município de Aracati e da consequente violação a direitos fundamentais dos cidadãos aracatienses, não se pode admitir que o já debilitado erário suporte um gasto tão alto com a festa de carnaval a qual poderia ser perfeitamente organizada e suportada pela iniciativa privada.” Ela acredita que “a situação de emergência declarada pelo Município de Aracati torna imperiosa uma maior racionalização e equilíbrio nos gastos públicos.”

“Não parece razoável sob qualquer prisma que o Município de Aracati, ao enfrentar tão alardeada crise econômico-financeira, disponibilize dinheiro público para arcar com uma despesa na ordem de R$ 1,250 milhão para a realização de evento carnavalesco de apenas quatro dias, onde fatalmente haverá o aumento significativo do consumo de bebidas alcoólicas, drogas ilícitas e até da prática de delitos de furtos/roubos na cidade, enquanto as pessoas morrem em hospitais locais por falta de atendimento médico, de leitos em UTI’s de medicamentos e materiais básicos ao regular funcionamento de Hospitais, Maternidades e UPA’s.

A magistrada destacou que não cabe no momento dá prioridade ao Carnaval. “Também não me parece crível se priorizar uma festa carnavalesca enquanto as escolas estão sucateadas e sem alunos/professores nas salas de aula, e os servidores públicos municipais amargam o não recebimento de seus salários (verbas de caráter alimentar), que compromete a subsistência de suas famílias e seus compromissos financeiros assumidos, a ponto do Parquet ajuizar Ação Civil Pública para obrigar o ente público a honrar tal dívida com seus próprios servidores. É inadmissível essa inversão de valores, onde as necessidades mais básicas das pessoas mais carentes e vulneráveis são relegadas a último plano pelos gestores municipais em total afronta a ordem de prioridades elencada pela Constituição Federal”, julga a magistrada.

A promotora de Justiça Virgínia Navarro explica que a ação foi ajuizada depois que o Município se negou a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) em que se comprometeria a regularizar o pagamento de servidores. Na petição inicial, ela pontuou ainda a possibilidade de fechamento Hospital e Maternidade Santa Luiza de Marilac por causa de dívidas da Prefeitura.

“A utilização de recursos públicos com o montante a ser despendido para fazer face a festejos carnavalescos, neste momento atual por que passa o município de Aracati, constitui violação ao princípio da razoabilidade e da moralidade administrativa, todos de natureza constitucional, sendo certo que o gestor público não está imune à utilização das verbas públicas em observância a tais princípios, de forma a zelar pela correta aplicação dos recursos públicos”, avaliou Virgínia Navarro.