Busca

Tag: catarina


12:20 · 17.07.2017 / atualizado às 12:20 · 17.07.2017 por


Em Catarina ocorreu reunião entre representantes da prefeitura, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil do Estado e agentes de saúde para definir como será o abastecimento de água na sede do município a partir da próxima semana através de carros pipa da defesa Civil do Estado.

A equipe da Defesa Civil do Estado, sob comando do capitão Freitas Filho, do Corpo de Bombeiros, esteve reunida com o secretário de governo da Prefeitura de Catarina, Luiz Gonzaga Rodrigues, com Tibério Gomes, representantes dos agentes de saúde do município e Elkeson Soares, chefe de Gabinete, para fazer um levantamento da população da sede de Catarina para o recebimento de água que será distribuída através de carros pipa.

De acordo com Luiz Gonzaga, o abastecimento está previsto para começar na próxima semana e se dará da seguinte forma:

A Defesa Civil vai distribuir por meio de carros pipa a água em caixas de 5 mil litros, instaladas em ruas da cidade. A água será captada da Estação de Tratamento da Cagece, em Tauá, através da adutora do Açude Trici, naquele município.

Cada família receberá uma ficha com uma determinada quantidade de litros de água por dia. De acordo com o capitão Freitas Filho, do Corpo de Bombeiros e coordenador estadual da Defesa Civil, cada morador terá direito a 20 litros de água por dia, ou seja, se uma determinada família tiver cinco pessoas, vai receber 100 litros de água nos dias de abastecimento daquela rua. Um apontador indicado pelos moradores ficará responsável pela distribuição das fichas.

O abastecimento de água na cidade de Catarina por meio de carros pipa se dará de maneira alternada. Cada dia um bairro será atendido. A água é própria para o consumo humano e chegará às residências na próxima semana.

Já os moradores da zona rural do município de Catarina continuam recebendo água através da operação carro pipa da Defesa Civil e Exército Brasileiro com supervisão do 40-BI de Crateús.

Segundo informações do coordenador municipal da Defesa Civil de Catarina, Elkeson Soares, os oito carros pipa que abastecem a zona rural deste município estão captando água do vizinho Estado do Piauí, já que, o Exército barrou a captação de água do açude Arneiroz – II, em Arneiroz, por não passar nos testes laboratoriais realizados mensalmente.

Segundo informações de Elkeson Soares, para que a água do açude Arneiroz – II esteja própria para o consumo humano, seria necessário passar por tratamento da Cagece, o que não é realizado já que a água não passa por nenhum tipo de tratamento do manancial até as cisternas das residências da zona rural através de carros pipa.

Atualmente a cidade de Catarina enfrenta racionamento de água através de abastecimento via adutora de engate rápido do açude Buenos Aires, que deve secar, segundo a Cagece, até o final do próximo mês.

Já em relação a construção da adutora de montagem rápida do açude Arneiroz – II para Catarina, o prefeito municipal Dr. Thiago Paes de Andrade disse que está aguardando apenas o inicio dos trabalhos que é de responsabilidade do Dnocs.

Na última semana, a Sohidra iniciou a perfuração de mais 40 poços profundos entre a sede e a zona rural de Catarina na mesma extensão da adutora da Vila São Gonçalo. De acordo com o geólogo da Cogerh, Irabson Mota, os dois primeiros poços já perfurados na localidade de São Bento, a 7 km da sede de Catarina, já apresentaram grandes vazões, o que tudo indica que com a instalação dos poços na adutora através da Cagece, o abastecimento de água deverá amenizar a crise hídrica em Catarina.

Em 2007 quando estava sendo finalizada a construção da adutora de montagem rápida da Barragem Rivaldo de Carvalho, na Vila São Gonçalo, a 19 km da sede, os moradores da cidade de Catarina eram atendidos através de carros pipa da Defesa Civil do Estado. Hoje a barragem secou. (Com  informações de Diomar Araújo).

12:26 · 05.07.2017 / atualizado às 12:26 · 05.07.2017 por

 

Açude Arneiroz II. Foto de Diomar Araújo

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, autorizou nesta terça-feira (4), a liberação de recursos para a construção de uma adutora de montagem rápida a partir do Açude Arneiroz II, em Arneiroz, para a cidade de Catarina, na ordem de R$ 12,4 milhões.

A ordem de serviço já foi encaminhada para o secretário Nacional de Infraestrutura Hídrica, Antônio de Pádua de Deus Andrade e para o diretor geral do Departamento de Obras Contra as Secas  (Dnocs), no Ceará, Ângelo José de Negreiros Guerra. A construção da adutora de montagem rápida do açude Arneiroz – II, à Catarina será realizada pelo Dnocs.

O prefeito de Catarina, Dr. Thiago Paes de Andrade, e o ex-prefeito Jefferson Paes de Andrade, estiveram reunidos com o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, a convite do próprio senador para entregar oficialmente a ordem de serviço. A adutora será construída às margens da CE-277, Catarina / Arneiroz, aproximadamente 49,5 km.

A Barragem Rivaldo de Carvalho, localizada na Vila São Gonçalo, a 20 km da sede do município de Catarina, com capacidade para armazenar 20 milhões de metros cúbicos de água, hoje acumula menos de 1% do total de sua capacidade, segundo informações da Cogerh.

A adutora da Barragem Rivaldo de Carvalho, na Vila São Gonçalo, abastecia a referida vila e a cidade de Catarina, mas está seca. A zona rural do município de Catarina está sendo abastecida através da operação carros pipa e dessalinizadores.

Já a sede do município continua sendo abastecida temporariamente através de uma adutora emergencial do açude Buenos Aires a 1,5 km da sede. Foram perfurados vários poços profundos na sede e zona rural, e a Cagece e a prefeitura já começaram a montar as bombas nos poços para engatar na adutora.
Um geólogo da Cogerh continua marcando poços profundos entre a sede e a Vila São Gonçalo.

10:48 · 02.07.2017 / atualizado às 10:48 · 02.07.2017 por


O contramestre Jaguar e o professor de capoeira Assolan foram os anfitriões do evento realizado neste sábado, dia 1º de julho, no ginásio poliesportivo Rodrigão, em Catarina, na região dos Inhamuns, onde foi realizado o 25º batizado, troca de graduação e formatura dos alunos da Associação de Capoeira Garra Cearense, turma de Catarina.

Durante o evento foram realizadas várias apresentações dos grupos de capoeira de outras cidades do Ceará e do Estado de Pernambuco, dança com o Grupo Vini Dance de Catarina, da professora Gracielle Salvador e do Grupo Maculelê de Tauá.

O evento foi supervisionado pelo diretor geral do Grupo de Capoeira Garra Cearense, mestre Índio.
Caravanas de grupos de capoeira do Crato, Fortaleza, Quixadá, Juazeiro do Norte, Barbalha, Itaitinga, Maracanaú, Tauá, Acopiara, Iguatu e do Estado de Pernambuco participaram do grande evento em Catarina.

Mestres Carlinhos Camarada, Capoeira do Crato, Bobe de Sobral, Amola e Severo, de Fortaleza, Edivaldo e Guga de Quixadá, Mediviola, Diamante e Borracha, de Juazeiro do Norte, Nino Cunha e Calado, de Barbalha e Dano Cabelinho, de Itaitinga participaram do evento.  (Com informações e fotos de Diomar Araújo).

10:07 · 26.06.2017 / atualizado às 10:07 · 26.06.2017 por


Os moradores da localidade de São Gonçalo e do bairro Vila Nova, no município de Catarina, aguardam a ligação elétrica de dois poços profundos, perfurados pela Cagece para o abastecimento de água das comunidades.

O chefe do escritório local da Cagece, Audízio Holanda, informou que os dois poços profundos, já tiveram as bombas instaladas e aguarda apenas a Prefeitura Municipal colocar os pontos de energia para a ligação do sistema de o bombeamento da água dos poços na rede da adutora.

Ainda de acordo com o Audízio Holanda, o secretário municipal de Governo, Luiz Gonzaga Rodrigues, já teria comunicado que, nesta semana, serão instalados os pontos de energia para que comece a operação de abastecimento de água através dos dois poços.

Na Vila de São Gonçalo o poço tem vazão reduzida de 2.800 metros cúbicos por hora, mas seria suficiente para atender a demanda.

A bomba de água do poço do Bairro Vila Nova já foi instalada e aguarda apenas a construção da rede de energia elétrica que será construída pela Prefeitura ainda nesta semana. A vazão do poço profundo é de 2.700 metros cúbicos por hora.

A Cagece de Catarina informou ainda que serão colocadas as bombas nos dois poços perfurados do bairro Macário no decorrer desta semana.

O geólogo da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Irabson Mota, vai demarcar mais poços profundos entre a sede e a zona rural do município de Catarina, que enfrenta uma grave crise de desabastecimento e depende de caminhões pipa.

O prefeito Dr. Thiago Paes de Andrade Rodrigues tem solicitado ao Governo do Estado, através do Comitê Integrado de Combate à Crise Hídrica e por meio de órgãos como Sohidra, Dnocs, Cogerh, SRH e Cagece a perfuração e instalação de poços.

A previsão que esses poços possam dar vazão suficiente para abastecer a sede de Catarina e comunidades que estavam sendo abastecidas pela adutora de São Gonçalo, cujo açude de mesmo nome secou.

Os serviços de perfuração dos novos poços profundos nas localidades de São Bento I e II e Arara devem começar tão logo os proprietários dos terrenos assinem os termos autorizando a perfuração dos poços.

(Com informações de Diomar Araújo)

10:23 · 07.06.2017 / atualizado às 10:23 · 07.06.2017 por
Pistoleiro é baleado e preso em Catarina. Foto de Sheldon Gomes/Rádio Difusora dos Inhamuns

Um dos acusados de execução do servidor público municipal, Ciel Cosmo de Oliveira, da cidade de Catarina, na região dos Inhamuns, foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira, 7, na localidade de Saco Grande, zona rural do município. O outro participante do crime foi preso, baleado, no fim da tarde desta terça-feira, 6, após troca de tiros com policiais militares.

O crime contra Ciel Cosmo foi praticado no fim da tarde desta terça-feira, 6, próximo a um posto de combustíveis, em Catarina, na saída para Acopiara. De acordo com informações da Polícia Militar, Ciel Cosmo foi atingido por vários tiros por dois homens, que chegaram em uma motocicleta e fugiram em seguida. A vítima ainda foi socorrida para o Hospital local, mas morreu logo.

TROCA DE TIROS

Policiais militares saíram em perseguição à dupla de pistoleiros e houve troca de tiros. Os suspeitos foram baleados. Hélio Duarte da Silva, conhecido pelo apelido de ‘Frank Aguiar’ foi atingido por cinco tiros, no braço, pernas, nádegas e coxas. Foi transferido para o Hospital Dr. Alberto Feitosa Lima, em Tauá, e depois levado para a emergência do IJF, em Fortaleza. O acusado estava preso em Acopiara e há cerca de 15 dias foi solto.

O segundo acusado, baleado, fugiu para o mato e foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira, 7. Foi identificado, inicialmente, por Israel, e tem o apelido de ‘Piaba’, e seria fugitivo da cadeia pública de Senador Pompeu.

A Polícia investiga o caso. A morte do servidor Ciel do Cosmo pode estar relacionada com outros crimes ocorridos recentemente na cidade de Catarina, que envolvem pessoas da mesma família.

1º Crime  – 15 de abril de 2016

Avô e neto foram baleados na Rua Cosmo Siqueira, na porta da casa do sindicalista Sebastião Cosmo Siqueira, conhecido por ‘Sebasto’, de 80 anos de idade. O idoso morreu no local, e o neto dele, Mauro César Teixeira Oliveira foi atingido por dois tiros e sobreviveu.
2º Crime – 29 de abril de 2016

Mauro Oliveira foi executado a tiros em um campo de futebol, na localidade de Baixa Grande, na zona rural de Catarina.

3º Crime – 6 de junho de 2017

Ciel do Cosmo foi morto na tarde desta terça-feira. Ele era filho do sindicalista ‘Sebasto’, e tio de Mauro César, que foi executado em abril deste ano.

Outro crime

Há informações de que Mauro César teria envolvimento em um homicídio ocorrido em setembro de 2015, de forma brutal. A vítima, um homem, foi morto a bala, teve os olhos arrancados, uma estaca enfiada na boca e o corpo escondido em local isolado. A Polícia investiga o caso.

19:23 · 31.05.2017 / atualizado às 19:23 · 31.05.2017 por
Cidade de Catarina

Nos últimos 30 dias, foram registrados três homicídios e uma tentativa na sede e na zona rural do município de Catarina, na região dos Inhamuns.

A primeira vitima foi o agricultor Renato do Gilvan, 32 anos, residente na localidade de Arara, zona rural de Catarina. Renato foi executado à bala na noite do dia 23 de abril, por volta das 22h, na Rua Cosmo Siqueira. Após a execução, os dois homens fugiram em direção à rodovia CE 371. Autoria do crime permanece desconhecida.

No dia 29 de abril, passado, o jogador de futebol, Mauro Cosmo, 33 anos, residente na Rua Cosmo Siqueira, centro de Catarina, foi executado à bala durante uma partida de futebol no campo da localidade de Baixa Grande, zona rural do município de Catarina, por volta das 15h, por dois homens que após a execução se evadiram sentido da rodovia CE 371 em direção à cidade de Acopiara. Autoria do crime até agora é desconhecida.

No dia 24 de maio, às 11h da manhã, o jovem Rafael da Silva Furtado, 27 anos, auxiliar de oficina de estofados, sofreu uma tentativa de homicídio entre as ruas Panta Leão Domingues (antiga Rua Dona Ana Cleta) e Elizeu Pedrosa (antiga Rua Acopiara). Dois homens em uma moto Bros, cor branca, placa não anotada, avistaram Rafael e efetuaram vários disparos de revólver calibre 38. Rafael conseguiu correr e saiu em leso. Autoria do crime até agora édesconhecida.

O mais recente caso ocorreu nesta terça-feira (30), por volta das 7h da manhã. Foi vítima de homicídio à bala, o ajudante de pipeiro, Igor Alves Teixeira, 21, anos, residente na Rua Vereador José Rodrigues. Igor foi executado à bala, no sítio São Felix, zona rural do município de Catarina.

O motorista do carro pipa, que não teve o nome divulgado, disse que no momento em que o Igor foi executado,  estava no meio do mato fazendo necessidades fisiológicas e, não soube contar como o crime aconteceu. Apenas disse que ao ouvir os estampidos retornou para o carro pipa e encontrou o seu colega de trabalho já sem vida. Segundo informações da Polícia Civil de Tauá, Igor Alves Teixeira, foi executado por pelo menos quatro disparos de arma de fogo: dois tiros na cabeça e dois no tórax. A Polícia não identificou o autor do crime.

O delegado da 14ª Delegacia Regional de Polícia Civil, em Tauá, Dr. Gisleian Alves disse que os inquéritos desses últimos crimes já foram instaurados e estão sendo investigados.

(Com informações de Diomar Araújo). 

07:23 · 12.05.2017 / atualizado às 18:41 · 11.05.2017 por
Açude Buenos Aires em Catarina. Fotos de Diomar Araújo

A população do  município de Catarina, na região dos Inhamuns, distante 398 km de Fortaleza, com cerca de 20 mil habitantes,   vem sofrendo com a falta d’água após a barragem Rivaldo de Carvalho, localizada na Vila São Gonçalo, a 19 km da sede municipal, secar. Neste ano, não houve recarga.

A adutora de São Gonçalo foi desativada há dois meses e uma emergencial foi implantada no açude Buenos Aires, que foi instalada através de parceria da Prefeitura de Catarina e da Companhia Água e Esgoto do Ceará – Cagece.

Esse sistema se estenderá por mais 90 dias, já que o açude Buenos Aires também está secando.

O prefeito de Catarina, Dr. Thiago Paes de Andrade esteve acompanhado do deputado federal Odorico Monteiro em reunião do Comitê de Combate à Seca no Ceará. A Sohidra começou a perfurar 16 poços profundos entre a sede e o açude São Gonçalo. A ideia é aproveitar a água dos poços injetando na adutora até a Estação de Tratamento de Água.

Dos oito  poços profundos marcados pelos  geólogos da Cagece, seis já foram perfurados pela Sohidra na sede de Catarina e apenas dois deram vazão; um deu vazão de um mil litros de água por hora e, o segundo poço teve vazão de 7 mil litros de água por hora. Segundo informações da equipe da Sohidra, os poços que não deram vazão não serão contabilizados.  Os poços estão sendo perfurados a um limite de apenas 80 metros profundidade.

Os trabalhos de perfuração de poços profundos continuam na cidade de Catarina e depois serão realizados na Vila de São Gonçalo.

Já em relação ao abastecimento de água das comunidades rurais, após reunião entre o gestor municipal de Catarina com representante da coordenação estadual da Defesa Civil e do 40º Batalhão do Exército em Crateús, as rotas da Operação Pipa passaram de quatro para oito. A água da Operação Pipa está sendo captada no Açude Arneiroz ll, em Arneiroz.

O prefeito de Catarina também solicitou ao Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho,  a perfuração de mais poços profundos. Barbalho assegurou oito através do Dnocs para localidades rurais do município de Catarina, e o empenho junto ao governador do Ceará, Camilo Santana para a construção da adutora do açude Arneiroz ll, para abastecer o município de Catarina.

Máquina perfura poço profundo em Catarina.
18:42 · 11.04.2017 / atualizado às 18:42 · 11.04.2017 por

 

A cidade de Catarina, na região dos Inhamuns, enfrenta uma epidemia de chikungunya e dengue. O município já notificou neste ano 200 casos de dengue e igual número de chikungunya. De acordo com a secretária de Saúde do município, Valéria Cavalcante, a crise de desabastecimento de água faz com que os moradores armazenem água de forma incorreta, favorecendo os criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor dessas doenças.

Valéria Cavalcante disse que o problema é de todos. “A gente pede que cada um tire dez minutos por dia para cuidar da sua casa, telar caixas de água e evitar os possíveis focos do mosquito”, pontou. “A gente só consegue vencer essa luta, esse combate diário contra o mosquito de mãos dadas, todos juntos, diariamente”.

A recepcionista Antonia Oliveira que mora no Centro foi uma das vítimas da chikungunya. “Começou com dores nos pés, e se espalhou no corpo e ainda hoje sinto as dores”, contou.

Centenas de moradores já foram acometidos pela doença. A supervisora do controle de Vetores da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), Roberta de Paula, disse que o Estado enviou uma equipe para a cidade. “A Sesa enviou uma equipe que ajudou na capacitação dos agentes de endemias, fez mobilização, e distribuiu gratuitamente telas”, pontou. “Já temos diminuição de casos, nos municípios”.

Divino Valeiro, coordenador de Malária e de doenças transmitidas por vetores, do Ministério da Saúde, disse que é preciso controlar os vetores. “Se isso não for feito, o problema vai persistir”, observou. Os principais criadouros são latões, caixa de água e cisternas mal tampadas.

22:41 · 03.04.2017 / atualizado às 22:41 · 03.04.2017 por
Promotora de Justiça, Raquel da Cunha

A promotora de Justiça de Catarina, Raquel da Cunha, participou de uma audiência pública sobre a situação de doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti e alertou a população sobre reincidentes focos de larvas do vetor, que transmite dengue, zika e chikungunya, que estão sendo encontrados dentro das residências. A maioria dos focos (98%) está nas casas.

A promotora disse que os agentes municipais de endemias estão encontrando focos reiterados nas residências, fazem os trabalhos de eliminação e alertam a população e quando realizam novas visitas domiciliares são encontrados os mesmos focos do mosquito. “Isso é que vem causando todo esse transtorno pra cidade”, disse a representante do Ministério Público do Ceará.

Medidas serão adotadas pelo Ministério Público de Catarina com intervenção da Polícia Militar. Uma delas será administrativa na aplicação da Lei Federal 13.301 de 27 de julho de 2016, que dispõe sobre a adoção de medidas de vigilância em saúde quando verificada situação de iminente perigo à saúde pública pela presença do mosquito transmissor do vírus da dengue, chikungunya e zika. A Lei Estadual editada pelo governador do Ceará, Camilo Santana, que quando há imóveis abandonados pelos proprietários e há a recusa para realizar a limpeza ou não se acha a pessoa responsável pelo bem, o secretário de Saúde do município pode determinar a entrada forçada dos agentes de endemias.

O Ministério Público alerta para a parte criminal na recusa do proprietário do imóvel em não deixar os agentes de endemias realizarem o trabalho: condução até uma Delegacia de Polícia Civil para registrar o flagrante (T.C.O.)

O primeiro crime é descumprir uma determinação do Poder Público Municipal quando verificada situação de iminente perigo à saúde pública pela presença do mosquito Aedes aegypti nos imóveis. O segundo crime de acordo com o Ministério Público de Catarina é de natureza ambiental contra a saúde pública. Na recusa do proprietário da residência há disseminação dos focos do mosquito que tem causado endemia com hospital lotado de pessoas doentes. A pena pode chega a 4 anos.

O terceiro crime de acordo com a promotora é o de expor a saúde de outras pessoas.

20:45 · 23.03.2017 / atualizado às 21:15 · 23.03.2017 por

A secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa) vai enviar à cidade de Catarina uma equipe para investigar centenas de casos de suspeita de chikungunya e dengue que desde o início deste ano vem acometendo a população local.

A Sesa atenderá o apelo do prefeito Dr. Thiago que esteve em reunião com o secretário de Saúde do Estado, Henrique Javi, nesta quinta-feira, 23.

De acordo com relato de moradores, o município desde o fim do ano passado não realizou com cuidado o trabalho de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti. O resultado foi a explosão de inúmeros casos, que superlotam unidades de atendimento e o hospital municipal.  A população está assustada e teme que casos recentes de mortes de moradores estejam relacionados com as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Sem o controle da situação, a administração insistiu e conseguiu um carro fumacê para Catarina, mas pouco resultado trouxe o trabalho de borrifação das ruas da cidade.

Agora, de acordo com a Prefeitura, uma equipe especializada da Sesa fará um estudo aprofundado da situação de Catarina, vai fortalecer ações de combate ao mosquito e orientar os moradores, além do envio de mais agentes comunitários e agentes de endemias, aporte de material químico, biológico e mecânico para o combate ao Aedes aegypti.

Ainda segundo a Prefeitura, duas mortes recentes em Catarina não estão relacionados com os casos de chikungunya. Por meio de nota, a Prefeitura esclareceu que está reforçando as ações de combate ao mosquito.

Situação alarmante 

“A situação aqui é alarmante”, disse a moradora Luciana Cavalcante. “Estamos abandonados pelo poder público. Na semana passada, íamos fazer um protesto, mas o gestor tomou conhecimento e abafou o protesto por meio de uma caminhada com os alunos das escolas públicas, na tentativa desesperada de mostrar que está fazendo alguma coisa”.