Busca

Tag: cultura


18:57 · 11.12.2017 / atualizado às 18:59 · 11.12.2017 por

   As relevantes ações realizadas em Icó nas áreas social, educacional e cultural ao logo dos anos serão homenageadas na sétima edição do Festival da Cultura Icoense – ICOZEIRO.

O festival de artes integradas que já integra o calendário da região Centro-Sul cearense entregará as comendas especiais de instituições apoiadoras ao Instituto de Estudos do Semiárido (IESA) – Campus Icó da Universidade Federal do Cariri (UFCA) e ao SESC Iguatu, na abertura, dia 18 de dezembro, e ao Hemoce Iguatu, dia 27 de dezembro.

As homenagens integram e reforçam a valorização destas instituições enquanto geradoras de atividades que beneficiam o município de Icó e integram o rol de parcerias que engrandecem o Festival da Cultura Icoense, o Icozeiro.

O Festival Icozeiro é realizado entre os dias 18 e 30 de dezembro no Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro, no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia de Icó. Em 2016, o evento mobilizou 22 mil pessoas e é considerado o maior acontecimento multicultural gratuito e independente do Sul do Ceará.

UFCA / IESA – O Instituto de Estudos do Semiárido (IESA) é a sétima unidade acadêmica da Universidade Federal do Cariri (UFCA) com sede no Campus Icó, criado no dia 23 de abril de 2014.

O IESA é gerador de relevantes atividades de ensino, extensão, pesquisa e cultura, através da própria estrutura e do curso de Bacharelado em História com ênfase em Gestão do Patrimônio que integra o campus, com duas turmas de discentes, além de corpo de docentes e técnicos-administrativos.

Desde o início de suas atividades em terras icoenses, a UFCA / IESA é parceira do Festival da Cultura Icoense e da entidade realizadora do projeto, a Associação Filhos e Amigos de Icó (AMICÓ), com a qual estabeleceu convênio em agosto deste ano, com a ação de estágio voltada à construção do Festival em 2017.

SESC IGUATU – Parceiro do Festival Icozeiro desde o ano de 2012, a Unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc) de Iguatu está presente anualmente no evento com exposições e apoio financeiro para a sua realização. Esta importante contribuição para a cultura local receberá loa na abertura do evento.

Em 2017, o SESC Iguatu estará presente com o lançamento do cordel “Retalhos de Poesia”, declamado por Amanda Preá, e levará para exposição molduras das obras de Portinari e matrizes de xilogravura, além da distribuição de cordeis durante as 13 noites de evento.

HEMOCE IGUATU – Presente desde o surgimento do Festival Icozeiro, a coleta externa realizada pelo Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) Regional Iguatu é uma parceria constante na programação.

Levando a solidariedade, que se fortalece no período de final de ano, a campanha de doação de sangue e cadastro de medula óssea visa mobilizar a sociedade em prol de fazer o bem ao próximo.

A coleta externa de sangue objetiva reforçar o estoque sanguíneo e abastecer unidades hospitalares da região, incluindo o município de Icó, que também é abastecido com o material sanguíneo do Hemoce Regional de Iguatu.

HISTÓRICO ICOZEIRO – O Festival Icozeiro visa promover a integração e a valorização de todos os segmentos da cultura e da arte e estimular a criação e divulgação artístico/cultural em nosso município e dos municípios vizinhos.

O projeto-evento representou o Ceará e foi finalista do 30º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em 2017, na categoria IV – “excelência em gestão compartilhada do patrimônio”.

16:49 · 05.12.2017 / atualizado às 16:49 · 05.12.2017 por

 

Artistas se reuniram em Limoeiro do Norte. Fotos de Lili Rodrigues, Felipe Abud e Thiago Nozi 


A XI edição do Encontro Mestres do Mundo do Ceará, evento promovido pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), foi realizada em Limoeiro do Norte, de 29 de novembro a 02 de dezembro. No total, 56 mestres e mestras, bem como integrantes dos seus grupos de cultura popular, participaram das rodas de saberes e das apresentações ao público. Mais de 8.000 (oito mil) pessoas circularam pelo “Território das Delicadezas” durante os quatro dias, de acordo com a organização do Encontro.

O território foi uma das novidades dessa edição, que ocupou novos locais, como a Praça Maestro Odílio Silva (conhecida como Praça da Rodoviária), onde foi instalada a Arena dos Mestres para as apresentações artísticas, e a Feira e Mostra Gastronômica de Artesania Familiar; integrados ao Espaço de Saberes Múltiplos, que funcionou na Escola Normal e na Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos (FAFIDAM/UECE) que receberam as Rodas de Saberes, oficinas, seminário e demais integrações entre os Mestres e o diversificado público presente.

Esse ano, mestres e mestras do Ceará receberam das mãos do secretário de Cultura do Estado, Fabiano dos Santos Piúba, e da secretária adjunta, Suzete Nunes, o certificado do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. O mais importante prêmio do Brasil em patrimônio cultural foi conferido à Secult pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2017, em reconhecimento pela iniciativa cearense na realização do Encontro Mestres do Mundo, por comunicar, interpretar, divulgar, difundir e educar sobre o Patrimônio Cultural, material e/ou imaterial, às atuais gerações. A celebração dessa premiação foi festejada também no XI Encontro com a entrega da carteira de identidade cultural aos Mestres e Mestras.

Ainda dentro dos festejos no Encontro, foi anunciado com vibração pelo secretário titular da Secult, Fabiano dos Santos, que até fevereiro de 2018 novas titulações de Mestres e Mestras, Grupos e Coletividades ampliarão os raios de atuação dessas personalidades, que na sobrevivência de seu cotidiano, desenvolvem técnicas, ofícios, brincadeiras, rezas e alimentos, garantindo a tradição e a memória de seus ancestrais com projeções para o futuro. Apesar de concordar que o número de Mestres da Cultura Popular cearense ainda não seja o ideal para apoios do Estado, a iniciativa já é uma vitória pelo aumento contínuo dessas titulações de Mestres, desde o lançamento da honraria em 2003, que atingem às metas do Plano Estadual de Cultura.

“Esse foi o melhor de todos os anos. Fomos muito bem recebidos, com a maior delicadeza. Foi uma realização muito importante desse povo de Limoeiro. Uma festa tão bonita como essa feita por gente tão unida e alegre!”, disse Mestre Aldenir, que veio do Cariri ao XI Encontro. Mestra Mazé, da Cultura Junina, concorda: “Gostei demais dessa edição, da organização e da energia das pessoas. Assim você vê os mestres cada vez mais animados”.

Segundo Alênio Carlos, coordenador de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural da Secult, “foi uma oportunidade única para cada um de nós, vivermos e experimentarmos as raízes do mundo inteiro, através dos mestres e mestras da cultura, que vindo de seus territórios, trazem a potência e alegria das expressões culturais tradicionais. O encontro foi uma imersão profunda nesse Brasil, africano, indígena, cigano, mestiço, plural, híbrido, multicultural, sendo a diversidade cultural a nossa maior riqueza”.

O Encontro Mestres do Mundo está consolidado no calendário da cultura no Ceará como uma ação de democratização do acesso aos bens e serviços culturais que vem atender à necessidade de criar espaços para a transmissão de saberes prevista na Lei Estadual nº 13.842, que instituiu o programa Tesouros Vivos do Ceará. Desde 2003, foram diplomados 79 Mestres da Cultura, 09 grupos e 01 coletividade, reconhecidos como detentores dos saberes da cultura popular tradicional, patrimônio imaterial do Estado do Ceará.

Trocas de Saberes pelos Encantados e Municípios do “Terra Mãe”

Nessa edição, com produção do Instituto Assum Preto de Arte, Cultura, Cidadania e Meio Ambiente, instituição selecionada por meio de edital lançado pela Secult, durante os quatro dias do Encontro foram realizadas oficinas com o mote “Saber dos Encantados”, ministradas por Mestres e Mestras ou componentes de seus grupos. Também aconteceram aulas espetáculos e oficinas itinerantes e atividades formativas em outras cidades, contemplando as cidades de Tabuleiro do Norte, Quixeré, Russas, Alto Santo e Morada Nova, nas extensões por esses municípios, nomeadas de “Terra Mãe”.

Já nas Rodas de Trocas, os Tesouros Vivos compartilharam saberes entre si e a comunidade, tendo como fio condutor da vivência o tema “Corpo, Sons, Mãos, Oralidade e Sagrado”, e participações de outros mestres de várias regiões do Brasil. Tendo em vista o fortalecimento das políticas de patrimônio, também foi realizado o FAFIDAM, o Seminário Interdisciplinar de Patrimônio Imaterial, com o tema “Além da Carta de Fortaleza – uma trajetória de desafios avanços, reafirmações e novas proposições para o patrimônio imaterial cearense”.

 

Gastronomia e Artesania

Esse ano, os moradores e visitantes de Limoeiro do Norte também foram atraídos ao “Território das Delicadezas” para reconhecerem a produção artesanal dos Mestres e Mestras da cultura e de parceiros produtores na Feira e Mostra Gastronômica de Artesania Familiar. Enquanto Mestra Branquinha apresentava suas criações em barro, e o Mestre Pedro, balaieiro com orgulho, encantou a todos com acessórios e utilidades para casa, Mestre Espedito Seleiro mostrou como a cultura popular dialoga com a moda e o design. No total, 16 expositores tiveram oportunidade de comercializar suas produções na feira.

Já a culinária regional foi muito bem representada por produtores locais, que comercializaram desde pratos típicos – como panelada, figada e buchada – até broas; tapiocas de forno; bolos de milho, batata doce e macaxeira; além de doces de caju e o tradicional “quebra queixo”.

Homenagens

A noite de sexta-feira (01/12) foi marcada por muita emoção. Em reconhecimento pela atuação e dedicação na construção de uma política de valorização dos Tesouros Vivos da cultura popular do Ceará, receberam homenagens da organização do XI Encontro Mestres do Mundo, a ex-secretária de cultura do Estado, Cláudia Leitão; a produtora cultural Catarina Quintela; o teatrólogo Oswald Barroso; e a fundadora do Grupo Mira Ira – Folclore do Instituto Federal do Ceará (IFCE), Lourdes Macena; em reconhecimento pelo envolvimento e colaboração junto aos mestres do mundo.

Música e cultura

Dentre as apresentações artísticas das mais diversas manifestações da cultura popular, principalmente do Ceará, o encontro trouxe grupos de outras regiões do país e do mundo, como o grupo de Candombe, Comparsa Cenceribó (Uruguai) – declarado Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco); e os representantes da Comunidade Negra dos Arturos (Minas Gerais) – a primeira comunidade negra do Brasil a ser reconhecida como Patrimônio Cultural.

“Somos o único grupo afro da América Latina a tocar Candombe, e viemos fazer uma mostra desse ritmo para compartilhar com o público e, especialmente, com os Mestres e Mestras da Cultura Popular. Esse é um momento de aprendizados, trocas e misturas sonoras. Apesar de sermos um grupo que é mais de percussão, integrado à dança e à estética própria, adoramos as combinações da nossa musicalidade com as de outros grupos”, declarou Marcelo Fernandez, do grupo uruguaio Candombe, Comparsa Cenceribó, que teve a oportunidade de conhecer melhor a musicalidade da Banda Fulô da Aurora, do Cariri (CE).

Outra novidade nessa edição foram as atrações infanto-juvenis, que abriam a programação, com objetivo de disseminar a cultura popular junto às futuras gerações. A Arena dos Mestres também foi palco de apresentações musicais representativas da cultura popular, como a do cantor e poeta Mário Lúcio (Cabo Verde), dos grupos cearenses Fulô da Aurora e Dona Zefinha, além da cantora de cirandas Lia de Itamaracá (Pernambuco), que encerrou o encontro, na noite de sábado (02), após a apresentação que deu voz a todos os Mestres e Mestras do Ceará que compareceram esse ano.

10:16 · 28.11.2017 / atualizado às 10:16 · 28.11.2017 por
Arte e cultura em Orós por meio da ONG Realeza Nordestina

A Organização Não Governamental (ONG) Realeza Nordestina e o Grupo Imagens de Teatro lançam no próximo dia 15 de dezembro, a partir das 19h, no Clube Rio Seco na cidade de Orós o projeto “Escola Livre de Artes – ELA”

Na ocasião acontecerá apresentação do Musical “O Quinze” da Obra de Raquel de Queiroz com direção de Fábio Holanda e lançamento da Exposição “Caminhos da Realeza” com curadoria de Willian Ferreira.

Com intuito de apresentar melhorias para comunidade através da arte como instrumento de socialização, sociedade civil se unem em prol do bem estar dos moradores de Orós. O projeto ofertará durante seis meses oficinas culturais e de cidadania para os distritos como Santarém, Palestina e Guassussê.

 ONG REALEZA NORDESTINA

O Centro de Preservação da História e Cultura Popular Realeza Nordestina foi fundado em 2010 e tem a finalidade de promover a valorização e desenvolvimento da cidadania através da cultura, da assistência social, da educação, saúde, iniciação profissional e atividades socioeducativas para crianças, adolescentes, jovens e adultos.

A entidade busca a promoção e o desenvolvimento social da comunidade com projetos nas áreas culturais e nas mais diversas expressões e linguagens culturais.

Repertórios
2010 – Asa Branca Vem Canta e Encanta 50 Anos de Santarém.A50 anos de San
2011- Asa Branca Vem Canta e Encanta o Nordeste Brasileiro.
2012 – Asa Branca Vem Canta e Encanta 100 Anos do Rei do Baião.
2013 – Asa Branca Vem Canta e Encanta os Vaqueiros do Sertão.
2014 – Asa Branca Vem Canta e Encanta as águas do Orós
2017 – Musical “O Quinze”

GRUPO IMAGENS DE TEATRO

Teve sua origem em janeiro de 2001, com o estudo para montagem do espetáculo “Imagens”, de Benedito Rodrigues Pinto. O diretor Edson Cândido já havia montado um espetáculo do mesmo autor, “Meia-Sola”, no Estado de São Paulo e, a partir dessa segunda experiência, enveredou pela linha de montagem realista de autores ditos “malditos”.

Desde aquelas primeiras experiências até hoje, o Imagens de Teatro vem acumulando uma bagagem de quase quinze anos de pesquisa, montagem e apresentação de espetáculos, adaptando-se, nessa trajetória, aos mais diversos espaços, desde palcos tradicionais a galpões, bares e ambientes bem alternativos, disseminando a cultura teatral e formando plateia em todo o país.

Premiação 

Como reconhecimento pelo trabalho realizado, o Imagens de Teatro já foi vencedor do Prêmio Myriam Muniz/FUNARTE, em 2009, com o projeto “Plínio Marcos – Trilogia: Abajur Lilás, Navalha na Carne e Barrela” e em 2014, com o projeto “Grupo Imagens 13 anos – Indo onde o povo está”, já tendo acumulado, ao longo de sua carreira, 06 prêmios de melhor espetáculo, 09 prêmios de melhor direção, 11 prêmio de melhor atriz, 05 prêmios de melhor atriz coadjuvante, 02 prêmios de melhor ator, 04 prêmios de melhor ator coadjuvante, 04 placas de homenagem, 01 prêmio de melhor iluminação, 01 prêmio de melhor sonoplastia, 02 prêmios de melhor cenografia, 02 prêmios de melhor maquiagem e um prêmio de melhor caracterização.

14:05 · 22.11.2017 / atualizado às 14:08 · 22.11.2017 por


A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura do Município de Icó comemora no período de 22 a 24 deste mês no calçadão do Teatro da Ribeira dos Icós, a partir das 18h, as festividades em comemoração a “Semana do Músico Icoense”.

A programação inclui participação dos músicos icoenses com apresentações ao ar livre. Os organizadores do evento estimam a participação de centenas de moradores. “Esperamos um bom público”, disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura do Município de Icó, Ana Glesse Oliveira. 

12:35 · 18.11.2017 / atualizado às 12:38 · 18.11.2017 por

 

Vagor & Bella Vita/ Dromocómicas

A cidade de Tauá, desde quinta-feira, 16, é palco da 10ª edição do Festival dos Inhamuns. A programação inclui apresentações de espetáculos de circo, bonecos e artes de rua e será finalizada neste domingo, 19, no Parque da Cidade.

O evento, cuja programação é gratuita, vem proporcionando ao público da cidade e do Sertão dos Inhamuns, região localizada no Sul do Ceará, um verdadeiro encontro com a arte e com as 17 atrações selecionadas, das quais, uma nacional e quatro internacionais.

O Festival busca reafirmar o compromisso de fomentar os produtos culturais cearenses gerando trabalho para a classe de artistas trabalhadores da cultura.

O 10º Festival dos Inhamuns é apresentado pela CAIXA Cultural Fortaleza. Patrocínio: Caixa, por meio do Programa CAIXA de Apoio a Festivais de Teatro e Dança 2017, e Governo Federal. Apoio: Prefeitura de Tauá. Realização: Associação dos Amigos da Arte, Ciência e Cultura de Arneiroz – ARTEJUCÁ. Produção: Iluminura Produtora Cultural. Parceria: Trupe Motim de Teatro.

O Casamento de Tabarim – Dona Zefinha – Foto Alex Hermes

Confira a programação:

18 de novembro (Sábado)
Parque da Cidade
Calçadão
18h – Capoeira Garra Cearense (Tauá)
18h30 – Vagor & Bellavita – Dromocómicas (Grécia/Brasil)
19h15 – Imaginário Criador – Trupe Motim de Teatro (Quixeré)
Anfiteatro Manu Calaça
20h – Chico Mamulengo Contra Cobra Caninana – Cia. Os Tecelões Teatro Com Bonecos (Fortaleza)
20h30 – Mais uma Grande Besteira – As 10 Graças de Palhaçaria (Fortaleza)
Arena
21h – Shuree Contorcionista (Mongólia)
21h10 – Dandys Acrobático – Cia Theastai de Artes Cênicas (Mato Grosso do Sul)

19 de novembro (Domingo)
Parque da Cidade
Calçadão
18h – Capoeira Garra Cearense (Tauá)
18h30 – A Farsa do Panelada – Grupo Juká de Teatro (Arneiroz/Tauá)

Anfiteatro Manu Calaça
19h – Palhaço Xenhenhém (Tauá)
19h40 – Os Clássicos da Palhaçaria – Circo do K`Os (Fortaleza)

Arena
20h20 – O Casamento de Tabarim – Dona Zefinha (Itapipoca)
21h – Mulher Orquestra – Cia Latin Duo (Argentina)
21h10 – La Risa es Bella – Diego Bruzone (Argentina)
Serviço:
Festival dos Inhamuns. Circo, Bonecos e Artes de Rua
Local: Tauá-Ceará
Datas: 16, 17, 18 e 19 de novembro de 2017
Horários e classificação indicativa: Conferir programação disponível no Facebook do evento: https://www.facebook.com/festivaldosinhamuns
Mais informações sobre o Festival: (88) 99637-5277
Grátis

Espetáculo Dandys Acrobático – Foto- Helton Peréz
19:55 · 14.11.2017 / atualizado às 19:55 · 14.11.2017 por

 

Antiga Casa de Câmera e Cadeia será palco do Festival Icozeiro

No feriado desta quarta-feira (15) da Proclamação da República, será lançado o VII Festival da Cultura Icoense – ICOZEIRO 2017, evento gratuito de artes integradas que acontecerá entre os dias 18 e 30 de dezembro deste ano e que recebeu na última edição, em 2016, público estimado em 22 mil pessoas.

Denominado “Icozeiro Sunset – Celebrando a vida”, o lançamento do VII Festival ICOZEIRO será realizado a partir das 16h, gratuitamente, na entrada recuada do prédio tombado pelo IPHAN e visa confraternizar artistas, público e produção do evento, além de anunciar a contagem regressiva de um mês para a maratona cultural. O público é convidado a ir de branco.

PROGRAMAÇÃO – Às 16h, no final da tarde, o Grupo Aliar abre a programação cultural, com uma mistura de MPB e Pop, em uma apresentação até as 17h.

A seguir, será a vez de um momento de reflexão. entre 17h e 18h, através de uma roda de conversa com a participação do curso de Bacharelado em História da Universidade Federal do Cariri (UFCA) e do Instituto de Estudos do Semiárido (IESA).

A professora, Polliana Luna Barreto, da disciplina de Gestão do Patrimônio e da coordenação de Estágio do curso, mediará o debate sobre as ações realizadas pelas disciplinas de Estágio 1 e 2 na preparação e execução do Projeto Festival ICOZEIRO 2017, com a participação de dois estudantes estagiários e um membro da Associação AMICÓ / Festival ICOZEIRO.

A seguir, às 19h, as apresentações serão retomadas com o Pop/Rock, MPB e Gospel do cantor Genivan Lima e a música instrumental do Quinteto de Metais Ikós.

Haverá exposição “Arte com Sustentabilidade”, do professor César Holanda, e haverá espaço aberto para intervenções artísticas durante a programação.

O Icozeiro Sunset – Celebrando a vida é uma realização da Associação Filhos e Amigos de Icó (AMICÓ), entidade privada sem fins lucrativos com atuação cultural criada em 2010, e conta com o apoio logístico da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo de Icó.

           FESTIVAL ICOZEIRO – Realizado desde 2011 no Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro, no secular prédio da Antiga Casa de Câmara e Cadeia de Icó, o evento de artes integradas se consolida a cada ano e já recebeu um público total estimado em 75 mil pessoas nas seis edições realizadas.

O evento conta, anualmente, com diversificada programação, com a presença das linguagens de música, dança, circo, literatura, artesanato, comidas típicas, oficina, workhop, exposição e palestra.

Estão também presentes as ações paralelas, como o Troféu Louro Verde (pessoa física, pessoa jurídica e escola com atuação na questão ambiental) e o Concurso Literário Icoense (CLIC) poeta José de Oliveira Neto, que visa fomentar o fazer literário, além da Virada Cultural.

O Festival Icozeiro visa promover a integração e a valorização de todos os segmentos da cultura e da arte e estimular a criação e divulgação artístico/cultural em nosso município e dos municípios vizinhos.

O projeto-evento representou o Ceará e foi finalista do 30º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em 2017, na categoria IV – “excelência em gestão compartilhada do patrimônio”.

11:22 · 30.10.2017 / atualizado às 11:23 · 30.10.2017 por
Apresentação de flauta doce fez parte da programação do Dia Nacional do Livro. Foto de Marciel Bezerra

No calendário oficial, em 29 de outubro comemora-se o Dia Nacional do Livro. Na cidade de Cedro, a data foi celebrada com ações, neste sábado, 28, na Biblioteca Municipal Tio Acrísio e na Praça Antônio Marques.

A programação incluiu roda de conversas, peça teatral, contadores de histórias, leitura de cordel e apresentação dos alunos do projeto Toque de Vida (flauta e violão).

O gestor municipal, Dr. Nilson Diniz, enfatizou que incentivar a leitura como hábito saudável e prazeroso é uma ação necessária e importante. “O livro ainda é um grande parceiro de nossas crianças no dia-a-dia. É estímulo a um cidadão mais participativo e integrado às necessidades e anseios da sociedade. O livro nos transporta aos lugares percorridos por nossa livre imaginação”, frisou.

A secretária de Cultura Aparecida Evangelista ressaltou que a Biblioteca Municipal Tio Acrísio está aberta diariamente. Muitos estudante fazem as suas pesquisas, buscam livros para leitura de final de semana. “Mesmo diante da tecnologia que ora vivenciamos, temos a adesão aos livros da biblioteca é muito boa, as aventuras proporcionadas pelos livros encantam”.

Na avaliação da aposentada Francinete Bezerra, ações como essa são importantes por estimularem jovens e adolescentes ao hábito da leitura e, consequentemente, dar-lhes a oportunidade de vivenciarem um mundo mais saudável, distante das drogas. “É uma ação inovadora, estamos felizes com a gestão municipal por preocupa-se com o hábito da leitura”.

Artes integradas
Alunos do curso de flauta e violão diariamente têm a oportunidade de crescimento através da leitura das notas musicais. O projeto Toque de Vida oportuniza a esses adolescentes a convivência com professores dedicados e, assim, poderem transformar suas vidas. Eles se apresentaram para os convidados da solenidade do Dia do Livro.

E o cordel? O cordel ainda está presente na vida dos brasileiros, dos cearenses, dos cedrenses. O poeta popular Valmir Pereira encantou o público com textos que contam o dia-a-dia da população.

Uma turma de amigos da leitura aproveitou a oportunidade para tratar, com as crianças, dos cuidados com o meio ambiente e formas de economizar água e energia. Alunos de escolas municipais, fantasiados de personagens do Sítio do Pica Pau Amarelo, levaram o público adulto a recordar que a cultura persiste nos dias atuais como forte traço que marca a existência de um povo.

Origem do Dia Nacional do Livro

O Dia do Livro surgiu em homenagem à fundação da Biblioteca Nacional do Livro, em 1810, pela Coroa Portuguesa. Na época, D. João VI trouxe para o Brasil milhares de peças da Real Biblioteca Portuguesa, formando o princípio da Biblioteca Nacional do Brasil (fundada em 29 de outubro de 1810).

Cordelista Valmir Pereira fez apresentação de literatura de cordel
15:01 · 22.10.2017 / atualizado às 15:01 · 22.10.2017 por

A cidade de Icó, na região Centro-Sul do Ceará, recebeu, recentemente, a visita da francesa Jeanne De Larrard, assessora cultural do Consulado da França e integrante do Instituto Francês do Brasil – sucursal de Recife, que desenvolve a cooperação cultural no Nordeste do Brasil.

A agente consular participou de uma reunião na Secretaria de Cultura e depois de uma programação cultural  no Teatro da Ribeira dos Icós, com a apresentação da Banda Municipal de Música de Icó, Maestro Gonçalo Farias dos Santos, da Companhia WSA de Teatro e do poeta Getúlio Oliveira.

O memorialista icoense, Altino Afonso de Medeiros, discorreu sobre a influência francesa em Icó, através da família Théberge e suas construções e ações no município, seguido de uma roda de conversa com artistas, produtores e gestores culturais, com a presença dos grupos de teatro, fotografia, estudantes e professores do curso de Bacharelado em História da Universidade Federal do Cariri (UFCA).

“A vinda da francesa que atua no Brasil pelo Governo Francês foi uma conversação através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo de Icó iniciada em janeiro deste ano e visa mobilizar a proposta de oficialização de parceria institucional, via cooperação cultural”, disse a secretária Ana Glesse.

Jeanne De Narrard fez a rota turística no Centro Histórico de Icó com o memorialista Altino Afonso e servidores da secretaria de Cultura.

“Vejo no cômputo geral do encontro internacional, um momento importante de oportunizar caminhos que fortaleçam o potencial turístico, cultural e econômico icoense”, registrou Ana Glesse.

18:39 · 19.10.2017 / atualizado às 18:39 · 19.10.2017 por

 

O prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, empossou os membros do Conselho Municipal de Cultura de Iguatu para o biênio 2017/2019. O objetivo do órgão é institucionalizar a relação entre a administração municipal e os setores da sociedade ligados à cultura. Ao todo, são 24 membros titulares e suplentes.

Segundo ressaltou o gestor municipal, a posse dos novos conselheiros vai marcar uma nova fase de participação da sociedade iguatuense nas políticas públicas de cultura. “Estaremos criando, com a participação direta desse novo
conselho, uma importante agenda de eventos culturais e de políticas públicas na área para a nossa cidade”, afirmou o gestor.

 O Conselho Municipal de Política Cultural de Iguatu tem como presidente, Lúcia de Fátima de Oliveira Felipe, e titulares, Maria Vilauba Araújo Santos, Antônio Epifanio de Souza Neto, Eurismar Pereira Lima, Ronnielle de Souza, vereador, Diego Gomes Felipe; Cícero Reginaldo de Lima, Valderlândio Cavalcante Cesar, Paulo Rômulo Aquino de Souza, Hélio Gomes e Silva, Gilberjorge Galdino de Carvalho, Valdenor Clayton de Sousa. 

11:23 · 18.08.2017 / atualizado às 11:47 · 18.08.2017 por
Superintendente do Iphan, Otácilio Macedo, instalou Casa do Patrimônio em Icó

Com a presença do superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ceará, (Iphan), Otacílio Macêdo, a secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo do Município de Icó instalou nesta quinta-feira, 17, a “Casa do Patrimônio”.

A unidade de preservação da cultural local funcionará no Sobrado Mariinha Graça, na sede da Secretaria de Cultura do Município, no Centro Histórico da cidade.

 

Secretária Ana Glessy destacou importância cultural da unidade

O evento contou com a presença de artistas, professores, historiadores, estudantes, ativistas culturais, autoridades locais e cidadãos icoenses. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo do Município de Icó, Ana Glessy Oliveira, destacou a importância de funcionamento da Casa do Patrimônio. “Instalar mais um equipamento que manterá parceria para o desenvolvimento cultural em Icó, para nós não é apenas um avanço, mas a certeza que nosso município se destaca da melhor forma no cenário estadual e nacional do Patrimônio Histórico e Artístico”, destacou.

O superintendente do Iphan, Otacílio Macedo, ressaltou a beleza que tem a cidade de Icó. “São belos e históricos sobrados, casarões e igrejas tricentenárias”.

Após a solenidade de instalação da Casa do Patrimônio ocorreu apresentação artística com poetas, músicos e ativistas culturais locais.  Memorialistas locais fizeram uma apresentação especial da rica história icoense.

Casa do Patrimônio 

A Casa do Patrimônio é um espaço educativo para aperfeiçoamento da gestão, proteção, salvaguarda, valorização e usufruto do patrimônio cultural, onde a população contará com novos espaços de interlocução e diálogo com o órgão federal.

O prédio foi inaugurado em 1994 e passou por restauração posterior, concluída em 2016. O imóvel é uma homenagem a uma das mulheres mais importantes da cidade e contará com espaço de ligação entre a Avenida Ilídio Sampaio (Rua Grande) e a Rua General Piragibe (Rua do Meio), além de salas destinadas a exposições, ações culturais e um mini auditório e espaço de reuniões.

 A ideia é fazer do sobrado um polo gerador de atividades culturais na cidade. A obra revelou inúmeros testemunhos em diversos momentos da história do prédio, representando antigos modos de morar, como a cacimba (que foi preservada e o visitante pode vê-la sobre piso de vidro), e de construir com as alvenarias de tijolos cerâmicos, bem como a relação do sobrado com o espaço urbano, destacando os três níveis de piso da casa e a numeração da fachada principal.

O Sobrado Mariinha Graça se destaca como símbolo dos bens culturais da cidade e reaviva os valores que levaram ao reconhecimento de Icó como patrimônio cultural do Brasil.

Solenidade de Instalação da Casa do Patrimônio