Busca

Tag: icó


09:03 · 22.02.2018 / atualizado às 09:03 · 22.02.2018 por

Uma mulher foi morta por enforcamento em Icó. A Polícia Militar aponta como suspeito o companheiro dela, que já teria tentado matá-la outras duas vezes.

Segundo informações do 10º Batalhão de Polícia Militar, o corpo de Cleane Rodrigues dos Santos, 33 anos, foi encontrado na manhã desta quinta-feira, 21, por volta das 6 horas, na estrada carroçável que dá aceso ao conjunto BR, Vila Pedegral, com uma corda envolta no pescoço.

Os parentes da vítima disseram que o acusado havia saído com Cleane Rodrigues na noite anterior. O acusado, Lucas Sebastião dos Santos, 33 anos, gari, já responde por homicídio e outros crimes.

O suspeito foi encontrado trabalhando normalmente no carro que faz a coleta do lixo e foi preso. O corpo da vítima foi levado para o IML da cidade de Iguatu.

12:53 · 21.02.2018 / atualizado às 12:53 · 21.02.2018 por

Professora foi ferida em ato em Icó

Atos de violência física e administrativa contra professores de Icó foram denunciados na Tribuna da Assembléia Legislativa pelo primeiro secretário da Casa, deputado Audic Mota, durante o primeiro expediente da sessão plenária desta quarta-feira, 21.

       O parlamentar apelou por imediatas providências das autoridades estaduais e formalizou denúncias, com o envio de ofícios à Casa Civil, Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, Comando da Polícia Militar e Comissão de Educação da AL.

        Em especial, Audic centrou críticas à ação da Guarda Municipal, que reprimiu manifestação de educadores na última segunda-feira, 19, a base de tiros com balas de borracha e spray de pimenta.

Deputado Audic Mota:um ato de barbárie

  O deputado enfatizou que os professores se reuniram para protestar contra o decreto municipal nº 02/2018, no qual a prefeita de Icó, Laís Nunes, reduz o salário de 362 professores, com o corte de metade da carga horária.

        “Uma operação liderada pelo sargento Geilson Lima, que também é secretário do município, feriu professores e fez com que servidores passassem mal por conta da violência. Um ato de barbárie, praticado por alguém que agiu como bandido e, ainda, ameaçou servidores de prisão preventiva”, assinalou.

       Com recortes de notícias em mãos, Audic acrescentou a repercussão do fato na imprensa cearense. Fotos mostram o próprio sargento Geilson apontando arma de fogo (escopeta) contra professores.

        Segundo o parlamentar, uma medida desproporcional e arbitrária, pois já havia sido feito um cordão de isolamento a metros de distância dos manifestantes. Fotografias mostraram o resultado da intimidação e do atentado à integridade física dos servidores.

         Informações chegadas de Icó deram conta, ainda, de que após as ocorrências, o sargento secretário Geilson teria ido à emissora de rádio intimidar os educadores que vierem a se manifestar, novamente, na Câmara Municipal, nesta quinta-feira, 22.

“Vamos debater o assunto e cobrar providências sobre a violência e ameaças que os professores sofreram”, disse Audic Mota.

       Em aparte, os deputados Carlos Felipe (PCdoB), Elmano Freitas (PT) e Silvana Oliveira (MDB) manifestaram apoio, parabenizaram Audic Mota pelo pronunciamento, repudiaram os atos de violência e cobraram rápida resposta das autoridades estaduais e municipais.

        O deputado Elmano Freitas (PT) classificou como “inadmissível” a ação de Polícia contra os servidores. “Além da agressividade, houve ameaças contra dirigentes sindicais. Um policial que faz isso não pode continuar usando a farda da PM”, assinalou.

       Silvana Oliveira, por sua vez, destacou que vai à cidade para obter mais informações. “Como presidente da Comissão de Educação da Casa, repudio esse ato de violência e convido os parlamentares que quiserem se juntar a mim para irmos a Icó, conversar com os servidores”, frisou.

18:20 · 20.02.2018 / atualizado às 18:29 · 20.02.2018 por

 

Dom Edson de Castro Homem, bispo da diocese de Iguatu

O bispo da diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, divulgou nota em que mostra preocupação pela forma violenta com que foram reprimidos os professores do município de Icó, na noite desta segunda-feira, 19, por ocasião de protesto dos docentes em frente à Câmara Municipal de Icó.

Os professores protestavam contra o decreto enviado pela prefeita, Laís Nunes, que determina redução de carga horária de 40 horas semanais para 20 horas semanais e de salários.

O bispo lembra que a Igreja Católica está em plena Campanha da Fraternidade que neste ano trata do tema da violência.

“Na condição de bispo de Iguatu e de meste, pois tsou professor, me solidarizo com a causa e condeno a violência desproporcional a que foram submetidas as mulheres e professoras”.

Por último, o religioso pede paz, diálogo e respeito entre as pessoas.

Policial aponta arma contra professores em frente à Câmara Municipal de Icó. Fotos: Ascom/Fetamce

Esclarecimento Mesa Diretora da Câmara 

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Icó divulgou nota de esclarecimento em que afirma que durante os protestos houve ameaça de depredação do Legislativo, tumulto, ameaça de violência física contra os parlamentares, além de jogarem ovos e pedras em alguns vereadores e servidores.

A nota também faz referência a pessoas estranhas que teriam realizado tumulto e que o presidente da Câmara para manter a ordem convocou a Guarda Municipal e a Polícia Militar. Por último, pede paz e respeito.

22:36 · 19.02.2018 / atualizado às 18:58 · 20.02.2018 por

 

Policial militar aponta arma contra professores em frente à Câmara Municipal de Icó. Fotos: Ascom/Fetamce

Clima de tensão marcou na noite desta segunda-feira, 19, a votação do decreto 02/2018 de autoria da prefeita de Icó, Laís Nunes, que propõe a redução de 40 horas semanais para 20 horas de 362 professores da rede municipal de ensino. A proposta foi aprovada em primeira votação por sete votos a cinco.

Professora é atingida com tiro de bala de borracha em Icó.

Policiais militares fizeram isolamento do prédio do Legislativo e soltaram bombas de efeito moral, spray de pimenta e deram tiros de bala de borracha contra professores e manifestantes que aguardavam a votação na Rua Grande, a Avenida Ilídio Sampaio, no Centro Histórico de Icó. 

O presidente da Câmara, Fernando Nunes, irmão do ex-prefeito, Neto Nunes, e cunhado da prefeita, solicitou a presença da Polícia Militar e determinou um controle de entrada de pessoas, limitando por senha dada aos vereadores a quantidade de manifestantes no interior da sede do Legislativo.

Do lado de fora houve tumulto e a confusão se generalizou. Os manifestantes vaiaram os vereadores que votaram a favor do projeto encaminhado pela prefeita, Laís Nunes.

De acordo com a presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público no Ceará, Enedina Soares, havia um verdadeiro clima de guerra. “Ficamos sob a mira de armas e recebemos spray de pimenta na cara”, contou. “Estamos lutando por nossos direitos e é uma vergonha cortar os salários dos professores pela metade e ferir aqueles que educam as nossas crianças”.

Os professores e sindicalistas reclamaram contra o exagero e a violência dos policiais militares.

Diocese de Iguatu divulga nota condenando violência contra professores em Icó

Em apenas um decreto, a prefeita Laís Nunes, que é casada com Neto Nunes (ex-prefeito e ex-deputado estadual), tornou nula todas as ampliações de carga horária concedidas aos professores em função do decreto 18/2014.

“O desespero dos professores é total, pois muitos fizeram empréstimos, têm prestação de casa ou de carro para pagar e outros compromissos assumidos e de uma hora para outra ficam com a metade do salário”, frisou Enedina Soares.

A Fetamce e o Sindicato dos Professores de Icó anunciaram que vão ingressar na Justiça contra o decreto da prefeita Laís Nunes. Na próxima quinta-feira, haverá a segunda votação do decreto. 

O vereador da oposição, Welington Chiclete não compareceu e o ex-secretário de Educação e vereador, Marconier Mota também não participou da sessão da Câmara de Icó.

Professores acompanham votação

Oposição 

Daniel Guimarães, vereador da oposição, fez um pronunciamento duro na tribuna do Legislativo e acusou a gestão e os vereadores da situação de ‘furtarem’ 50% dos salários dos docentes e lamentou o apoio da situação ao decreto da prefeita, além de ter demonstrado contradição. “Isso é criminoso, hipocrisia, falta de respeito para com o povo, esse ato da prefeita”, frisou. “Deveriam ter fechado secretaria, cortado salários de cargo de confiança e até reduzir salários dos vereadores”.

O vereador Daniel Guimarães disse também que os vereadores da situação estavam votando sob ‘ameaças e constrangimento’. Ele também fez acusações de perseguição e transferência de docentes para lugares distantes.

Justificativa 

O vereador Eliseu Amâncio, líder da prefeita na Câmara, disse que o município está com uma folha de pagamento elevado em torno de 61% e que é preciso reduzir para 54%, em respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Com a redução de carga horária e do salário, o município vai poder receber recursos de emendas parlamentares e ter condições de contra-partida para obras e programas”. Segundo a situação, o município na situação atual está impedido de receber cerca de R$ 30 milhões de emendas parlamentares e de verbas do Orçamento da União.

A prefeita Laís Nunes por meio de justificativa apresentada à Câmara informou que o decreto foi necessário para corrigir um erro do passado, cometido pela ex-prefeito, Jaime Júnior, e por ela própria, quando ambos ampliaram carga horária de professores.

O ex-gestor nomeou cerca de 200 docentes por meio de seleção em 2014, e no ano passado, ela nomeou mais de cem professores. “A administração pode rever seus próprios atos e precisamos nos enquadrar segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Policiais militares limitaram acesso e cercaram Câmara de Vereadores de Icó

 

 

 

 

17:05 · 19.02.2018 / atualizado às 17:05 · 19.02.2018 por

 

Em 2016, houve greve em Icó contra atraso salarial. Foto de Honório Barbosa

A cidade de Icó enfrenta outro desastre administrativo. A avaliação é da bancada de oposição e dos sindicatos dos servidores públicos municipais – dos servidores em geral e da Educação.

Na manhã desta segunda-feira, servidores e moradores realizaram manifestação, buzinaço. O protesto é contra a proposta da prefeita Laís Nunes que enviou para a Câmara Municipal projeto de lei que prevê a redução de 40 horas para 20 horas semanais de trabalho de pelo menos 360 professores.

Os sindicalistas e vereadores da bancada de oposição consideram a medida uma forma de perseguição aos professores da rede municipal de ensino.

O projeto de lei será apreciado na noite desta segunda-feira, 19, a partir das 19 horas na Câmara Municipal de Icó. 

A presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado do Ceará (Fetamce), Enedina Soares, disse que recebeu com muita indignação a proposta da prefeita Laís Nunes, que propõe o corte de ampliação de carga horária e de redução salarial. “A gestão de Icó está sendo um desastre”, frisou. “Estamos juntos nessa luta contra essa medida administrativa e espero que os professores não desistam e a Lei do Magistério tem esse direito, segundo necessidade do município”.

“Esse é um ato cruel”, disse o diretor do Sindicato dos Servidores, Júnior de Icó. 

O professor Santos usou as rede sociais para solicitar apoio dos pais e dos alunos. “Vamos solicitar aos vereadores que não aprovem esse projeto que tem por objetivo reduzir pela metade a carga horária e também reduzir salários”, pontuou.

O vereador Daniel Guimarães considerou o decreto do Executivo ‘imoral’. “Esse projeto é fraco, vai cair na Justiça”, frisou. “Peço a ajuda de todos os moradores para que não permitam que essa atrocidade possa acontecer”.

Gilberto Barbosa, vereador, divulgou nota de repúdio contra a iniciativa da prefeita, Laís Nunes. “Essa medida é um desrespeito aos professores e mais uma vez, se aprovada na Câmara, será derrotada na Justiça, porque a ampliação da carga horária obedeceu a critérios legais”.

“Vamos dizer não a esse ato imundo”, disse o vereador, Víctor Luiz.

10:43 · 18.02.2018 / atualizado às 10:44 · 18.02.2018 por

Mais um homicídio foi registrado na cidade de Icó com característica de execução, neste sábado, na Rua São
Geraldo, no Centro, por volta das 16 horas. A vítima foi identificada como Leonardo Vieira Batista, 51 anos, balconista, que tinha passagem na Polícia por tráfico de drogas.

O crime ocorreu no depósito de águas Nossa Senhora Aparecida, localizado na Rua São Geraldo, bairro DNER, local de trabalho da vítima. Segundo testemunhas, dois indivíduos armados, chegaram em uma motocicleta Bros de cor preta e foram em direção à vítima e atiraram ele.

Batista ainda conseguiu correr e foi atingido por um tiro na região do tórax. Em seguida foi socorrido para o Hospital Regional de Icó, mas não resistiu ao ferimento e morreu.

Outro 

Na sexta-feira passada, um jovem frentista foi executado enquanto trabalhava em um posto de combustível, na cidade de Icó.

Frentista é executado em posto de combustível em Icó

12:40 · 17.02.2018 / atualizado às 12:40 · 17.02.2018 por

O frentista, Tasso Moreira Lima, 41 anos, foi assassinado na cidade de Icó, no local de trabalho. O crime ocorreu nesta sexta-feira, 16, por volta das 13h, no posto de combustíveis Barretos, na Avenida Nogueira Acioly, no Centro da cidade.

O crime tem característica de execução. A vítima foi atingida  por cerca de sete tiros de revólver calibre 38: quatro na cabeça e três nas costas.

Segundo as filmagens do circuito interno do posto, a ação criminosa foi executada por dois indivíduos desconhecidos, ocupantes de uma motocicleta Honda/Bros de cor preta, sem placa, o condutor usando capacete, e o garupeiro usando camisa branca, short e boné preto.

A dupla parou a moto a cerca de vinte metros do posto e o garupeiro veio caminhando em direção à vítima, passando a efetuar disparos contra o frentista que morreu de imediato. Em seguida, o condutor da moto aproximou-se e também efetuou alguns disparos contra Tasso Lima, que já estava caído.

Após a execução da vítima, os criminosos fugiram na moto em direção ao bairro Conjunto BNH. O corpo da vítima foi recolhido pelo Rabecão do IML de Iguatu.

09:18 · 10.02.2018 / atualizado às 09:18 · 10.02.2018 por

O Mercado Público Jaime Almeida Alencar, localizado na avenida Josefa Nogueira Monteiro, no Centro de Icó, voltou a ser palco nas últimas horas da ação de criminosos. Na madrugada deste sábado, 10, ladrões tiveram acesso ao logradouro depois de arrombar cadeados.

Os ladrões entraram nas lojas pelo telhado e outros boxes sofreram tentativa de arrombamento. Segundo os comerciantes, pelo menos três boxes foram arrombados e os ladrões subtraíram cervejas, refrigerante e queijo de coalho. De um outro boxe, os delinquentes levaram peças e acessórios de bicicletas.

A ação criminosa foi observada por volta das 4 da manhã deste sábado quando os primeiros comerciantes chegaram para trabalhar. Até um carrinho de mão foi furtado.

Outros casos de arrombamento já foram registrados no mercado e até um cachorro já foi morto a golpes de faca. Os comerciantes estão implorando à administração municipal que sejam designados vigilantes para o mercado, que hoje está vulnerável ao criminosos. (Com colaboração de Richard Lopes)

12:30 · 02.02.2018 / atualizado às 12:30 · 02.02.2018 por
Enfermeira, vítima de estrangulamento.foto VC Repórter/WhatsApp

Um crime brutal ocorreu pela madrugada desta quinta-feira, 1º, em um apartamento, localizado no bairro Parangaba, em Fortaleza. A enfermeira icoense, Cícera Carla de Almeida, 31 anos, foi morta por meio de estrangulamento enquanto dormia.

A vítima ainda foi espancada, segundo a Polícia. O acusado é Alexandre Martins Caminha, que depois de matar a companheira, saiu de casa e se deparou com uma patrulha da Polícia Militar e confessou o crime. Ele foi preso em flagrante.

O réu confesso ainda levou os policiais até o apartamento onde havia praticado o crime. O corpo da enfermeira Cícera Carla chegou a Icó na manhã desta sexta-feira, e está sendo velado na localidade de Posto Novo, às margens da BR-116.

O crime chocou os moradores e foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Cícera Carla deixou um filho, adolescente.  O corpo será sepultado às 17 horas, no cemitério novo, em Icó. (Com colaboração de Richard Lopes).

Acusado do crime
12:16 · 02.02.2018 / atualizado às 12:16 · 02.02.2018 por

Populares encontraram uma ossada humana na manhã desta quinta-feira, 1º, no município de Cariús. A Polícia Militar confirmou a existência dos restos mortais no sítio Ribamar, cerca de 18 km da sede urbana. Não foi possível
realizar nenhum procedimento de identificação. O rabecão do IML de Iguatu fez a remoção da ossada para o Núcleo de Perícia Forense.

Icó – cadáver 

Já em Icó, um cadáver foi encontrado na Rua General Piragibe, no Centro Histórico da cidade. A Polícia identificou como sendo de Cristiano Cavalcante Viana, aposentado, que residia no sítio São João, que estaria morto dentro de uma residência.

Uma viatura policial foi ao local e encontrou a vítima deitada em uma rede na sala da residência sem nenhuma marca de violência em seu corpo, aparentando falecimento por causas naturais.