Busca

Tag: projeto


20:53 · 24.06.2018 / atualizado às 20:54 · 24.06.2018 por

A vegetação nativa da Caatinga está ameaçada por plantas invasoras. Em Iguatu, o quadro não é diverso, segundo a Secretaria de Meio Ambiente do município. O nim, uma planta de origem indiana, e que passou a ser bastante plantada a partir da década de 1990 em todas regiões cearenses, é uma das ameaças mais presentes.

Diante disso, foi aprovado em duas votações na Câmara Municipal de Iguatu, um projeto de lei que define normas para o plantio de espécies nativas para arborização urbana e paisagismo no município, em substituição ao nim.

O nim está presente nas ruas, em frente às casas e caiu no gosto dos moradores pelo fácil manejo e boa adaptação. Conforme o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Marcos Ageu, o nim é considerada uma planta exótica e invasora. “Oitenta por cento da massa verde de Iguatu são composta de nim e benjamim. Esse cultivo deu-se em detrimento das outras espécies locais. A cultura de que o nim era repelente natural serviu de estímulo, mas a espécie acabou afastando aves e insetos que hoje não são mais vistos em árvores”, afirmou.

“A falta de políticas públicas para impedir a popularização de espécies comprovadas por especialistas como prejudiciais à Caatinga foi um dos principais motivadores para o vasto plantio do nim”, afirma Moraliza Sales, coordenadora de Meio Ambiente. “Muitos gostam do nim pela sombra e fácil crescimento, mas há espécies que disponibilizamos e que cumprem muito bem esse papel”, ressaltou a coordenadora.

Substituição gradativa

O projeto de lei aprovado prevê a proibição do plantio da árvore invasora e substituição gradativa por plantas nativas. “Será proibido o cultivo do nim, mas não quer dizer que vamos dizimá-lo. É uma proposta de substituição gradativa. Vamos começar pela própria Câmara que possui algumas pés de nim”, ponderou Ageu. O projeto posteriormente será regulamentado.

Em Iguatu, o município mantém um espaço da Secretaria de Agricultura e Pecuária, no Bairro Bugi, em que cultiva plantas nativas e faz mudas para serem distribuídas à população, para o plantio e arborização de praças, ruas e avenidas. Recentemente, foram distribuídas mais de sete mil plantas nativas de várias espécies além de frutíferas.

Árvores de nim estão espalhadas em todas as ruas das cidades e são agressivas, segundo ambientalistas. Foto de HONÓRIO BARBOSA
08:37 · 09.06.2018 / atualizado às 08:45 · 09.06.2018 por

 

 

Presidente da Câmara, Mário Rodrigues, apresentou projeto. Foto de Thiedo Henrique

A vegetação nativa da Caatinga está ameaçada por plantas invasoras, como é o caso do cultivo exagerado do nim indiano. Em Iguatu, o problema se repete. É o que aponta secretaria de Meio Ambiente do município. O nim indiano, árvore que passou a ser bastante plantada na década de 1990 em todas regiões cearenses, é uma das ameaças mais presentes.

Diante disso, começou a tramitar na Câmara Municipal de Iguatu um projeto de lei que passa a estimular normas para o uso de espécies nativas em projetos de plantios de árvores, para formar florestas, arborização urbana e paisagismo no município.

O nim caiu no gosto dos moradores pelo fácil manejo e boa adaptação e vem sendo cultivada em frente às casas.

Conforme o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Iguatu, Marcos Argeu, o nim é considerada uma planta exótica, mas que acabou se tornando invasora. “Cerca de 80% por cento da massa verde em Iguatu é composta de nim e benjamin. Esse cultivo deu-se por em detrimento as outras espécies locais. O cultivo ocorreu por uma cultura de que eles eram repelentes naturais, mas a espécie acabou afastando aves e insetos que hoje não são mais vistos em árvores”, afirmou.

A falta de políticas públicas para impedir a popularização do nim foi um dos principais motivadores do cultivo elevado da espécie, é o que afirma Monaliza Sales, coordenadora de Meio Ambiente. “Muitos gostam do nim pela sombra e fácil crescimento, mas há espécies que disponibilizamos e que cumprem muito bem esse papel”, ressaltou a coordenadora.

O projeto de autoria do vereador Mário Rodrigues seguirá para as comissões técnicas para depois passar por duas votações no plenário. A tramitação é um pedido da Secretaria do Meio Ambiente.

Substituição gradativa

Conforme o autor da matéria, a proposta prever a proibição do plantio do nim e sua substituição gradativa por plantas nativas. “Será proibido o cultivo, mas não quer dizer que vamos dizimar o nim. É uma proposta de substituição gradativa. Vamos começar pela própria Câmara que possui algumas árvores de nim”, ponderou Rodrigues.

Em Iguatu, o município, mantêm um espaço da Secretaria de Agricultura e Pecuária (SEAP), no bairro Bugi, em que cultiva plantas nativas e faz mudas para serem distribuídas para população, para o plantio e arborização de praças, ruas e avenidas. Recentemente em uma ação de SEAP, foram distribuídas mais de sete mil plantas nativas e frutíferas de várias espécies.

Mais duas pautas

Outros dois projetos foram votados. Um deles de autoria do vereador Antônio Baixinho (PSB) de caráter indicativo que institui a obrigatoriedade de execução do Hino do Município nas escolas da rede municipal de ensino em Iguatu com anexo extensivo as solenidades oficiais da cidade.

O parlamentar afirma que o projeto estimulará os mais jovens a conhecer a história do município através da letra e música criada por Maria Ósia de Carvalho. “Esperamos que o prefeito sancione. Que pauta caia no gosto popular. O maior objetivo é cultivar o amor ao municipalismo e quem sabe desperte ainda mais o interesse nos iguatuenses mais jovens em conhecer mais a fundo a história de Iguatu”, disse.

Também foi aprovada a mensagem do executivo que autoriza o município a celebrar convênio com a Associação de Travestis, Transexuais e Homossexuais de Iguatu e Região do Centro-Sul no valor de R$ 10 mil, para o desenvolvimento da semana da diversidade sexual.

06:36 · 22.05.2018 / atualizado às 20:42 · 21.05.2018 por
Agricultores são capacitados pelo Elo Amigo

O Instituto Elo Amigo ganhou processo licitatório para assessorar tecnicamente 16 associações de produtores rurais beneficiários do Projeto São José III, no Centro-Sul, Vale do Salgado e Cariri.

O Elo Amigo, entidade parceira da Federação dos Trabalhadores Rurais do Ceará (Fetraece) tem o intuito de apoiar a dinamização econômica destes agricultore familiares no meio rural através da assessoria técnica qualificada.

Os grupos assessorados compreendem sistemas produtivos tais como apicultura, bovinocultura leiteira, ovinocaprinocultura, fruticultura e extrativismo. Os municípios beneficiados são: Altaneira; Barbalha; Barro; Cariús; Crato; Icó; Mauriti; Missão Velha; e Várzea Alegre.

O Projeto São José III é uma iniciativa do Governo Estadual do Ceará que através da SDA Secretaria de Desenvolvimento Agrário, em parceria com Banco Mundial vem apoiando projetos produtivos em todo o Estado.

Segundo o Articulador Institucional do Instituto Elo Amigo, Chrístian Arruda, o projeto São José III, configura-se em uma estratégia de Desenvolvimento Produtivo Rural focado na Agricultura Familiar, sem precedentes no Estado do Ceará.

“O Projeto São José III tem importância significativa para o processo de dinamização econômica de agricultores e poderá configurar-se em uma estratégia de grande impacto positivo na melhoria de qualidade de vida”, reitera Arruda.

As primeiras ações já estão iniciando com a mobilização, caracterização e elaboração de planos de trabalho em cada grupo. Em breve serão realizadas ações de assessoria e capacitação.

17:30 · 23.04.2018 / atualizado às 17:30 · 23.04.2018 por
Alunos participam do projeto de ensino de música

Música e arte como fios condutores para abrir e expandir os horizontes dos jovens carentes do Ceará, contribuindo para mudança de vida, tanto no âmbito social, familiar quanto educacional. Diante desta premissa que o projeto Um Toque de Vida segue na cadência e em harmonia com sua missão de contribuir para melhoria de vida de jovens. E sem sair do tom, o Projeto iniciou no Ceará nova edição no último dia 12 de março nas cidades de Cedro, Região Centro-Sul do estado e em Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza.

Aulas gratuitas

Em aulas totalmente gratuitas de teoria musical e prática de instrumentos os alunos de Cedro participam dos cursos de flauta e violão na sede da Secretaria da Cultura de Cedro.

Os cursos totalizam 250 horas/aula e no final, os alunos recebem certificado de conclusão e os instrumentos serão doados à alguma instituição da cidade que sedia o curso para que possam continuar o ensino da música.

“O objetivo não é a formação de músicos e sim promover e desenvolver a musicalidade de jovens carentes através de cursos específicos, aprimorando a criatividade, a sensibilidade e criando oportunidades de expressão artística”, destaca Leonardo Rocha, músico e coordenador do projeto.

“O projeto Um Toque de Vida se define não somente na realização de aulas e sim, na socialização através da música. O objetivo é promover e desenvolver a musicalidade de jovens carentes através de cursos específicos, aprimorando a criatividade, a sensibilidade e criando oportunidades de expressão artística”, destaca Léo Lanter, músico e coordenador do projeto.

O Projeto Um Toque de Vida é realizado pela Modo Maior Projetos Culturais e conta com o patrocínio da M. Dias Branco, via Lei Rouanet.

10:07 · 21.03.2018 / atualizado às 11:30 · 21.03.2018 por
Prefeito Zé Hélder e lideranças comunitárias sobrem em um dos tratores que será encaminhado para o município pelo governo do Estado

O município de Várzea Alegre será beneficiado com a entrega de quatro tratores para as comunidades de Poço Cercado, sede do Riacho Verde, Alto dos André em Naraniú e Caiçara em Canindezinho.

O anúncio da liberação dos tratores foi feito pelo prefeito Zé Hélder que participou no último dia 19, Dia de São José, em Fortaleza, da solenidade realizada pelo governo do Estado para a entrega de tratores, projetos de abastecimento de água e produtivos para os municípios do Interior.

 

“Os tratores serão importantes para o desenvolvimento das atividades do homem do campo no trato com a terra”, pontuou Zé Hélder.

 

09:06 · 18.03.2018 / atualizado às 09:06 · 18.03.2018 por
Alunos e instrutores em aula inaugural do projeto. Foto de Marcos Rodrigues

Despertar o talento dos jovens moradores de Cedro por meio de ensinamentos e instrumentos musicais. O projeto “Toque de Vida”, realizado pela secretaria de Cultura, em parceria com a empresa Modo Maior Projetos Culturais chega à sua terceira edição. A ação conta com o patrocínio do grupo M. Dias Branco e apoio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e oferece curso de flauta e violão.

O curso tem duração de seis meses, atendendo cerca de 20 alunos da rede municipal de ensino e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV). A aula inaugural aconteceu na antiga estação ferroviária e contou com a participação da Secretária de Cultura, Aparecida Evangelista, coordenadora de Desenvolvimento da Cultura, Marlene Santana, dos instrutores Lázaro Barros (Violão) e Alberto Silva (Flauta), além de familiares e alunos.

O projeto já capacitou diversos jovens. O prefeito de Cedro, Dr. Nilson Diniz, destaca a importância das parcerias para o sucesso do projeto. “E por meio de parcerias que capacitamos nossos jovens, elas são fundamentais para o sucesso do projeto”.

 

14:09 · 16.03.2018 / atualizado às 14:09 · 16.03.2018 por

A Secretaria da Assistência Social de Iguatu lançou neste mês de março o projeto Vidas Por Vidas. A proposta é oferecer aos participantes uma maior integração social por meio do estímulo à prática do futsal entre adolescentes e jovens de 12 a 20 anos de idade, além de contribuir também com a formação pessoal e comunitária dos alunos.

O programa atende alunos/atletas nas modalidades masculino e feminino. As inscrições estão abertas para os interessados que residem nos bairros Areias, João Paulo II e para os moradores
do bairro Chapadinha.

A previsão é que o projeto também seja lançado na região do CRAS V, que representa
as Cohabs.

Para o prefeito Ednaldo Lavor, o projeto irá contribuir para uma maior comunicação e integração social por meio do ensino e da prática do Futsal, além de proporcionar novas oportunidades através do esporte.

22:52 · 15.03.2018 / atualizado às 22:52 · 15.03.2018 por

 

Entrega Troféu Mulher de Fibra. Arquivo

Há 22 anos a Unidade Iguatu do Sesc homenageia mulheres de força e coragem que fazem a diferença em seus trabalhos e contribuem para uma sociedade melhor. Em Iguatu, a comenda Mulher de Fibra foi idealizada pelo projeto Trabalho Social com Idosos (TSI) para homenagear mulheres de diferentes segmentos da sociedade iguatuense.

Na edição de 2018 o evento acontece no dia 23 de março, no Ginásio da Unidade Iguatu do Sesc, a partir das 19h. Um baile com a banda Ingroove será oferecido para as dez mulheres homenageadas com a comenda Mulher de Fibra e convidados.

O evento reúne autoridades locais, convidados, familiares das homenageadas, bem como para as mulheres que receberam a comenda em edições anteriores.

Mulheres homenageadas em 2018

Maria de Fátima Holanda (Educação)

Nayane Braga Rodrigues (Cultura)

Francisca Marciel da Silva (Povo)

Maria Silvana Rodrigues (Comerciária)

Irmã Maria da Paz Silva Gomes (Igreja)

Suyanne Uchôa Amorim (Social)

Enilce Alves de Carvalho (Empresária)

Maria Suely Alves Moreira (Saúde)

Monique Teixeira de Mendonça (Justiça)

Maria Alberlândia Pereira do Nascimento (AMI)

07:10 · 31.01.2018 / atualizado às 21:08 · 30.01.2018 por

A Escola Livre de Artes em Orós divulgou programação para atividades no decorrer do mês de fevereiro. Há variedades de atividades em todos os distritos e na sede urbana.

A programação tem como destaque a circulação do espetáculo “O Circo da Rua de baixo” com Coletivo Cérebro da cidade de Iguatu. Vai rolar oficina de Fuxico para os adultos na calçada da Lucileuda, no Distrito de Santarém.

E, antes do Carnaval, o grande artista Zé Ângelo vai ministrar uma oficina de Maquiagem Cênica no Centro Social de Orós.

O Bar Pantanal que tem uma paisagem linda será palco para o remelexo da oficina de Dança com Yago Venicius.

Confiram programação de cada comunidade:

SANTARÉM

Oficina de Fuxico – Contando histórias

Ministrado: Airan e Lucileuda (Santarém)

Dia: 03 – Sábado

Horário: das 18h às 21h

Público alvo: Acima de 14 anos

Local: Calçada da casa de Lucileuda – Santarém

 

Oficina de Dança de Rua

Ministrado: Yago Venicius (Orós)

Dia: 24 – Sábado

Horário: das 8h às 12h

Público Alvo: Livre

Local: Alpendre do Senhor Didi – Santarém

 

Oficina de Economia Familiar

Ministrado: Romário Cândido (Santarém)

Dia: 24- Sábado

Horário: das 14h às 17h

Público Alvo: Acima de 14 anos

Local:  Casa do Antônio Jorge – Santarém

GUASSUSSÊ

Oficina de Dança de Rua

Ministrado: Yago Venicius (Orós)

Dia: 02 – Sexta

Horário: das 18h às 21h

Público Alvo: Livre

Local: Calçada da Igreja – Guassussê

Teatro – Circulação

O Circo da rua de baixo – Coletivo Cerebral

Dia 23 – Sexta

Público Alvo: Livre

Horário: 19h

Local: Coreto da  Praça – Guassussê

 

Oficina de Arte Urbana

Ministrado: Coletivo Cerebral (Iguatu)

Dia: 24 – Sábado

Horário: das 8h às 12h

Público Alvo: Livre

Local:  Sindicato – Guassussê

 

Oficina de Técnica Vocal

Ministrado:  Bruno Kaos (Icó)

Dia 24 – Sábado

Horário: das 14h às 17h

Público Alvo: Livre

Local: Sindicato –  Gaussussê

PALESTINA

Oficina de Economia Familiar

Ministrado: Romário Cândido (Santarém)

Dia: 03 – Sábado

Horário: das 8h às 12h

Público Alvo: Acima de 14 anos

Local:  Casa do Thiago Richad

 

Oficina de Teatro do Oprimido – Construção de Cena

Ministrado:  Bené Tavares (Icó)

Dia: 24 – Sábado

Horário: das 8hh às 12h

Público Alvo: Livre

Local:  Sindicado – Palestina
Oficina de Arte Urbana

Ministrado: Coletivo Cerebral (Iguatu)

Dia: 24 – Sábado

Horário: das 14h às 17h

Público Alvo: Livre

Local:  Sindicato – Palestina

 

Teatro – Circulação

O Circo da rua de baixo – Coletivo Cerebral

Dia 24 – Sábado

Horário: 19h

Público Alvo: livre

Local: Praça – Palestina

 

IGAROI

Oficina de Economia Familiar

Ministrado: Romário Cândido (Santarém)

Dia: 03 – Sábado

Horário: das 14h às 17h

Público Alvo: Acima de 14 anos

Local:  Casa da Adriana Josino – Igaroi
Oficina de Teatro do Oprimido – Construção de Cena

Ministrado:  Bené Tavares (Icó)

Dia: 23 – Sexta

Horário: das 18h às 21h

Público Alvo: Livre

Local:  Sindicado –  Igaroi

 

Oficina de Técnica Vocal

Ministrado:  Bruno Kaos (Icó)

Dia 24 – Sábado

Horário: das 08h às 12h

Público Alvo: Livre

Local: Sindicato – Igaroi

20:40 · 30.01.2018 / atualizado às 20:41 · 30.01.2018 por

 

Prefeito Nilson Diniz defende o uso da tecnologia no combate ao Aedes aegypti. Foto de Honório Barbosa

A cidade de Cedro, na região Centro-Sul do Ceará, será a primeira do Interior a implantar um programa pioneiro de prevenção da dengue, chikungunya e zika em parceria entre a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). O projeto ‘Aedes em foco’ foi lançado na tarde desta segunda-feira, 29, no auditório do Senac e prevê o uso de tecnologia para a identificação e combate aos focos do mosquito transmissor das arboviroses.

O programa foi lançado pelos professores da UFC, Ivo Castelo Branco e Henrique Pequeno. Há cerca de um ano e meio os docentes estão desenvolvendo o projeto que usa plataforma digital (smartphones e tablets) para informar sobre os focos do vetor, reservatórios de água descobertos nos imóveis por agentes de Endemias, de Saúde e pelos próprios moradores.

“É mais uma ferramenta para enfrentarmos esse mosquito que causam doenças graves, que matam”, frisou o prefeito de Cedro e vice-presidente da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Dr. Nilson Diniz. “Em Cedro, será instalado um projeto piloto, pioneiro, e acreditamos que termos bons resultados”.

O professor Ivo Castelo Branco observou que as ações atuais, apesar dos esforços das Prefeituras, não consegue vencer o mosquito. “Só é preciso um por cento de foco para se ter uma epidemia porque o vetor se multiplica rapidamente”, pontou. “O combate é difícil, mas com a participação de todos, moradores, estudantes, professores, agentes, podemos vencer essa luta”.

Henrique Pequeno, do Instituto UFC Virtual, fez a apresentação da plataforma, ouviu sugestões e está otimista com o uso do aplicativo. “É de fácil manuseio, individualmente ou por brigadas criadas contra a dengue, com informação instantânea chegando à Prefeitura e de resposta imediata”, explicou. Em março próximo, após treinamento, o projeto deve estar em campo na cidade de Cedro.

O projeto tem o financiamento da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) do governo do Estado.