Busca

Tag: projeto


07:00 · 14.09.2018 / atualizado às 22:58 · 13.09.2018 por
Jogos de xadrez integram o projeto cultural

O Instituto Zuza Laureno nasceu a partir do sentimento de descendentes da localidade rural Vaca Morta, no distrito Santo Antônio, zona rural de Cedro, com o objetivo de realizar “algo” em prol dos seus conterrâneos.

Por vivência própria de alguns dos membros e a partir de reunião de diagnóstico com as comunidades rurais, foi traçado como prioridade de início das atividades, levar oportunidades de esporte e cultura para a região, visto que não são de fácil acesso na localidade.

Até o momento, todas as ações são realizadas através de arrecadação financeira entre os associados mantenedores, pois ainda estamos na carência para aprovar projetos através de incentivos fiscais.

O projeto Cineclube do Zuza começou à luz do luar e teve sua primeira exibição em 15 de abril do ano passado. Por ser um dos primeiros projetos implantados, consequentemente com a necessidade de ter credibilidade e se firmar, a ação teve sua implantação a céu aberto, e não “dentro” do casarão, o que veio a acontecer somente em agosto passado.

Cineclube é a reunião de pessoas para apreciar filmes e debater seus temas, de forma a desenvolver a inteligência, a sensibilidade e a consciência humana, pois as películas de qualidade ajudam a refletir sobre a condição humana e compreendê-la melhor. Por esta manifestação da cultura contribuir com a formação do indivíduo e seu papel de ator na sua própria história, e por a região não possuir nenhum aparelho cinematográfico, entendemos como de grande importância social esse projeto.

Um dos primeiros projetos implantados e consolidado com sucesso foi o projeto Clube do Xadrez. Através de curso básico para iniciantes, com participação de 15 crianças e adolescentes foi dado o pontapé para fundar o clube de xadrez do Instituto.

A ideia do clube de xadrez na comunidade rural é que a prática desse esporte/arte ajude a tirar as crianças e jovens da ociosidade, do jogos eletrônicos, dos celulares e dos riscos inerentes à vulnerabilidade social, auxiliando também no cotidiano escolar, contribuindo para uma melhoria no comportamento da garotada e no desenvolvimento do seu cognitivo, do raciocínio e inteligência, elevar suas autoestimas além de incentivar a competição saudável e selecionar atletas para torneios intermunicipais e/ou interestaduais.

Dois fatos de grande relevância no projeto Clube de Xadrez: o primeiro foi ver o gosto dos jovens pelo jogo e levá-lo para seu cotidiano, repassando as regras para os pais, irmãos, avós e vizinhos.

O segundo aspecto foi expandir o projeto para comunidades rurais circunvizinhas, onde os próprios integrantes do clube de xadrez participaram do curso básico.  Além de espalhar a ideia do projeto, há a integração entre os jovens, contribuindo para uma cultura de paz.

Atividades culturais e comunitárias

Parceria 

Através de parceria com o colégio Antônio Laurênio, houve o início de um outro projeto, o Sarau Literário e Cultural, que promove  a inserção da literatura, arte e cultura através das suas diferentes linguagens. O projeto leva apresentações, poemas, música e arte para a zona rural e também provoca que os moradores e alunos da escola também apresentem seus conteúdos.

Através do curso intensivo de Esperanto, os organizadores da ação cultural fazem a conexão de uma comunidade rural com outras realidades, utilizando uma linguagem universal. O aprendizado de uma língua desenvolve o interesse pelo estudo, desperta a visão de mundo e proporciona sonhos e objetivos. Por não haver facilitador na região, a metodologia do curso foi desenvolvida da seguinte forma: 24 horas de curso básico, manutenção através de grupo de WhatsApp e reforço de aprendizado presencial a cada 45 dias.

Biblioteca comunitária

Através da biblioteca comunitária “Vó Nininha” e do  Grupo de Leitura, o o Instituto Zuza Laureno contribui com as políticas públicas que deveriam universalizar o direito de acesso ao livro, à literatura e às bibliotecas.

A biblioteca está constantemente aberta e possui livros de áreas diversas, fruto de doações de amigos. O grupo de leitura se reúne semanalmente e fazem leitura e debate de um livro em comum.

Contribuir para a preservação da identidade cultural da zona rural. Essa é a ideia principal do projeto “Artesanato em Fuxico”. Esta habilidade que passa de mãe para filha recebeu o abrigo do casarão Vicente Laurênio (a sede do Instituto Zuza Laureno) e oficinas periódicas de novas técnicas e ideias. O encontro é quinzenal e toda a produção é vendida na feira da agricultura familiar, que acontece no próprio Distrito, e toda a renda é revertida para as próprias artesãs.

O projeto “Karatecas do Sertão” é o projeto mais consistente do Instituto até o momento. Implantado em fevereiro de 2018, o projeto tem correspondido à expectativa do planejado que é atuar de forma ativa no enfrentamento à vulnerabilidade social através das técnicas e disciplina desse esporte, contribuindo fortemente na construção de uma cultura de paz. Levar para a zona rural a oportunidade de praticar um Karatê esporte olímpico é mais do que inserir um sonho ou objetivo na vida dos jovens, é possibilitar que, com esforço e dedicação, eles um dia possam representar à comunidade em competição a nível mundial.

Aprendizagem da luta de karatê, como esporte saudável
Casarão é a sede do projeto na zona rural de Cedro
13:41 · 29.08.2018 / atualizado às 13:41 · 29.08.2018 por

 

 

Projeto Toque de Vida com aulas de violão

A música não para. Em mais uma experiência que só a arte proporciona, os alunos dos cursos de flauta e violão do projeto Toque de Vida, do município de Cedro, fazem apresentação especial nesta sexta-feira, 31, às 18h, na sede da Secretaria de Cultura do Cedro, em comemoração ao Dia dos Pais.

No próximo dia 04 de setembro, os jovens se apresentarão no projeto Palco Cultural, juntamente com diversas atrações do município.

Sobre o projeto

O Projeto Toque de Vida acontece no município de Cedro desde março deste ano realizando aulas gratuitas de teoria musical e prática de instrumentos – flauta e violão na sede da Secretaria da Cultura de Cedro, beneficiando cerca de 40 jovens com idades entre 08 e 16 anos.

Os cursos totalizam 250 horas/aula e no final, os alunos recebem certificado de conclusão e os instrumentos serão doados à alguma instituição da cidade que sedia o curso para que possam continuar o ensino da música.
“O projeto Toque de Vida se define não somente na realização de aulas e sim, na socialização através da música. O objetivo é promover e desenvolver a musicalidade de jovens carentes através de cursos específicos, aprimorando a criatividade, a sensibilidade e criando oportunidades de expressão artística”, destaca

O Projeto Toque de Vida é realizado pela Modo Maior Projetos Culturais e conta com o patrocínio da M. Dias Branco, via Lei Rouanet.

16:16 · 31.07.2018 / atualizado às 11:56 · 02.08.2018 por

A Secretaria de Saúde de Várzea Alegre lançou na noite desta segunda-feira, 30, o Projeto Boa Noite Cidadão, que consiste no atendimento de saúda à população no horário noturno, das 18h às 21h, no CAIS – Centro de Assistência Integrado à Saúde da Família.

Durante três dias da semana (terças-feiras, quartas-feiras e quintas-feiras), a população que precisar de serviços médicos básicos pode se dirigir ao CAIS. Caso, após avaliação o paciente precise de outros cuidados de saúde, serão referenciados para o hospital da cidade.

O prefeito de Várzea Alegre, Zé Hélder, observou que os serviços de saúde foram ampliados para atender os moradores. “Os serviços devem chegar mais perto dos cidadãos”, frisou. O objetivo do projeto é reduzir a superlotação, no horário da noite, no Hospital São Raimundo Nonato.

O secretário de Saúde, Ivo Leal, disse que o Boa Noite Cidadão foi implantado para dar mais acesso do cidadão aos serviços de saúde na atenção primária e para diminuir a procura da população por serviços de saúde no Hospital Polo São Raimundo Nonato no horário noturno. “Nós temos percebidos nestes meses da gestão municipal que há uma enorme demanda no hospital no período noturno, assim como também muitas pessoas que não podem se deslocar para os PSFs no período diurno por conta do trabalho ou de outro empecilho, vão ter oportunidade agora de ter acesso aos serviços médicos, de enfermagem e odontológico no período da noite”, disse.

Ronaldo Mendes – gerente administrativo do Hospital São Raimundo, disse que o projeto é positivo e considerou que a gestão municipal é bem conduzida e com o Boa Note Cidadão ganha o município de Várzea Alegre.

Para a enfermeira do projeto, Lívia Rodrigues, existe uma demanda da população por atendimento fora da estratégia do Saúde da Família e esse projeto supre essa lacuna. “É um atendimento que nem demanda uma assistência hospitalar, mas que, por conta do horário, muitas vezes não é possível serem acessadas as unidades básicas de saúde durante o dia. Aí o atendimento noturno vem nessa perspectiva de dar essa resposta no período noturno”, disse.

20:53 · 24.06.2018 / atualizado às 20:54 · 24.06.2018 por

A vegetação nativa da Caatinga está ameaçada por plantas invasoras. Em Iguatu, o quadro não é diverso, segundo a Secretaria de Meio Ambiente do município. O nim, uma planta de origem indiana, e que passou a ser bastante plantada a partir da década de 1990 em todas regiões cearenses, é uma das ameaças mais presentes.

Diante disso, foi aprovado em duas votações na Câmara Municipal de Iguatu, um projeto de lei que define normas para o plantio de espécies nativas para arborização urbana e paisagismo no município, em substituição ao nim.

O nim está presente nas ruas, em frente às casas e caiu no gosto dos moradores pelo fácil manejo e boa adaptação. Conforme o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Marcos Ageu, o nim é considerada uma planta exótica e invasora. “Oitenta por cento da massa verde de Iguatu são composta de nim e benjamim. Esse cultivo deu-se em detrimento das outras espécies locais. A cultura de que o nim era repelente natural serviu de estímulo, mas a espécie acabou afastando aves e insetos que hoje não são mais vistos em árvores”, afirmou.

“A falta de políticas públicas para impedir a popularização de espécies comprovadas por especialistas como prejudiciais à Caatinga foi um dos principais motivadores para o vasto plantio do nim”, afirma Moraliza Sales, coordenadora de Meio Ambiente. “Muitos gostam do nim pela sombra e fácil crescimento, mas há espécies que disponibilizamos e que cumprem muito bem esse papel”, ressaltou a coordenadora.

Substituição gradativa

O projeto de lei aprovado prevê a proibição do plantio da árvore invasora e substituição gradativa por plantas nativas. “Será proibido o cultivo do nim, mas não quer dizer que vamos dizimá-lo. É uma proposta de substituição gradativa. Vamos começar pela própria Câmara que possui algumas pés de nim”, ponderou Ageu. O projeto posteriormente será regulamentado.

Em Iguatu, o município mantém um espaço da Secretaria de Agricultura e Pecuária, no Bairro Bugi, em que cultiva plantas nativas e faz mudas para serem distribuídas à população, para o plantio e arborização de praças, ruas e avenidas. Recentemente, foram distribuídas mais de sete mil plantas nativas de várias espécies além de frutíferas.

Árvores de nim estão espalhadas em todas as ruas das cidades e são agressivas, segundo ambientalistas. Foto de HONÓRIO BARBOSA
08:37 · 09.06.2018 / atualizado às 08:45 · 09.06.2018 por

 

 

Presidente da Câmara, Mário Rodrigues, apresentou projeto. Foto de Thiedo Henrique

A vegetação nativa da Caatinga está ameaçada por plantas invasoras, como é o caso do cultivo exagerado do nim indiano. Em Iguatu, o problema se repete. É o que aponta secretaria de Meio Ambiente do município. O nim indiano, árvore que passou a ser bastante plantada na década de 1990 em todas regiões cearenses, é uma das ameaças mais presentes.

Diante disso, começou a tramitar na Câmara Municipal de Iguatu um projeto de lei que passa a estimular normas para o uso de espécies nativas em projetos de plantios de árvores, para formar florestas, arborização urbana e paisagismo no município.

O nim caiu no gosto dos moradores pelo fácil manejo e boa adaptação e vem sendo cultivada em frente às casas.

Conforme o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Iguatu, Marcos Argeu, o nim é considerada uma planta exótica, mas que acabou se tornando invasora. “Cerca de 80% por cento da massa verde em Iguatu é composta de nim e benjamin. Esse cultivo deu-se por em detrimento as outras espécies locais. O cultivo ocorreu por uma cultura de que eles eram repelentes naturais, mas a espécie acabou afastando aves e insetos que hoje não são mais vistos em árvores”, afirmou.

A falta de políticas públicas para impedir a popularização do nim foi um dos principais motivadores do cultivo elevado da espécie, é o que afirma Monaliza Sales, coordenadora de Meio Ambiente. “Muitos gostam do nim pela sombra e fácil crescimento, mas há espécies que disponibilizamos e que cumprem muito bem esse papel”, ressaltou a coordenadora.

O projeto de autoria do vereador Mário Rodrigues seguirá para as comissões técnicas para depois passar por duas votações no plenário. A tramitação é um pedido da Secretaria do Meio Ambiente.

Substituição gradativa

Conforme o autor da matéria, a proposta prever a proibição do plantio do nim e sua substituição gradativa por plantas nativas. “Será proibido o cultivo, mas não quer dizer que vamos dizimar o nim. É uma proposta de substituição gradativa. Vamos começar pela própria Câmara que possui algumas árvores de nim”, ponderou Rodrigues.

Em Iguatu, o município, mantêm um espaço da Secretaria de Agricultura e Pecuária (SEAP), no bairro Bugi, em que cultiva plantas nativas e faz mudas para serem distribuídas para população, para o plantio e arborização de praças, ruas e avenidas. Recentemente em uma ação de SEAP, foram distribuídas mais de sete mil plantas nativas e frutíferas de várias espécies.

Mais duas pautas

Outros dois projetos foram votados. Um deles de autoria do vereador Antônio Baixinho (PSB) de caráter indicativo que institui a obrigatoriedade de execução do Hino do Município nas escolas da rede municipal de ensino em Iguatu com anexo extensivo as solenidades oficiais da cidade.

O parlamentar afirma que o projeto estimulará os mais jovens a conhecer a história do município através da letra e música criada por Maria Ósia de Carvalho. “Esperamos que o prefeito sancione. Que pauta caia no gosto popular. O maior objetivo é cultivar o amor ao municipalismo e quem sabe desperte ainda mais o interesse nos iguatuenses mais jovens em conhecer mais a fundo a história de Iguatu”, disse.

Também foi aprovada a mensagem do executivo que autoriza o município a celebrar convênio com a Associação de Travestis, Transexuais e Homossexuais de Iguatu e Região do Centro-Sul no valor de R$ 10 mil, para o desenvolvimento da semana da diversidade sexual.

06:36 · 22.05.2018 / atualizado às 20:42 · 21.05.2018 por
Agricultores são capacitados pelo Elo Amigo

O Instituto Elo Amigo ganhou processo licitatório para assessorar tecnicamente 16 associações de produtores rurais beneficiários do Projeto São José III, no Centro-Sul, Vale do Salgado e Cariri.

O Elo Amigo, entidade parceira da Federação dos Trabalhadores Rurais do Ceará (Fetraece) tem o intuito de apoiar a dinamização econômica destes agricultore familiares no meio rural através da assessoria técnica qualificada.

Os grupos assessorados compreendem sistemas produtivos tais como apicultura, bovinocultura leiteira, ovinocaprinocultura, fruticultura e extrativismo. Os municípios beneficiados são: Altaneira; Barbalha; Barro; Cariús; Crato; Icó; Mauriti; Missão Velha; e Várzea Alegre.

O Projeto São José III é uma iniciativa do Governo Estadual do Ceará que através da SDA Secretaria de Desenvolvimento Agrário, em parceria com Banco Mundial vem apoiando projetos produtivos em todo o Estado.

Segundo o Articulador Institucional do Instituto Elo Amigo, Chrístian Arruda, o projeto São José III, configura-se em uma estratégia de Desenvolvimento Produtivo Rural focado na Agricultura Familiar, sem precedentes no Estado do Ceará.

“O Projeto São José III tem importância significativa para o processo de dinamização econômica de agricultores e poderá configurar-se em uma estratégia de grande impacto positivo na melhoria de qualidade de vida”, reitera Arruda.

As primeiras ações já estão iniciando com a mobilização, caracterização e elaboração de planos de trabalho em cada grupo. Em breve serão realizadas ações de assessoria e capacitação.

17:30 · 23.04.2018 / atualizado às 17:30 · 23.04.2018 por
Alunos participam do projeto de ensino de música

Música e arte como fios condutores para abrir e expandir os horizontes dos jovens carentes do Ceará, contribuindo para mudança de vida, tanto no âmbito social, familiar quanto educacional. Diante desta premissa que o projeto Um Toque de Vida segue na cadência e em harmonia com sua missão de contribuir para melhoria de vida de jovens. E sem sair do tom, o Projeto iniciou no Ceará nova edição no último dia 12 de março nas cidades de Cedro, Região Centro-Sul do estado e em Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza.

Aulas gratuitas

Em aulas totalmente gratuitas de teoria musical e prática de instrumentos os alunos de Cedro participam dos cursos de flauta e violão na sede da Secretaria da Cultura de Cedro.

Os cursos totalizam 250 horas/aula e no final, os alunos recebem certificado de conclusão e os instrumentos serão doados à alguma instituição da cidade que sedia o curso para que possam continuar o ensino da música.

“O objetivo não é a formação de músicos e sim promover e desenvolver a musicalidade de jovens carentes através de cursos específicos, aprimorando a criatividade, a sensibilidade e criando oportunidades de expressão artística”, destaca Leonardo Rocha, músico e coordenador do projeto.

“O projeto Um Toque de Vida se define não somente na realização de aulas e sim, na socialização através da música. O objetivo é promover e desenvolver a musicalidade de jovens carentes através de cursos específicos, aprimorando a criatividade, a sensibilidade e criando oportunidades de expressão artística”, destaca Léo Lanter, músico e coordenador do projeto.

O Projeto Um Toque de Vida é realizado pela Modo Maior Projetos Culturais e conta com o patrocínio da M. Dias Branco, via Lei Rouanet.

10:07 · 21.03.2018 / atualizado às 11:30 · 21.03.2018 por
Prefeito Zé Hélder e lideranças comunitárias sobrem em um dos tratores que será encaminhado para o município pelo governo do Estado

O município de Várzea Alegre será beneficiado com a entrega de quatro tratores para as comunidades de Poço Cercado, sede do Riacho Verde, Alto dos André em Naraniú e Caiçara em Canindezinho.

O anúncio da liberação dos tratores foi feito pelo prefeito Zé Hélder que participou no último dia 19, Dia de São José, em Fortaleza, da solenidade realizada pelo governo do Estado para a entrega de tratores, projetos de abastecimento de água e produtivos para os municípios do Interior.

 

“Os tratores serão importantes para o desenvolvimento das atividades do homem do campo no trato com a terra”, pontuou Zé Hélder.

 

09:06 · 18.03.2018 / atualizado às 09:06 · 18.03.2018 por
Alunos e instrutores em aula inaugural do projeto. Foto de Marcos Rodrigues

Despertar o talento dos jovens moradores de Cedro por meio de ensinamentos e instrumentos musicais. O projeto “Toque de Vida”, realizado pela secretaria de Cultura, em parceria com a empresa Modo Maior Projetos Culturais chega à sua terceira edição. A ação conta com o patrocínio do grupo M. Dias Branco e apoio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e oferece curso de flauta e violão.

O curso tem duração de seis meses, atendendo cerca de 20 alunos da rede municipal de ensino e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV). A aula inaugural aconteceu na antiga estação ferroviária e contou com a participação da Secretária de Cultura, Aparecida Evangelista, coordenadora de Desenvolvimento da Cultura, Marlene Santana, dos instrutores Lázaro Barros (Violão) e Alberto Silva (Flauta), além de familiares e alunos.

O projeto já capacitou diversos jovens. O prefeito de Cedro, Dr. Nilson Diniz, destaca a importância das parcerias para o sucesso do projeto. “E por meio de parcerias que capacitamos nossos jovens, elas são fundamentais para o sucesso do projeto”.

 

14:09 · 16.03.2018 / atualizado às 14:09 · 16.03.2018 por

A Secretaria da Assistência Social de Iguatu lançou neste mês de março o projeto Vidas Por Vidas. A proposta é oferecer aos participantes uma maior integração social por meio do estímulo à prática do futsal entre adolescentes e jovens de 12 a 20 anos de idade, além de contribuir também com a formação pessoal e comunitária dos alunos.

O programa atende alunos/atletas nas modalidades masculino e feminino. As inscrições estão abertas para os interessados que residem nos bairros Areias, João Paulo II e para os moradores
do bairro Chapadinha.

A previsão é que o projeto também seja lançado na região do CRAS V, que representa
as Cohabs.

Para o prefeito Ednaldo Lavor, o projeto irá contribuir para uma maior comunicação e integração social por meio do ensino e da prática do Futsal, além de proporcionar novas oportunidades através do esporte.