Busca

Tag: reunião


22:04 · 25.07.2017 / atualizado às 22:04 · 25.07.2017 por
Reunião discutiu medidas de redução do consumo de água em Várzea Alegre. Foto de Augusto César

O Governo de Várzea Alegre já adota medidas para economizar água, uma vez que o açude Deputado Luiz Otacílio Correia (Olho D’água), localizado na comunidade de São Vicente, na sede rural, não recebeu recarga de água satisfatória com as chuvas da quadra invernosa de janeiro a maio deste ano.

Pensando na população e visando novas alternativas de economia da água, o prefeito Zé Helder (PMDB), participou de reunião nesta manhã de segunda-feira, 24, no auditório do CAIS – Centro de Atenção Integrado à Saúde, com o objetivo de discutir medidas de redução de consumo de água.

Segundo o prefeito Zé Helder, a preocupação é porque o açude está com apenas 22% de sua capacidade de 19.000.000m³ e baseado em informações de consumo, tanto da Cagece como da Cogerh, o reservatório só teria capacidade para abastecer a cidade durante 12 meses, ou seja, até agosto de 2018, e isso representaria um colapso de água na cidade.

Zé Helder destacou que talvez seja necessário realizar medidas como rodízio no abastecimento e campanhas de conscientização para reduzir o consumo e evitar o desperdício de água. “Não adianta a gente fechar os olhos para essa situação. Nós temos que está agora conscientes e ter políticas e medidas que economize bastante água na busca de chegar ao inverno de 2019”, disse.

O prefeito disse que a orientação para a comissão que fará parte do comitê gestor das águas do açude é que trabalhe a economia da água para chegar até 2019, quando se espera que as chuvas de 2018 e também de 2019, possam ser suficientes para garantir novas reservas de água para o açude.

Zé Helder deixou claro que para ele essa situação de reservas baixas do açude foi uma surpresa desagradável e que não deseja que a cidade volte aos tempos nos quais o abastecimento de água era feito através de carroças e de carros-pipa. Para o prefeito, as medidas de economia devem ser implementadas urgentemente para esticar esse prazo de abastecimento da cidade até fevereiro de 2019.

Entre outras medidas já adotadas pela Prefeitura, segundo Zé Helder, estão a redução do consumo de água nas praças e em unidades públicas, que representa diminuição de 2.000m³ de água, também serão estudadas a construção de novas barragens que deem suporte ao abastecimento de água da cidade, caso o açude Deputado Luiz Otacílio Correia venha a passar por momento como o de agora, com baixas reservas.

Alberto Medeiro, da Cogerh, considerou que a garantia de água do açude para abastecer Várzea Alegre até julho de 2018 é segura, mas não deixa de ser preocupante, porque julho é o mês que não chove mais em 2018 e a cidade correria o risco de passar mais seis meses sem água. Para ele, a reunião de hoje objetivou discutir vazões adequadas para atingir a meta de abastecimento de água da cidade em 2018 e começo de 2019. De acordo com ele, das medidas a serem adotadas estão as de redução do consumo e de conscientização da população sobre a importância de economizar água.

Rivelino Teles, que representou a Cagece e trabalha como supervisor de rede da Bacia do Salgado, parabenizou o município de Várzea Alegre pela forma proativa que está agindo diante desse problema da escassez de água do açude Deputado Luiz Otacílio Correia. “Acho essa discussão importante e oportuna e dizer que a Cagece está de mãos dadas com todos os entes envolvidos nesta questão de contingenciamento e de preservar e conservar nosso manancial até termos chuvas e a garantia de uso mais prolongado”, disse. Ele destacou que é importante o envolvimento da população nesse caso. Rivelino Teles disse que em breve estarão na Câmara de Vereadores, onde será apresentado um plano de contingenciamento de água que represente impacto mínimo para a população.

Comissão
O Grupo de Contingência e Convivência com a Seca de Várzea Alegre com membros representante das seguintes instituições:

1. PREFEITO – José Helder Máximo de Carvalho;
2. CÂMARA MUNICIPAL – Alan Salviano de Lima;
3. SECRETARIA MEIO AMBIENTE – José Marcilio dos Anjos Feitosa;
4. SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA – Elonmarcos Cândido Correia;
5. SECRETARIA DE DESENVOLIVIMENTO AGRARIO – Cícero Izidório Cabral;
6. DEFESA CIVIL MUNICIPAL – Francisco George Bitu Inácio;
7. COGERH – Alberto Medeiro de Brito;
8. Representante da CAGECE;
9. Representante do MPCE;
10. FAMUVA – José da Costa;
11. Representante dos SINDICATOS.

17:30 · 11.07.2017 / atualizado às 17:30 · 11.07.2017 por
Reunião na UFCA tratou da implantação do campus da instituição em Icó.

A prefeita de Icó, Laís Nunes, esteve em audiência nesta terça-feira, 11, no município de Juazeiro do Norte, na sede da Universidade Federal do Cariri (UFCA), com o reitor, Ricardo Luiz Lange Ness, para tratar da implantação do Campus em Icó.

“Fui, novamente, reclamar por rapidez na implantação do Campus da UFCA em Icó. Sei das burocracias, mas já ultrapassamos as fases mais complexas como a legalização do terreno do Dnocs para as edificações, por exemplo, o que nos deixa muito feliz e certa da implantação definitiva. Estou convicta deste sonho ser posto em prática”, disse Laís Nunes.

Participaram da reunião – além do reitor, o secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Inácio Arruda; pró-Reitores, professores Silvério de Paiva e Roberto Ramos. 

A gestora Laís Nunes disse que irá a Brasília para confirmar também os recursos destinados à UFCA e ao futuro campos de Icó.

A implantação do Campus da UFCA no município de Icó, atrasou por falta, à época, de um terreno com grandes dimensões para a construção das salas, bibliotecas e laboratórios que servirão aos universitários.

 

 

07:24 · 26.05.2017 / atualizado às 21:52 · 25.05.2017 por

 

Reunião colheu reivindicações dos municípios mediante a crise hídrica. Foto de Honório Barbosa

Solicitação de carros-pipa, perfuração e instalação de poços profundos. Essas demandas foram apresentadas durante a reunião do Comitê da Sub-Bacia do Alto Jaguaribe realizada na cidade de Iguatu, no auditório da Escola de Música Popular, Humberto Teixeira, nesta quinta-feira, 25.

O secretário executivo da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Aderilo Alcântara, frisou que a situação de escassez de água vai se agravar no início do próximo de 2018. “Este ano ainda teremos como enfrentar as dificuldades em muitos municípios, mas chegamos ao limite e no próximo ano o quadro tende a se agravar”, disse.

Maria Nascimento, representante da Igreja, no Comitê, voltou a cobrar a ida de uma máquina perfuratriz para implantação de poços profundos. “A situação é grave em Quixelô”, disse. “Precisamos de uma adutora emergencial do Açude Trussu”.

O prefeito de Orós, Simão Pedro, voltou a cobrar a perfuração e instalação de poços profundos. Essa mesma demanda foi apresentada pela assistente social, Richele Brito, de Saboeiro, para os distritos de São José e Flamengo. “Estamos com nove rotas de caminhões pipa para atender as comunidades rurais”, frisou.

12:42 · 22.05.2017 / atualizado às 12:42 · 22.05.2017 por

Na manhã desta segunda-feira, 22, foi realizada no auditório do Campus Multi-Institucional Humberto Teixeira, na cidade de Iguatu, a reunião itinerante do Comitê Integrado de Convivência com a Seca do Estado. O secretário de Desenvolvimento Agrário,  Dedé Teixeira, disse que a situação de escassez de recursos hídricos é grave no Ceará. “O nosso objetivo é colher as demandas dos municípios, das áreas rurais e dos centros urbanos e adotar as medidas para que nenhuma cidade sofra colapso no abastecimento”, frisou. “Daí a importância desses encontros nas cidades, uma vez por mês”.

O prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, disse que o município já começa a buscar alternativas, fazer estudos para assegurar o abastecimento de água dos moradores da cidade. “Estamos realizando estudos para perfuração de poços profundos na bacia da lagoa do Julião e a água poderia ser injetada na adutora do Trussu, no futuro, em caso de necessidade”.

A prefeita de Icó, Laís Nunes, solicitou a implantação de uma adutora da localidade de Pedrinhas e perfuração de poços profundos.

Já a prefeita de Quixelô, Fátima Gomes, disse que a situação do município é grave e que precisa de uma solução urgente. “Os açudes secaram, não adianta carro pipa porque não tem de onde tirar água”, frisou. “Uma alternativa seria a adutora do Trussu”.

A deputada estadual, Miriam Sobreira, destacou a discussão coletiva dos problemas de abastecimento dos municípios da região.  “Precisamos economizar água e a imprensa deve ser nossa aliada na campanha de uso consciente da água”.

 

 

07:15 · 20.04.2017 / atualizado às 22:49 · 19.04.2017 por

 

Reunião reduziu limites de transferência de água do Orós e do Castanhão. Foto de Honório Barbosa

Durante a reunião da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) com representantes de Bacias Hidrográficas dos Vales Salgado, Jaguaribe e Banabuiú na cidade de Iguatu, no auditório do Campus Multi-institucional Humberto Teixeira, foi aprovada uma moção de repúdio por não conclusão das obras de transposição das águas do Rio São Francisco do Eixo-Norte.

O abaixo-assinado será encaminhado ao presidente Michel Temer e ao ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho. Há quase um ano os trabalhos estão paralisados. “Temos preocupação com a escassez de água e a possibilidade de mais um ano de reduzida chuva em 2018”, frisou Paulo Landim, membro do Comitê da Sub-Bacia do Alto Jaguaribe. “O governo estadual insiste em transferir água do sertão para a Região Metropolitana, e não sabemos mais quando será retomada a obra da transposição”.

Na atual quadra invernosa, não houve recarga dos médios e grandes reservatórios, estratégicos para o abastecimento de importantes centros urbanos. A crise hídrica deve se agravar a partir de setembro próximo. Sem as águas do Velho Chico haverá mais dificuldades de manter abastecimento regular.

Redução de liberação de água

Os participantes voltaram a protestar contra a abertura de válvula para liberação de água mesmo em quantidade reduzida nos açudes Orós e Castanhão, que acumulam respectivamente 10,8% e 5,9%. Mais uma vez, os comitês conseguiram aprovar índices diferentemente da proposta da Cogerh. A vazão do Orós será reduzida de 3m3/s para 2m3/s e o Castanhão de 6m3/s para 5m3/s até a reunião de 10 de junho próximo dos comitês.

 

10:22 · 04.04.2017 / atualizado às 10:22 · 04.04.2017 por
Agência sofreu explosão violenta e interior do imóvel foi destruído

Nesta terça-feira, 4, às 19h, no auditório do Centro de Educação Profissional Ivens Dias Branco (Senac), será realizada reunião com representantes do Banco do Brasil, o prefeito Nilson Diniz, vereadores, autoridades locais e a população.

O local onde funcionava a agência foi alvo, na última sexta-feira (31/03), de um ataque realizado por uma quadrilha que resultou na explosão do prédio. O prefeito de Cedro, Dr. Nilson Diniz, informa que buscará uma solução para que a população não seja prejudicada. “Estaremos discutindo uma maneira de resolver um problema que é de todos em geral, havendo urgência na tomada de providências da reabertura da agência. A população necessita dos serviços do Banco do Brasil no município”.

Os moradores estão preocupados e desejam um breve retorno do funcionamento do banco. A aposentada Francinete Bezerra, pede rapidez na solução do problema. “É complicado ficarmos se deslocando para outros municípios, espero que nossos representantes possam buscar uma alternativa com urgência para solucionar esta situação”.

12:19 · 17.03.2017 / atualizado às 12:19 · 17.03.2017 por
Prefeito Nilson Diniz

O prefeito de Cedro e vice-presidente da Aprece, Nilson Diniz, participou da 1ª reunião Ordinária do Conselho Consultivo de Políticas de Inclusão Social – CCPIS. O encontro foi realizado na Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado e o primeiro sob o comando do secretário Maia Júnior.

Na reunião, o diretor geral do Ipece, Flávio Ataliba, apresentou o estudo “Desafios para a Gestão da Política de Combate à Pobreza e Inclusão Social no Ceará”, que aponta uma forte reestruturação dos critérios para a aprovação de projetos a serem financiados pelo Fecop – Fundo Estadual de Combate à Pobreza. Maia Júnior informou que os membros do CCPIS têm até o dia 31 de março para enviar sugestões. “As propostas serão analisadas pelo Ipece e poderão ser incorporadas à estrutura”.

O Conselho, que gerencia o Fecop, aprovou 61 projetos de 12 setoriais, que, juntos, somam quase R$ 331 milhões. Todos com foco na redução da pobreza. O secretário Executivo do Conselho, José Freitas Júnior, apresentou o orçamento do Fundo para 2017, no valor de R$ 565 milhões, bem como a sua execução financeira entre 1º de janeiro e 13 de março deste ano. A próxima reunião ordinária do CCPIS está marcada para 4 de abril.

O prefeito Nilson Diniz, representando a Aprece na reunião, enfatiza a importância de combater a pobreza e realizar a inclusão social no Ceará. “Os recursos para fazer frente às desigualdades precisam ser bem aplicados pelos gestores, para que beneficiem o maior número possível de pessoas.”

10:07 · 07.03.2017 / atualizado às 10:07 · 07.03.2017 por

 

Capitão Arquênio faz explanação sobre atuação do Raio em Iguatu. Foto de Thiedo Henrique

O Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio), em Iguatu, por meio do comandante capitão Arquênio Braga, em reunião ordinária do Rotary Club de Iguatu, apresentou dados dos últimos seis meses em que o grupo chegou à cidade.

O objetivo da ida do militar à sede rotariana era tomar conhecimento das ações de intervenção da equipe de segurança, bem como saber dos avanços na área desde sua instalação no município.

De acordo os dados apresentados pelo capitão, em um semestre mais de 300 ocorrências terminaram em prisões por algum crime ou conflito com a lei. Por dia, são efetuadas pela equipe 75 abordagens diárias, que dá uma média de quase 2.300 por mês. “Acredito que é um somatório de forças. O Raio é apenas um braço da área integrada de segurança que é composta pelo Ronda, Polícia Rodoviária Estadual e o 10º Batalhão”, afirmou Arquênio.

O presidente do club, Tales Teixeira de Mendonça, comemorou os números e disse que o convite se deu devido à percepção dos rotarianos com essa nova fase vivenciada pelos iguatuenses. “Aqui temos as mais variadas representações de associados. Discutimos os problemas sociais da cidade, e a segurança era um dos temas mais palpitantes. Mas desde então percebemos que é nítido o avanço que tivemos nesse tema. Após a chegada do Raio no mês de agosto, pouco ouvimos falar de assalto e roubos audaciosos no município. E esse momento é de reconhecimento para aqueles que arriscam suas próprias vidas em prol do bem-estar da maioria”, disse.

 

14:52 · 10.02.2017 / atualizado às 14:52 · 10.02.2017 por

Reunião entre o prefeito Ednaldo Lavor, empresários de bares e restaurantes e músicos pôs fim à polêmica sobre a cobrança de taxa prevista no Código Tributário do Município sobre apresentação de artistas (música ao vivo). O encontro ocorreu na noite desta quinta-feira, no auditório do Complexo Social.

O vice-prefeito, Marcos Sobreira, e o secretário de Cultura, Jan Messias, além de outros assessores participaram do evento.

Ficou decidido que será enviada uma proposta de regulamentação do Código Tributário para ser discutida e votada pela Câmara Municipal. Ao invés de cobrar taxa por evento, o prefeito Ednaldo Lavor assumiu o compromisso de cobrar um valor mensal de 25 Ufir, equivalente a R$ 92,00, que será destinado ao Fundo Municipal de Cultura a ser criado.

Os donos de bares e restaurantes e os músicos concordaram com a ideia.

Um fiscal da Prefeitura na semana passada enviou notificações aos donos de bares e restaurantes cobrando cerca de R$ 120,00 por apresentação. A medida gerou insatisfação entre os empresários. “A gente não cobra nada dos clientes, nem taxa e nem ‘couvert’ artístico, por isso não seria justo sermos taxados”, disse o empresário, Elenilton Lopes. “A cobrança da taxa poderia inviabilizar a contratação de músicos”.

Nesta semana houve reunião entre empresários do setor e músicos que decidiram por apresentar uma solicitação de reunião com o prefeito.

 

 

12:24 · 03.02.2017 / atualizado às 12:24 · 03.02.2017 por

 

Sanfoneiro Zé de Manu

O Movimento Popular dos Artistas e Simpatizantes da Cultura Popular de Cedro, na região Centro-Sul do Ceará, realizará, neste sábado, 4, às 9 horas, no Auditório do Fórum da Comarca de Cedro, uma reunião com todos os segmentos e linguagens da cultura local. Nessa reunião será discutida a fundação da Associação Multicultural de Cedro e o projeto de lei sanfoneiro Zé de Manu, de apoio e resgate à cultura no município.

O objetivo da entidade é organizar os projetos e buscar parcerias com o poder público municipal e a iniciativa privada. O projeto de lei Sanfoneiro Zé de Manu visa à criação do Conselho Municipal de Apoio à Cultura, instituindo dois mecanismos de difusão e valorização cultural: O Palco Cultural Móvel Cantora Francys Carla (in memoriam) e o Espaço Cultural Maestro Luiz Ferreira Barros (in memoriam), dois instrumentos de disseminação e apoio aos artistas da terra e a divulgação e comercialização de suas produções artísticas.

Os organizadores desse movimento multicultural, o inspetor da Polícia Civil, Nipônico Bezerra e o fotógrafo Zeno Falcão, convidam a todos os artistas, simpatizantes, autoridades públicas e a sociedade em geral, para participarem e opinarem sobre esses temas, pois a finalidade dessa reunião é congregar os mais variados ramos e credos culturais existentes em Cedro, valorizando e resgatando a Cultura, como identidade de nosso povo.