Busca

Tag: reunião


07:15 · 20.04.2017 / atualizado às 22:49 · 19.04.2017 por

 

Reunião reduziu limites de transferência de água do Orós e do Castanhão. Foto de Honório Barbosa

Durante a reunião da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) com representantes de Bacias Hidrográficas dos Vales Salgado, Jaguaribe e Banabuiú na cidade de Iguatu, no auditório do Campus Multi-institucional Humberto Teixeira, foi aprovada uma moção de repúdio por não conclusão das obras de transposição das águas do Rio São Francisco do Eixo-Norte.

O abaixo-assinado será encaminhado ao presidente Michel Temer e ao ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho. Há quase um ano os trabalhos estão paralisados. “Temos preocupação com a escassez de água e a possibilidade de mais um ano de reduzida chuva em 2018”, frisou Paulo Landim, membro do Comitê da Sub-Bacia do Alto Jaguaribe. “O governo estadual insiste em transferir água do sertão para a Região Metropolitana, e não sabemos mais quando será retomada a obra da transposição”.

Na atual quadra invernosa, não houve recarga dos médios e grandes reservatórios, estratégicos para o abastecimento de importantes centros urbanos. A crise hídrica deve se agravar a partir de setembro próximo. Sem as águas do Velho Chico haverá mais dificuldades de manter abastecimento regular.

Redução de liberação de água

Os participantes voltaram a protestar contra a abertura de válvula para liberação de água mesmo em quantidade reduzida nos açudes Orós e Castanhão, que acumulam respectivamente 10,8% e 5,9%. Mais uma vez, os comitês conseguiram aprovar índices diferentemente da proposta da Cogerh. A vazão do Orós será reduzida de 3m3/s para 2m3/s e o Castanhão de 6m3/s para 5m3/s até a reunião de 10 de junho próximo dos comitês.

 

10:22 · 04.04.2017 / atualizado às 10:22 · 04.04.2017 por
Agência sofreu explosão violenta e interior do imóvel foi destruído

Nesta terça-feira, 4, às 19h, no auditório do Centro de Educação Profissional Ivens Dias Branco (Senac), será realizada reunião com representantes do Banco do Brasil, o prefeito Nilson Diniz, vereadores, autoridades locais e a população.

O local onde funcionava a agência foi alvo, na última sexta-feira (31/03), de um ataque realizado por uma quadrilha que resultou na explosão do prédio. O prefeito de Cedro, Dr. Nilson Diniz, informa que buscará uma solução para que a população não seja prejudicada. “Estaremos discutindo uma maneira de resolver um problema que é de todos em geral, havendo urgência na tomada de providências da reabertura da agência. A população necessita dos serviços do Banco do Brasil no município”.

Os moradores estão preocupados e desejam um breve retorno do funcionamento do banco. A aposentada Francinete Bezerra, pede rapidez na solução do problema. “É complicado ficarmos se deslocando para outros municípios, espero que nossos representantes possam buscar uma alternativa com urgência para solucionar esta situação”.

12:19 · 17.03.2017 / atualizado às 12:19 · 17.03.2017 por
Prefeito Nilson Diniz

O prefeito de Cedro e vice-presidente da Aprece, Nilson Diniz, participou da 1ª reunião Ordinária do Conselho Consultivo de Políticas de Inclusão Social – CCPIS. O encontro foi realizado na Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado e o primeiro sob o comando do secretário Maia Júnior.

Na reunião, o diretor geral do Ipece, Flávio Ataliba, apresentou o estudo “Desafios para a Gestão da Política de Combate à Pobreza e Inclusão Social no Ceará”, que aponta uma forte reestruturação dos critérios para a aprovação de projetos a serem financiados pelo Fecop – Fundo Estadual de Combate à Pobreza. Maia Júnior informou que os membros do CCPIS têm até o dia 31 de março para enviar sugestões. “As propostas serão analisadas pelo Ipece e poderão ser incorporadas à estrutura”.

O Conselho, que gerencia o Fecop, aprovou 61 projetos de 12 setoriais, que, juntos, somam quase R$ 331 milhões. Todos com foco na redução da pobreza. O secretário Executivo do Conselho, José Freitas Júnior, apresentou o orçamento do Fundo para 2017, no valor de R$ 565 milhões, bem como a sua execução financeira entre 1º de janeiro e 13 de março deste ano. A próxima reunião ordinária do CCPIS está marcada para 4 de abril.

O prefeito Nilson Diniz, representando a Aprece na reunião, enfatiza a importância de combater a pobreza e realizar a inclusão social no Ceará. “Os recursos para fazer frente às desigualdades precisam ser bem aplicados pelos gestores, para que beneficiem o maior número possível de pessoas.”

10:07 · 07.03.2017 / atualizado às 10:07 · 07.03.2017 por

 

Capitão Arquênio faz explanação sobre atuação do Raio em Iguatu. Foto de Thiedo Henrique

O Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio), em Iguatu, por meio do comandante capitão Arquênio Braga, em reunião ordinária do Rotary Club de Iguatu, apresentou dados dos últimos seis meses em que o grupo chegou à cidade.

O objetivo da ida do militar à sede rotariana era tomar conhecimento das ações de intervenção da equipe de segurança, bem como saber dos avanços na área desde sua instalação no município.

De acordo os dados apresentados pelo capitão, em um semestre mais de 300 ocorrências terminaram em prisões por algum crime ou conflito com a lei. Por dia, são efetuadas pela equipe 75 abordagens diárias, que dá uma média de quase 2.300 por mês. “Acredito que é um somatório de forças. O Raio é apenas um braço da área integrada de segurança que é composta pelo Ronda, Polícia Rodoviária Estadual e o 10º Batalhão”, afirmou Arquênio.

O presidente do club, Tales Teixeira de Mendonça, comemorou os números e disse que o convite se deu devido à percepção dos rotarianos com essa nova fase vivenciada pelos iguatuenses. “Aqui temos as mais variadas representações de associados. Discutimos os problemas sociais da cidade, e a segurança era um dos temas mais palpitantes. Mas desde então percebemos que é nítido o avanço que tivemos nesse tema. Após a chegada do Raio no mês de agosto, pouco ouvimos falar de assalto e roubos audaciosos no município. E esse momento é de reconhecimento para aqueles que arriscam suas próprias vidas em prol do bem-estar da maioria”, disse.

 

14:52 · 10.02.2017 / atualizado às 14:52 · 10.02.2017 por

Reunião entre o prefeito Ednaldo Lavor, empresários de bares e restaurantes e músicos pôs fim à polêmica sobre a cobrança de taxa prevista no Código Tributário do Município sobre apresentação de artistas (música ao vivo). O encontro ocorreu na noite desta quinta-feira, no auditório do Complexo Social.

O vice-prefeito, Marcos Sobreira, e o secretário de Cultura, Jan Messias, além de outros assessores participaram do evento.

Ficou decidido que será enviada uma proposta de regulamentação do Código Tributário para ser discutida e votada pela Câmara Municipal. Ao invés de cobrar taxa por evento, o prefeito Ednaldo Lavor assumiu o compromisso de cobrar um valor mensal de 25 Ufir, equivalente a R$ 92,00, que será destinado ao Fundo Municipal de Cultura a ser criado.

Os donos de bares e restaurantes e os músicos concordaram com a ideia.

Um fiscal da Prefeitura na semana passada enviou notificações aos donos de bares e restaurantes cobrando cerca de R$ 120,00 por apresentação. A medida gerou insatisfação entre os empresários. “A gente não cobra nada dos clientes, nem taxa e nem ‘couvert’ artístico, por isso não seria justo sermos taxados”, disse o empresário, Elenilton Lopes. “A cobrança da taxa poderia inviabilizar a contratação de músicos”.

Nesta semana houve reunião entre empresários do setor e músicos que decidiram por apresentar uma solicitação de reunião com o prefeito.