Busca

Tag: várzea alegre


09:39 · 19.02.2017 / atualizado às 09:39 · 19.02.2017 por

 

Chuva em Cedro deixou pontos de alagamento, na manhã deste domingo. Foto: Marciel Bezerra

A Funceme registrou até as 9h30 deste domingo, 19, chuva em 34 municípios do Ceará. As três maiores ocorreram na região Centro-Sul do Estado: Cedro (45mm), Lavras da Mangabeira (42mm) e Várzea Alegre (30.6mm).

Para esta segunda-feira, 20, e terça-feira, 21, a Funceme prevê tempo com nebulosidade variável e ocorrência de chuvas em todas as regiões do Estado.

De acordo com o meteorologista da Funceme, Raul Fritz, a nebulosidade está associada à presença da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), extensa massa de nuvens e principal sistema causador de chuvas no Ceará, durante a quadra invernosa.

Nesta terça-feira, 21, a Funceme vai divulgar o segundo prognóstico para os meses de março, abril e maio da atual quadra invernosa. Segundo os meteorologistas já adiantaram as condições não são favoráveis para ocorrência de chuvas acima da média e da recuperação dos principais reservatórios do Estado. 

As dez maiores chuvas do dia:

Cedro – 45mm

Lavras Da Mangabeira – 42mm

Várzea Alegre – 30.6mm

Pacajus – 28mm

São Gonçalo Do Amarante – 28mm

Graça – 26.0 mm

Pacajus – 26mm

Capistrano – 25mm

Pacujá – 23mm

Itapiúna – 22mm

21:12 · 16.02.2017 / atualizado às 21:12 · 16.02.2017 por
Obra do Centro de Educação Infantil será retomada. Foto de Augusto César

A construção do Centro Educacional Infantil (CEI), de Várzea Alegre, no bairro Juremal, está parada desde a gestão anterior. Os problemas que envolvem a obra se agravaram após a Justiça do Trabalho ter bloqueado mais de R$ 195 mil da conta do convênio. Esse dinheiro foi bloqueado para pagamento de precatórios em 2015.

O prefeito Zé Helder (PMDB) esteve na Secretaria Estadual de Educação (Seduc) no dia 10 de fevereiro, para conhecer todas as pendências da obra, com o objetivo de destravar os problemas e retomar sua construção.

Além de pendências com documentos, Zé Helder foi orientado na Seduc, que a Prefeitura deve devolver, do seu próprio caixa, os mais de R$ 195 mil que foram bloqueados para pagamento de precatórios, regularizando o convênio. Outra recomendação da Seduc é que deverá ser feita uma nova licitação para a conclusão da obra.

A obra do CEI

A construção do CEI teve sua licitação realizada em 2012, na segunda gestão do prefeito Zé Helder, com valor financeiro inicial de R$ 978.649,03.

Já em 2015, na gestão do sucessor de Zé Helder, no dia 28 do mês outubro, por causa de devidas da Prefeitura com precatórios, Justiça do Trabalho fez o bloqueio de R$ 195.056,84.

No dia 14 de novembro de 2016, o ex-prefeito Vanderlei Freire, devolveu para o convênio da obra, com recursos próprios do município, R$ 48.538,01.

Esse valor foi insuficiente para pagar a conta devida de R$ 195.056,84, restando uma diferença de R$ 146.518,83.

Esses valores restantes, R$ 146.518,83, o prefeito Zé Helder, agora, no dia 13 fevereiro, com recursos economizados da Prefeitura, devolveu ao convênio, sanando todos os problemas de ordem financeira da construção do CEI.

Zé Helder destacou que ainda neste primeiro semestre de 2017, tem a meta de retomar a obra, que atenderá às famílias, especialmente, às crianças dos bairros Vazante, Lagoa do Arroz, Juremal, Alto do Tenente e Praça Santo Antônio.

10:41 · 15.02.2017 / atualizado às 15:42 · 15.02.2017 por
Reunião discutiu organização e participação de escolas de samba no Carnaval. Foto de Augusto César.

O coordenador de Cultura da Prefeitura de Várzea Alegre, Hélio Batista, reuniu-se com representantes das escolas de samba da cidade Unidos do Roçado de Dentro, Mocidade Independente do Sanharol e da estreante Império Cadenciando, do bairro Riachinho para tratar da organização do Carnaval da cidade, a transcorrer no período de 25 a 28 de fevereiro.

As escolas de samba foram informadas que haverá Carnaval no Parque Cívico São Raimundo Nonato e decidiram sobre o percurso dos desfiles que serão realizados na Rua Durval Soares, trecho urbano da CE 060, conhecida como “Marquês de Papai Raimundo”.

A próxima reunião será para organizar os blocos alternativos que participam da festa e do aparato de segurança para o período carnavalesco.

O carnaval de Várzea Alegre é destaque no Ceará pela sua longa tradição, impulsionado pelas escolas de samba Unidos do Roçado de Dentro (Esurd) e Mocidade Independente do Sanharol (MIS) e neste ano com a novidade da Império Cadenciando.

07:10 · 15.02.2017 / atualizado às 20:10 · 14.02.2017 por

 

Agricultores em Várzea Alegre não terão programa preparo de terra para a safra de inverno deste ano. Foto: divulgação

O secretário de Agricultura e Desenvolvimento Econômico de Várzea Alegre, Cícero Isidório, explicou a razão pela qual o programa Hora Trabalhada não será realizado neste ano de 2017. ” O convênio com a Federação das Associações Comunitárias deveria ter iniciado em outubro de 2016 para ser executado em 2017″, frisou.

O programa destina aos agricultores, devidamente cadastrados, uma hora de trator para preparo de solo para o plantio das lavouras de sequeiro de grãos de arroz, milho e feijão.

Segundo o titular da pasta, o processo burocrático e de convênios, através da Federação das Associações (Famuva) não foi feito em 2016. Ele explicou ainda que as inscrições também são feitas entre novembro e dezembro do ano anterior, o que não foi realizado.

Isidório atribuiu a não realização do programa Hora Trabalhada para os anos de 2016/2017 à crise financeira que tem efeitos no Brasil, nos estados e nos municípios. Como exemplo, devido a problemas de ordem financeira do município, o Hora Trabalhada também não foi realizado no período de 2015/2016, sendo sua última edição registrada em 2014/2015.

Em 2015/2016, o Hora Trabalhada não foi realizado porque a gestão passada ainda não havia quitado os débitos do programa de 2014/2015. Ele disse que o não pagamento não foi culpa da administração passada, mas que não havia condições financeiras da Prefeitura para fazer aqueles pagamentos.

As explicações da não realização do Hora Trabalhada foram repassadas para as associações comunitárias de Várzea Alegre, que entenderam a situação de crise financeira do município.

A edição 2016/2017, segundo Isidório, não terá o Hora Trabalhada, não por falta de vontade da administração, mas pelo conhecimento que aquela gestão tinha de que não havia condições financeiras para bancar o programa.

Para o secretário atual, a administração passada não quitou a dívida por que já estava no final da gestão e não tinha mais tempo hábil para fazê-lo, mas deixou um cheque assinado e com fundos que cobriu essa despesa existente com o Hora Trabalhada. “No dia 31 de dezembro, a gestão anterior deixou o cheque assinado para quitar o Hora Trabalhada 2015”, disse.

O secretário Cícero Isidório disse que o Hora Trabalhada está no plano de governo da gestão Zé Helder (PMDB), e que mesmo com as dificuldades financeiras, neste ano de 2017, o governo buscará pactuar recursos para que o programa seja executado de 2017 para 2018. “Faremos os convênios em outubro, com inscrições de novembro para dezembro de 2017 e execução do programa em 2018”, explicou.

11:25 · 13.02.2017 / atualizado às 11:34 · 13.02.2017 por