Desenroladas

Categoria: Fotografia


08:00 · 19.12.2013 / atualizado às 08:50 · 18.12.2013 por

Part. 1 – Looks Desenrolados

Vou contar uma coisa pra vocês: eu tenho o maior orgulho das minhas amigas. Elas são lindas, cada uma no seu estilo. Nós somos completamente diferente umas das outras e cada uma imprime a sua personalidade no modo de vestir! Por isso que, neste domingo, enquanto nos reunimos para uma tarde de piscina e diversão, resolvi fotografar algumas delas para mostrar para vocês. Nada elaborado, nada mega produzido, nada complicado. Só um grupo de amigas se divertindo com uma câmera na piscina!

Dani Gesser

DCIM101GOPROVestido: desapego de uma amiga, comprado em uma feira em Londres | Óculos: Lo.pa

Ela é um acontecimento! A Dani é uma estilista paulista que mora em Fortaleza já há quase 10 anos. Super espoleta, está sempre inventando alguma coisa e tem uma disposição que parece não acabar nunca. E toda essa energia se reflete muito no estilo dela de se vestir. Sempre de olho no que ainda vai ser desejo na moda (afinal, ela trabalha com isso), a Dani adora misturar estampas, tendências e texturas, que também se misturam com as tatuagens, resultando em um estilo único.

Para uma tarde leve na piscina do prédio (ela era a anfitriã), optou por esse vestidinho que arrematou do desapego de uma amiga. Aliás, essa paulista adora garimpar peças em bazares, brechós, durante viagens ou pela internet, e combinar com looks de marcas consagradas. “Compro muito na internet, em sites como OQVestir, NastyGal e Asos. Em São Paulo, gosto do Brechó Casa Juisi. Adoro misturar peças da Zara, TopShop, Forever 21 com marcas poderosas. Em Fortaleza, costumo comprar na Farm, Animale, FYI e Cholet“,  revela.  Os  looks dessa estilista tem mesmo uma pegada bem High-Low que é a cara dela.

Ju Lousada

DCIM101GOPROCamiseta: Marisa | Short: Mercatto | Sandália: Di Santinni | Óculos: Lo.pa

A Ju aparece de vez em quando por aqui. Minha amiga desde os tempos de faculdade, ela sempre chamou atenção por ter um estilo muito próprio. Ela até sabe do que está na moda, mas se preocupa muito mais com o seu gosto pessoal na hora de “se montar”. E é isso que faz essa jornalista “dos-lacinhos-na-perna” ter um modo de vestir que é só dela. A Ju também não se preocupa muito com a marca das roupas que compra (na verdade, tenho a impressão que ela se preocupa zero com isso) e, por isso, também tem vários achados em lojas de departamento, supermercados e bazares em seu guarda-roupa.”Não tem nenhuma marca que eu seja fã e vá sempre na loja. Eu compro  onde eu entrar, achar bonito e puder/quiser pagar”, avalia.

Além disso, ela carrega consigo uma vantagem: opera super bem a máquina de costurar e sempre modifica as peças. Ou então, compra o tecido, pega a referência e manda para a costureira. Somado às tattoos, a gente pode dizer que a Ju só se enquadra em um estilo: o dela mesma.

Gabi

DCIM101GOPROBiquini: R do Sol | Camiseta: VOIR Image | Short:American Eagle Outfitters | Óculos: Lo.Pa

Toda essa tarde de domingo começou quando mandei uma mensagem pra Dani: “e aí, amiga. Como está essa piscina?”. Todo domingo acordo com um desejo de dar um mergulho, seja em uma piscina ou seja no mar. Minha intimação  Meu convite deu certo e aproveitei para estrear duas novidades no meu guarda-roupa: o biquini R. do Sol e a camiseta VOIR Image. O biquini tem uma estampa incrível de oncinha com aplicação de tons vibrantes, o que deixa a peça mais descontraída e com as cores do verão.

Já a camiseta foi um presente da Rafa Eleutério pela participação em um projeto que já já está no ar. A peça é uma produção da VOIR Image em parceria com a Ahaze, em que as imagens criadas para a exposição “As Mulheres e as Flores” se tornaram estampas. Além de apoiar as marcas e os artistas locais, adoro essas maxi-tshirts super cavadas. Definitivamente,  não largo mais a minha!

Part. 2 – Óculos Lo.Pa

DCIM101GOPRO

Alguém notou o ponto em comum no look das três? Estamos todas usando esses óculos incríveis que encontramos no Bazar Desapego, no stand da Lo.Pa. A marca garimpa achadinhos pelo mundo, além de algumas produções próprias,  e vende por aqui com um preço super acessível. Além disso, eles tem o maior cuidado nos detalhes e cada peça vem em um saquinho estampado lindo, além de incluir uma foto com uma imagem inspiradora. Ficamos apaixonadas! Foi um dos stands que mais fez sucesso no Bazar e já estamos esperando a próxima edição para fazer mais comprinhas. Ah, esses óculos custaram R$30 cada.

Part. 3 – Go Pro

DCIM101GOPRO DCIM101GOPROCaptura de Tela 2013-12-16 às 18.41.44

Aproveitamos a tarde para mais uma brincadeira: fazer fotos na piscina com a Go Pro. Essa câmera que mais parece de brinquedo é na verdade um equipamento poderoso que faz imagens em HD 1080p, captadas por uma lente fixa de 170 graus, dando conta de quase tudo ao redor, encapsulada numa caixa estanque à prova d’água e de poeira e resistente a choques. Ou seja, tem algo mais divertido do que isso?

A Go Pro é uma câmera popular entre os esportistas, que costumam prendê-la em pranchas, skates, motos, na cabeça, no punho ou aonde mais conseguirem para captar os movimentos mais inusitados. Não a toa ela foi criada por um surfista. Nicholas Woodman,  frustrado com a impossibilidade de registrar suas sessões com as mesma qualidade e proximidade dos profissionais (daí o nome: GoPro), resolveu desenvolver o seu próprio equipamento.

O mais legal é que, mesmo com o visor acoplado, debaixo d’água e sob sol forte ninguém consegue enxergar muito bem o que está fotografando. O que gera aquela mesma ansiedade gostosa das câmeras de filme, em que a gente não faz muita ideia do resultado que vai ter. Os registros são completamente intuitivos e dependem só da sorte.

full_GoPro_HD_Hero_3_357728 Gopro-Surfhero

Não sei bem onde vende em Fortaleza, mas você pode encontrar mais informações sobre a câmera no site oficial: http://pt.gopro.com/

Ufa! Quem diria que um domingo entre amigos pode render tanto, não é?

14:11 · 03.12.2013 / atualizado às 23:31 · 02.12.2013 por
_encontros-de-agosto-2
Obra de Isabelle Morais na exposição “Histórias de Ver”

Captar com sensibilidade um instante fugaz, é uma arte para poucos. Com a exposição “Histórias de Ver”, o Encontros de Agosto 2013 leva ao Museu da Cultura Cearense (no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura) obras de 36 autores que nesta edição discutem o tema “Memória e Produção de Conhecimento”. O evento promove ainda a exposição “Contra o Esquecimento”, fruto de intercâmbio inédito com o festival Encontros da Imagem, de Portugal.

Visitei ambas no fim-de-semana passado e fiquei encantada com os registros expostos. Confesso que senti ainda mais orgulho ao ver por lá os trabalhos de dois amigos muito queridos: os fotógrafos Deivyson Teixeira e Tiago Lopes.

Saiba mais sobre cada uma das exposições:

Histórias de Ver
Na mostra cearense estão trabalhos de 36 autores, entre profissionais e amadores, que têm a oportunidade de intercâmbio com fotógrafos portugueses e a possibilidade de expor em Portugal, no Festival de Braga.

Os fotógrafos cearenses na exposição são: André Bessa, Angela Moraes, Aziz Ary, Bruno Macedo, Celso Oliveira, Chico Gomes, Deivyson Teixeira, Descoletivo, Fábio José, Felipe Almeida, Felipe Camilo, Fernando Maia, Iana Soares, Igor de Melo, Igor Grazianno, Isabelle de Morais, Israel Campos, Luana Andrade, Marcelo Brasileiro, Marcelo Melo, Margareth Meneses, Marieta Rios, Marília Oliveira, Markos Montenegro, Mel Andrade, Nívia Uchôa, Paloma Pajarito, Ricardo Lima, Rodrigo Carvalho, Ruth Menezes, Sérgio Carvalho, Sheila Oliveira, Tatiana Fortes, Thiago Gaspar, Tiago Lopes e Titus Riedl.

_encontros-de-agosto-1
Obras na exposição “Histórias de Ver”

Contra o Esquecimento
Seis fotógrafos portugueses e um coletivo apresentam uma reflexão sobre a Memória por meio de diferentes olhares sobre a sociedade atual. As fotografias partem de recordações pessoais ou registros de valor social, contribuindo para o diálogo com a produção cearense em torno de tais vivências e das possibilidades dessa linguagem. A mostra portuguesa é composta por trabalhos dos seguintes autores: Nelson D’Aires (Álbum de Família), Tito Mouraz (Rua da Cabine), Carla Cabanas (Quid pro quo), Ana Janeiro (Histórias da Índia), Jordi Burch (Memory doesn’t work), Martim Ramos (Melancholia) e o coletivo KameraPhoto (DR – Um Diário da República). Dois dos fotógrafos portugueses participaram da última edição do Encontros da Imagem, em Braga. Os demais foram convidados por Ferreira especialmente para a exposição em Fortaleza.

 

Exposições do Encontros de Agosto 2013

Data: até 30 de janeiro de 2014
Local: Museu da Cultura Cearense e Galeria Dragão do Mar
Sites: www.encontrosdeagosto.net e www.encontrosdaimagem.com

08:27 · 11.11.2013 / atualizado às 13:37 · 08.11.2013 por

Entusiastas da fotografia, preparem-se! Nessa quarta-feira às 19h a Travessa da Imagem promove a primeira edição do Bazar fotográfico. O evento conta com diversas opções de livros e revistas de fotografia, trabalhos de grandes fotógrafos e artistas plásticos, leilão de fotografias e gravuras a preços imperdíveis.

Os livros estão com até 60% de desconto e dentre as fotografias autorais figuram nomes de peso como Tiago Santana, Celso Oliveira, Silas de Paula e Sergio Carvalho.

Além de garantir novidades para a sua biblioteca e/ou imagens maravilhosas para a sua casa, você ainda ajuda a fomentar a arte da nossa cidade. Toda a renda arrecada no Bazar fotográfico será destinada para a produção da revista Olho de Peixe (edição especial da Bienal Internacional de Dança do Ceará).

bazar-fotografico_insta (1)

 

Bazar Fotográfico

Data: 13/11/2013

Horário: 19h

Local: Travessa da Imagem (Rua Adolfo Caminha, 127B – Centro)

Mais informações: (85) 3023.1981

http://www.travessadaimagem.com.br/

08:00 · 28.10.2013 / atualizado às 18:38 · 27.10.2013 por

O preconceito é grande: há quem diga que foto com flash é um terror, por que a luz fica “estourada” na cara das pessoas. Se você está nesse grupo, sinto informar, mas o problema é que você está usando o seu equipamento de forma errada.

Para melhorar os registros fotográficos, a Travessa da Imagem lança o “Workshop de Flash Dedicado” que acontece nos dias 2 e 3 de novembro. O workshop é destinado a fotógrafos com um conhecimento básico/intermediário que desejam entender o comportamento da luz na fotografia.

Web

O programa tem como objetivo  introduzir a iluminação artificial portátil por meio do uso de flashes dedicados. Esses equipamentos potencializam abordagens fotojornalísticas, assim como o registro de eventos ou a simulação de esquemas de iluminação típicos de estúdio.

Os conhecimentos apresentados podem ser também em locações externas, possibilitando equalização da luz ambiente com a luz do flash e possibilitando formas criativas de iluminação. Para isso, o primeiro dia será destinada a uma abordagem teórico-prática de flash on camera e o segundo dia será focado em técnicas de flash off camera.

SERVIÇO

Workshop de Flash Dedicado 

Local: Travessa da Imagem

Início: 2 e 3 de Novembro de 2013

Duração: 16 horas/aula

Investimento: R$ 500,00 à vista ou R$ 600,00, em 3x somente na Travessa da Imagem ou em até 12x no Pagseguro.

Professores: Markos Montenegro e Igor Grazianno

Mais informações: http://www.cursofotografiafortaleza.com.br/workshop-flash-dedicado/

14:00 · 14.10.2013 / atualizado às 12:05 · 14.10.2013 por
__blog-desenroladas-lomography-guia-lomo-câmera-analógica-2
Fotografando com minha LOMO Supersampler na Av. Beira Mar (Foto: Sam Cavalcante)

Nos anos 90, com a Guerra Fria chegando ao fim, dois estudantes vienenses conheceram uma câmera compacta russa que possibilitava efeitos lindos e diferentes nas fotos, como vazamento de luz e saturação nas cores. Era uma Lomo e o resto, é história. Hoje, com o forte movimento cultural em torno de hábitos com “ar retrô”, a fotografia analógica continua viva graças aos apaixonados por esse tipo de registro. Sejam profissionais ou não.

A Lomography é uma das marcas mais beneficiadas com esse movimento, com lojas em diversos lugares do mundo e também uma Loja Online que reúne sua comunidade de “lomógrafos”. Lá, é possível conhecer o trabalho de grandes fotógrafos, como hodachrome e jorgesato, e trocar várias dicas com entusiastas da fotografia analógica.

Sou apaixonada por fotografia desde pequena e sempre fui muito curiosa para aprender mais sobre o processo de revelação. Só fui descobrir o “passo a passo” durante a faculdade de jornalismo e fiquei ainda mais encantada com a câmara escura e seus processos químicos. Mesmo utilizando a fotografia digital no trabalho, continuo tendo as câmeras analógicas como hobby. Os diferentes tipos de filmes dão inúmeras possibilidades lindas para as imagens e é incrível poder “brincar” com duplas exposições e outros efeitos.

De tanto me pedirem informações sobre as maravilhas lomográficas, resolvi reunir aqui dicas com algumas das câmeras que fazem parte da minha coleção. Saiba mais sobre essas belezinhas (sim, elas também ficam lindas na decoração! rs) e prepare-se para cair de amores:

__blog-desenroladas-lomography-guia-lomo-câmera-analógica-1

 

DIANA MINI

Para mim, essa é “a” básica. Tanto que foi a primeira que comprei. Super compacta, ela tem um flash poderoso, o Diana+ Flash, que acompanha gelatinas coloridas (o efeito fica muito semelhante ao da câmera Color Splash). Possibilita três distâncias focais e usa filme 35mm. Permite também fazer fotos com longa exposição e múltiplas exposições no mesmo quadro. Essa da foto é uma Diana Mini & Flash Petite Noire. Clique aqui para conhecer todos os modelos de Diana Mini.

_lomo-diana-mini-1
Light painting com Diana Mini (Foto: Clara Dourado)
_lomo-diana-mini-2
Dupla exposição com gelatina azul e vermelha no flash, com Diana Mini (Foto: Sam Cavalcante)

 

HOLGA

Com três zonas de foco e filme 35mm, a Holga também é uma boa opção para “lomógrafos de primeira viagem”. Versátil, ela foi produzida originalmente na China durante os anos 80. Algumas imagens ficam com um efeito “vignetting” lindo, que é quando as bordas ficam ligeiramente mais escuras que o centro da fotografia. Existem também Holgas que usam filme 120 ou 110mm, então é bom pesquisar bastante antes de efetuar a compra. Na foto, Holga 135 BC.

holga-lomography
Pôr do sol na Praia de Iracema, registrado pela câmera Holga (Foto: Sam Cavalcante)

 

FISHEYE

Com a famosa lente “olho de peixe” (grande angular), essa câmera é sempre um sucesso. O efeito da lente e o flash ficam ainda melhores em fotos de close. Permite também fazer fotos com longa exposição e múltiplas exposições no mesmo quadro. Usa filme 35mm. Esta minha é da edição limitada Fisheye No. 2 Gold, que está fora de estoque. Saiba mais sobre a família Fisheye clicando aqui.

cumbuco-fisheye-lomography
Foto que fiz no Cumbuco com câmera Fisheye

 

SUPERSAMPLER

Com quatro lentes, a SuperSampler é o meu mais novo xodó! Ela registra quatro imagens panorâmicas em sequência, num só quadro. O único “lado ruim” é que ela tem foco fixo e não tem conexão com flash. Ou seja, só serve para fotos diurnas. A minha é a SuperSampler Rubberized Black.

supersampler-lopmography
Foto que fiz em Londres com a Supersampler

 

SOBRE OS FILMES

Prefiro as câmeras que usam filmes 35mm porque eles são mais fáceis de encontrar e revelar. Alguns filmes especiais da Lomo, como o Purple ou X-pro exigem um processo específico de revelação (o E6) e nem as lojas oficiais da Lomo fazem mais esse tipo de processo cruzado. Dá um trabalhinho, mas o ideal é buscar em fóruns ou grupos no Facebook pessoas que façam esse tipo de processo para não correr o risco das suas fotos perderem as características do filme. Mas isso já é dica para outro post! 😉

Pesquisar
Posts Recentes

02h04mFestival Varilux de Cinema Francês começa hoje

08h04mEstilo de festival: dicas para montar o look perfeito

10h04mTendência: os flamingos invadem a moda

10h03mMudança de ares

03h03mLooks Desenrolados – Lançamento Couro & Cia

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs