Busca

Tag: paisagismo


12:06 · 20.05.2018 / atualizado às 12:06 · 20.05.2018 por

Objetos de beleza escultural por direito próprio, os Botânicos de plantadores de plantas do designer Helen Kontouris foram inspirados em visitas a jardins botânicos e no amor do designer por plantas nativas australianas. Entrelaçados com vigorosas plantas trepadeiras – sejam ornamentais ou portando frutas e vegetais comestíveis, essas telas versáteis e criativas podem ser usadas em ambientes internos e externos para levar o poder de cura da natureza aos ambientes urbanos. Ao contrário das “paredes verdes” mais complexas e dos jardins verticais, cada tela do plantador funciona da mesma forma que um vaso de plantio único, mantendo a manutenção contínua mais fácil. Disponível através do Stylecraft.

Pesquisa e texto: Omar de Albuquerque

12:40 · 16.03.2018 / atualizado às 12:40 · 16.03.2018 por

Versátil, luxuoso e brilhante. Os mosaicos vítreos são resistentes e são ideais para dar personalidade aos revestimentos das áreas molhadas, como banheiros, spas e piscinas. A rica luminosidade do material de “mosaico” acrescenta um toque requintado a qualquer tipo de espaços com motivos decorativos aparecendo em grande intensidade, quebrando em sinais sutis com suas formas geométricas e com um grande leque em opções de cores. Além disso, uma vez que os ladrilhos são pequenos, facilitam a sua aplicação em superfícies curvas, criando assim lindas paginações de piscinas.

pesquisa e texto: Omar de Albuquerque     Fotos:

11:21 · 12.03.2018 / atualizado às 11:21 · 12.03.2018 por

As guirlandas com design escultural, são peças simples, mas ao mesmo tempo cheias de vida e natureza. Criação da designer Débora Cruz   que se junta ao Estúdio Iludi para uma parceria cheia de ideias e movimentos. O porta- plantas que criam paisagismos pendentes, muito usados na década de 1970, voltam como tendências nos tempos atuais, refletindo uma real e nítida delicadeza poética de que foi concebida e executada com carinho, irrigados por água e os pelos melhores sentimentos. O adorno é feito de ferro galvanizado e pintura eletrostática. Também pode ser chamada de gaiola de plantas sem porta.

Pesquisa e texto: Omar de Albuquerque     Fotos: Estúdio Iludi

08:28 · 16.02.2018 / atualizado às 08:28 · 16.02.2018 por

O ano de 2018 começa com lançamentos de corda e muito design na Galeria das Lonas. A marca apresenta a Linha Spade, composta por Mesa de Centro, Sofá, Cadeira e Poltrona, ideal para receber com muito bom gosto e conforto. Com design orgânico, os móveis da Linha Spade são de alta resistência e durabilidade, com estrutura em alumínio e acabamento em corda sintética na cor cinza, com tecido na cor cinza claro. Perfeitas para ambientes modernos e sofisticados, os móveis são versáteis e podem ser peça chave para a decoração de varandas, jardins, salas e livings. (www.galeriadaslonas.com.br).

Pesquisa e texto: Omar de Albuquerque   Fotos: Florez Comunicação

 

 

 

 

00:44 · 30.01.2018 / atualizado às 00:50 · 30.01.2018 por

Novos projetos de arquitetura de interiores e decoração, é a aposta para oferecer sofisticação e novas experiências de consumo para mercado de luxo em entretenimento no Brasil.

 Pensando nas novidades para a temporada de verão 2018, o Grupo Novo Brasil apostou em alguns projetos de reformas arquitetônicas e de melhorias nos seus restaurantes e beach clubs de Jurerê Internacional e da Praia Brava, no extremo norte da Ilha de Santa Catarina. A proposta, além de inovar e trazer ainda mais comodidade ao público durante a temporada mais esperada do ano, é ampliar a intensidade da experiência única e de descontração, fortalecendo sempre a identidade e as peculiaridades de cada ambiente. Com assinatura da arquiteta Taty Iriê, os projetos incluem desde adequação de layout em alguns ambientes, novidades na decoração, mudanças no reposicionamento das marcas e inserções de elementos de ativação, que são definidos como locais de identificação de marcas parceiras e das próprias casas.   Os turistas de todo o país que curtem Florianópolis como destino de férias na temporada já desfrutam destas novidades implementadas inspiradas nas últimas tendências arquitetônicas, que trazem ainda mais conforto em locais nacionalmente conhecidos como o P12, Acqua Plage, Donna Jurerê e o Le Barbaron. Para Taty Iriê o investimento em inovação é um dos maiores diferenciais dentro do ramo do entretenimento e isso deve ser reconhecido e priorizado.  A área onde fica a piscina do Beach Club também ganhou novidades: luminárias no formato de abajur com quase cinco metros de altura. Além disso, foram feitas melhorias nos camarotes dessa área. Adequações de layout da casa também foram feitas, incluindo a ampliação e reestruturação da entrada lateral do Beach Club e o redimensionamento da cobertura de entrada dos camarotes para maior conforto e comodidade dos clientes em dias de chuva ou de muito sol. O Donna Jurerê ganhou nova decoração. Os estofados, almofadas e cortinas foram substituídos por tons de azul, roxo e azul tiffany, cor que tem se tornando uma das últimas tendências em decoração. A nova proposta valoriza ainda mais o conceito de sofisticação do Dinning Club.

 

Pesquisa e textos; Omar de Albuquerque    Crédito das fotos: Adriel Douglas.

11:46 · 26.01.2018 / atualizado às 11:46 · 26.01.2018 por

O estúdio de design Goula Fiquera, com sede em Barcelona, concebeu uma coleção de luminárias experimentais que reúnem em um único objeto dois elementos que estão muito presentes na paisagem doméstica: iluminação artificial e vegetação. As plantas, para viver em lugares fechados, basicamente necessitam de luz natural e água, no entanto, em interiores modernos, a luz natural nem sempre está disponível, enquanto a iluminação artificial hoje permite cultivar vegetais sem um único raio de sol. Assim nasceu as luminárias com minijardins, Viride – de verde latino, que combina a capacidade de transformar interiores de luz com a beleza decorativa e natural de plantas em uma nova concepção de objetos decorativos. A natureza dentro de casa.

Pesquisa e textos: Omar de Albuquerque     Fotos: cemporcentodesign.com.br

13:07 · 28.11.2017 / atualizado às 13:07 · 28.11.2017 por

Escolher os revestimentos que devem ser usados na varanda ou na área externa não é tão simples quanto eleger o piso da sala de estar ou da cozinha. Além da estética e do conceito do projeto, é preciso levar em consideração questões mais técnicas, como saber se o piso é escorregadio ou se vai resistir bem aos fatores climáticos (chuva, sol constante, poluição…).

 Decks de madeira, pedras, mármores rústicos e ladrilhos hidráulicos estão entre as opções convencionais, mas elas têm um problema: ou sua resistência deixa a desejar ou a manutenção é complicada demais. A sorte é que com os revestimentos de última geração da Biancogres é possível reproduzir o mesmo visual de todos esses materiais, porém sem abrir mão das incríveis vantagens do porcelanato ou da cerâmica. Quer tirar a prova? Confira abaixo 4 modelos indicados para áreas externas e acesse o site para descobrir muitos outros.

Porcelanatos que imitam decks de madeira

Além das vantagens práticas, como a durabilidade e a facilidade de instalação, os porcelanatos que imitam decks são acompanhados pelo fator sustentabilidade – afinal, previnem o uso inconsciente da madeira. O design de cada modelo dessa linha partiu de intensos estudos das madeiras de demolição para que o produto final exibisse traços marcantes, semelhantes aos desgastes que o material sofre naturalmente quando exposto à ação do tempo. Em versões quadradas de diferentes medidas, os porcelanatos permitem várias possibilidades de paginação.

Porcelanatos que imitam pedras em mosaico

Perfeitos para serem usados ao redor de piscinas ou na varanda de uma casa de campo, por exemplo, os porcelanatos que imitam pedras em mosaico reproduzem com precisão a textura original desse tipo de piso. Mais aderentes e resistentes à água, as placas poupam o morador dos problemas que as pedras naturais costumam apresentar sem comprometer a estética do projeto. Misturando tonalidades e diferentes formatos, os modelos Blocchi Chiara e Multi Pietra são capazes de valorizar qualquer área externa.

Pesquisa e Textos: Omar de Albuquerque   Fotos:  Mariana Amaral Comunicação

11:00 · 27.11.2017 / atualizado às 11:00 · 27.11.2017 por

O artista plástico polonês Frans Krajcberg, fez arte da morte. Transformou troncos retorcidos pelo fogo em manifestações pela beleza plástica. Plantou uma floresta de obras de arte.

Como definir Frans Krajcberg, um artista plástico, pintor, escultor, gravador e fotógrafo ou simplesmente um polonês que lutou na segunda guerra mundial contra o nazismo, se radicou no Brasil desde 1972 para travar mais uma luta, dessa vez contra a devastação da exuberante natureza que encontrou em terras brasileiras através da sua arte. Frans, nasceu na Polônia e naturalizado brasileiro, pais que considerava sua segunda pátria, onde alega ter tido a oportunidade de nascer pela segunda vez. Formado em Engenharia e Artes na Rússia, veio para o Brasil onde se viveu no município baiano de Nova Viçosa. O artista usava restou de matérias prima descartadas pela natureza para a confecção de suas monumentais obras de arte. Eram cipós, trocos de arvores, raízes de plantas expostas ou restou de troncos de arvores destruídas por incêndios florestais. Frans Krajcberg faleceu no último dia 15 de novembro aos 96 anos de idade, segundo relatos, sempre comentava que chegaria a um século de vida, esse era seu maior desejo. Mas deixou uma vasta obra como legado de vida, fez arte da morte da natureza. Transformou troncos retorcidos pelo fogo em manifestações pela beleza plástica. Por ter plantado uma floresta de obras remanescestes de seu sitio de uma área de 1,2 km², um resquício de Mata Atlântica e de manguezal, o artista plantou mais de dez mil mudas de espécies nativas no sítio, foram construídos dois pavilhões projetados pelo arquiteto Jaime Cupertino, abrigam atualmente mais de trezentas de suas obras. A melhor definição a Krajcberg, foi feita pelo cineasta Walter Salles em, onde o define como “ O poeta do Vestígio”, também título de seu documentário de 1987.

Pesquisa e textos: Omar de Albuquerque    Fotos: Divulgação

 

 

 

00:50 · 21.11.2017 / atualizado às 00:50 · 21.11.2017 por

Imagine um jardim ou terraço como uma sala em que o teto foi substituído pelo céu, as paredes por árvores, e o tapete por grama. Tudo o que resta são algumas peças de mobiliário incrivelmente confortáveis. É assim que Designer Al Ondefmam define sua nova criação para a linha de Móveis de Área Externa da Airten Decorações. Com destaque nos tecidos nacionais e importados que acompanham as tendências Europeias. Os estofados são muitos leve e sem estrutura rígida, pois possuem enchimento em EPS. Os melhores do design Italiano estão estampados nos modelos Milano e Parma. Onde encontra: www.airten.com.br

Pesquisa e texto: Omar de Albuquerque    Fotos: Airten Decorações

 

13:24 · 30.10.2017 / atualizado às 13:24 · 30.10.2017 por

O paisagismo de Alex Hanazaki recebe prêmio internacional ASLA 2017 com projeto de antigo ambulatório do Jockey Clud de São Paulo. Paisagismo em que a natureza reina.

Arquiteto paisagista brasileiro, Alex Hanazaki soma mais uma importante premiação à sua carreira com o prêmio ASLA 2017, da American Society of Landscape Architecture  ̶  a mais respeitada associação de arquitetura paisagística mundial, fundada em 1899   ̶   concorrendo com grandes nomes internacionais da área. Considerado um dos grandes nomes da arquitetura paisagística contemporânea no Brasil, conquistou a condecoração internacional com o projeto erguido em uma área de preservação do antigo ambulatório do Jockey Club de São Paulo. O espaço que tem mais de 450 m², equilibra elementos industriais com os naturais. Com uso de plantas nativas, de baixo consumo hídrico e manutenção, reforçando a brasilidade do espaço, plantando 12 árvores do icônico Pau-Brasil, cultivado em viveiro em toda área. Criar surpresas ao longo do caminho foi outro grande propósito de Hanazaki. Estimulado por diferentes sensações, o visitante ao entrar no espaço é surpreendido por um túnel que, de um lado formado por um imenso jardim vertical e do outro por um grande brise feito com estrutura metálica e porcelanatos, aplicados de forma inusitada, em diferentes tons, como: preto, cinza, bege, nude, off-white e branco. Propositalmente, a pouca luz do corredor faz com que as retinas dos olhos do público se fechem e então estimulem um sentimento de mistério e expectativa, que ao final do percurso, logo se abra para a contemplação da área externa.  No ambiente principal, o visitante encontra duas ambientações. À direita, um grande espelho d’água, revestido de seixos negros de porcelanato e cubos do mesmo material, distribuídos em seu interior, propondo o conceito de um caminho sobre as águas, compostos com pequenos jardins flutuantes.

pesquisa e textos: Omar de Albuquerque   Fotos: Yuri Seródio