Busca

Tag: economizar


15:37 · 31.03.2015 / atualizado às 15:37 · 31.03.2015 por

Tão importante quanto aprender Matemática, é aprender o valor das coisas. Quanto custa aquele chocolate que é bom de comer depois do almoço? Qual é o valor daquele brinquedo super bacana visto naquele outro dia? Será que é muito caro aquela viagem feita com os pais no final do ano para o interior?

diarinho_capa_29.03

Ser criança não é barato. Principalmente nos dias de hoje, quando existem muito mais opções de atividades, passeios e objetos que despertam o interesse e a vontade de fazer ou ter. Muitas vezes, por não saber o valor das coisas, as crianças ficam tristes (ou até mesmo emburradas) quando não ganham aquilo que pediram para os pais “porque está muito caro” ou “não tem dinheiro para isso”.

Um dos meios utilizados pelos pais para ensinar aos filhos o valor do dinheiro é incentivá-los a manter um cofrinho. O processo de juntar moeda por moeda e esperar até que o cofre esteja cheio para ver o quanto foi economizado e a recompensa no final de todo esse processo, não só é um ensinamento básico de economia, como estimula as crianças a desenvolverem um objetivo e trabalharem para alcançá-lo.

Otávio Benevides, 7, economizou para comprar a moto do Homem-Aranha Foto: Fernanda Siebra/ Agência Diário
Otávio Benevides, 7, economizou para comprar a moto do Homem-Aranha Fotos: Fernanda Siebra/ Agência Diário

Foi assim que Otávio Benevides, de 7 anos, conseguiu comprar a moto do Homem-Aranha no ano passado. Ele ganhou um porquinho de presente da mãe e, jundo com a família e amigos foi enchendo o cofre no decorrer do ano.

otavio_colagem

Então, no dia 19 de dezembro de 2014 o porquinho foi quebrado e Otávio não só pôde comprar o brinquedo, como deu um presente para o primo e colocou o restante do dinheiro na poupança. Este ano, ele já tem um novo porquinho e diz que quer fazer a mesma coisa: enchê-lo para poder comprar um novo brinquedo e guardar o resto do dinheiro.

Quem também segue a tradição do cofrinho de porquinho é a Lara de Oliveira, de 4 anos. Ela começou a juntar as moedinhas para fazer sua festa de aniversário em agosto, porém uma ideia mais divertida apareceu e agora ela quer usar as suas economias para viajar com os pais para Gramado, no Rio Grande do Sul.

Lara de Oliveira, 4, começou a juntar moedinhas para fazer sua festa de aniversário, em agosto Fotos: Fabiane de Paula/ Agência Diário
Lara de Oliveira, 4, começou a juntar moedinhas para fazer sua festa de aniversário, em agosto Fotos: Fabiane de Paula/ Agência Diário

Além do porquinho, Lara também tem uma caixinha onde ficam as moedas menores que ela usa para comprar os doces que ela gosta. A menina também diz que tem planos para um terceiro cofrinho, mas esse será para fazer a festinha de um ano do irmãozinho mais novo, Miguel. Como ele ainda é muito pequeno, não custa nada ajudar, não é?

lara_colagem

Já a Isabela Tavares Albano começou a manter um cofre quando tinha apenas quatro anos de idade para ajudar a mãe a fazer a festa de aniversário do colégio. A economia deu tão certo que hoje, com 6 anos, ela está enchendo um segundo cofrinho, desta vez uma garrafa, para poder viajar com os pais e a avó para Juazeiro do Norte no Natal.

Isabela Tavares, 6, escolhe garrafas de plástico para guardar as moedinhas Fotos: Fernanda Siebra
Isabela Tavares, 6, escolhe garrafas de plástico para guardar as moedinhas Fotos: Fernanda Siebra

A ideia de usar uma garrafa de plástico como cofre veio da tia-avó Bazinha, que sempre teve o costume de juntar dinheiro para visitar a família no final do ano. De acordo com Isabela, guardar dinheiro desse jeito acaba sendo muito mais interessante porque “a garrafa só fica com o peso das moedas, você vê quanto tem dentro e ainda recicla”.

isabela_colagem

Educação financeira para crianças

A obra “Lições de Valor – Educação financeira escolar” é dica para quem quer começar a economizar e não sabe bem como. Escrita por Andyara de Santis, que possui experiência de 11 anos no mercado financeiro, em seu primeiro desafio junto ao público infantil, estimula o envolvimento da família nas atividades propostas e a participação protagonista da criança ou adolescente.

CAPA_VALOR_LA“Trocando reflexões, receitas novas de pensar e agir, construímos uma mudança mais efetiva no mundo. Este é o objetivo principal do livro”, diz a autora que, em seguida, enfatiza a importância do exemplo dos pais dentro de casa. “Os filhos se espelham na educação que recebem. E eles observam como os pais lidam com consumo, escolhas e prioridades. A participação da escola é importante também nessa formação, mas a experiência no lar é a principal”.

Pensando nessa realidade, a obra traz atividades para serem desenvolvidas em família e também na sala de aula. Dentre os exercícios, por exemplo, propõe aos estudantes planejar financeiramente a feira da semana e refletir sobre os consumos de água e luz dentro de casa.

Estimular este hábito pode resultar em escolhas que garantam mais qualidade de vida a esses jovens, assim como em economia no orçamento da família, estimulando, ainda, uma relação responsável entre consumo e sustentabilidade.

Aprenda a lidar com seu dinheiro*: 

Visão de Futuro: Anote em um quadro cada meta que você tem, quando quer realizá-la e o valor necessário para isso. Pesquise, converse com seus pais e amigos, procure na internet e faça a estimativa mais aproximada possível do custo do seu sonho na vida real.

Talentos: Pense em atividades feitas por você, como tocar instrumentos, falar outra língua, ser campeão no videogame, cozinhar ou fabricar acessórios para ganhar algum dinheiro.

Consciência nas escolhas: Reflita sobre as escolhas que você faz no dia a dia e pergunte a si mesmo se está escolhendo para satisfazer seus valores e sonhos ou está apenas se deixando levar pelos colegas, pela propaganda ou pela moda.

Mesada: Se você recebe uma mesada, reserve uma parte do dinheiro todo mês. Esta quantia poderá ser gasta para comprar um brinquedo que queria depois de alguns meses ou para outro objetivo a ser definido, com base em seus gostos e sonhos.

Doação ou feira de troca: o que você não usa mais no dia a dia pode ser doado a amigos/parentes. Outra opção é pedir para os seus pais a ajuda para fazer uma feira de troca de brinquedos ou roupas, por exemplo.

*Dicas da autora Andyara de Santis

Serviço:
Lições de Valor – Educação financeira escolar
Autora: Andyara de Santis
Volume único
Editora Moderna
Materiais complementares do livro no site www.moderna.com.br/licoesdevalor – como sugestões de leituras, atividades extras e planilhas de controle financeiro.
13:19 · 20.01.2012 / atualizado às 13:19 · 20.01.2012 por

Assim como mostramos no Diarinho do último domingo, dia 15, já é tempo dos papais e mamães começarem a pensar em comprar os materiais escolares para o ano letivo que está bem pertinho de iniciar. Para auxiliar nesse momento, nós damos algumas dicas imperdíveis para que economizem tempo e dinheiro na hora de encarar as livrarias e papelarias. Anotem aí!

1) Grande parte do material que seu filho usou no ano passado ainda pode ser utilizado este ano. Quer exemplos? Apontador, estojo, tesoura, régua e outros itens costumam apresentar bom estado de conservação. 

2) Fique atenta à lista de pedidos da escola, pois algumas podem conter exageros. Segundo o Código de Defesa do Consumidor, a “venda casada” é proibida, o que significa que a escola não pode exigir marcas ou locais de compra específicos. A exceção fica para o caso de apostilas pedagógicas próprias do colégio. A escola também não pode exigir a compra de materiais de higiene pessoal e limpeza e muito menos cobrar taxas para suprir despesas com água, luz e telefone.

3) Em relação aos livros didáticos, converse com pais que tenham filhos em idade escolar diferentes do seu. Os livros utilizados pela turma do ano passado, provavelmente, serão os mesmos deste ano. Assim, que tal realizar trocas ou comprar os livros por um preço mais em conta?

4) Tente evitar os itens com aparência de brinquedo ou com imagens de personagens e artistas. Esses artigos licenciados costumam ser bem mais caros. Mas, caso seu filho insista por produtos com personagens e temáticas específicas, apresente a ele a opção dos adesivos. Vocês podem colar imagens dos ídolos dele na capa do caderno, por exemplo. E tudo ainda fica bem mais divertido!

5) Algumas lojas dão desconto para compras em grande quantidade. Assim, sempre que possível, tente conversar com outros pais para realizar compras conjuntas. Ah, e não esqueça de exigir a nota fiscal! Ela pode poupar dores de cabeça em caso de troca.

Veja mais em Revista Crescer