Busca

Tag: inteligência extraterrestre


19:28 · 17.12.2017 / atualizado às 19:39 · 17.12.2017 por
Foram estudados incidentes apontados por militares dos EUA Foto: US Air Force

O Pentágono admitiu ter financiado um programa secreto bilionário para investigar aparições de objetos voadores não identificados (óvnis).

O programa foi encerrado em 2012, de acordo com o Departamento de Defesa, mas reportagem do jornal “The New York Times” relatou que ele ainda está em execução. Os funcionários continuam a estudar incidentes apontados por militares dos Estados Unidos, em paralelo às suas atividades regulares no Pentágono.

O chamado Programa de Identificação Avançada de Ameaças de Aviação operou de 2007 a 2012 e recebeu 12 milhões de dólares por ano de financiamento, escondido no gigantesco orçamento do Pentágono, disse o Times, citando participantes e registros do programa.

O programa forneceu documentos que descrevem as aparições de aparatos voadores não identificados que pareciam se mover rapidamente, sem sinais visíveis de propulsão, ou sem meios aparentes de se erguer, afirmou o Times.

Funcionários do programa também examinaram vídeos dos encontros de aeronaves militares norte-americanas com objetos desconhecidos. Um deles, divulgado em agosto, mostra um objeto oval branco do tamanho de um avião sendo seguido por dois jatos da Marinha de um porta-aviões da costa da Califórnia em 2004, acrescentou a reportagem. O Departamento de Defesa disse em nota que o programa foi encerrado.

“O Programa de Identificação Avançada de Ameaças de Aviação foi concluído em 2012. Determinou-se que havia outra questões mais prioritárias que mereciam financiamento e foi com a melhor das intenções que o Departamento fez essa mudança”, afirmou.

“O Departamento de Defesa leva muito a sério todas as ameaças e ameças em potencial ao nosso povo, nossos ativos e nossa missão, e toma ações quando qualquer informação verossímil aparece”.

Com informações: AFP

19:58 · 19.07.2017 / atualizado às 20:06 · 19.07.2017 por
Concepção artística de planeta orbitando a estrela Ross 128, sistema estelar que é o mais forte candidato a possuir uma civilização capaz de emitir sinais de rádio, desde a captação do chamado sinal “Wow”, em 1977 Imagem: Universe Today

Sinais peculiares estão sendo captados de uma estrela a apenas 11 anos-luz de distância, informaram cientistas em Porto Rico.

O ministério tomou conta da internet enquanto a especulação aumenta sobre a potencial descoberta de uma civilização extraterrestre na estrela anã vermelha conhecido Ross 128, apesar das tentativas dos astrônomos por frustrar esses rumores. Esse é o mais forte indício de uma eventual atividade inteligente extraterrestre, desde a captação do chamado sinal “Wow”, em 15 de agosto de 1977, em Ohio (EUA), pelo pesquisador Jerry Ehman.

“No caso de estarem perguntando, a atual hipótese dos extraterrestres está ao final de muitas outras explicações melhores”, declarou Abel Méndez, diretor do Laboratório de Habitabilidade Planetária da Universidade de Porto Rico, em Arecibo.

Algo incomum foi percebido pela primeira vez em abril e maio, quando a equipe estudava uma série de estrelas anãs vermelhas e relativamente frias, algumas das quais se sabe que tem planetas ao redor.

Ross 128 não é conhecida por ter planetas, mas nos últimos dias os cientistas se deram conta de que havia alguns sinais muito peculiares no espectro dinâmico de 10 minutos obtidos desta estrela, segundo Méndez.

Os sinais foram observados em 13 de maio, às 00H53 GMT, e “consistiam de pulsos quase-periódicos não-polarizados de banda larga, com características de dispersão muito fortes”, escreveu.

Há três explicações principais para essas rajadas: podem ser emissões similares às explosões solares, podem ser emissões de outro objeto no campo de visão de Ross 128 ou podem vir de um satélite em órbita elevada, segundo Méndez.

Os cientistas do Observatório de Arecibo, junto com astrônomos do instituto de busca de vida extraterrestre SETI, utilizarão o Allen Telescope Array e o Green Bank Telescope para observar a estrela pela segunda vez no próximo domingo.

Os resultados destas observações devem ser publicados no final da próxima semana, acrescentou.

Com informações: AFP