Diário em Séries

Busca


The Big Bang Theory tem o intervalo mais caro das séries americanas

Publicado em 18/10/2013 - 13:29 por | Comentar

Categorias: Audiência, Dinheiro

tbbtThe Big Bang Theory é o seriado com o intervalo mais caro da TV americana. Em pesquisa feita pela revista Adweek, a comédia superou outras séries como Modern Family e Os Simpsons, mas ficou atrás dos jogos da Liga Nacional de Futebol Americano (NFL), campeões disparados de publicidade nos Estados Unidos.

Para veicular uma propaganda de 30 segundos durante a sétima temporada de The Big Bang Theory, o anunciante terá que desembolsar US$ 326.260. Modern Family e Os Simpsons ficam em segundo e terceiro, cobrando 257.435 e 256.963 dólares, respectivamente.

Com apenas três episódios, a sétima temporada de TBBT apresenta uma média de 19,2 milhões de espectadores. 20,4 milhões de pessoas viram a estreia da nova temporada, batendo o recorde da série.

No entanto, Sheldon, Leonard, Raj, Howard e Penny ainda tem que suar a camisa para fazer TBBT entrar na lista de séries mais caras para se anunciar. Durante a última temporada de Friends, o comercial de 30 segundos custava US$ 473.500. Em 2003, meio minuto no intervalo de Will & Grace custava US$ 414.500.

Tags: , ,

Garrafa de cachaça brasileira aparece em The Big Bang Theory

Publicado em 03/05/2013 - 8:12 por | 10 Comentários

Categorias: Curiosidade

51_matUma poderosa ação de marketing colocou em um episódio de The Big Bang Theory um garrafa da marca brasileira Cachaça 51. Sim! Foi isso mesmo o que você leu.

No episódio 21 desta sexta temporada, o “The Closure Alternative”, , já exibido no Brasil, a bebida aparece como  uma das peças de decoração presentes na cozinha da casa de Penny.

A aparição da garrafa acontece apenas duas semanas depois de passar a valer uma medida que dá reconhecimento à cachaça como produto genuinamente brasileiro por parte do governo norte-americano.

O reconhecimento faz com que o item não seja mais comercializado como rum brasileiro, gerando expectativa no Instituto Brasileiro da cachaça (Ibrac), que espera aumentar a comercialização da bebida nos Estados Unidos.

Tags: , ,

Ator de “The Big Bang Theory” é processado por dever US$ 100 mil, diz site

Publicado em 26/11/2012 - 10:26 por | Comentar

FOTO:MARCOS ALVES / AGENCIA O GLOBO

O ator Kunal Nayyar, que interpreta o cientista Raj Koothrappali na série “The Big Bang Theory”, está sendo processado por dever US$ 100 mil (cerca de R$ 209 mil) a seu agente. Informa o site de notícias “TMZ”.

Segundo o site, a agência de artistas Diverse Talent Group exige que o ator britânico repasse parte do que cachê que ele ganha com a série porque a empresa alega que foram os responsáveis por conseguir o trabalho para Nayyar. A dívida se acumula desde setembro de 2011.

O “TMZ” tentou entrar em contato com a assessoria do ator, mas não obteve resposta. O advogado da DTG disse que o ator estava pagando as comissões desde 2007 e que não sabe por que os repasses foram interrompidos no ano passado.

Kunal Nayyar nasceu em Londes, mas se mudou para a Índia quando ainda era criança. O ator vive nos Estados Unidos desde 1999. Após pequenas participações na TV, Nayar fez testes para “The Big Bang Theory”, que estreou em 2007. Estrela de uma das séries mais bem sucedidas dos últimos anos, Nayyar agora é representado pela agência Innovative Artists.

As informações são da Folhapress

Tags:

Início do “fall season” não empolga

Publicado em 28/09/2011 - 2:08 por | 1 Comentário

O fall season 2011/2012 começou, de verdade, na semana passada, mas o que se viu até agora foi o mais do mesmo, sendo que, em muitos casos, isso é realmente grave. Promessas que não foram cumpridas, expectativas que não foram correspondidas, e muito, muito sono com a enxurrada de episódios sem graça. Vamos conferir alguns?

Glee

Resumo: O Glee Club quer recuperar sua moral. Para isso, precisa se esforçar mais para chegar às nacionais, e vencê-las. Com a saída de alguns membros, faz-se necessário convocar outros. Para isso, Will resolve espalhar pianos roxos pela escola. Quem esbarrasse com um, deveria começar um número, a fim de atrair candidatoszzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz….zzzzzz…z zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz……zzzzzz.

O que foi esse retorno de Glee? PÉSSIMO!!! Desde o fim do segundo ano, a promessa é de que a série focaria mais nas histórias (especialmente com o último ano de vários personagens) e os números musicais iriam ocorrer em menor frequência, mas com qualidade maior. E o que se viu? NADA! A premiere mais pareceu um episódio (muito ruim) da segunda temporada.

Em primeiro lugar, a série continua sem pé nem cabeça. Trata-se apenas de uma sucessão de fatos completamente desconexos. Will Schuester continua mais mala do que nunca. Nesse episódio, a exceção do número dos candidatos à Academia de Artes Dramáticas de Nova York (NYADA) e de You Can’t Stop the Beat, todos as outras performances foram sem inspiração. Muitas deixaram aquela sensação de vergonha alheia. Sem falar das bizarrices do roteiro, como a Quinn rebelde e o pití do Will, expulsando Santana do coral.

Pelo menos tivemos uma overdose de Sue Sylvester. Apesar de inventarem mais um argumento ridículo para ela acabar com o Glee Club – sua campanha eleitoral para o Congresso envolve o fim de repasses de verba para as artes nas escolas públicas -, Jane Lynch consegue salvar o dia.

Torço para que a série se recupere.  Pelo menos, na audiência, o público americano deu seu recado: não está gostando. A premiere desse ano teve audiência 27% inferior que a do ano passado.

Fringe

Resumo: Ambos os universos estão aliados para evitar a destruição do mundo. Depois que uma nova espécie de transmorfo começa a atacar as pessoas, Olivia alia-se ao Lincoln Lee deste lado e passa a desconfiar das verdadeiras intenções de Walternativo. Peter começa a assombrar Walter, aparecendo em espelhos ou no reflexo da televisão. zzzzzzzzz.zzzzzzzzz

Fringe continua patinando feio na audiência e já inicia sua quarta temporada como forte candidata a cancelamento. É melhor até que definam logo isso, para ver se a história começa a ser amarrada. A premiere foi, no mínimo, chata. Após um season finale surpreendente, esperava-se que a série trouxesse boas respostas, ou pelo menos situações mais interessantes. Peter segue “desaparecido”, mas a série praticamente não se deu o trabalho de mostrar como será daqui em diante, ou o porquê de os dois lados terem se tornado aliados, se o principal motivador daquilo tudo nunca existiu. o.O

Foi um típico episódio “caso da semana”. Frio e sem graça. Só serviu para apresentar o Lincoln Lee desse lado, de novo. Na temporada passada, Lincoln Lee era um agente do FBI que não atuava muito em campo. Agora, num contexto sem Peter, Lee é o contrário, um agente de campo, que perde o parceiro após este ser atacado por um novo tipo de transmorfo. Esses novos transmorfos, aliás, são mais humanos e alimentam-se de metais contido no sangue de outros humanos.

Fringe tem (ou parece ter) todo um universo de possibilidades pela frente, mas é uma pena que, pelo menos no episódio inicial, tudo tenha ficado apenas na promessa.

Charlie’s Angels (As Panteras)

Resumo: Após o assassinato de uma das panteras, as duas restantes resolvem investigar o que ocorreu. Descobrem que um antigo desafeto da falecida foi quem a matou e passam a contar com a ajuda da melhor amiga da moça, que, obviamente, passa a completar o trio. Fim. o.O

Sim, tem estreia aqui no Diário em Séries. Já vi também o reboot de As Panteras. Confesso que atrasei a análise das séries da semana justamente por conta dessa, em específico. Simplesmente, eu não conseguia passar da primeira metade do episódio.

A história é horrível, as angels não têm carisma, as interpretações são péssimas. Nada funciona. É vergonha alheia em profusão. É uma afronta até mesmo à versão cinematográfica dos anos 2000, com Cameron Diaz, Drew Barrymore e Lucy Liu. Essa, pelo menos, apesar de ruim, era divertida.

Não vou nem comparar com a série dos anos 70, com Farrah Fawcett e cia. Seria profanação demais.

Depois da primeira metade, o piloto deu uma melhorada. As cenas de ação ficaram (um pouco) mais interessantes, as Panteras deixaram de ser malas e a coisa fluiu melhor.

A história continuou horrível, as angels continuaram sem carisma e as interpretações continuaram péssimas, mas deu pra se divertir sem compromisso nos minutos finais. Vou dar mais uma chance para essa série.

Por mim, só seriam duas panteras. A interpretada por Annie Ilonzeh é a mais chata de todas, muito mala. Ah: discordo de quem está detonando a Minka Kelly, ela é a menos pior.

The Big Bang Theory

Resumo: Após cogitar desistir da carreira de atriz para ir embora, de tanta vergonha, Penny descobre que sua noite com Raj não ocorreu como ela imaginava. Apesar de terem acordado juntos, nada aconteceu. O indiano, entretanto, passa a nutrir uma paixão pela musa nerd, mas tudo é desfeito após uma conversa entre os dois. No segundo episódio, Sheldon aprova a poltrona de Penny, até o momento em que descobre que ela tinha sido abandonada no meio da rua. Depois disso, ele começa sua cruzada para eliminar a contaminação do prédio pelo objeto.

TBBT conseguiu salvar a semana. O roteiro permanece como na quarta temporada: sem saber para onde ir (ou seria sem ter?). Mas conseguiu entreter durante os dois episódios que abriram o novo ano. As situações constrangedoras, as piadas inteligentes, a excelente química entre Kaley Cuoco e Jim Parsons; tudo continua lá. Só espero que arranjem uma história melhor para o Raj. Era melhor quando ele não falava.

Tags: , , , ,

Com poucas surpresas, Emmy congratula Modern Family

Publicado em 19/09/2011 - 7:00 por | 1 Comentário

Categorias: emmy, Famosos, Premiação

Família vencedora

Se você foi guerreiro ao ponto de conseguir assistir, ontem, à toda a cerimônia do Emmy Awards sem dormir, agora, provavelmente, deve estar arrependido de ter feito isso. Chata e com poucas surpresas, a premiação transformou-se em ‘Modern Family Awards’ - como brincou muito oportunamente a apresentadora deste ano, Jane Lynch – e congratulou o programa com cinco estatuetas.

Não que isso tenha sido ruim. Pelo contrário: os prêmios foram merecidos e ajudaram a quebrar o clima de marasmo da noite. O problema foi todo o resto: inclusive a quarta vitória consecutiva de Mad Men como melhor série dramática. O programa é sensacional, de fato, mas não a ponto de tirar o brilho de Boardwalk Empire ou Game of Thrones.

Como surpresas, tivemos o próprio reconhecimento de Modern Family. Quem diria que a competente, mas apagada, Julie Bowen ofuscaria a favoritíssima Jane Lynch (Glee)? Fora em outras categorias, nas quais o seriado superou pesos como How I Meet Your Mother e 30 Rock.

Também foi agradável ver Jim Parsons (The Big Bang Theory) levar a estatueta pelo segundo ano consecutivo. Margo Martindale (Justfied) venceu em atriz coadjuvante de drama, como já se esperava. Em ator coadjuvante de drama, deu Peter Dinklage (Game of Thrones), enquanto John Slatttery (Mad Men) seguiu como eterno indicado.

Surpresa seria se Kate Winslet não faturasse o Emmy de melhor atriz em minissérie ou filme pra TV por Mildred Pierce. Claro que isso não ocorreu, o que gerou outro bom momento na premiação, já que Kate ficou extasiada com a congratulação.

Para quem interessar, Glee ficou de fora da festa de ontem. Aliás, se não fosse Jane Lynch apresentado, dificilmente alguém lembraria da série. Justo, já que o fator ‘novidade’ do programa acabou e o que se vê é um roteiro sem pé nem cabeça. Mas a gente continua assistindo, não é?

Aproveitando a análise do Diego,  queria apenas lembrar que a edição deste ano também deu a chance de redenção a alguns atores a à própria academia. A escolha de Kyle Chandler como Melhor ator em série dramática pelo trabalho em Friday Night Lights serviu apenas como um Emmy de consolação para uma excelente série que foi ignorada pela academia até a última temporada. Mas, antes tarde do que nunca, certo?

Oportunidade também aproveitada por Charlie Sheen, que fez uma aparição desconfortável, quase uma retratação pública para a equipe de Two and a Half Men. Desconfortável também estava Ricky Gervais, que fez uma piada sobre sua polêmica apresentação do Globo de Ouro de 2011. A aparição, totalmente sem criatividade, diga-se de passagem, também soou como um pedido de desculpas para quem sentiu-se ofendido no início do ano. (Fernanda Brasileiro)

Chega de papo e confira logo os vencedores do Emmy 2011:

Melhor Atriz em Série de Comédia

Laura Linney – The Big C

Edie Falco – Nurse Jackie

Amy Poehler – Parks and Recreation

Melissa McCarthy – Mike & Molly

Martha Plimpton – Raising Hope

Tina Fey – 30 Rock

Melhor Ator em Série de Comédia

Matt LeBlanc – Episodes

Jim Parsons – The Big Bang Theory

Steve Carell – The Office

Johnny Galecki – The Big Bang Theory

Louis C.K. – Louie

Alec Baldwin – 30 Rock

Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Comédia

Jane Lynch – Glee

Betty White – Hot in Cleveland

Julie Bowen – Modern Family

Kristen Wiig – Saturday Night Live

Jake Krakowski – 30 Rock

Sofia Vergara – Modern Family

Melhor Ator Coadjuvante em Série de Comédia

Jon Cryer – Two and a Half Men

Chris Colfer – Glee

Jesse Tyler Ferguson – Modern Family

Ed O’Neil – Modern Family

Ty Burrell – Modern Family

Eric Stonestreet – Modern Family

Melhor Série de Comédia

Glee

Parks and Recreation

The Office

Modern Family

30 Rock

The Big Bang Theory

Melhor Atriz em Série Dramática

Elizabeth Moss – Mad Men

Connie Britton – Friday Night Lights

Mariska Hargitay – Law & Order: SVU

Mireille Enos – The Killing

Julianna Margulies – The Good Wife

Kathy Bates – Harry’s Law

Melhor Ator em Série Dramática

Steve Buscemi – Boardwalk Empire

Michael C. Hall – Dexter

Kyle Chandler – Friday Night Lights

Jon Hamm – Mad Men

Hugh Laurie – House

Timothy Olyphant – Justified

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática

Christina Hendricks – Mad Men

Michelle Forbes – The Killing

Archie Panjabi – The Good Wife

Margo Martindale – Justified

Christine Baranski – The Good Wife

Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática

John Slattery – Mad Men

Andre Braugher – Men of a Certain Age

Walton Goggins – Justified

Peter Dinklage – Game of Thrones

Josh Charles – The Good Wife

Alan Cumming – The Good Wife

Melhor Série Dramática

Boardwalk Empire

The Good Wife

Mad Men

Friday Night Lights

Dexter

Game of Thrones

Melhor Programa de Variedades, Comédia ou Musical

The Colbert Report

Late Night With Jimmy Fallon

Saturday Night Live

Conan

Real Time With Bill Maher

The Daily Show With Jon Stewart

Melhor Reality Show de Competição

So You Think You Can Dance

The Amazing Race

Project Runway

American Idol

Dancing With the Stars

Top Chef

Melhor Direção Série Comédia

How I Met Your Mother – “Subway Wars,” Pamela Fryman

Modern Family – “Halloween,” Michael Alan Spiller

Modern Family – “See You Next Fall,” Steve Levitan

Modern Family – “Slow Down Your Neighbors,” Gail Mancuso

30 Rock – “Live Show,” Beth McCarthy-Miller

Melhor Roteiro Série Comédia

Episodes – “Episode 107,” David Crane and Jeffrey Klarik

Louie – “Poker/Divorce,” Louis C.K.

Modern Family – “Caught In The Act,” Steve Levitan and Jeffrey Richman

The Office – “Good-Bye Michael,” Greg Daniels

30 Rock – “Reaganing,” Matt Hubbard

Melhor Roteiro Série Drama

Friday Night Lights – “Always,” Jason Katims

Game Of Thrones – “Baelor,” David Benioff and D.B. Weiss

The Killing – “Pilot,” Veena Sud

Mad Men – “Blowing Smoke,” Andre Jacquemetton and Maria Jacquemetton

Mad Men – “The Suitcase,” Matthew Weiner

Melhor Direção Série Drama

Boardwalk Empire – “Anastasia,” Jeremy Podeswa

Boardwalk Empire – “Boardwalk Empire (Pilot),” Martin Scorsese

The Borgias – “The Poisoned Chalice/The Assassin,” Neil Jordan

Game Of Thrones – “Winter Is Coming (Pilot),” Tim Van Patten

The Killing – “Pilot,” Patty Jenkins

Melhor Atriz Coadjuvante Mini Série ou Filme para TV

Eileen Atkins, Upstairs Downstairs (Masterpiece)

Melissa Leo, Mildred Pierce

Maggie Smith, Downton Abbey

Mare Winningham, Mildred Pierce

Evan Rachel Wood, Mildred Pierce

Melhor Ator Mini Série ou Filme para TV

Idris Elba, Luther

Laurence Fishburne, Thurgood

William Hurt, Too Big To Fail

Greg Kinnear, The Kennedys

Barry Pepper, The Kennedys

Edgar Ramirez, Carlos

Melhor Ator Coadjuvante Mini Série ou Filme para TV

Paul Giamatti, Too Big To Fail

Brian F. O’Byrne, Mildred Pierce

Guy Pearce, Mildred Pierce

Tom Wilkinson, The Kennedys

James Woods, Too Big To Fail

Melhor Atriz Mini Série ou Filme para TV

Taraji P. Henson, Taken From Me: The Tiffany Rubin Story

Diane Lane, Cinema Verite

Jean Marsh, Upstairs Downstairs (Masterpiece)

Elizabeth McGovern, Downton Abbey (Masterpiece)

Kate Winslet, Mildred Pierce

Melhor Mini Série ou Filme para TV

Cinema Verite

Downton Abbey (Masterpiece)

The Kennedys

Mildred Pierce

The Pillars Of The Earth

Too Big To Fail

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Especial Emmys 2011: Melhor série do ano

Publicado em 17/09/2011 - 9:04 por | Comentar

Categorias: Análise

A contagem regressiva está quase no fim e chegou a hora da categoria mais importante da noite: Melhor série! Conheça os indicados:


Leonard, Sheldon, Raj, Howard e Penny já viraram ícones da cultura nerd (e por que não popular?) e chegam ao final da quarta temporada como uma das séries de maior audiência nos Estados Unidos. Neste ano, os nerds de The Big Bang Theory contam com cinco indicações aos Emmys.

O fenômeno Glee conquistou não só crianças e adolescentes, mas também caiu no gosto dos votantes de premiações, tornando-se um sucesso de público e também de crítica. A série foi indicada a doze prêmios em 2011, dois dos quais já levou para casa na entrega dos Creative Arts Emmy (a entrega dos prêmios mais técnicos): Participação Especial em série de comédia para Gwyneth Paltrow e Elenco para série de comédia.

A produção britânica The Office inaugurou um novo modelo de retratar ambientes de trabalho. A sensação de estar vendo a rotina de um escritório através de um “falso documentário”, com direitos até a depoimentos para dar mais veracidade, já conquistou o público e rendeu até um remake norte-americano. A produção americana não fica devendo nada a original e concorre a quatro prêmios Emmys.

Parks and Recreation segue a linha de The Office e nos apresenta aocurioso cotidiano do Departamento de Parques da pequena cidade de Pawnee. A série pode não ser tão famosa quanto as outras comédias indicadas mas foi a que apresentou a melhor temporada neste ano e deixou muitos fãs de Leslie Knope revoltados com apenas as três indicações recebidas.

Difícil não se apaixonar pela família Dunphy/Pritchett. Jay, Gloria, Manny, Claire, Phil, Haley, Alex, Luke, Cam, Mitchell e Lily formam um núcleo disfuncional e divertido. A excelente primeira temporada de Modern Family já caiu no gosto do público e rendeu seis troféus ao seriado. Já a segunda recebeu 17 indicações.

Tina Fey criou 30 Rock como uma série quase autobiográfica sobre os bastidores de um programa de variedades. Cuidado: acompanhar a luta semanal de Liz Lemon para controlar os egos dos protagonistas Tracy Morgan (Tracy Morgan), Jenna Maroney (Jane Krakowski), do executivo Jack Donaghy (Alec Baldwin) e dos roteiristas pode virar um vício. 30 Rock concorre a treze prêmios.

Filmes e séries sobre pequenos times vencendo barreiras costumam abusar de clichês e cair na mesmice. O mesmo acontece com séries que se passam em colégios. Friday Night Lights juntou as duas temáticas e soube apresentar aos espectadores, com bastante competência, o cotidiano de um pequeno time do interior do Texas. O diferencial? A profundidade dos personagens e as excepcionais atuações. A série entra na disputa em sua última temporada, em uma tentativa tardia da academia de corrigir o erro de ter ignorado-a nos últimos ano. A maior ironia é que FNL concorre ao prêmio principal com as mesmas chances dos Dillon Panthers vencerem o campeonato estadual. Será que o Coach Taylor vai conseguir levar esse troféu para casa?

A tensão de acompanhar o personagem Dexter equilibrar o instinto assassino e o trabalho como analista forense prendeu milhares de fãs e já transformou o personagem em fenômeno cult. Apesar da queda de qualidade na quinta temporada, a série ainda é uma forte concorrente ao prêmio.

A HBO não brinca em serviço com suas produções. The Sopranos, Band of Brothers, Roma e The Pacific são provas da qualidade dos seriados do canal. Em 2011, o canal concorre com duas megaproduçãoes: Game of Thrones e Boardwalk Empire. A primeira, inspirada em uma série de livros de George R. R. Martin, foi umas das melhores estreias da temporada e chegou com a moral para virar um “Senhor dos Anéis” das séries.  Boardwalk Empire então, nem se fala. A série é produzida por ninguém menos que Francis Ford Coppola e impressiona pelo belíssimo trabalho de recriação da época da Lei Seca em Atlantic City.

Mad Men, da AMC, é apontada pelos especialistas como a única série da lista capaz de tirar o prêmio da HBO.  O seriado de Matthew Wiener é o atual detentor do troféu e não decepcionou os fãs com mais uma excelente temporada (a quarta) sobre o cotidiano de Don Draper e da Sterling Cooper Draper  Pryce.

Outra série bem ‘apadrinhada’ na disputa é The Good Wife. O drama com Julianna Marguiles é produzida pelos irmãos Ridley e Tony Scott e recebeu nove indicações neste ano.

Faltando apenas um dia para o final da contagem regressiva chegamos ao fim da análise dos indicados. Amanhã traremos os injustiçados dos Emmys 2011!

Relembre os indicados as categorias de Melhor Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante, Atriz, Ator Para ver a lista completa de indicados, veja aqui.

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Especial Emmy 2011 – Melhor Ator

Publicado em 16/09/2011 - 8:12 por | 2 Comentários

Categorias: Análise, Premiação

O anúncio dos indicados ao Emmy de Melhor Ator em uma série de comédia trouxeram uma grata surpresa para os órfãos de Friends: a volta de Matt LeBlanc às premiações.

Melhor Ator em Comédia

Depois de Friends, o ator ainda tentou emplacar o spin-off Joey, mas não conseguiu repetir o feito e a série foi cancelada após duas temporadas. Desta vez, Matt LeBlanc volta como uma versão dele mesmo em Episodes.

Os protagonistas de The Big Bang Theory, Jim Parsons (Sheldon Cooper) e Johnny Galecki (Leonard Hofstadter), também concorrem ao prêmio de Melhor Ator. No entanto, Parsons leva vantagem nessa disputa uma vez que levou o Emmy para casa no ano passado.

Alec Baldwin e Steve Carrell são figurinhas repetidas na competição. Os respectivos trabalhos como Jack Donaghy, em 30 Rock, e Michael Scott, em The Office, já renderam cinco indicações e duas vitórias para Baldwin, e seis indicações para Carrell, que despediu-se do personagem na última temporada.

Louis C.K. estreia na categoria com o papel-título em Louie. O ator escreve, dirige, edita, produz e ainda atua na série baseada na própria vida sobre um comediante recém-divorciado criando duas filhas em Nova York. Haja fôlego!

Melhor Ator em Drama

Os seis indicados deste ano na categoria de Drama contaram com a ajuda dos produtores da AMC neste ano. Assim como aconteceu com Aaron Paul, o protagonista de Breaking Bad, Bryan Cranston, não pôde concorrer ao Emmy neste ano pois a data de estreia da nova temporada do seriado estava fora do período elegível para os Emmys deste ano. Uma ajuda e tanto para os outros candidatos que viram ficar fora do páreo o tricampeão da categoria.

As novidades deste ano são as menções dos nomes Steve Buscemi e Timothy Olyphant na lista. Ambos são fortes candidatos na disputa. O primeiro encabeça o elenco da aclamada produção de Martin Scorcese, Boardwalk Empire. O segundo interpreta o agente federal Raylan Givens no faroeste moderno de Justified.

Um dos fortes candidatos à vitória neste ano, Kyle Chandler dá vida ao ‘Coach’ Eric Taylor na subestimada Friday Night Lights. Assim como para a colega de elenco Connie Britton, essa é a última chance para Chandler ganhar o reconhecimento pelo papel de Coach Taylor.

Ao todo-poderoso Don Draper só falta o Emmy de Melhor Ator. Jon Hamm já ganhou uma infinidade de prêmios como o publicitário conquistador de Mad Men, do Globo de Ouro ao posto de um dos homens mais sexies vivo da revista People. Neste ano, o ator tenta pela quarta vez levar a estatueta para casa.

Michael C. Hall e Hugh Laurie podem não estar mais entre os candidatos mais badalados da categoria, mas ainda são concorrentes importantes na disputa. Como o analista forense/assassino em série Dexter Morgan, de Dexter, o ator já recebeu quatro indicações. Já o Doutor Gregory House, que deve enfrentar vários problemas na nova temporada, rendeu a Laurie a sexta indicação.

E a contagem regressiva segue no Especial Emmys 2011 do Diário em Séries! Se você perdeu, veja os indicados a Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Atriz!

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Mais novidades em Fringe, Glee, The Big Bang, Walking Dead e Modern Family

Publicado em 03/09/2011 - 12:31 por | Comentar

Com a proximidade das estreias do fall season, mais notícias, imagens e vídeos das séries vão aparecendo. Vamos conferir os últimos?

Fringe

A quarta temporada de Fringe estreia nos EUA em 23 de setembro. Ontem, foram divulgados mais pôsteres e fotos do elenco do novo ano. Destaque para Lincoln Lee, que, ao que parece, deve entrar para o time regular também deste lado.

Glee


Depois de uma pausa de quase quatro meses (e mesmo com Glee Project), os fãs da série estão doidos para saber como será o terceiro ano do coral do colégio McKinley. Sem falar da indefinição que ronda os personagens de Lea Michelle e Chris Colfer após a nova temporada, já que devem sair do ensino médio. Os novos episódios começam em 20 de setembro, nos EUA. A Fox, desta vez, liberou uma promo bem mais significativa.

Imagem de Amostra do You Tube

The Big Bang Theory


Na nova temporada de TBBT, Raj, enfim, terá uma namorada, e perfeita para ele: a moça é surda. Levando em conta que o rapaz tem sérios problemas em falar com qualquer pessoa do sexo oposto, esse relacionamento tem tudo para deslanchar. A atriz Katie Leclerc é quem fará o papel da deficiente auditiva Emily.

Katie, inclusive, não ouve, reflexo da Síndrome de Ménière, doença degenerativa do ouvido interno, que, no caso dela, desenvolveu-se a partir dos 20 anos. Penny apresentará-la a Raj no terceiro episódio do novo ano.

The Walking Dead


Ao contrário do ano passado, quando os fãs assistiram aos seis episódios do primeiro ano de The Walking Dead ininterruptamente, em 2011, o canal fará de forma diferente. A temporada será dividida em duas. A primeira parte, com sete episódios, terá início em 16 de outubro (18/10, no Brasil). A outra, só a partir de 12 de fevereiro, nos EUA. Aqui no País, a estreia da segunda parte ainda não foi definida.

Modern Family

O terceiro ano da excelente Modern Family está previsto para iniciar em 21 de setembro, e você já pode conferir o cartaz da nova temporada, que segue a linha da divulgação do ano passado.

Falando nisso, o ator Ed O’ Neill, que interpreta Jay Pritchett, o patriarca da família, no seriado, ganhou uma estrela na calçada da fama. Além do atual papel, Ed ficou bastante conhecido também pelo papel de Al Bundy, em Um Amor de Família (Married… with Children).

Tags: , , , , , , ,

SBT tira The Big Bang Theory da grade após 4 episódios

Publicado em 02/09/2011 - 7:00 por | 5 Comentários

Foi bom enquanto durou, mas quem deixou para ver The Big Bang Theory Big Bang, a Teoria no SBT já ficou órfão. Após duas semanas desde a estreia, o canal tirou o seriado da programação.

O motivo? O de sempre, responsável por cancelar programas em todo o mundo: baixa audiência. Sucesso no planeta inteiro, inclusive no Brasil nos canais fechados, a série não se deu bem na TV aberta.

O seriado fazia parte das comemorações pelo 30º ano do SBT, e era transmitido nas noites de sábado, concorrendo diretamente com a novela das 8, da Globo; e com o programa O Melhor do Brasil, da Record. No total, foram mostrados quatro episódios da primeira temporada, já que o canal passava dois por semana.

Quem quiser acompanhar as nerdices de Leonard, Sheldon, Raj, Howard e as tiradas da musa dos geeks, Penny; agora, vai ter de alugar ou comprar as temporadas em DVD; ou ainda assistir pelo canal Warner, toda terça-feira.

Lembrando que a quinta temporada de TBBT, nos EUA, começa em 22 de setembro. No Brasil, ainda não há data de estreia.

Tags: , , , , ,

Promos de Supernatural, The Big Bang Theory e Sons of Anarchy

Publicado em 31/08/2011 - 8:25 por | 5 Comentários

Categorias: Nova temporada, Promo

Enquanto as aguardadas season premieres não chegam, as emissoras começam a liberar as promos das séries que voltarão no fall season. (Relembre os teasers de The Walking Dead, Fringe, Glee e House)

A CW divulgou o promo da sétima temporada de Supernatural. A estreia do novo ano está marcada para 23 de setembro e vai contar com um episódio dirigido por Jensen Ackles (Dean).

Os fãs que estavam com saudades de Leonard, Penny, Sheldon, Raj e Howard devem ficar decepcionados com o teaser lançado pela CBS. O vídeo promocional da 5ª temporada mostra apenas os personagens de The Big Bang Theory dançando a música That The Big Bang, da Rock Mafia. O jeito é esperar pela estreia dos novos episódios em 22 de setembro.

Outra promo liberada foi a de Sons of Anarchy. A nova temporada da série começa com um salto de 14 meses após os eventos dos últimos episódios, com os famosos motoqueiros de Charming já fora da prisão.

Uma das novidades é a presença de um rosto familiar para os fãs da extinta Prison Break. Rockmond Dunbar, o C-Note, vai interpretar o novo delegado de Charming. O primeiro episódio da 4ª temporada, que estreia no dia 6 de setembro, vai ter 90 minutos de duração e, segundo o criador da série, Kurt Sutter, vai ter uma alta contagem de mortos.

Ansiosos? Lembrando que essas datas são referentes às estreias nos Estados Unidos.

Tags: , , , , , , , ,

Page 1 of 212

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999