Diário na Copa

Categoria: Copa das Confederações


14:53 · 01.07.2013 / atualizado às 15:52 · 01.07.2013 por
Fortaleza recebeu três jogos da Copa das Confederações, incluindo Brasil x México FOTO: KID JÚNIOR
Fortaleza recebeu três jogos da Copa das Confederações, incluindo Brasil x México FOTO: KID JÚNIOR

O total de ingressos comercializados nos três jogos realizados na Arena Castelão levou Fortaleza a ser a segunda cidade-sede com maior o número de entradas vendidas por pessoa.De acordo com os dados extraídos das súmulas de cada partida, 165.150 pessoas foram ao jogos na Capital.

Os dados divulgados pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) mostrou que Fortaleza ficou atrás somente do Rio de Janeiro, com 218.460 pessoas que foram ao Maracanã. A lista é completa por Belo Horizonte (130.360), Salvador (119.025), Recife (104.241) e Brasília (67.423).

Balanço da Copa das Confederações

O secretário especial da Copa no Ceará, Ferruccio Feitosa, afirmou que a realização da Copa das Confederações em Fortaleza está de parabéns e revelou não enxergar nenhum problema nos setores de responsabilidade do Governo do Estado e da Prefeitura de Fortaleza.

“O público de Fortaleza contagiou todo o País ao cantar o hino. O gramado do Castelão foi eleito como o melhor, também tivemos a melhor acolhida, não tivemos problemas no Aeroporto e todo o sistema de transporte pensado pelo secretário Domingos Neto funcionou bem”, ressaltou Ferruccio.

Secretário critica serviço de telefonia móvel no Castelão

Ao ser questionado sobre o que Fortaleza precisa melhorar para 2014, Ferruccio pontuou duas falhas de responsabilidade do setor privado.

“O serviço nas lanchonetes do Castelão ainda é precário. A Anatel e as operadoras de telefonia móvel também precisam resolver o problema do sinal do celular. Ainda é impossível fazer ligação e usar a internet 3G”, completa o secretário.

09:54 · 01.07.2013 / atualizado às 10:28 · 01.07.2013 por

Depois de alguns jornais espanhóis afirmarem que o Brasil tinha “medo” de enfrentar a Espanha, nesta segunda-feira (01/07) as manchetes dos principais diários esportivos daquele país passaram a reconhecer a superioridade do futebol jogado pela Seleção Brasileira na Copa das Confederações.

O Marca chegou a dizer que o “Brasil começou a goleada contra a Espanha com seu hino” e publicou a letra dele em espanhol. A publicação também classificou como “Maracantazo” a final da competição, como uma espécie de oposto do famigerado “Maracanazo”, de 1950. Para o veículo, a Seleção e a torcida no Maracanã “encantaram o mundo”.

Jornal espanhol chegou a publicar letra do hino brasileiro. Hino espanhol só tem melodia Foto: Marca / Reprodução Web
Jornal espanhol chegou a publicar letra do hino brasileiro. Hino espanhol só tem melodia Foto: Marca / Reprodução Web

Apesar disso, o tom nacionalista dos últimos dias se manteve na reportagem intitulada como “A melhor lição para o Mundial”. Na matéria, o periódico diz que “a estrela começou a ser conquistada na Copa das Confederações de 2009“, numa alusão ao fiasco da Espanha na última edição do torneio, que segundo o jornal alavancou a seleção hispânica rumo ao título da Copa do Mundo de 2010.

Já o jornal El País  qualifica a equipe de Luiz Felipe Scolari como “líder indiscutível” e destaca a grande atuação do atacante brasileiro Neymar. “O  ponta azul-grená, eleito melhor jogador do torneio, referenda sua condição de estrela. Neymar se apresentou no Maracanã com boné pra trás e entregando aplausos à torcida que o aclamava desde o lado de fora do estádio. Brilhava aquele sorriso permanente que o relaciona com a alegria de tantos futebolistas amadores do Brasil”, avaliou a publicação.

O periódico El País afirmou que o Brasil foi o "líder indiscutível do domingo" Foto: El País / Reprodução da Web
O periódico El País afirmou que o Brasil foi o “líder indiscutível do domingo” Foto: El País / Reprodução da Web

Em outra reportagem sobre o astro tupiniquim, o periódico brinca com um apelido antigo de Neymar e diz que a Copa das Confederações foi “o resgate do filé de mariposa”, referindo-se ao porte físico franzino do jogador e às más atuações do craque no início do ano. “A singularidade de Neymar repousa na sua condição de referência desequilibrante e simboliza a reserva natural dos melhores valores do futebol brasileiro por toda vida”, analisou.

Quem também rendeu loas ao atacante foi o diário Mundo Deportivo. Para o jornal, Neymar foi o “rei da Copa das Confederações” e que essa foi a final dele. Como curiosidade, a publicação noticiou que o craque vai se operar da garganta. Outro jogador citado foi o capitão Thiago Silva, que teria confirmado um convite do treinador Tito Vilanova para jogar pelo Barcelona, na próxima temporada.

Mundo Deportivo exalta grande atuação de Neymar na Copa das Confederações de 2013 Foto: Mundo Deportivo / Reprodução da Web
Mundo Deportivo exalta grande atuação de Neymar na Copa das Confederações de 2013 Foto: Mundo Deportivo / Reprodução da Web

Por fim, o jornal catalão também destacou que a união de jogadores, comissão técnica e torcedores no Maracanã na hora da execução do hino nacional foi o início da vitória brasileira. Vale lembrar que a iniciativa de seguir cantando o hino mesmo após ele ser encerrado pelo sistema de som da Fifa, começou no dia 19 de junho, no Castelão, em Fortaleza.

13:31 · 30.06.2013 / atualizado às 16:34 · 30.06.2013 por

dilma rot6Por Estadão Conteúdo

A Fifa tomou como um gesto de desrespeito a decisão da presidente Dilma Rousseff de não ir à final deste domingo (30) no Maracanã entre Brasil e Espanha. Tradicionalmente, a presidente do país sede do torneio está na decisão e entrega a taça ao campeão. Neste sábado (29), parte da cúpula da Fifa não escondia surpresa diante da decisão da chefe-de-estado de não viajar ao Rio de Janeiro. Apesar da ausência de Dilma, a ala VIP do estádio do Maracanã estará lotada de políticos.
Dilma foi vaiada no jogo de abertura, em Brasília, e decidiu que, diante dos protestos nas ruas e de sua queda de popularidade, não seria o momento de aparecer num estádio, mesmo que seja no evento-teste para a Copa do Mundo e uma espécie de cartão de visita do País.

Parte dos funcionários da Fifa tentavam entender a decisão de Dilma de não estar no estádio. “Isso é bom ou ruim para ela?”, questionou um deles. Para outros mais próximos da presidência, a atitude é um “gesto de desrespeito”.

A relação entre governo e Fifa já não era das melhores. Mas um dos legados do torneio será um esfriamento ainda maior dos contatos. O governo ficou irritado com os comentários da Fifa sobre as manifestações e com as cobranças por mais segurança.

Se Dilma não estará no estádio, o Maracanã não sentirá falta de políticos. Além de governadores e do prefeito do Rio, Eduardo Paes, deputados, vereadores e senadores estão sendo aguardados na tribuna de honra.

Nas arquibancadas, a torcida já indicou nos meios sociais que irá usar a final para protestar. Nas ruas que dão acesso ao Maracanã, milhares de pessoas prometem protestar. O estádio estará blindado por mais de 6 mil policiais.

Para fontes na Fifa, a situação chega a ser irônica. Afinal, o governo brasileiro quer usar justamente os megaeventos esportivos para se promover no exterior e as autoridades não têm economizado recursos para o marketing baseado no torneio.

Até mesmo a Agência de Promoção das Exportações, ligada ao Ministério do Desenvolvimento, se transformou em associada da Fifa, pagando uma cota de patrocínio de R$ 20 milhões. Já o BNDES e diversos outros órgãos foram fundamentais em bancar estádios e infraestrutura para o evento.

Para outro experiente cartola, o que surpreende é o contraste em relação à participação de outros chefes-de-estado em torneios similares. Em 2009, o capitão da seleção brasileira na época, Lúcio, recebeu o troféu de campeão das mãos de Jacob Zuma, presidente sul-africano. Zuma ainda participou de todos os jogos em Johannesburgo, num esforço de mostrar o compromisso do governo com o torneio. Em 2005, na Alemanha, a cúpula do governo de Berlim também se fez presente.

Fontes próximas ao presidente Joseph Blatter insistem que o cartola suíça “entendeu” a decisão política de Dilma. Mas considerou que sua atitude mostra que o governo não está sempre disposto a bancar o evento e que cálculos políticos pesam mais que o torneio em si. “O que parece é que, quando as coisas vão bem, o Brasil quer usar a Copa para se promover. Mas quando não funciona ou há uma crise, todos querem se dissociar do futebol”, comentou um membro do Comitê Executivo da entidade, que pediu anonimato.

17:07 · 29.06.2013 / atualizado às 17:07 · 29.06.2013 por

Neymar e Paulinho são os brasileiros que concorrem à Bola de Ouro de melhor jogador da Copa das Confederações 2013.

A Fifa divulgou a lista de 6 finalistas ao prêmio. Além dos brasileiros, os espanhóis Andres Iniesta e Sergio Ramos, o italiano Andrea Pirlo e o uruguaio Luis Suarez também concorrem.

A escolha é feita pelos jornalistas credenciados para o evento, que podem votar de forma online até o término da partida final, entre Brasil e Espanha, neste domingo.

Após a partida a Fifa anunciará os ganhadores neymar300de todos os prêmios da Copa das Confederações.

A lista:

  • Andres Iniesta
  • Neymar
  • Paulinho
  • Andrea Pirlo
  • Sergio Ramos
  • Luis Suarez
18:50 · 28.06.2013 / atualizado às 18:50 · 28.06.2013 por
Apesar das vaias que recebeu e das manifestações pelo país, Blatter aprovou a Copa das Confederações no Brasil. Foto: Reuters
Apesar das vaias que recebeu e das manifestações pelo país, Blatter aprovou a Copa das Confederações no Brasil. Foto: Reuters

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, declarou nesta sexta-feira (28) que o Brasil “passou no teste” na Copa das Confederações.

Vaiado na abertura do torneio ao lado da presidente Dilma Rousseff, o cartola suíço voltou ao país na quarta-feira (26) e disse que a edição brasileira do evento-teste para o Mundial de 2014 foi exitosa.

“O Brasil passou no teste. Isso, aliás, foi muito mais que um teste. Foi a Copa dos Campeões (referindo-se aos quatro finalistas). Todos donos de Mundiais. Posso dizer que o torneio foi exitoso”, afirmou Blatter, que deixou o Brasil na semana passada após o acirramento dos protestos pelo país. O alto gasto governamental na realização da Copa do Mundo era um dos pontos da pauta dos manifestantes.

No Maracanã, o suíço disse que entende os protestos pelo país. “Eu posso entender essas manifestações sociais, é claro que posso. Mas não é nosso problema, é do governo, não podemos nos meter, e o governo vai mudar alguma coisa. É uma questão de confiança no governo brasileiro e no COL (Comitê Organizador Local da Copa)”, disse o dirigente.

Depois de ser vaiado em Brasília, o cartola disse que convidou a presidente Dilma para assistir à final no Rio. Ele contou que não recebeu resposta de Brasília até agora.
Na Copa das Confederações na África do Sul, o capitão Lúcio recebeu o troféu de Blatter e do presidente da África do Sul, Jacob Zuma. “Mandamos o convite, mas ainda não recebi nenhuma informação. Adoraria que estivesse presente”, afirmou o cartola. As informações são da Folhapress.

10:48 · 28.06.2013 / atualizado às 11:31 · 28.06.2013 por

A capital cearense e o estádio Castelão estiveram no foco dos principais jornais de Espanha e Itália. Não era para menos. Além do caráter decisivo da partida, que valeu vaga na final da Copa das Confederações 2013, e do fato de se tratar de um clássico mundial, as duas seleções protagonizaram um “duelo” emocionante, com direito à definição apenas na cobrança do 14º pênalti.

Com tom ufanista, o jornal El País afirma que a “Espanha não tem ponto final”. Para o periódico, o grande destaque da partida foi o atacante Jesús Navas que marcou o gol decisivo na disputa das penalidades. “Navas leva a ‘La Roja’ para o Maracanã, onde ele espera o Brasil, no domingo, depois de um jogo cansativo… A Espanha está consagrada e em tal estado de graça, que se alterna entre partidas embriagantes e encontros de emoção infinita”. O veículo também exalta a oportunidade de jogar uma final no estádio Maracanã, dando a ele auras quase míticas, mas alfineta a torcida brasileira dizendo que ela “teme a Espanha”.

Jornal El País assume tom ufanista e diz que brasileiros "tem medo da Espanha" Foto: El País / Reprodução da Web
Jornal El País assume tom ufanista e diz que brasileiros “tem medo da Espanha” Foto: El País / Reprodução da Web

Na mesma linha, o jornal Marca já projeta um novo “Maracanazo”, em referência ao título uruguaio na Copa do Mundo de 1950, contra um favorito Brasil. Ao mesmo tempo em que recorda uma Seleção Brasileira histórica, a publicação defende a atual supremacia hispânica. “A melhor seleção do momento, a Espanha, jogará contra a maior vencedora e pentacampeã, o Brasil. A final é a mais esperada nesta Copa das Confederações. A Espanha foi a inimiga desde o primeiro dia para os brasileiros. Em cada partida as vaias acompanharam à seleção espanhola enquanto se cantavam olés aos rivais, incluindo o Taiti.”

Já na Itália, o grande destaque foi a bela atuação da “Squadra Azzurra” que segurou e até ameaçou a Espanha no tempo normal e na prorrogação. O desempenho foi chamado de “obra-prima” por um dos principais jornais esportivos daquele país, o Gazetta dello Sport. “Os azuis foram dignos de aplausos na semifinal contra a campeã do mundo, mas tudo acabou no erro fatal de Bonucci, que chutou a bola em direção às estrelas.” O periódico também lembrou o clima de tristeza por conta da morte do ex-jogador Stefano Borgonovo, vítima de Esclerose Lateral Amiotrófica. Jogadores italianos, inclusive, entraram em campo com uma faixa preta, em sinal de luto.

Com um tom mais crítico e ao mesmo tempo bem-humorado, o Corriere dello Sport, não poupou o zagueiro Bonucci, que perdeu o pênalti decisivo. Em duas montagens cômicas, o veículo primeiro comparou o chute do jogador italiano ao de um jogador de futebol americano e depois, num exagero ainda maior, a um chute intercontinental onde a bola Cafusa viajava de Fortaleza até a Itália. No entanto, o jornal elogiou o trabalho feito pelo técnico Cesare Prandelli. “Oprimido pelo cansaço e tensão, no final Cesare Prandelli pode assistir tudo de cabeça erguida”.

Publicação italiana satirizou zagueiro Bonucci que perdeu pênalti decisivo contra a Espanha Foto: Corriere dello Sport / Reprodução da Web
Publicação italiana satirizou zagueiro Bonucci que perdeu pênalti decisivo contra a Espanha Foto: Corriere dello Sport / Reprodução da Web

Protestos e vandalismo também são destaque na Espanha e na Itália

Fora do futebol, o destaque dos principais meios de comunicação espanhóis e italianos foi para mais uma tarde de confrontos entre forças de segurança e manifestantes, nos arredores do estádio Castelão. Segundo o Corriere dello Sport, “vândalos atacaram a polícia com pedras e paus ao redor do estádio “Castelão” de Fortaleza. O grupo se separou de outro maior com cerca de cinco mil pessoas que protestavam de forma pacífica contra o alto custo da Copa do Mundo de 2014″.

Já o El País, noticia erroneamente a morte de uma pessoa nos protestos na capital cearense. Na verdade, um manifestante morreu na quinta-feira (27), um dia depois de cair de um viaduto, em Belo Horizonte. O trágico incidente ocorreu após tumulto e correria nos confrontos de manifestantes com as forças de segurança, na proximidade do estádio Mineirão, durante a partida entre Brasil e Uruguai. Sobre os confrontos em Fortaleza, a  publicação  narra que “tudo começou quando os vândalos sequestraram e agrediram um ônibus civil e tentou atirar contra a polícia, que respondeu com força.”

17:12 · 25.06.2013 / atualizado às 17:12 · 25.06.2013 por

O volante italiano Claudio Marchisio disse que a Copa das Confederações também é um período de testes para a organização do evento, admitindo que preferiria atuar em horários que a temperatura estivesse mais amena durante a Copa do Mundo 2014. “Isso tem que ser repensado para o ano que vem”, disse ele, quase como uma súplica.

20130625_160652O calor tem sido um problema para não somente os jogadores italianos, mas para todos os atletas da competição. Alguns espanhóis passaram mal durante o jogo entre Espanha e Nigéria, no último domingo, na capital cearense. Italianos sofreram com o forte calor nordestino, mas quando atuaram às 19h, diante do Japão, em Recife.

Nesta Copa das Confederações, todas as partidas foram realizadas às 16h ou às 19h, até agora. A decisão do terceiro e quarto lugares acontecerá às 13h, em Salvador. Na Copa do Mundo, no ano que vem, há diversas partidas marcadas para às 13h, inclusive em Fortaleza.

País continental

“É como jogar uma Copa das Confederações na Europa inteira”. Assim o volante italiano Claudio Marchisio definiu jogar uma competição em um país continental como o Brasil. “O clima em Fortaleza e no Rio (de Janeiro) são completamente diferentes. O calor é parecido, mas aqui é bem mais úmido”, reclamou o atleta de 27 anos, ainda durante entrevista coletiva no Estádio Presidente Vargas, nesta terça-feira (25).

Lembrança eterna

Marchisio disse que nunca esquecerá de ter enfrentado a seleção brasileira, no Brasil. “Seria maravilhoso enfrentarmos o Brasil novamente na final, mas não podemos pensar na final antes de passarmos pela semifinal”, disse o jogador da Juventus de Turim.

Força italiana

O atleta ressaltou que a Itália está mais forte e experiente do que há um ano, quando fora derrotada pela própria Espanha na final da Eurocopa. Para ele, a equipe aprendeu com os erros daquela partida e tentará não repeti-los.

Ele destacou a qualidade de Gilardino, provável substituto de Mario Baletelli, cortado por lesão. “É um cara que sabe fazer gols, um campeão do mundo (em 2006)”, disse ele, ressaltando ainda a importância da volta de De Rossi, que cumpriu suspensão diante do Brasil.

Os melhores do outro lado

O volante não escondeu a admiração pelos principais jogadores do adversário, Xavi e Iniesta, a quem terá a função de parar na partida. “Os melhores da Europa na posição”, disse ele, apenas sorrindo quando questionado como faria para pará-los.

14:31 · 25.06.2013 / atualizado às 17:57 · 25.06.2013 por
Alba (esq.) e Ramos (dir.) acusaram a imprensa de inventar acusações. Foto: Kid Júnior
Alba (esq.) e Ramos (dir.) acusaram a imprensa de inventar acusações. Foto: Kid Júnior

A primeira entrevista coletiva da delegação da Espanha após os incidentes envolvendo garotas em Recife aconteceu nesta terça-feira (25), após o Diário do Nordeste noticiar outra polêmica, desta vez em Fortaleza, em uma noitada dos espanhóis em comemoração à vitória sobre a Nigéria.

O zagueiro Sérgio Ramos e o lateral Jordi Alba chamaram de “mentirosas” as informações e afirmaram que estão “tranquilos” em relação ao que ocorreu. “Esperamos que a Fifa tome uma atitude. Querem (os jornalistas) se tornar conhecidos por meio de uma geração vencedora. Não se pode brincar com uma imagem como a da Espanha. Também não se pode brincar com família, com crianças. É uma notícia de enorme gravidade. Esperamos que a lei se faça valer. Temos uma trajetória muito limpa”, afirmou Ramos.

Alba, mais quieto, usou poucas palavras para concordar com o companheiro. “É totalmente falsa (a informação). A Federação se pronunciou. Não temos nada a dizer”, frisou, citando a Federação Espanhola, que negou a festa com garotas no hotel em Recife mas confirmou o furto aos jogadores.

“O que teria que dizer, já disse. Estamos muito tranquilos, com a consciência limpa. Não se pode inventar algo assim, porque pode criar problemas pessoais. Não estamos aqui para falar de festa. Estamos pelo futebol, que nos tornou campeões do mundo. Não podemos nos deixar levar por comentários de pessoas que mentem”, disparou Sérgio.

NOTA DA REDAÇÃO

A redação do Diário do Nordeste repudia as declarações dos jogadores espanhóis citados  acima. As informações que subsidiaram a matéria sobre o incidente no hotel em Fortaleza, divulgadas com exclusividade por este jornal, foram apuradas com fontes que presenciaram as cenas citadas e optaram por não se identificar, sob risco de sofrerem represálias. Ainda nesta terça-feira (25), o hotel em que a seleção espanhola está hospedada confirmou a mesma informação a outros veículos da imprensa.

Confronto com Itália motiva espanhóis

Sérgio Ramos deixou claro que não queria falar de problemas extra-campo. O zagueiro preferiu focar sua fala no que para ele é a maior preocupação da ‘Fúria‘ no momento: a seleção da Itália. A partida contra a Azurra, válida pela semifinal da Copa das Confederações, será na próxima quinta-feira (27), às 16h, na Arena Castelão, em Fortaleza. “Vamos com a mesma filosofia, motivados. Sabemos da qualidade da Itália”, afirmou o defensor.

A principal baixa da Azzurra é o atacante Mario Balotelli, que sofreu contusão e  já retornou para seu país. Sérgio Ramos preferiu minimizar a ausência do principal jogador adversário, ressaltando o valor da equipe italiana. “O Balotelli é um jogador que marca a diferença, é muito importante para eles. Mas agora é passado. Ele não pode jogar, não pode fazer nada por sua seleção. Com certeza vai entrar algum outro jogador com qualidade como ele”, destacou Ramos.

Impossível foi não lembrar da final da Eurocopa de 2012, quando a Espanha sagrou-se campeã, derrotando a Itália por 4×0. “O jogo lembra a final da Eurocopa, fizemos uma partida perfeita. Acredito que agora seja um jogo totalmente diferente daquela final. Todos nós conhecemos a capacidade da Itália”, disse o zagueiro da Fúria.

O vencedor do duelo em Fortaleza disputará a final do torneio no domingo, 30, no Maracanã, contra o vencedor de Brasil x Uruguai, que será nesta quarta-feira (26), em Belo Horizonte.

13:32 · 25.06.2013 / atualizado às 15:25 · 25.06.2013 por
Arbeloa bateu bola com o flanelinha Claudemir dos Santos Foto: Adriano Queiroz
Arbeloa bateu bola com o flanelinha Claudemir dos Santos Foto: Adriano Queiroz

O lateral da seleção espanhola de futebol e do Real Madrid, Álvaro Arbeloa, protagonizou uma cena inusitada na praia do Meireles, em Fortaleza. O jogador da “Fúria” bateu uma bola com o flanelinha Claudemir dos Santos. “Não esperava isso. Eu gosto deles porque têm muito futebol. Estava deitado ali e vi ele descendo. Quis dar só uma olhada, mas ganhei meu dia”, resumiu.

Arbeloa saiu do Hotel Luzeiros em direção à praia. À beira-mar, ele posou para fotos e gravações de vídeos, atendendo à imprensa nacional e estrangeira que esperava a saída dos jogadores desde o início da manhã. O jogador, de 30 anos, já acumula mais de 50 partidas pela Espanha, mas ainda não marcou gols em partidas oficiais da Fúria.

A coletiva, que inicialmente estava prevista para acontecer no próprio hotel, foi mudada para o Praiano Hotel. Houve uma tentativa de despistar os jornalistas e os jogadores Jordí Alba e Sérgio Ramos saíram pela lateral do prédio, sob forte esquema de segurança. Mais cedo, o treinador Vicente Del Bosque circulou pelo saguão do estabelecimento, mas não falou nem com a imprensa e nem com torcedores.

No entanto, parte da comissão técnica ficou em uma sacada fora do hotel e, embora também não tenha atendido aos repórteres, chegou a se deixar fotografar com alguns torcedores.

Torcedores, ambulantes e polêmicas rondam “Fúria”

Por falar neles, um número razoável de torcedores, incluindo espanhóis e a seleção feminina de futsal da Venezuela, tentaram ver os jogadores ou fizeram fotografias perto do ônibus da Espanha. Também houve movimentação de ambulantes que tentaram aproveitar a situação para faturar, vendendo desde frutas exóticas até roupas de banho.

O assédio da torcida e da imprensa em Fortaleza teria feito a delegação espanhola evitar aparições em público e dar entrevistas. A preocupação aumentou principalmente após as polêmicas envolvendo supostas entradas de mulheres com os jogadores tanto em Recife quanto na capital cearense.

O Diário na Copa ouviu pelo menos duas pessoas que trabalham nos arredores do hotel, que relataram ter visto jogadores saindo disfarçados e até fazendo com que o ônibus oficial partisse antes para despistar a saída de alguns deles.

A Espanha enfrenta a Itália, na quinta-feira (27), no estádio Castelão, pelas semifinais da Copa das Confederações. Caso avance enfrenta o vencedor de Brasil x Uruguai.

10:47 · 25.06.2013 / atualizado às 12:00 · 25.06.2013 por

De olho na semifinal contra a Espanha, na próxima quinta-feira (27), na Arena Castelão, o treinador da seleção italiana, Cesare Prandelli, preferiu fechar o acesso ao treino realizado no Estádio Presidente Vargas durante a manhã desta terça-feira (25).

Desde que chegou a Fortaleza, essa é a primeira vez que a Itália bloqueia o acesso da imprensa ao treinamento. Mesmo sem a possibilidade de acompanhar os atletas de perto, o Diário na Copa flagrou o momento em que os jogadores deixaram o hotel em direção ao PV.

Na segunda-feira, o principal jogador italiano, o atacante Balotelli teve que voltar mais cedo para casa. O atleta  foi cortado da seleção italiana, vitimado por uma lesão na coxa esquerda no jogo contra o Brasil.

Pesquisar

Diário na Copa

Só mais um site WordPress
Posts Recentes

02h09mFinal é reeditada na volta das seleções após a Copa; confira os jogos desta quarta (3)

01h09mDiário na Copa retorna com tudo sobre futebol internacional e preparação para Rússia 2018

11h07mCom quatro brasileiros, Fifa divulga a seleção da Copa na visão da torcida

12h07mConfira quais jogadores estão descartados, as promessas e quem tem boas chances de chegar à Copa 2018

04h07mPesquisa aponta que 92,7% acompanharam a Copa do Mundo pela primeira vez no estádio

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs