Diário na Copa

Categoria: Especial 30 dias


12:36 · 28.05.2014 / atualizado às 13:08 · 28.05.2014 por
Valcke disse que é "muito bom ver os planos integrados para os serviços aos fãs em Fortaleza". FOTO: Arquivo Diário
Valcke disse que é “muito bom ver os planos integrados para os serviços aos fãs em Fortaleza”. FOTO: Arquivo Diário

O Secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, afirmou no Twitter que Fortaleza é um exemplo de como a Copa do Mundo foi usada para transformar a cidade. O homem de confiança da entidade máxima do futebol ainda elogiou a execução das obras para o Mundial na Capital e agradeceu aos trabalhadores das 12 sedes.

Os comentários anteriores do Secretário-geral na rede social destacavam somente os estádios e o próprio evento.

A 15 dias da abertura da Copa, Fortaleza convive com obras de mobilidade inacabadas e problemas como a exploração sexual persistentes e prestes a ser expostos ao resto do Mundo.

Reportagem especial da Redação Web do Diário do Nordeste constatou a presença de pelo menos 10 pessoas, entre travestis, mulheres, homens e adolescentes, à noite, em uma espécie de corredor da prostituição nas imediações da Arena Castelão, reformada ao custo de R$ 518 milhões.

Se à noite, próximo ao estádio, observa-se facilmente a prostituição, durante todo o dia, em diversos pontos da Capital, o fortalezense sofre com o trânsito e com a realização das obras planejadas para a cidade receber a Copa.

Entre os 3 Bus Rapid Transit, por exemplo, apenas o da Avenida Alberto Craveiro está concluído. Nas avenidas Paulino Rocha e Dedé Brasil, as obras completaram 83% e 9%, respectivamente.

As estações Padre Cícero e Juscelino Kubitschek e o VLT que irá ligar a Parangaba ao Mucuripe chegaram a 50% de conclusão das obras. Enquanto as reformas do Eixo da Via Expressa/ Raul Barbosa e do Aeroporto Internacional Pinto Martins não ultrapassaram os 15% do que era esperado, resultados que irão atrasar a entrega para depois da Copa.

O especial do Diário do Nordeste apresenta todos os números das obras de mobilidade, atualizados quando faltavam 30 dias para o início da competição.

00:00 · 13.05.2014 / atualizado às 23:23 · 12.05.2014 por

O relógio não chegou a marcar 21h. Não são poucos os carros, motocicletas e ônibus que trafegam pela Avenida Juscelino Kubitschek, no bairro Passaré, em Fortaleza. Na via, várias pessoas apressam o passo entre ruas escuras. Enquanto isso, um dos mais notórios problemas sociais da capital cearense continua: a exploração sexual.

Um local. Duas realidades. De um lado, uma arena moderna. Do outro, marginalização. Em menos de 20 minutos, a Redação Web do Diário do Nordeste constatou a presença de pelo menos 10 pessoas, entre travestis, mulheres, homens e adolescentes, em uma espécie de corredor da prostituição nas imediações da Arena Castelão, estádio reformado em orçamento de R$ 518 milhões. Em outra visita ao local, dessa vez durante o período da manhã, o mesmo acontecia – com quase a mesma intensidade.

Além da Arena, outros investimentos foram feitos na região. Entre eles, os BRTs (Bus Rapid Transit) da Alberto Craveiro, Paulino Rocha e Dedé Brasil, que, somados, custam quase R$ 100 milhões. Essas obras alteraram a realidade das pessoas que moram nessas vias, principalmente nos locais adjacentes ao Castelão. Os relatos dos moradores são de que falta ou há irregularidades em fornecimento de itens básicos, como saneamento básico, assistência direta, segurança, semáforos de pedestres e paradas de ônibus.

O que pode ser visto em torno da região desses altos investimentos, necessários para a realização de um dos maiores eventos do planeta, é pobreza, violência e promessa. Quando Fortaleza foi selecionada para cidade-sede da Copa do Mundo, muito se falou sobre a possível revitalização da região. Porém, a esperança virou frustração.

“Estão tampando o sol com a peneira. Não dá para fechar o olho (…) Está tudo muito relacionado: investimento, falta de atenção e prostituição. Quando trabalha numa obra, simultaneamente e antecipadamente, não trabalha o lado social. Não trabalha com o impacto que a obra terá com a comunidade”, afirmou a responsável interina da Associação das Prostitutas do Ceará (Aproce), Alice Oliveira.

Com a aproximação de um dos maiores eventos do planeta, Fortaleza tem repercussão internacional

Não foram poucas as matérias de jornais internacionais que mostraram a realidade do País. Conforme matéria veiculada no tabloide britânico Mirror, escrita pela jornalista Matt Roper, que mora no Brasil há 15 anos, o Brasil convive com “alguns grupos mafiosos de âmbito internacional e que estão planejando uma onda de prostituição infantil organizada em torno dos estádios”.

Em um rápido trajeto a poucos metros do estádio é possível encontrar pessoas envolvidas em exploração sexual. Foto: Gustavo Sampaio
Em um rápido trajeto a poucos metros do estádio é possível encontrar pessoas envolvidas em exploração sexual. Foto: Gustavo Sampaio

Para a Copa do Mundo, é inegável que o número de garotas de programa aumentará na cidade. Para a responsável interina da Aproce, isso ocorrerá porque várias pessoas virão de outras cidades que não sediam o evento. “São pessoas que criaram uma expectativa e que devem ter se preparado, de uma certa maneira, para poderem vir. Isso implica em gastos e que, muitas vezes, elas podem não atingirem os objetivos”, afirmou a chefe interina da associação que representa as prostitutas há 23 anos.

Outra matéria que teve repercussão internacional foi um extenso artigo do jornal britânico The Guardian, que abordou a exploração sexual de adolescentes em Fortaleza. Segundo a matéria, Fortaleza é a “capital brasileira da prostituição infantil” e um “imã para o turismo sexual”.

Até a TV árabe Al Jazeera publicou uma reportagem especial sobre o assunto, também com foco em Fortaleza. No texto, o jornalista Jo Griffin afirma que “se no ano passado a Copa das Confederações foi um aquecimento para a Copa do Mundo no Brasil, também foi um treino para aqueles que trabalham para proteger as crianças da exploração sexual durante o evento da FIFA”.

Governo promete combater exploração sexual na Copa

Preocupado com a exploração sexual, o Governo Federal discute o assunto e promete combater crimes cometidos durante a Copa do Mundo. A presidente Dilma Rousseff declarou em sua conta oficial no Twitter que unirá força para combater a exploração sexual em todo o País.

Com a alta vigilância do governo sobre o aliciamento de crianças e adolescentes, muitos turistas podem se inibir. Para Jânia Perla Diogenes, Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e coordenadora do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará (UFC), os turistas sabem que encontrarão dificuldades. “Ao contrário dos que vinham há 10 anos, eles têm muito mais medo de se envolverem em exploração, porque eles sabem que há uma legislação forte. O que escuto das garotas é que eles perguntam a idade delas e, às vezes, pedem os documentos”, relatou.

Prostituição na área do Castelão já é conhecida pelas autoridades há muitos anos. Foto: Bruno Gomes
Prostituição na área do Castelão já é conhecida pelas autoridades há muitos anos. Foto: Bruno Gomes

No caso da avenida Juscelino Kubitschek, Jânia Perla lamenta que é inegável que com avanços desordenados e falta de atenção às comunidades próximas há aumento na exploração sexual. “Onde se abrem vias movimentadas, passa-se a ter movimento maior de pessoas e carro. [Na avenida] É recorrente que isso ocorra, inclusive porque os caminhoneiros são uns dos principais clientes”, afirmou.

Sobre o assunto, a assessora comunitária do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Dececa), Cecília Góis, concorda que o problema existe devido à “ausência de políticas públicas que contemplem as demandas básicas das comunidades do entorno do Castelão, com destaque para saúde e educação pública de qualidade”.

Leia mais

>Especial mostra o atraso nas obras e os preparativos da Seleção Brasileira a 30 dias da Copa do Mundo

Ainda segundo a assessora comunitária, a ONG Barraca da Amizade realiza um trabalho de busca ativa na região e constatou a presença de adolescentes vindas do interior do estado e até do estado de São. “O que as instituições que trabalham no enfrentamento à violência sexual vinham colocando que seria um dos resultados negativos da Copa já está acontecendo”, lamentou.

No combate contra a exploração sexual, a pesquisadora Jânia Perla, afirma que é necessária união entre várias instâncias. “É importante que haja práticas preventivas. Unir ONGs, secretarias da juventude, da criança e do adolescente, no sentido de fazer campanhas educativas. Ir às escolas e regiões de vulnerabilidade, perto da orla e da Arena Castelão. E também, claro, em relação aos turistas que chegam. Nunca é demais aqueles cartazes, panfletos em aeroportos, tanto sensibilizando quanto, ao mesmo tempo, alertando sobre as consequências jurídicas resultadas do envolvimento com crianças e adolescentes”, comentou.
Associação de Prostitutas vê Copa como um elemento negativo

Para a responsável interina da Aproce, Alice Oliveira, a presença de vários estrangeiros durante o período de realização da Copa do Mundo não significa um benefício para a categoria. “Quando você pensa: ‘Virão num sei quanto turistas, sejam brasileiros ou não, para cá… certo. Mas será que isso é bom? Tudo está tão desregrado. Me dá a sensação de que aqui parece a casa da Mãe Joana”, afirmou a responsável da Aproce, que tem mais de 4 mil membros.

Apesar da ideia de que estrangeiros são bem recebidos pelas prostitutas, Alice afirma que há receio no relacionamento com os turistas de outros países. “Eles não vêm só para o futebol. A imagem lá fora é que temos mulheres extremamente belas, sensuais, reprodutoras, e que eles podem fazer o que quer. A maioria das mulheres não gosta de sair muito com gringos, porque se houver algum tipo de problema, alguma agressão, que tenha que se chamar a Policia, quem sempre acaba perdendo são as moças. Como eles não falam nossa língua, a Policia lida como se elas os aliciassem”, falou.

23:59 · 12.05.2014 / atualizado às 14:22 · 14.05.2014 por

Com menos de um mês para a Copa do Mundo de 2014, boa parte das obras previstas para a execução das melhorias na infraestrutura de Fortaleza, uma das sedes do evento, não serão entregues no prazo previsto de acordo com a Matriz de Responsabilidade, assinada na gestão anterior da Prefeitura de Fortaleza com o Governo do Estado e o Ministério do Esporte.

Desde que a Capital cearense foi anunciada como uma das sedes da Copa, uma série de obras começou a ser realizada, mas apenas a reforma do Castelão foi concluída até o momento. Além desta, outras 8 obras estão previstas na Matriz.

As intervenções para a construção do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) na Parangaba e no Mucuripe, estão com 49% de conclusão e a previsão de entrega foi adiada para agosto de 2014, antes estava definida para junho de 2013, segundo a Matriz.

Confira especial com infográfico interativo da situação das obras e os preparativos e desafios de Fortaleza para o mundial (clique para ampliar)

(Clique para acessar)
(Clique para acessar)

Já as obras do Metrofor, nas estações Padre Cícero e Juscelino Kubitschek, estão com 50% de conclusão e devem ser entregues apenas em dezembro deste ano. São dois anos de atraso, quando deveria estar pronto em dezembro de 2012.

O mesmo prazo também constava na Matriz de Responsabilidade para o término das obras na antiga Avenida Dedé Brasil, atual Silas Munguba, mas não houve avanço na execução da obra. O trecho permaneceu parado, com 9,11% de conclusão, desde a última atualização apurada pela Redação Web do Diário do Nordeste,no dia 4 de março. A previsão para a entrega deste trecho agora está a definir, segundo a Prefeitura.

Já o cronograma da obra de reforma e ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Pinto Martins está em processo de revisão, segundo a Infraero. Com apenas 15,62% de conclusão, o prazo para término das obras no local, como consta na Matriz, era até junho de 2013. Sem previsão para conclusão, um ‘puxadinho’ está sendo construído para funcionar como área de embarque e desembarque no aeroporto durante a Copa do Mundo.

Demais obras seguem em processo lento de execução

Segundo a Prefeitura, as obras na avenida Alberto Craveiro, que apresentam os trabalhos mais avançados, com 97,90% de conclusão e na Avenida Paulino Rocha, com 83,02% de conclusão, devem ser entregues até a Copa. Porém, no primeiro trecho, a porcentagem de execução aumentou apenas 1,90% em pouco mais de dois meses. O prazo para o término destas duas obras, segundo a Matriz de Responsabilidade assinada há 4 anos, era até dezembro de 2012.

Moradores relatam problemas no entorno do Castelão

Já o avanço das obras no Porto do Mucuripe, em Fortaleza, foi de apenas 6% em três meses. Mas, segundo a Companhia Docas do Ceará (CDC), responsável pelo equipamento, 90% dos serviços previstos no cronograma já foram executados, até dia 3 deste mês, e a previsão é de que os serviços restantes sejam finalizados até o fim de maio. O equipamento deveria ter sido concluído em dezembro do ano passado como consta na Matriz.

As intervenções no eixo Via Expressa e Raul Barbosa, apresentaram um aumento de pouco mais de 1% na porcentagem de conclusão do trecho completo desde o dia 4 de março. Apesar do processo lento e do atraso de dois anos na conclusão, a Prefeitura garante o término das obras no túnel da Avenida Santos sob a Via Expressa, que está com 85,39% construído, até o início do evento mundial. No túnel da Avenida Padre Antônio Tomás sob a Via Expressa, as obras iniciais estão com 27% de conclusão e não devem terminar até a Copa. As demais obras, nos outros dois túneis do eixo e no cruzamento na Raul Barbosa, ainda não foram iniciadas.

A justificativa da Prefeitura, neste caso, é que os prazos serão readequados para evitar que todas as obras de mobilidade urbana aconteçam de forma simultânea, trazendo complicações maiores ao trânsito da cidade.

Pesquisar

Diário na Copa

Só mais um site WordPress
Posts Recentes

02h09mFinal é reeditada na volta das seleções após a Copa; confira os jogos desta quarta (3)

01h09mDiário na Copa retorna com tudo sobre futebol internacional e preparação para Rússia 2018

11h07mCom quatro brasileiros, Fifa divulga a seleção da Copa na visão da torcida

12h07mConfira quais jogadores estão descartados, as promessas e quem tem boas chances de chegar à Copa 2018

04h07mPesquisa aponta que 92,7% acompanharam a Copa do Mundo pela primeira vez no estádio

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs