Diário na Copa

Categoria: Seleção Brasileira


12:18 · 22.07.2014 / atualizado às 12:38 · 22.07.2014 por

Após a eliminação na Copa do Mundo 2014 e o anúncio de Dunga como novo treinador, a Seleção Brasileira deve passar por modificações também no seu elenco. Jogadores que chegarão à próxima Copa com idade avançada, como é o caso de Júlio César, e que decepcionaram no último Mundial, a exemplo de Fred, devem ser descartados da “mão” de Dunga. Entretanto, promissores atletas que também estiveram na campanha de 2014 não devem pagar pelo vexame do Brasil, como Neymar e Oscar. E promessas pouco conhecidas do torcedor brasileiro que atuam no exterior podem surgir como solução para o time brasileiro, como o goleiro Neto e o atacante Leo Baptistão.

O Diário do Nordeste listou jogadores descartados, promessas e com boas e médias chances de participarem do elenco que será formado para a Copa da Rússia. Confira:

Arte: Felipe Belarmino.

16:21 · 21.07.2014 / atualizado às 18:33 · 21.07.2014 por
De acordo com a pesquisa, 76,2% dos torcedores que acompanharam a Copa são homens FOTO: Kiko Silva
De acordo com a pesquisa, 76,2% dos torcedores que acompanharam a Copa são homens FOTO: Kiko Silva

Acompanhar uma Copa do Mundo no estádio foi uma experiência inédita para 92,7% dos brasileiros que foram às praças esportivas. Os dados são de um estudo realizado pelo Ministério do Turismo (Mtur) com parceria da Fundação Getúlio Vargas que entrevistou 6.038 brasileiros nos arredores dos estádios, aeroportos, rodoviárias e Fifa Fan Fest.

A Copa de 2014 movimentou mais de 3 milhões de torcedores durante o evento. De acordo com a pesquisa, nove em cada dez brasileiros tiveram a oportunidade de vivenciar um Mundial pela primeira vez. Deste número, 43,5% já viajaram para acompanhar o seu time ou estão habituados a visitar estádios e 34,7% acompanham jogos de seus clubes pela televisão.

A pesquisa relevou, ainda, que mais de 3,6 bilhões de pessoas do mundo todo assistiram ao campeonato pela TV, pelo celular ou por outro dispositivo móvel que receba sinais de TV.

Mais da metade dos torcedores eram brasileiros

Dos torcedores que prestigiaram o evento no Brasil, 62% eram brasileiros e apenas 38% estrangeiros. O perfil de mais da metade dos torcedores é homem (76,2%) e tem ensino superior completo (55,3%). 40,3% tem entre 25 a 34 anos, 17,1% tem especialização em alguma área e 28,6% tem renda familiar que varia entre R$ 3.621 e R$ 7.240.

Para acompanhar os jogos das seleções, a maior parte (74,7%) organizou a viagem por conta própria e viajou acompanhado. 24,4% viajaram com amigos e 44% com a família.

12:39 · 17.07.2014 / atualizado às 12:57 · 17.07.2014 por

A Copa do Mundo do Brasil acabou e deixará saudade, tanto pela festa como pelo futebol de alto nível que desfilaram pelas ruas e estádios brasileiros. Mas o mundo do futebol nunca para, basta olhar em volta. Com o término do Mundial no último domingo (13), as atenções já se voltaram para os campeonatos brasileiros no dia seguinte. Em alguns meses, a nova temporada europeia também irá pedir passagem no cotidiano dos fãs do esporte. E ainda tem os jogos de videogame e games na Internet para quem é mais fanático.

Confira 9 razões para continuar consumindo futebol:

18:23 · 16.07.2014 / atualizado às 18:23 · 16.07.2014 por
Psicóloga da Seleção Brasileira, Regina Brandão, fala sobre problemas enfrentados pelos atletas FOTO: Reprodução/Rede Globo
Psicóloga da Seleção Brasileira, Regina Brandão, fala sobre problemas enfrentados pelos atletas FOTO: Reprodução/Rede Globo

A psicóloga que atendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2014 foi ao programa Encontro com Fátima Bernardes, na manhã desta quarta-feira (16), e tentou esclarecer os problemas enfrentados pelos jogadores na goleada de 7×1 da Alemanha, pelas semifinais do Mundial.

Durante o programa exibido pela Rede Globo, a psicóloga Regina Brandão foi questionada sobre a instabilidade emocional dos jogadores. Contradizendo os comentários após a partida contra a Seleção Alemã, a profissional revelou que o grupo foi o melhor com quem já trabalhou.

“Em 30 anos que trabalho com esporte, já trabalhei com grupos olímpicos, paralímpicos, motovelocidade, fórmula 1, e, em termos de equipe, foi o melhor grupo que já avaliei, psicologicamente falando”, revelou. “Individualmente eles têm perfil extraordinário, mas o coletivo não conseguiu transformar a qualidade que tinham individualmente”, acrescentou.

Segundo Regina, o maior problema para a equipe foi a pressão em cima dos jogadores e contou, ainda, que chegou a pedir a Felipão que “amenizasse” nas cobranças. “É um caldeirão de estresse. […] Teve um dia que conversei com o Felipão e pedi para que amenizasse pois a situação tá ficando muito pesada”, disse.

Outro ponto negativo para a Seleção, segundo a psicóloga, foi a contusão do atacante Neymar, que abalou psicologicamente os atletas. “O time se organizou para tentar jogar apesar da falta de Neymar”, disse. “Tomamos um gol precoce. […] Do segundo em diante é que o problema foi maior”, acrescentou Regina Brandão.

11:51 · 16.07.2014 / atualizado às 17:08 · 16.07.2014 por
Brasil foi eliminado, com goleada, da Copa disputada no País. Foto: VIPCOMM
Brasil foi eliminado, com goleada, da Copa disputada no País. Foto: VIPCOMM

Atualizada às 17h04

gigante da Internet Google admitiu ter omitido tópicos negativos na lista de assuntos mais pesquisados no País, no serviço Google Trends, no dia da eliminação do Brasil na Copa do Mundo, ao perder por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal.

Tessa Hewson, da redação do Google, afirmou, à emissora de rádio americana NPR, que a empresa da Internet preferiu esperar por outros assuntos mais pesquisados para sobrepor os tópicos negativos da partida.

A NPR também questionou o redator Sam Clohesy, que confirmou a decisão da empresa. Segundo ele, o Google acreditou que não valia a pena “jogar sal nas feridas” e que “uma história negativa sobre o Brasil não ganharia muita atração nas mídias sociais”. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

A derrota do Brasil foi considerada por muitos como um grande vexame, além de ter sido a maior goleada sofrida pela Seleção na história.

Em nota enviada à redação, o Google afirmou que “durante a Copa do Mundo, compartilhamos mais de 150 cartões informativos em 13 línguas com tendências de buscas que julgamos interessantes e relevantes”.

Ainda no comunicado, o Google informa que “o objetivo principal é, acima de tudo, compartilhar aquilo que importa para a maior parte das pessoas num determinado momento”, e que “se desejarem, os usuários sempre podem consultar o google.com/trends para ver os tópicos que estão em alta nas buscas do Google.”

16:36 · 09.07.2014 / atualizado às 16:36 · 09.07.2014 por
Neymar e José Maria Marín (à direita) acompanharão equipe brasileira na disputa do terceiro lugar. FOTO: RICARDO STUCKERT/CBF
Neymar e José Maria Marín (à direita) acompanharão equipe brasileira na disputa do terceiro lugar. FOTO: RICARDO STUCKERT/CBF

O atacante Neymar estará com a Seleção Brasileira no estádio Mané Garrincha, sábado (12), para a disputa do terceiro lugar da Copa do Mundo. O camisa 10 do Brasil, fora da competição após fraturar a terceira vértebra lombar em lance durante as quartas de final contra a Colômbia, na Arena Castelão, estará junto com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marín, acompanhando a delegação.

A informação foi fornecida pelo assessor da CBF, Rodrigo Paiva, durante coletiva de imprensa da comissão técnica, na tarde desta quarta-feira (9), na Granja Comary. Na ocasião, o técnico Felipão falou sobre a humilhante derrota sofrida para os alemães na semifinal da Copa.

Quando indagado sobre a presença do presidente da CBF junto à comissão, Felipão foi interrompido por Paiva, que informou sobre o interesse de José Maria em estar perto do grupo no último jogo da equipe no Mundial.

“Neymar e o presidente Marin estão vindo para cá. Eles vão acompanhar o grupo na partida de sábado”, disse o assessor. Marín acompanhará o treino da equipe na sexta-feira (11) em Teresópolis e viaja junto com os jogadores para acompanhar a partida no sábado.

16:16 · 09.07.2014 / atualizado às 16:56 · 09.07.2014 por
Declarações foram dadas na tarde desta quarta-feira (9) durante entrevista coletiva na Granja Comary. Foto: arquivo
Declarações foram dadas na tarde desta quarta-feira (9) durante entrevista coletiva na Granja Comary. Foto: arquivo

Um dia após a histórica goleada aplicada pela seleção da Alemanha em cima da Seleção Brasileira no estádio Mineirão, que culminou com o fim do sonho do hexacampeonato na Copa do Mundo, Luiz Felipe Scolari e toda a comissão técnica do Brasil concederam entrevista coletiva na Granja Comary, em Teresópolis.

Com o já habitual sarcasmo em muitas das respostas, Felipão admitiu que a equipe sofreu um ‘apagão‘ durante seis minutos, traduzindo o resultado do jogo como ‘atípico’. Contudo, indagado sobre a preparação da equipe, que na opinião dos jornalistas que a acompanharam durante o torneio treinou pouco, o técnico afirmou que não houve prejuízo. ” Muito foi cobrado, mas se forem pesquisar, os mesmos números de treinos da Copa das Confederações, com número menor de dias para treinar. Às vezes, a indução a uma ideia não é a correta. Temos os dados. Não tem nada diferente daquilo que a gente imaginou”, garantiu.

Felipão utilizou como argumento o apoio dado pelo departamento médico para justificar a periodicidade dos treinos. “Foi tudo planejado pelo departamento médico. No dia após o jogo, treino regenerativo. 48 horas depois, musculação. 72 horas depois, treino técnico. Não tem como fazer treino técnico após os jogos, embora fizéssemos para os reservas, para que se condicionassem melhor, e com cuidados para que não tivessem lesão. E não tivemos lesão nenhuma. Sofremos uma agressão (em Neymar). Quando precisamos dos 120 minutos (da prorrogação), corremos e passamos por cima dos 30 minutos finais”, disparou.

O auxiliar técnico da Seleção, Carlos Alberto Parreira, aproveitou, ainda, para criticar os questionamentos feitos pelos jornalistas sobre a oportunidade de reformulação da maneira como o futebol é conduzido no Brasil. “Estamos mal acostumados a analisar resultados. Se foi bom, o trabalho é bom. Se foi ruim, o trabalho foi mal elaborado. Está evidente que os europeus de um modo geral se preocuparam muito em trabalhar a base dos jogadores, melhorar o nível dos treinadores. A CBF não é formadora de jogadores. Ela recebe os jogadores, entre aspas, prontos, e monta equipes para disputar competições. É importante nos concentrarmos no que somos bons, que é formação de base nos clubes”, adiantou. Parreira definiu o resultado diante da Alemanha como “atípico, um tsunami. É como o Júlio (César) falou: ‘explicar o inexplicável'”.

10:44 · 09.07.2014 / atualizado às 13:04 · 09.07.2014 por

Atualizada às 12h37

A federação alemã de futebol (Deutscher Fussball-Bund – DFB) se pronunciou, via Twitter e Facebook, sobre a vitória histórica da sua seleção sobre o Brasil por 7 a 1, na tarde da última terça-feira (8), na semifinal da Copa.

E a DFB não se restringiu a comemorar a goleada alemã e a ida à final. A federação mostrou respeito ao Brasil, lembrou o momento parecido que a seleção alemã viveu em 2006, quando também foi eliminada na semifinal dentro de casa, e ainda agradeceu pelo carinho com que foi recebido “por todas as pessoas em cada momento da estadia no Brasil”. Confira:

Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook

Podolski declara amor ao “país do futebol”

O atacante alemão Lukas Podolski também se manifestou nas redes sociais. O jogador do Arsenal-ING pregou respeito à Amarelinha, chamou o povo brasileiro de “maravilhoso” e “humilde”, declarou amor ao Brasil e ainda explicou a vitória alemã:  “a vitória é consequência do trabalho”.  

Özil também dá forças ao Brasil

O craque e maestro do time alemão, Mesut Özil, foi outro que publicou nas redes sociais. “Vocês têm um país maravilhoso, um povo fantástico e jogadores incríveis – esse jogo não pode destruir seu orgulho!”, disse na sua página do Facebook o jogador de origem turca.

20:02 · 08.07.2014 / atualizado às 20:34 · 08.07.2014 por
Capa do alemão "Bild": "Sem palavras"
Capa do alemão “Bild”: “Sem palavras” Foto: Reprodução

A humilhante derrota do Brasil para a Alemanha, por 7 a 1, nesta terça-feira (8), pela semifinal da Copa do Mundo, no Mineirão, em Belo Horizonte, repercutiu mundo afora. Logo após a partida, o resultado ganhou as manchetes dos principais jornais e sites esportivos do planeta, que destacaram o placar elástico e o vexame do time verde e amarelo.

A capa do jornal alemão “Bild”, que circulará nesta quarta-feira (9) pelo país, estampa uma foto de Schürrle comemorando um dos dois gols, com a frase “sem palavras”. No site, há um agradecimento aos membros do time nacional: “Obrigado! Nós amamos vocês”.

Na Itália, o site da “Gazzetta dello Sport” tem os alemães festejando e a manchete: “Brasil, humilhação histórica para a Alemanha o aniquila”. Já na Espanha, o site do “Mundo Deportivo” diz: “Alemanha humilha Brasil”. O “Sport” avaliou o resultado como “a maior humilhação mundial”. O “As” fez referência à derrota para o Uruguai na final da Copa de 1950 e fala em “sete Maracanazos”. O “Marca”, por sua vez, adotou tom ácido: “Eterna desonra”.

O site do periódico inglês “Daily Mail” afirma: “Noite infernal do Brasil: Alemanha bate anfitriões por 7 a 1 na maior humilhação já testemunhada em Copas do Mundo”.

O tradicional “Olé”, diário argentino famoso por debochar dos brasileiros, usou a manchete: “Decime qué se siete”, em referência à música “Decime qué se siente” (diga-me como se sente), criada pelos torcedores para provocar a torcida brasileira.

"A maior humilhação mundial", estampa o "Sport"
“A maior humilhação mundial”, estampa o “Sport” Foto: Reprodução
Site do "Marca" fala em "eterna desonra" da Seleção Foto: Reprodução
Site do “Marca” fala em “eterna desonra” da Seleção
Foto: Reprodução
"Sete Maracanazos", diz o espanhol "As" Foto: Reprodução
“Sete Maracanazos”, diz o espanhol “As”
Foto: Reprodução
15:59 · 08.07.2014 / atualizado às 16:05 · 08.07.2014 por
FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, preferiu manter o esquema que vinha utilizando e escalou o atacante Bernard no lugar de Neymar, que fraturou a terceira vértebra lombar do lado esquerdo no jogo contra a Colômbia, na última sexta-feira (4), para o confronto contra a Alemanha, no Mineirão, pela semifinal da Copa do Mundo.

Assim, o meio de campo terá apenas os volantes Luiz Gustavo, que retorna na vaga de Paulinho, e Fernandinho. Luiz Gustavo cumpriu suspensão contra a Colômbia.

Felipão também confirmou Dante na zaga na vaga de Thiago Silva, suspenso, e Maicon na lateral direita. Na véspera do jogo contra os alemães, Assim, o Brasil está escalado com Júlio César; Maicon, David Luiz, Dante e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho e Oscar; Hulk, Fred e Bernard.

FONTE: Folhapress

 

Pesquisar

Diário na Copa

Só mais um site WordPress
Posts Recentes

02h09mFinal é reeditada na volta das seleções após a Copa; confira os jogos desta quarta (3)

01h09mDiário na Copa retorna com tudo sobre futebol internacional e preparação para Rússia 2018

11h07mCom quatro brasileiros, Fifa divulga a seleção da Copa na visão da torcida

12h07mConfira quais jogadores estão descartados, as promessas e quem tem boas chances de chegar à Copa 2018

04h07mPesquisa aponta que 92,7% acompanharam a Copa do Mundo pela primeira vez no estádio

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs