Busca

Conotação sexual em camisas da Adidas para a Copa é alvo de criticas do governo brasileiro

09:14 · 25.02.2014 / atualizado às 09:18 · 25.02.2014 por
Modelo sugere uma nádega feminina no coração amarelo (Foto: Reprodução)
Modelo sugere uma nádega feminina no coração amarelo (Foto: Reprodução)

 

Outro modelo traz uma expressão que pode ser entendida por "pegar garotas" (Foto: Reprodução)
Outro modelo traz uma expressão que pode ser entendida por “pegar garotas” (Foto: Reprodução)

Patrocinadora oficial da Copa do Mundo de 2014, a Adidas está comercializando, em seu site nos Estados Unidos, uma linha especial de camisas referente ao torneio no Brasil. Entre os produtos, porém, dois modelos receberam críticas do governo brasileiro por terem duplo sentido e uma conotação sexual.

Uma das peças, que passa a mensagem “Eu amo o Brasil”, apresenta uma estampa de coração que pode ser vista como nádegas femininas com um biquíni fio dental. O produto está à venda no site da empresa ao preço de US$ 22 (R$ 51,50).

Já um segundo modelo traz a expressão americana “Lookin’ to score” junto a uma garota de biquíni. Além da tradução “em busca de gols”, a expressão também pode ser entendida como “pegar garotas”. O modelo custa US$ 25 (R$ 58,50).

Para Flávio Dino, presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), a atitude da empresa vai de encontro às medidas que vêm sendo tomadas pelo governo brasileiro, que visam desvincular o apelo sexual ao País.

“Essa campanha vai no sentido contrário ao que o Brasil defende. Nosso esforço é voltado para a promoção do Brasil pelos atributos naturais e culturais. Não aceitamos o turismo sexual. Claro que as pessoas podem namorar durante a Copa, mas não queremos uma mercantilização disso”, disse Dino, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

O governo vai, inclusive, formalizar um pedido à empresa para que os produtos deixem de ser comercializados. “Vamos entrar em contato com a direção da Adidas, fazendo um apelo para que reveja essa atitude e tire os produtos do mercado. Já comunicamos nossas agências espalhadas por 15 países para que façam a divulgação de que não aceitaremos isso”, finalizou o presidente da Embratur.

Comentários 7

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

jose de deus pinheiro

25/09/2014 as 09:0219

Nove meses após a copa, se verá o resultado, milhares de fdp pro governo sustentar.

DIEGO

25/10/2014 as 10:0219

ADIDA> Querem ganhar dinheiro conosco, não importa como!

Fiz um trabalho voluntário na Copa das Confederações e quando tive que comprar uma água com o meu próprio dinheiro, depois de ficar 5 horas no sol quente, desisti de ser voluntário.

A FIFA e seus parceiros( ADIDAS) mercenários que vão embora!!

Manoel Silveira

25/10/2014 as 10:0219

Não sei o que está acontecendo com o Brasil: Fomos desmoralizados em Davos, em Bruxelas e agora essas camisas. Temos que fazer alguma coisa.

Mário Filho

25/10/2014 as 10:0219

A impressão que me dá, é que o BRASIL é um pais depravado. Será que vc. que leu não acha?

Jefferson

25/04/2014 as 16:0219

É só relacionar ao carnaval que fica tudo tranquilo. Afinal a nudez do carnval é super bem falada pelo governo e é o que mais concretiza o turismo sexual do país.

lopes

26/08/2014 as 08:0219

É isso mesmo, o Brasil não é comercio de sexo. Já passou o tempo em que os gringos vinham e desfrutavam das indefesas índias nos tempos de descobrimento do nosso País. Mas infelizmente é essa a imagem que eles tem do nosso País, eu sou totalmente a favor do Governo tem mas é que mudar essa manias pequeninas dessa multinacionais que acham que pode tudo, Obrigado.

um brasileiro qualquer

26/01/2014 as 13:0219

Falar que quer ser visitado pelas belezas naturais quando é permitido a uma tv aberta exibir uma mulher nua dançando a qualquer hora inclusive durante intervalos de programas com classificação livre; quando enaltecem o valor “cultural” de apresentações que exibem mulheres peladas nos desfiles das escolas de samba; quando o maior apelo do Brasil é o Carnaval, uma festa cujo foco é sensualidade, exaltando a “cultura” com mulheres seminuas/ou nuas, com pintura corporal; quando pagam cursos de inglês para prostitutas em Minas Gerais com dinheiro público enquanto o povo passa fome; quando financiam/subsidiam festas de carnaval enquanto cidades estão em situação de calamidade pública, sem a garantia de ter água para as necessidades mais básicas fica clara a constituição hipócrita deste país. Não, as estampas da Adidas não vão contra o que o Brasil fala sobre si.