Busca

Autor: Letícia Lima


14:30 · 18.09.2018 / atualizado às 14:30 · 18.09.2018 por

Para o deputado Roberto Mesquita (PROS), que discursou hoje na Assembleia Legislativa, além da compra “direta” de votos, existe a compra “mascarada” de votos. O parlamentar criticou Mensagem enviada pelo Governo do Estado em tramitação na Casa,  que trata  da contratação de um empréstimo de US$ 25 milhões para o projeto Paulo Freire.

Mesquita acredita que projetos como esse podem ser usados como “moeda de troca” para apoio político a favor da máquina estatal. “Nós temos um orçamento de R$ 20 bilhões e o que o governo faz é distorcer nas eleições com a compra de votos mascarada através dos projetos São José, Paulo Freire,  da perfuração de poços profundos e de convênios com associações”, listou.

Nenhum deputado governista contestou o parlamentar.

 

14:21 · 18.09.2018 / atualizado às 14:21 · 18.09.2018 por

Duas Mensagens do Governo do Estado, uma tratando sobre a concessão de um empréstimo de US$ 25 milhões de dólares para o projeto paulo Freire e outra que amplia a subvenção econômica para empresas aéreas que passarem a operar, “individualmente”, no aeroporto de Fortaleza, não deverão mais ser votadas nesta semana, como previa a liderança do Governo na Casa.

Isso porque o deputado de oposição, Roberto Mesquita (PROS), pediu vistas sobre as duas matérias, hoje, durante votação na Comissão de Orçamento. O pedido de vistas frustrou os planos da base governista, que esperava colocar as Mensagens na pauta de votação da sessão desta quarta-feira e aprová-las.

12:32 · 18.09.2018 / atualizado às 12:32 · 18.09.2018 por

Com a presença de apenas quatro deputados no Plenário da Assembleia Legislativa, hoje, o deputado Ely Aguiar (DC) usou a tribuna para repercutir denúncias de compra de votos no Interior. O parlamentar relatou um “possível comércio de votos”, na Região do Cariri. Ely cobrou fiscalização do Ministério Público, nestas eleições, mas pediu também a colaboração da população para denunciar eventuais irregularidades.

“Tem gente que não precisa da política, mas é candidato para se salvar das broncas que responde por malversação, então a população tem a obrigação de ajudar nessa assepsia. Aquele que recebe o tanque cheio do seu veículo pra dar um voto não pode falar do corrupto, porque é mais corrupto do que o facínora corrupto que vai ocupar uma cadeira seja no Legislativo, seja no Executivo”, criticou.

O parlamentar disse que é preciso eleger “pessoas que tenham compromisso social, para que a sua cesta básica seja adquirida através do seu suor, da sua dignidade, não recebendo desses políticos safados, sem vergonha a gasolina, o dinheiro da luz, da água”.

09:27 · 15.09.2018 / atualizado às 09:27 · 15.09.2018 por

Dos 13 candidatos ao Senado no Ceará, cinco declararam à Justiça Eleitoral não ter recebido nenhum centavo de recurso e, portanto, nenhuma despesa realizada na campanha, são eles: Robert Burns (PTC), Pastor Pedro Ribeiro (PSL), doutor Marcio Pinheiro (PSL), Magela (PSTU) e Bardwail (Podemos). Este último teve o pedido de registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE), mas recorre da decisão.

Já o senador Eunício Oliveira (MDB), candidato à reeleição, é o que tem o caixa de campanha mais “gordo” na disputa, com R$ 3,3 milhões declarados à Justiça Eleitoral, de acordo com o sistema Divulgacand. Praticamente, todo esse montante – mais de R$ 3 milhões – foi enviado pela direção nacional do partido para ele.

Eunício também doou do próprio bolso R$ 31.500 para a sua campanha, bem menos dos R$ 600 mil que doou para a campanha à reeleição do governador Camilo Santana (PT), de quem é aliado nestas eleições.

11:58 · 14.09.2018 / atualizado às 11:58 · 14.09.2018 por

Dos seis candidatos a governador do Estado, dois ainda não apresentaram nenhuma informação quanto à movimentação financeira deles, desde que começou a campanha, no último dia 16 de agosto, até agora, são eles: Francisco Gonzaga (PSTU) e Mikaelton Carantino (PCO).

Vale ressaltar que acabou ontem o prazo para os candidatos e partidos enviarem à Justiça Eleitoral a primeira prestação de contas parcial do que eles arrecadaram e gastaram entre os dias 16 de agosto e 8 de setembro.

Apesar de que, desde o início da campanha, a legislação determina que os candidatos enviem as informações relativas à movimentação financeira deles até 72 horas após o recebimento do recurso, bem como as despesas realizadas.

11:38 · 14.09.2018 / atualizado às 11:38 · 14.09.2018 por

O senador Eunício Oliveira (MDB), candidato à reeleição, doou R$ 600 mil para a campanha do governador Camilo Santana (PT). É a maior doação de pessoa física feita para o petista até agora. Depois dessa aparece a doação de R$ 500 mil feita pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado (FIEC), Beto Studart.

Com essa transferência de Eunício, realizada ontem, de acordo com o sistema Divulgacand, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disponível na Internet, o governador Camilo Santana já soma um caixa de campanha de mais de R$ 2,03 milhões.

O maior gasto do governador, que disputa a reeleição, segundo a primeira prestação de contas parcial dele, foi com a confecção de adesivos e banners, tendo sido gasto o montante de R$ 605.626. Em segundo lugar na lista das despesas, vem a produção de programas de rádio e televisão, em que o petista declarou à Justiça Eleitoral já ter gasto meio milhão.

21:17 · 12.09.2018 / atualizado às 21:17 · 12.09.2018 por
Foto: Saulo Roberto

O deputado estadual, Gony Arruda (PP), desistiu de disputar a reeleição, segundo informou ao Diário do Nordeste o presidente da legenda no Estado, Antônio José Albuquerque.

Ele é o sexto parlamentar estadual que não buscará novo mandato nas eleições deste ano. Antes, já havia desistido o deputado Roberto Mesquita (PROS), a deputada Mirian Sobreira (PDT), o deputado Joaquim Noronha (PRP), o deputado Odilon Aguiar (PSD) e o deputado Manoel Santana (PT). Alguns destes vão apoiar as candidaturas dos filhos no seu lugar.

14:46 · 12.09.2018 / atualizado às 14:46 · 12.09.2018 por

Já não é mais novidade que as sessões plenárias na Assembleia Legislativa estão esvaziadas, nesse período eleitoral, mesmo que elas tenham sido reduzidas a apenas dois dias na semana – terças e quartas-feiras -, justamente, para dar mais tempo livre para os parlamentares visitarem os municípios onde são votados.

Hoje, às 10h30, com apenas três deputados presentes em Plenário, a sessão acabou mais cedo. O painel dava conta de 21 deputados presentes na Casa, mas a maioria estava fora dali.

12:15 · 12.09.2018 / atualizado às 12:16 · 12.09.2018 por

O deputado Manoel Santana (PT), em resposta ao pronunciamento crítico do seu colega Ely Aguiar, disse que o “caos que virou a saúde pública no Brasil” é de responsabilidade do Governo Federal, que congelou os gastos públicos pelos próximos 20 anos. Santana é médico e atribui ao comportamento de  alguns profissionais, falhas no atendimento a pacientes.

O parlamentar defendeu o Governo do Estado que, na sua visão,”está fazendo a parte dele” e citou a construção de hospitais regionais no Interior, na gestão do então governador Cid Gomes (PDT). Santana atribuiu, ainda, os problemas na Saúde ao mal atendimento de profissionais do setor e sugeriu auditorias nos hospitais.

“É necessário que as administrações dos hospitais fiquem atentos para algumas coisas estranhas que ocorrem dentro dos hospitais que, muitas vezes, têm estrutura necessária para realizar as cirurgias, mas, muitas vezes, não são realizadas. Já ouvi muitos relatos, de profissionais de saúde que dificultam (o atendimento) para que o hospital público não funcione, para eles venderem o mesmo serviço lá fora na instituição privada”.

11:59 · 12.09.2018 / atualizado às 11:59 · 12.09.2018 por

O deputado Ely Aguiar (DC) alertou, durante pronunciamento, hoje, na Assembleia Legislativa, para a situação de pacientes nos corredores de hospitais públicos no Estado. Ele levou para a tribuna o caso de uma criança de 10 anos, que quebrou o cotovelo e espera há mais de uma semana por uma cirurgia, no Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza.

O parlamentar lembrou do horário eleitoral gratuito no rádio e na TV e criticou as propagandas que mostram um Ceará, “que parece mais filmes de ficção científica”. “Estão vendendo fantasia à população na hora do horário eleitoral, com um atendimento espetacular nos hospitais recentemente inaugurados pelo Governo do Estado. Isso não é a realidade dos fatos. É uma mentira lascada. Você pensa (que o Ceará) é uma Suíça”, ironizou.