Busca

Deputada não concorda com intervenção do Judiciário na Reforma Política

12:40 · 21.09.2017 / atualizado às 12:40 · 21.09.2017 por

Deputados estaduais afirmam “lamentar”  a aprovação ontem (20) na Câmara Federal, da manurtenção das coligações partidárias nas eleições proporcionais, após recuo na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que previa o fim das coligações já para o ano que vem e, agora, só valerá a partir de 2020.

Diante disso, a deputada Silvana Oliveira (PMDB) disse na tribuna hoje (21) não concordar com uma eventual intervenção do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, para decretar o fim das coligações proporcionais em 2018.

“O Estado democrático funciona bem, cada um faz a sua função, quando você vê que a coisa está misturando e um botando a colher na panela do outro, é que a coisa desandou”.

Comentários 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Hilario

22/08/2017 as 08:0919

Reforma politica deveria passar por um crivo seletivo onde o voto do eleitor fosse destinado tão somente ao candidato E JAMAIS a sobra servir para levar outros. Tudo bem que seja instituido uma quantidade para proporcional aos partidos, mais NUNCA a sobra seja utiliza da complementar outros candidatos, sendo portanto o voto individual e pessoal.