Busca

Categoria: Ação do vice


08:32 · 20.04.2016 / atualizado às 08:32 · 20.04.2016 por

Por Suzane Saldanha

Debatido nas redes sociais e na imprensa nacional e internacional, o comportamento dos deputados federais, durante a votação da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), também repercutiu de forma negativa, ontem, na Câmara Municipal de Fortaleza. Os vereadores lamentaram o nível e se disseram envergonhados e constrangidos com os representantes federais.

João Alfredo (PSOL) afirmou que a sessão do último domingo na Câmara dos Deputados foi uma vergonha nacional e internacional. Ele classificou como uma das cenas mais grotescas da sessão a fala do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que declarou seu voto favoravelmente ao afastamento da presidenta “em memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra”, um dos torturadores de Dilma Rousseff durante a ditadura militar.

Para o parlamentar, Bolsonaro deve ser punido por apologia ao crime de tortura. Ele ressaltou que o fascismo tem crescido no país. “O coronel foi um dos maiores torturadores, uma vergonha para aqueles que pertencem à raça humana. Fôssemos nós um país sério, democrático, o Bolsonaro estaria na cadeia e não no parlamento, o que ele fez foi a apologia do crime da tortura”, salientou.

Corrupção

Lamentando a fala dos federais durante a votação, Deodato Ramalho (PT) afirmou que pelo menos dois terços dos que votaram estão envolvidos em algum tipo de corrupção. Ele citou a repercussão negativa na imprensa internacional.

O petista também chamou atenção para o posicionamento de Jair Bolsonaro enaltecendo o coronel Ustra e repercutiu a justificativa de voto da deputada Ruy Munis (PSD-MG), que disse ser a favor da abertura de processo por acreditar que o país pode seguir um caminho correto, dando o exemplo da gestão da Prefeitura de Monte Carlos. O seu marido, o prefeito da cidade, Ruy Adriano Muniz (PSB), foi preso no dia seguinte por fraudes.

Toinha Rocha (Rede) disse estar constrangida com a falta de qualificação dos parlamentares federais. A vereadora também alertou a repercussão negativa da votação, inclusive na imprensa internacional.

Para ela, o processo foi conduzido por um corrupto, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, com jogo de cartas marcadas. “Peço desculpas pelos deputados que, em nome de suas famílias, entregaram o Brasil nas mãos de um bando de corrupto, que é o Temer e o Cunha”, disse.

Ronivaldo Maia (PT) lamentou que nas justificativas de voto, na abertura do processo de impeachment, diversos deputados tenham levantado o nome de Deus em vão.
Adail Júnior (PDT) apontou que o comportamento dos deputados é reflexo do que é o povo brasileiro. John Monteiro (PDT) se disse envergonhado com o comportamento dos deputados.

08:48 · 02.07.2015 / atualizado às 08:48 · 02.07.2015 por
O secretário Nelson Martins conversou com deputados da base e da oposição, que levaram ao gestor demandas em relação ao Governo do Estado FOTO: José Leomar
O secretário Nelson Martins conversou com deputados da base e da oposição, que levaram ao gestor demandas em relação ao Governo do Estado FOTO: José Leomar

Por Miguel Martins

Ex-líder do Governo na Assembleia, no primeiro mandato de Cid Gomes, o secretário de Relações Institucionais do Estado, Nelson Martins, iniciou os trabalhos da pasta realizando uma visita à sede do Poder Legislativo, ontem. Ele cumprimentou todos os deputados presentes e já foi cobrado por alguns parlamentares sobre suas demandas, comprometendo-se em responder todas elas depois de reunião com o governador Camilo Santana.

A função de secretário de Relações Institucionais até o mês passado era exercida por Danilo Serpa, ex-chefe de Gabinete de Cid Gomes e presidente estadual PROS. Serpa pediu para sair da pasta e foi direcionado para a Cearáportos, enquanto Nelson Martins, que era controlador e ouvidor geral do Estado, assumiu o posto.

Nelson Martins quer tentar fazer o que Danilo Serpa não conseguiu à frente da Secretaria: uma interlocução entre o Poder Executivo e o Legislativo, Judiciário e outros órgãos públicos estaduais e federais. O diálogo entre o Governo do Estado e a bancada federal de deputados e senadores também deve ter atenção especial do secretário.

Por sua atuação como líder do Governo na Assembleia, Nelson Martins ganhou prestígio entre os parlamentares pela capacidade de diálogo e articulação, por isso tem uma relação próxima com deputados aliados e opositores. Na manhã de ontem, ele se reuniu com o líder do Governo, Evandro Leitão (PDT) e com os vice-líderes Leonardo Pinheiro (PSD) e Júlio César Filho (PTN), além de ter conversado com deputados sobre demandas com o Palácio da Abolição.

A deputada Silvana Oliveira (PMDB) pediu celeridade e articulação para que Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de sua autoria seja acatada pelo Estado. Solicitou a Nelson Martins essa intermediação. “O outro secretário foi péssimo”, criticou a peemedebista. “O secretário Nelson inaugurou sua participação de forma correta. Eu solicitei ajuda dele para a minha PEC, e ele me cedeu seus contatos para que, até próxima semana, me dê respostas sobre o assunto”, completou Silvana.

Prioridades

Outros deputados opositores dialogaram com o secretário, como Walter Cavalcante (PMDB), Audic Mota (PMDB) e Tomaz Holanda (PPS), além de alguns da base governista. Segundo Nelson Martins, as atividades da Secretaria de Relações Institucionais são amplas, acrescentando que pretende aproximar Governo do Estado de prefeituras, bancada federal, Governo Federal e órgãos públicos, como Ministério Público, Tribunal de Justiça e Defensoria Pública. Entretanto, salientou que vai priorizar o Poder Legislativo.

“A minha primeira atividade foi vir hoje aqui na Assembleia para me apresentar a cada um. Amanhã (hoje) voltarei para a Casa, uma vez que o presidente Zezinho Albuquerque está viajando e eu pretendo conversar com ele”, disse o gestor. “O governador Camilo Santana nos orientou a dialogar ao máximo, discutir, negociar”, afirmou.

O petista explicou que, até então, não recebeu qualquer demanda que requeira maiores esforços da gestão, mas ressaltou que todos os problemas serão resolvidos por meio do diálogo. Destacou que da mesma forma que o governador recebeu todos os deputados em seu gabinete, ele fará o mesmo.

O vice-líder do Governo Júlio César Filho informou que Nelson Martins vai fortalecer o trabalho da gestão, principalmente no que diz respeito à apresentação de informações entre os órgãos públicos. “Ele vai priorizar o diálogo com a Assembleia para sentir as dificuldades enfrentadas. Como ele passou pelo Parlamento, sabe da importância da interlocução com o Governo”. Nelson é um dos cinco filiados do PT que ocupam cargo no primeiro escalão do Governo.

16:39 · 10.01.2013 / atualizado às 16:39 · 10.01.2013 por
Gaudêncio Lucena, que coordenará as regionais de Fortaleza, fará visitas paralelas as feitas pelo prefeito Roberto Cláudio. FOTO: ALEX COSTA

Parelamente às visitas feitas pelo prefeito Roberto Cláudio (PSB), o vice-prefeito, Gaudêncio Lucena (PMDB), resolveu também fazer incursões a equipamentos da cidade, na tentantiva de encontrar soluções para os problemas da Capital cearense. Na tarde desta quinta-feira, na companhia de alguns vereadores esteve visitando a comunidade da lagoa do Opaia, no bairro Vila União, onde vivem 200 famílias. A intenção da visita foi avaliar a possibilidade e urbanização daquela área.

Estiveram  na companhia dele, os vereadores Marcos Aurélio (PSC), Eulógio Neto (PSC), Wellington Sabóia (PSC) e Elpídio Nogueira (PSB).  Gaudêncio Lucena, que será coordenador das secretarias executivas regionais, disse que não irá ficar parado como vice-prefeito, e vai andar todas as seis regionais, para encontrar os problemas nos bairros e tentar solucioná-los.