Edison Silva

Categoria: Alvarás


09:02 · 30.07.2018 / atualizado às 09:02 · 30.07.2018 por

Por Renato Sousa

A Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) realiza nesta segunda-feira, 30, sessão extraordinária para votar mensagem do prefeito Roberto Cláudio (PDT) alterando as regras de cobrança de alvarás de funcionamento e de licença sanitária. A mensagem foi encaminhada à Casa na quarta-feira, 25, e, no mesmo dia, a convocação para a sessão extraordinária começou a ser encaminhada aos vereadores.

De acordo com o primeiro vice-presidente da Casa, Adail Jr. (PDT), a intenção é votar a proposta em redação final ainda na segunda. “No caso de uma sessão extraordinária como essa, temos que iniciar e terminar”, diz. Para isso, após a primeira votação, em caso de aprovação, novas sessões extraordinárias devem ser convocadas para concluir a análise da matéria e enviá-la para sanção do prefeito. “Quando é aquela sessão extraordinária que acontece durante o semestre, nós até podemos concluir em outro dia. Mas em uma durante o recesso, não”, explica.

Ele afirma que o projeto não pode esperar até o retorno dos trabalhos legislativos ordinários da Casa, previsto para quarta-feira, 1º, por causa do conteúdo da matéria que deve ser alterado. O projeto adia para o fim do próximo mês o vencimento dos alvarás com mais de um ano de concessão, cuja a vigência encerra-se na terça-feira, 30. “Por falta de sorte nossa, vamos ter que votar na segunda, ou no máximo na terça”, explica o parlamentar. Originalmente, a sessão extraordinária foi convocada para sexta-feira, 27. Entretanto, segundo o vice-líder do Executivo na Casa, Michel Lins (PPS), julgou-se mais conveniente fazê-la na segunda.

Além da extensão de validade em um mês, outra mudança trazida pelo texto apresentado pelo Executivo é a possibilidade de parcelamento do valor dos alvarás e licenças sanitárias em até cinco parcelas, cujo o valor não pode ser inferior a R$230. Após o pagamento da primeira prestação, o requerente receberá um alvará provisório, que será convertido em definitivo após a conclusão dos pagamentos.

O questão dos alvarás vem causado polêmica desde a aprovação de mudanças no Código Tributário Municipal, em 2017, que modificaram as regras e os valores para a concessão dos documentos. Desde então, o texto tem sido alvo de críticas até mesmo de membros da base aliada. A mensagem que será analisada na segunda é a segunda alteração que o Executivo propõe. Ainda em junho, através de decreto, o Palácio do Bispo já introduziu mudanças, como a redução de R$15 mil para R$5 mil o valor máximo a ser cobrado de estabelecimentos com área de até 30 mil m² e a isenção de pagamento para profissionais liberais, entre outros pontos.

As mudanças propostas pelo Executivo para serem votadas, entretanto, ainda encontram críticos. Na quarta-feira, 25, o líder da bancada do PR na Casa, Márcio Martins, anunciou que uma manifestação de empresários deve acontecer na segunda, durante a votação, para demonstrar a insatisfação com o texto. De acordo com ele, o parcelamento não modifica o fato que os valores cobrados pelo Paço Municipal seguem sendo elevados. Segundo o republicano, a manifestação estava marcada, originalmente, para a quarta, 1º, durante a reabertura do semestre legislativo. Tradicionalmente, o prefeito discursa aos vereadores nesse primeiro dia.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs