Busca

Categoria: Apoio


17:47 · 25.04.2016 / atualizado às 17:47 · 25.04.2016 por

A executiva nacional do PSDB se reúne nesta terça-feira, na sede do partido em Brasília para definir posicionamento quanto ao possível governo de Michel Temer, caso se consolide o afastamento da presidente Dilma Rousseff em votação no Senado Federal. De acordo com o deputado federal Gomes de Matos durante a reunião serão apresentadas oficialmente as propostas do partido, voltadas para garantir de volta a governabilidade.

Ele diz existir questões intrínsecas, desde o início pautadas como principais. O combate a corrupção seria uma delas. “Tem que ser dado o apoio necessário a toda estrutura do Ministério da Justiça, através da Polícia Federal e dos demais órgãos para a continuidade da Operação Lava Jato”.

Matos afirma que logo após a votação do impeachment na Câmara, a bancada de deputados federais fechou uma espécie de pré-pauta a ser apresentada na reunião da executiva junto com os senadores. “Não iremos minimizar quem quer que seja, mesmo que tenhamos um parlamentar do próprio partido que possa ser citado nas operações. Isso é questão primordial”, aponta.

Outra proposta a ser apresentada entre os membros tucanos, como diz o deputado federal, será a necessidade de fazer pelo menos duas reformas estruturantes, consideradas por ele como de fundamental importância. A primeira seria a reforma administrativa. “Consideramos que existem muitas estatais e autarquias. A questão de termos dez ou mais ministérios é o de menos, pois isso não gera grande impacto, mas o grande problema está nas autarquias, estatais e fundações”, explica. “Hoje as estatais, por exemplo, utilizam recurso público, mas o Congresso não tem autonomia de convocar o presidente de uma delas, a não ser através de CPI. Elas funcionam ao bel prazer, causando um grande gasto”.

A segunda seria o fortalecimento do pacto federativo com a reforma tributária. Gomes de Matos avalia que hoje os estados estão inviabilizados, com tendência de se agravar. “É claro que os senadores devem apresentar outras propostas, mas os nossos 56 deputados federais logo após a aprovação da admissibilidade do impeachment fecharam consenso também nesse sentido”.

A reunião foi agendada por conta das sinalizações de um possível governo Temer, que precisará montar sua equipe de trabalho, mas o PSDB não deve apresentar nomes para ocupar cargos em ministérios, é o que assegura Gomes de Matos. “Não vamos apresentar pessoas, mas vamos apresentar itens no macro, para garantir que Michel Temer assuma esse compromisso e se consolidando presidente da República leve a frente esse processo”.

Outro posicionamento “sem possibilidade de acordo”, conforme aponta, seria a respeito dos processos contra Eduardo Cunha e o próprio Michel Temer. “Os nossos membros que fazem parte da Comissão de Ética na Câmara, não vão remediar nada quanto ao processo do presidente Eduardo Cunha”, afirma. “Assim como também não vamos amenizar o que corre no TSE proposto pelo PSDB que é a reavaliação das contas de campanha da Dilma e dele. Demonstramos que houve utilização de recursos para a campanha do PT que acabou com dois tesoureiros presos”, coloca. “São fatos como dizia Color, imexíveis, e esperamos que os senadores reafirmem essa questão”.

O deputado estadual Carlos Matos é o único representante do PSDB na Assembleia Legislativa do Ceará. Ele afirma que o presidente nacional do partido, senador Aécio Neves já teria tomado a decisão de que o PSDB vai contribuir da maneira que puder, mas na gestão não colocará seus quadros. “Se Temer assumir poderá alguém de nosso partido ser convidado para uma determinada pasta, mas não será por indicação nossa. Será decisão própria do governo. O PSDB não vai bloquear, mas também não deve responder por isso, pois não será, ali, o PSDB atuando”.

Porém, de acordo com Carlos, o partido fará o que for possível para que o país saia da atual situação de crise. “Onde pudermos iremos apoiar, mas não queremos nenhum cargo e nenhuma nomeação sem que parta do governo”, diz o parlamentar cearense. “Isso é prudente porque o loteamento de cargos e acordos políticos baseado em cargos é algo que o PSDB nunca apoiou e deve ser mantida a coerência de que se faça aliança em cima da agenda para o país e não por cargos”.

Diferente do que recentemente a imprensa nacional anunciou sobre punições que poderiam ser impostas aos que aceitassem participar do governo peemedebista caso o PSDB decida por não apoiar Temer, Carlos Matos conta que seu partido não negocia o apoio por cargos, mas que cada um deve dar a sua parcela de contribuição para a melhoria nacional. “Se houver o convite, tudo bem, mas não vamos oferecer nomes”, ressalta.

Quem também se pronunciou sobre o futuro das legendas foi o senador José Serra (PSDB-SP). Na noite do último sábado, 23, ele postou em seu perfil no Facebook que a adesão seria oficializada caso “o futuro presidente Michel Temer” aceite os pontos programáticos do PSDB. Ainda na postagem ele diz que, se apoiar e for convidado, deve participar do governo. “Seria bizarro o PSDB ajudar a fazer o impeachment de Dilma e depois, por questiúnculas e cálculos mesquinhos, lavar as mãos e fugir a suas responsabilidades com o país”, colocou o senador que é cotado para a Saúde, pasta que já ocupou no governo de Fernando Henrique Cardoso.

14:53 · 30.05.2015 / atualizado às 14:53 · 30.05.2015 por
zcamilo
O governador esteve na manhã deste sábado n Município de Camocim. FOTO: DIVULGAÇÃO/FACEBOOK

O governador Camilo Santana realizou neste fim de semana, a primeira ação do projeto Governo Itinerante, em que ele, juntamente com sua equipe de secretários e assessores visitará municípios com o intuito de aproximar a gestão das pessoas. As primeiras visitas foram feitas, na sexta, em Crateús, e neste sábado, no Município de Camocim.

No segundo dia de Governo Itinerante, o chefe do Poder Executivo anunciou várias ações para o município e região Norte. Os secretários de diversas pastas também atenderam às demandas dos moradores. Na sexta-feira foram montadas tendas no Centro da cidade de Crateús, com diversos serviços à população, como a Carteira de Motorista Popular, Caminhão do Cidadão e atendimento das pastas do Governo.

Ainda na noite da sexta-feira, Camilo Santana foi a Sobra para inauguração da nova praça do Patrocínio e do planetário da cidade.  Na requalificação da praça foram realizados serviços de pavimentação, iluminação pública, paisagismo e instalação de mobiliário urbano apropriado. Já o planetário tem uma cúpula de projeção de 10 metros de diâmetro e dispõe de 84 assentos.

15:44 · 17.06.2012 / atualizado às 15:44 · 17.06.2012 por

Caso chegue ao segundo turno na disputa à Prefeitura de Fortaleza, a candidatura do PSB contará com o apoio do PCdoB, que hoje tem como pré-candidato o senador Inácio Arruda. Na reunião entre dirigentes das duas legendas, sábado, ficou acertado que caso haja segundo turno com apenas um desses partidos, o outro o apoiará.

Nenhum dos partidos está disposto a abrir mão da candidatura própria. “O PCdoB colocou claramete a questão da candidatura do Inácio. E o PSB tem três nomes (como pré-candidatos)”, disse o presidente do PCdoB no Ceará, Carlos Augusto Diógenes, o Patinhas. “Só em caso de segundo turno uma candidatura apoiará a outra”.

Além de Patinhas, articiparam do encontro o governador Cid Gomes, presidente do PSB no Ceará, Inácio Arruda, e o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo e o presidente estadual do PMDB, senador Eunício Oliveira.

12:23 · 15.06.2012 / atualizado às 12:23 · 15.06.2012 por
Jaime Cavalcante acredita que o melhor para o PP é apoiar o PCdoB de Inácio FOTO: KID JÚNIOR

Depois do fim da aliança entre PT e PSB para a disputa pela Prefeitura de Fortaleza, o PcdoB corre o risco de ficar sem o apoio do Partido Progressista (PP), tudo porque a legenda poderá apoiar o candidato do PSB, do governador Cid Gomes.

O presidente municipal do PP, Jaime Cavalcante, já admitiu que com o fim da parceria PT/PSB, novas conversas deverão ser feitas entre os partidos da base aliada do Governo, na tentativa de avaliar qual o melhor caminho a seguir.

No entanto, o dirigente afirma que o ideal para a agremiação é continuar ao lado do PCdoB, do senador Inácio Arruda, e que esse é o desejo do diretório municipal, uma vez que seria positivo tanto para a majoritária quanto para a proporcional. A opinião de Jaime, porém, não é a mesma do presidente estadual da agremiação, deputado federal José Linhares.