Busca

Categoria: Atentados


14:47 · 22.05.2013 / atualizado às 14:47 · 22.05.2013 por

heitorO deputado Heitor Férrer (PDT) apresentou um relatório do Ministério Público Estadual, na manhã de hoje, sobre a situação de delegacias e procedimentos realizados pela Polícia Civil no Estado, De acordo com ele, pelo menos 60 mil mandados de prisão ainda estão em aberto no Ceará.

“Estas 60 mil pessoas com mandado de prisão estão soltas e isso é estarrecedor”, disse ele, lembrando que laudos cadavéricos também não foram  elucidados, por falta de investigação por parte dos policiais, que vivem nas cadeias a cuidar de presos que não deveriam estar lá.

“Vamos imaginar um familiar nosso assassinado e não sabermos quem o matou. Isso é o maior incentivo a criminalidade que é a impunidade. O bandido sabe que não será investigado e quando ele tem essa certeza, ele terá a certeza da criminalidade”, disparou o pedetista, lembrando que de 100 crimes apenas cinco são elucidados.

No relatório, somente em uma delegacia, 300 laudos cadavéricos sem ter sido instaurados inquéritos.  “A Delegacia de Homicídios não está podendo elucidar homicídios. Na Polícia Civil de Pernambuco tem 7 mil e aqui tem 2200. Como uma política dessas pode investigar?”.

09:37 · 14.03.2013 / atualizado às 09:37 · 14.03.2013 por

Por Miguel Martins

Alguns deputados da Assembleia Legislativa repudiaram os atentados ocorridos a transmissoras de rádio no Município de Quixadá no último fim de semana. Os parlamentares se solidarizaram com os representantes dos veículos de comunicação e, inclusive, Ronaldo Martins (PRB) apresentou requerimento solicitando o envio de expediente ao secretário de Segurança Pública, Francisco Bezerra, o devido empenho nas investigações sobre as ações criminosas cometidas contra a empresa.
Conforme informações da Polícia, conforme foi divulgado na edição de ontem, do Diário do Nordeste, o episódio ocorreu quando os transmissores da Rádio Monólitos AM e Rádio Liderança FM foram destruídos, o que fez com que as rádios saíssem do ar, assim como uma emissora de TV que ficou sem o sinal naquela região do Sertão Central.
Os equipamentos das duas emissoras estavam instalados na área do Santuário Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão. O fato foi comunicado à Associação Cearense de Emissoras de Rádio e de Televisão (Acert) que já pediu à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) as devidas providências.
Segundo Ronaldo Martins, a Casa Legislativa não pode ficar silente diante o ocorrido que, conforme informou, foi uma afronta à liberdade de imprensa, visto que a sociedade espera uma resposta rápida para a atitude “tão covarde”, de acordo com ele. “Nós ficamos pensando qual será o próximo passo. Será que vão explodir as sedes das emissoras e dos jornais? Ou vão começar a explodir os carros dos jornalistas e radialistas?”, indagou.
Para o parlamentar, não dá para tratar o ocorrido como simples vandalismo, pois acredita ter sido um serviço profissional contratado para calar a imprensa. “Nós temos que questionar e cobrar uma ação imediata dos serviços de inteligência da Secretaria de Segurança para sabermos a quem interessa esses atos terroristas. A liberdade de imprensa é um bem consagrado pela nossa legislação e pela sociedade. De forma alguma podemos acatar qualquer tipo de ameaça a esse bem do povo”, apontou o republicano.
Além de apresentar um requerimento solicitando maior empenho da SSPDS e da Polícia Federal, visto que a concessão das rádios e da TV é do Governo Federal, o deputado também solicitou à Comissão de Defesa Social da Assembleia para acompanhar a questão de perto para dar resposta à sociedade sobre os ataques.
O deputado Ely Aguiar (PSDC) também se somou às reclamações de Ronaldo Martins quanto aos atentados e cobrou punição aos responsáveis pelos crimes cometidos contra os profissionais da imprensa no interior do Estado. Ele lembrou que a Associação Cearense de Emissoras de Rádio e de Televisão, através de seu presidente, Edilmar Norões, já se manifestou e repudiou a ação “nefasta” que foi refutada pelos deputados. O Ministério Público e a Polícia também foram outros que se manifestaram, lembrou.
“Estão tentando calar a imprensa no município de Quixadá. De sábado para hoje, três emissoras de rádio foram incendiadas. Isto é coisa mandada por alguém, porque se sente incomodado e aí procura o extremo”, criticou o deputado que demonstrou preocupação com a situação de insegurança de seus companheiros de imprensa.
“Não se pode calar a imprensa. Passamos um período imenso sem liberdade de imprensa. Foi muito sofrimento. Não podemos aceitar”, disse ele lembrando que vários radialistas já foram assassinados nos últimos anos. “Queremos punição para os culpados”, ressaltou.
A deputada Mirian Sobreira (PSB) também criticou as ações e solicitou medidas urgentes para elucidar os atentados ocorridos no Município do Sertão Central. “As ações da Secretaria são importantes para que se puna quem fez isso. Não se pode calar a imprensa. Afinal, vivemos ou não num país democrático?”, questionou a pessebista.
Rachel Marques (PT) solicitou Justiça para o ocorrido e afirmou que a violência quis atingir o direito de informação dos cidadãos. “Repudiamos veementemente esse ato brutal. Em um país democrático, não podemos conviver com esse tipo de crime”, criticou.