Busca

Categoria: Auditoria


11:01 · 25.08.2018 / atualizado às 11:34 · 25.08.2018 por
Os códigos-fonte das urnas eletrônicas servem, por exemplo, para que os votos possam ser digitados e confirmados pelo eleitor e, na sequência, computados pelo dispositivo e verificados ao fim do dia de votação Foto: TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou, em seu site, que peritos da Polícia Federal (PF) inspecionarão, entre as próximas segunda e sexta-feira (dias 27 a 31), os códigos-fonte das urnas eletrônicas a serem utilizadas nas eleições de outubro.

As averiguações serão realizadas a pedido do próprio TSE, na Sala de Lacração, localizada na sede da Corte Eleitoral em Brasília, sempre das 10h às 18h. Ao término de todas as inspeções, caso não haja nenhuma falha detectada, será validado o Sistema Eletrônico de Votação, desenvolvido pela área de Tecnologia da Informação do Tribunal.

Antes disso, entre os dias 29 de agosto e 5 de setembro, os programas de computador (softwares) desenvolvidos e aprovados começarão a ser compilados, assinados digitalmente, gravados em mídia não regravável, lacrados fisicamente e acondicionados na sala-cofre da sede do TSE.

Contudo, a cerimônia oficial de assinatura digital e lacração dos sistemas está agendada para o dia 6.

A urna eletrônica não se conecta à internet em momento algum, evitando fraudes por qualquer tipo de acesso remoto. São 30 camadas de segurança que impossibilitam qualquer tipo de fraude, de acordo com o TSE.

Perícias

Ainda segundo comunicado do TSE, a equipe que fará as inspeções nos códigos-fonte das urnas eletrônicas será composta pelos peritos criminais Auto Tavares da Câmara Junior, Paulo Cesar Hermann Wanner e também por Ivo de Carvalho Peixinho, que já havia coordenado uma série de testes públicos de segurança do Sistema Eletrônico de Votação realizados desde o ano passado.

Desde o dia 6 de abril deste ano, a verificação dos códigos foi aberta a representantes da sociedade civil que desejassem conhecer os softwares utilizados nas urnas. Contudo, essa possibilidade de conhecer antecipadamente esses programas é permitida, segundo resolução do TSE, a técnicos indicados pelos 35 partidos políticos brasileiros e por instituições como o STF, o Ministério Público, o Congresso Nacional, a CGU, a OAB, o Confea, a Sociedade Brasileira de Computação, a própria PF e departamentos de TI de universidades.

O que é código-fonte

Um código-fonte é um conjunto de palavras ou símbolos escritos de forma ordenada, contendo instruções em uma das diversas linguagens de programação computacional existentes, compiladas de tal forma que possam ser executadas pelo usuário de um determinado software.

Ele funciona como se fosse um manual para que programadores e usuários comuns desenvolvam ações digitais. No caso da urna eletrônica, por exemplo, para que os votos possam ser digitados e confirmados pelo eleitor e, na sequência, computados pelo dispositivo e verificados ao fim do dia de votação pelos técnicos do TSE, para que se possa apontar os resultados eleitorais.

14:12 · 14.12.2016 / atualizado às 14:13 · 14.12.2016 por

O presidente da Associação dos servidores do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Humberto Lopes Barbosa, protocolou no início da tarde de hoje no Tribunal de Contas do Estado (TCE), pedido de Auditoria nas áreas financeiras e de pessoal da Assembleia Legislativa cearense. Segundo alega, depois de relatar a tramitação, na Assembleia, da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) “com  fito a proceder fusão do TCE e TCM ou extinção deste”,  faltar transparência no Legislativo estadual.

Hoje pela manhã, o conselheiro do TCM, Manoel Veras, acompanhado de servidores daquela Corte de Contas,  foram conversar com o presidente da Assembleia, deputado José Albuquerque. Foram recebidos na entrada do plenário, de  certo modo, de modo frio. Veras era um dos conselheiros com quem os governistas contavam para eleger Hélio Parente presidente do TCM, no dia primeiro deste mês.  Manoel votou em Domingos Filho e fez parte da chapa como candidato a vice-presidente.

O presidente do TCE, conselheiro Edilberto Pontes está em Brasília, participando de evento no Tribunal de Contas da União. A respeito do pedido de Auditoria na Assembleia, ele disse que o cronograma de auditorias do TCE é feito anualmente e guardando respeito aos critérios estabelecidos pela Corte. O TCE não se envolverá em briguinhas.