Edison Silva

Categoria: Auxílio-alimentação


09:57 · 11.03.2018 / atualizado às 09:57 · 11.03.2018 por

Um projeto de lei encaminhado para a Assembleia Legislativa pelo governador Camilo Santana, na última semana, institui “auxílio alimentação para os servidores públicos estaduais ativos da Administração Direta e Indireta” no valor de R$ 15 por dia trabalhado.

Só podem receber a ajuda, os servidores com jornada de trabalho de 40 horas semanais, e que percebam remuneração mensal de até  R$ 4.992,20.

A proposta do Governo já está tramitando e deverá ser aprovada pelos deputados na próxima semana.

16:35 · 07.10.2013 / atualizado às 16:35 · 07.10.2013 por

zwlandimPelo menos 10 mil famílias ficarão sem receber o leite do Programa do Governo Federal Leite Fome Zero. A informação é do deputado estadual Welington Landim, que denuncia que a empresa responsável por repassar o produto está deixando de atender até o fim desta semana, visto os custos que vem arcando e o preço baixo do material no Ceará.

Conforme informou, pelo menos 30 municípios deixarão de ser atendidos pelo Programa. As empresas que abasteciam o leite na região já estavam realizando suas atividades apenas com a metade do total e não renovou o contrato com o Governo Federal, em virtude do preço do produto,que está abaixo de outros estados. No Ceará, o Governo Federal compra o leite a R$ 0,95 e o Governo do Estado a R$ 0,04, enquanto que na Bahia e Pernambuco se paga até R$ 1,17.

“Isso é um absurdo, pois são milhares de famílias necessitadas que não vão ter o direito de receber o leite para repassar para seus filhos. Não sabemos como isso vai ficar, mas que é uma situação muito degradante, não temos dúvidas”, reclamou o parlamentar.

Em abril passado, o Diário do Nordeste já havia informado a problemática da situação, quando 40 mil famílias cearenses estavam correndo o risco de receberem o litro de leite diário, de um total de 80 mil que eram cadastradas no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do leite. Na ocasião, a falta do produto se dava pela necessidade de alimento para o gado, o que reduziu pela metade a produção da bacia leiteira cearense.

Em razão da burocracia e limitações de recursos do Governo Federal a própria Secretaria de Desenvolvimento Agrário, ficou impossibilidade de comprar o material de outras fontes, conforme foi abordado em artigo do dia 28 de abril. O deputado Welington Landim afirmou ainda que a quantidade de milho que chegou, proveniente de uma promessa da presidente Dilma Rousseff ainda no início do ano, não obedece ao planejamento do próprio Estado, o que vem prejudicando a sua distribuição.
Leite Fome Zero é um programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) realizado no Ceará em parceria com a SDA. Com o objetivo de fornecer alimentação adequada a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional ou vulnerabilidade social, são distribuídos 57.453 mil litros de leite por dia no Ceará, de acordo com dados da secretaria.

09:44 · 13.05.2013 / atualizado às 09:44 · 13.05.2013 por

Depois que os magistrados, integrantes do Tribunal de Justiça do Ceará, e dos integrantes do Tribunal de Contas do Estado – TCE, garantiram o  direito ao auxílio alimentação, agora é a vez do integrantes do Tribunal de Contas dos Municípios – TCM, oficializarem esse benefício. Todos eles estão recebendo, mensalmente, R$837,00 a título de auxílio alimentação, conforme ato oficial que diz: 

Art.1º. Fica instituído o auxílio-alimentação para os membros do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará, a ser pago em pecúnia, de caráter indenizatório, no valor mensal de R$837,00 (oitocentos e trinta e sete reais).

§1º. Para fins do pagamento do auxílio-alimentação considerarse-á o mês com 22 (vinte e dois) dias úteis, em função dos quais será calculada pro rata a quantia a ser auferida.

§2º. Nos casos em que o vínculo com a instituição se implementar após o início do mês, o desligamento ocorrer antes do término do mês, ou houver suspensão do efetivo exercício das funções, serão descontadas as importâncias relativas aos dias úteis correspondentes.

§3º. A percepção do auxílio-alimentação pressupõe que seu beneficiário não esteja afastado de suas funções institucionais.

§4º. As hipóteses de recebimento do auxílio-alimentação, bem como seus limites e cessações, regulamentadas no presente normativo, estendem-se aos Auditores e Procuradores de Contas.

Art.2º. O pagamento do benefício de que trata o artigo primeiro deverá ser implementado com seus efeitos a partir de 1º de março de 2013, devendo ser pago juntamente com o subsídio respectivo.

Parágrafo único. O pagamento do auxílio-alimentação somente será incluído em folha de pagamento após a apresentação de requerimento expresso por parte do interessado.

Art.3º. O auxílio-alimentação possui natureza indenizatória, e, portanto:

I – não integra a base de cálculo para incidência de contribuição previdenciária;

II – não é considerado rendimento tributável;

III – não se incorpora ao subsídio, proventos ou à pensão, bem como não é computado para efeito do cálculo de gratificação natalina e outras vantagens.

15:36 · 24.04.2013 / atualizado às 15:36 · 24.04.2013 por

Os Desembargadores e Conselheiros dos Tribunais de Contas têm subsídios de aproximadamente R$ 25 mil por mês, mesmo assim ganharam o direito de ter uma verba alimentar, isto é, mais R$ 837 por mês, como auxílio-alimentação. As informações dão conta de que o Ministério Público também tem direito a tal auxílio.

A magistratura cearense, pela Resolução nº 01/2013 passou a receber essa vantagem a partir deste ano. Na mesma direção seguiu o Tribunal de Contas do Estado que,  na última semana, com o aprovo de todos os conselheiros presentes à reunião da terça-feira, dia 16 de abril, editou a Resolução nº02/2013. Após alguns considerandos, decidiram: 

Art.1º. Fica instituído o auxílio-alimentação para os membros do Tribunal de Contas do Estado do Ceará, a ser pago em pecúnia, de caráter indenizatório, na importância mensal de R$837,00 (oitocentos e trinta e sete reais).

§1º A percepção do auxílio-alimentação pressupõe que seu beneficiário não esteja afastado de suas funções institucionais.

§2º. Para fins do pagamento do auxílio-alimentação considerarse-á o mês com 22 (vinte e dois) dias úteis, em função dos quais será calculada pro rata a quantia a ser auferida.

§3º As hipóteses de recebimento do auxílio-alimentação, bem como seus limites e cessações, regulamentadas no presente normativo, estendem-se aos Auditores e Procuradores de Contas.

Art.2º. O pagamento do benefício de que trata o artigo primeiro deverá ser implementado a partir de 1º de março de 2013, devendo ser pago juntamente com o subsídio respectivo.

Art.3º. O auxílio-alimentação possui natureza indenizatória, e, portanto:

I – não integra a base de cálculo para incidência de contribuição previdenciária;

II – não é considerado rendimento tributável;

III – não se incorpora ao subsídio, proventos ou à pensão, bem como não é computado para efeito do cálculo de gratificação natalina, férias e outras vantagens.

 

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs