Busca

Categoria: Baixa tucana


10:17 · 02.10.2013 / atualizado às 10:17 · 02.10.2013 por

Marcos Cals, ex-presidente estadual do PSDB, não é mais tucano. Ele desfiliou-se ontem, após ter comunicado sua decisão de deixar o partido ao ex-governador e senador Tasso Jereissati. Ontem, também, deixou o PSDB o deputado estadual Téo Menezes. Marcos Cals vai para o Solidariedade, para onde seguirá, também, o deputado Fernando Hugo. Já Téo Menezes entra no DEM, segundo acerto firmado na manhã de ontem. Está sendo esperado para hoje a decisão de Samuel Araripe, outro tucano que acertou sua saída do partido para também ingressar no Solidariedade.
Os entendimentos para a saída de Marcos Cals do PSDB foram conduzidos pelo vice-governador Domingos Filho desde o fim da semana passada. Ele também tratou com Samuel Araripe e Fernando Hugo, sendo que dos três, apenas Hugo esteve com o governador Cid Gomes, no fim da manhã de sábado. Marcos Cals, além de ter sido presidente estadual do PSDB, foi o candidato do partido nas disputas pelo Governo do Estado em 2010 e pela Prefeitura de Fortaleza em 2012. Depois da última eleição e de sua saída da presidência do partido, Cals ficou recluso guardando sua insatisfação com o partido.
Téo Menezes, embora ainda estivesse filiado ao PSDB, não tinha espaço no partido há algum tempo. Ele chegou, inclusive, a ser ameaçado de expulsão da agremiação, após vir a público a notícia sobre desvio de recursos para a construção de banheiros em residências de pessoas pobres em alguns municípios cearenses, através de convênios celebrados entre a secretaria das Cidades e algumas associações e entidades. Esse episódio dos banheiros, acabou impedindo a ida de Téo para o PSD, antes da última eleição municipal, quando vários tucanos se filiaram àquela nova sigla.
Ontem, também confirmavam ter deixado seus respectivos partidos o deputado estadual Manoel Duca da Silveira, e os suplentes Mailson Cruz e Ana Paula Cruz, todos do PRB. Só Duca, até ontem, já havia decidido se filiar ao Pros. Os outros dois ainda iam decidir, até amanhã se entrariam no Pros ou no Solidariedade. Outro deputado que está mudando é Lucílvio Girão. Ele deixa o PMDB e falta decidir em qual dos dois novos partidos ingressará. Os deputados Neto Nunes (PMDB) e Bethose (PRP) ficam onde estão.
Na Assembleia Legislativa, ontem, a manhã foi de intensa movimentação. O gabinete do deputado José Albuquerque esteve sempre lotado, embora as conversas fossem reservadas. O próprio governador Cid Gomes ainda conversando, ao telefone, com alguns parlamentares, concluindo entendimentos iniciados no fim de semana e interrompido na segunda-feira em razão de sua viagem para São Paulo. Cid, segundo correligionários, chegou a recomendar dissuadir pessoas que queriam sair do PMDB para ingressarem nos novos partidos. Neto Nunes foi um deles. Lucílvio Girão chegou a dizer que se não fosse para um novo partido se filiaria a qualquer outro, mesmo correndo o risco de perder o mandato.
Afora o esquema do Governo, também havia movimentação no lado do PR, que acertava um ato de filiação para o fim da tarde, o que acabou não acontecendo. A deputada federal Gorete Pereira chegou a anunciar que, nos últimos dias, uma reunião de dirigentes do PR com o ex-senador Tasso Jereissati, serviu para acertar que PR e PSDB marcharão juntos para a disputa proporcional, de candidatos a deputado federal e estaduais.