Busca

Categoria: Bancada do PT


10:59 · 10.03.2013 / atualizado às 10:59 · 10.03.2013 por

A bancada petista na Assembleia se reuniu na última quarta-feira para cobrar do deputado Antônio Carlos um posicionamento mais alinhado com a decisão partidária, que em reunião da Executiva no início de fevereiro passado decidiu manter aliança política com o governador Cid Gomes. Na ocasião, a ex-prefeita Luizianne Lins, que é presidente estadual da agremiação não participou, pois estava de férias.
De acordo com Rachel Marques, a intenção do encontro foi afinar o discurso dos parlamentares do PT na Casa, pois, algumas vezes têm ocorrido “discurso diferenciado”, principalmente, por parte do ex-líder do Governo na Assembleia, Antônio Carlos, que depois do resultado das eleições municipais passadas, se tornou um dos opositores ao Governo Cid Gomes. “No geral temos que seguir a direção partidária que decidiu que somos base aliada do Governo e que apoiamos o governador”, afirmou a parlamentar.
Segundo ela, foi dito a Antônio Carlos que ele deveria ter um posicionamento diferenciado do praticado até aqui para que houvesse uma unificação da bancada. “A nossa posição é que a bancada esteja unida. O diretório via referendar no encontro a decisão que foi majoritária de quase todas as forças do partido na Executiva”, ressaltou Rachel Marques.
Na semana passada, contrariando a posição do partido, Antônio Carlos apresentou requerimento solicitando a presença do secretário de Saúde, Arruda Bastos, na Assembleia para dar explicações sobre o cronograma de funcionamento do Hospital Regional Norte, em Sobral. No entanto, o pedido do deputado foi derrubado, até mesmo com votos contrários de seus pares. Ele tem feito, inclusive, algumas críticas ao Governo do Estado, o que tem preocupado o restante do grupo petista na Assembleia.
“A gente precisa combinar as coisas. Não pode acontecer de qualquer forma porque, inclusive, causa constrangimento para nosso grupo que já é pequeno. Ele vai ter que se definir, porque ou ele assume a resolução do partido ou terá um posicionamento pessoal, só dele”, afirmou Dedé Teixeira (PT).
De acordo com ele ficou decidido no encontro da bancada que os deputados petista fariam reuniões semanais para discutirem as aras comuns que conduzem o mandato do PT na Câmara, assim como a defesa de discursos em comum na Assembleia. “Com relação aos pronunciamentos divergentes, o companheiro tem que, pelo menos, informar para a bancada para não sermos pegos de surpresa, ainda que eu defenda que ele mantenha a posição do PT. Queremos acertar esses detalhes porque não queremos causar tensão com posicionamentos dentro da bancada, porque a própria Luizianne Lins defende a unidade do partido em prol da reeleição da presidente Dilma”, afirmou o petista.
Antônio Carlos, por sua vez, disse que não irá deixar de fazer o debate como vinha fazendo até então e afirmou que, caso seja necessário, irá, sim fazer questionamentos sobre atos do Governo Estadual e também continuará apresentando requerimentos solicitando a presença de gestores na Casa Legislativa. Ele afirmou, porém, que, quando houver matérias positivas para a população votará com a base governista.
“Ontem (quinta-feira) eu votei em todas as matérias que o Governo enviou. Quando houver uma matéria que fira uma concepção minha eu votarei contrário. Acho que isso é importante, mesmo que meus colegas tendo postura de votar permanentemente com o Governo”, afirmou o petista. “Vou fazer meus requerimentos e ter meu posicionamento crítico porque isso é aceito por parte de meus apoiadores e da sociedade”.

10:26 · 04.02.2013 / atualizado às 10:26 · 04.02.2013 por

Por Georgea Veras

A executiva estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) já se decidiu, não haverá rompimento entre PT e PSB em âmbito estadual, a exemplo do que ocorreu em Fortaleza. A decisão foi tomada na última sexta-feira, dia 1, mas alguns petistas já adiantavam que, o natural, seria prosseguir com essa aliança no Estado, já pensando nas eleições de 2014, quando a presidente Dilma Rousseff tentará se reeleger.

Porém, na Assembleia Legislativa, a bancada do PT não tem discurso uníssono e diverge quando o assunto é ter ou não um posicionamento mais crítico diante do governo Cid Gomes.

O deputado Dedé Teixeira (PT) é de acordo que a bancada se reúna e afine os discursos. De acordo com ele, o seu partido está trabalhando pela unidade e isso também deve ser buscado pela bancada petista na Assembleia. Quando assuntos e mensagens mais polêmicas surgirem na Casa, Dedé Teixeira argumenta que o caminho mais indicado é reunir a bancada e decidir qual a melhor forma de proceder.