Edison Silva

Categoria: Biblioteca virtual


08:25 · 23.06.2016 / atualizado às 08:25 · 23.06.2016 por

Por Suzane Saldanha

Argumentando a defesa do acesso e do incentivo à leitura, o vereador Pedro Matos (PSDB) subiu à tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza para propor que a Prefeitura crie uma biblioteca virtual compartilhada na escolas da rede de ensino público da Capital. Segundo ele, a ideia seria simples e feita a partir da matrícula dos alunos na rede municipal.
“Precisamos dar acesso a essa biblioteca virtual. É um projeto simples, todos os estudantes ao realizar sua matrícula vai ter acesso a uma senha e consequentemente vai ter acesso aos livros didáticos e aos paradidáticos”, explicou.
Matos ressaltou ter como o objetivo oferecimento de uma biblioteca virtual para que sejam compartilhados livros didáticos e literários nas escolas públicas da rede municipal de Fortaleza. “Queremos incentivar e resgatar o interesse à leitura, além de democratizar o acesso e promover a inclusão social dos menos favorecidos”, argumenta.
Pedro entrou com um projeto de Indicação para contemplar a ideia. Segundo a medida, qualquer aluno, professor e funcionário das escolas públicas podem disponibilizar material de leitura na base de dado da biblioteca virtual.
Conforme a proposta, para utilizar o serviço o estudante deve estar devidamente matriculado em uma escola da rede municipal. Além disso, no ato da matrícula, o aluno deve receber um nome de usuário e senha para permitir o acesso.
O parlamentar destaca que a biblioteca deve contar livros didáticos, principalmente os utilizados ao longo do ano letivo, bem como livros de literatura que não contenham teor discriminatório e violento. A matéria aponta que a base de dados deve ser atualizada de seis em seis, conforme interesse do Poder Executivo.
Pedro Matos justificou ter apresentando o projeto por ter observado o recente caso de um estudante de 20 anos em Fortaleza que foi preso por roubar um livro para se preparar para prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo informou, o estudante foi salto após contar com a defesa de um defensor público.
“Ele passou dois meses preso e é interessante porque até ele ser solto a fiança era de 850 reais e o livro era na faixa de 290 reais. Como esse estudante que planejava cursar medicina ia ter condição de pagar a fiança se não tinha dinheiro nem para estudar?”, questionou. O vereador finalizou pedindo ao prefeito que tornasse a proposta da biblioteca virtual uma realidade e enviasse uma mensagem para a medida virar lei.
O projeto começou a tramitar ontem e seguiu para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJ).
Por ser um projeto de Indicação, a medida segue para o Poder Executivo que pode ou não devolver ao Legislativo a proposição em forma de mensagem.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs