Edison Silva

Categoria: Busca de apoio


09:44 · 30.11.2016 / atualizado às 09:44 · 30.11.2016 por

O governador Camilo Santana (PT) e os ex-governadores Ciro e Cid Gomes, ambos do PDT, deram sequência, ontem, à série de contatos com deputados estaduais da base aliada, comunicando a decisão adotada no dia anterior, de fechamento de questão em apoio à candidatura do deputado José Albuquerque à reeleição como presidente da Assembleia Legislativa cearense.
Na segunda-feira à noite, no encontro com o deputado Sérgio Aguiar (PDT), o conselheiro Domingos Filho, do Tribunal de Contas dos Municípios e deputados estaduais do PMB e PSD, comunicou a conversa que teve, em sua residência, no horário do almoço de segunda-feira, como relatada na edição de ontem do Diário do Nordeste, quando foi comunicado da decisão do governador pelo ex-governador Ciro Gomes, seguido de um apelo para retirar apoio à candidatura de Sérgio.
Segundo aliados de Domingos, ele teria dito a Ciro que não “capitularia” e que só o conselheiro Chico Aguiar, do mesmo Tribunal de Contas dos Municípios, pai de Sérgio e este, decidiriam se continuar ou não com a postulação. O deputado Osmar Baquit (PSD), no mesmo encontro falou de sua conversa com Ciro Gomes, no apartamento deste, na tarde de segunda-feira, no mesmo tom.
Ontem, Osmar e outros parlamentares foram chamados a conversar com o governador Camilo Santana sobre o mesmo assunto. Cid Gomes ficou com a incumbência de tratar da questão com o conselheiro Chico Aguiar e outros parlamentares.
Secreta
A eleição para a presidente da Assembleia Legislativa cearense, com mandato de dois anos, a última metade da atual legislatura, acontece amanhã. As duas chapas deverão ser apresentadas logo no início da sessão preparatório, no fim da manhã.
A votação é secreta e será a primeira grande disputa pelo cargo, pouco mais de três décadas após a última disputa em que morreu Murilo Aguiar, um dos concorrentes, de parada cardíaca, tão logo foi anunciado o resultado da votação. Murilo era avô de Sérgio Aguiar.
Ontem, dentro e fora do plenário o tema central era a disputa pela presidência da Assembleia. Os dois candidatos tiveram várias reuniões de consolidação dos apoios e formalização da chapa. Na manhã da última segunda-feira o governador Camilo Santana fechou questão quanto ao nome de Albuquerque para a presidência, na reunião que contou com o participação de 19 parlamentares. Antes, José Albuquerque apresentava uma relação de apoio com 34 deputados.
De acordo com Sérgio Aguiar, a divisão de representatividade para a chapa que irá apoiá-lo está em curso desde que os apoios foram firmados. Nas contas do parlamentar ele tem o apoio de 11 deputados do bloco formado por PMB, PSD, PRP, PCdoB e PEN, outros seis do PMDB e cinco do grupo formado por PR, PSDB, PSDC e SD. Este último bloco é composto por Ely Aguiar, Capitão Wagner, Fernanda Pessoa, Aderlânia Noronha e Carlos Matos.
Alguns parlamentares do bloco que estavam presentes na Assembleia, ontem, disseram que ainda estavam indecisos, podendo definirem-se somente à noite. No entanto, alguns declararam que a tendência seria de apoio a Aguiar. Segundo eles, há algumas semanas houve a assinatura de uma lista em apoio a Albuquerque, porém, naquele momento havia a possibilidade de consenso em torno do nome do atual presidente, o que não é mais uma realidade.
Decidiu
Além do próprio voto, Aguiar está contando ainda com o apoio de Lucilvio Girão, do PP, e acredita poder ter ao seu lado pelo menos outros dois nomes do PDT. O deputado Walter Cavalcante, que também é do PP, ainda não decidiu como deve se comportar na eleição de amanhã, e não assinou a lista de apoio a Zezinho, na segunda-feira passada. Ele, porém, foi um dos que participaram da reunião de segunda-feira, na Residência Oficial, quando o governador Camilo fechou questão do apoio dos governistas a Albuquerque.
Com essa quantidade, Aguiar acredita ter até 24 votos, podendo, inclusive, somar outros. No entanto, durante todo o dia de ontem, o governador Camilo Santana recebeu parlamentares da base governista para tratar do assunto, assim como o fez Zezinho Albuquerque. “Vamos fazer a divisão da representatividade dentro da proporcionalidade com esses três blocos para fazer a montagem da chapa no momento devido, que deve ser nesta quarta-feira”, disse Aguiar.
Zezinho Albuquerque conta com seu voto e espera contar com o apoio de toda a bancada pedetista, com exceção de Aguiar. Além disso, terá o apoio da maior parte dos deputados do PP, além dos votos do PT, DEM, PSB e PHS. No caso do PRB, ainda há dúvida sobre apoio ou não dado a ele por David Durand, único representante da sigla na Casa.
De acordo com informações, só haverá alteração no caso dos votantes com o retorno de Odilon Aguiar (PSD) e Leonardo Araújo (PMDB). O primeiro já protocolou na Casa o pedido de retorno e o segundo foi beneficiado com a renúncia de Carlomano Marques (PMDB), eleito prefeito de Pacatuba. Os demais deputados que foram eleitos prefeitos municipais vão votar no pleito de amanhã.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs