Edison Silva

Categoria: Carlomano


09:15 · 13.02.2013 / atualizado às 09:15 · 13.02.2013 por

Na quinta-feira, os deputados estaduais cearenses vão se reunir para elegerem os presidentes das comissões técnicas da Casa, que se renovam a cada dois anos. Tudo deveria correr nornalmente, pois as presidências das comissões, como de resto seus integrantes, são negociados antecipadamente com os líderes de bancadas. É que agora tem o problema carlomano Marques, até então presidente da Comissão de Saúde e certo de sua recondução ao cargo. Mas Carlomano está com o seu mandato cassado, por decisão do Tribunal Regional Eleitoral – TRE, e segundo entendimento de alguns, já deveria estar fora da Assembleia.

E não está pelo fato de a Assembleia ter entendido que, para cumprir a decisão do TRE em declarando a vacância do mandato daquele deputado peemedebista deveria conceder-lhe um prazo correspondente a oito sessões plenárias da Casa, para que ele tivesse o direito a ampla defesa. Carlomano recorreu da decisão do TRE ao Tribunal Superior Eleitoral, pedindo uma medida cautelar, uma liminar, que suspenda a decisão do Tribunal local e lhe garanta aguardar, no exercício do mandato, até a decisão final do seu caso naquela Corte Superior do Eleitoral.

Acontece que Carlomano, por estar no exercício do mandato, tem direito de participar de todo e qualquer processo legislativo, inclusive o de ser eleito presidente da Comissão de Saúde. Mas alguns depurados estarão preocupados com essa situação. Eles entendem que, se  Carlomano for eleito, agora, presidente daquela comissãlo, a posição da Assembleia pode ser considerada afrontosa à Justiça Eleitoral e à sociedade que acompanha o caso. Em não sendo eleito presidente da Comissão de Saúde, entendem os mesmos parlamentares que o Legislativo o está punindo antecipadamente, além, sem dúvida, do temor de sua reação..

ta

 

 

14:25 · 01.02.2013 / atualizado às 14:25 · 01.02.2013 por

A assessoria do Tribunal Regional Eleitoral encaminou no fim da manhã de hoje às redações, cópia do ofício entregue na Assembleia Legislativa, na manhã passada, comunicando a decisão daquela Tribunal, cassando o mandato do deputado estadual Carlomano Marques (PMDB), pelo fato de haver sido comprado que sua irmã, a vereadora Magaly Marques (PMDB), vereadora de Fortaleza, haver distribuído receitas médicas e atestados em troca de votos para o parlamentar.

Leia a íntegra do ofício:

Assunto: Remessa de decisao para efeito de cumprimento

Excelentissimo Senhor Presidente, 

De ordem do Excelentfssimo Senhor De embargador Presidente deste

Tribunal, comunico a Vossa Excelencia, para que sejam adotadas as medidas cabiveis ao seu

cumprimento, decisão proferida por esta Corte na Sessão de 30/0112013, em face de

Embargo de Declaração oposto por CARLOMA 0 GOMES MARQUES e por MARIA

MAGAL Y MARQUES DA TAS, a qual negou provimento a aludidos Embargos,

revogando, por conseguinte, os efeito da decisão liminar exarada na Ação Cautelar n° 411- 52, CIa e 1, mantendo-se in totum decisao tomada por este Tribunal na Sessao de 3/12/2012, relativa ao proces0  acima identificado (publicada no Diario da Ju ti~a Eletronico n° 269, pag. 8, de 21/12/2012), que cassou 0  mandato do Deputado Estadual CARLOMANO GOMES MARQUES.

 

 

Re peitosamente,

 

 

 

/;

 

‘” .••J- ‘/

 

NDO LUCIO 0 Z G WA

 

ecretario Judiciar'()

JU/ pro2/

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs