Edison Silva

Categoria: Colegiado


09:03 · 12.04.2018 / atualizado às 09:03 · 12.04.2018 por

Por Letícia Lima

Parlamentares cearenses voltaram a defender, ontem, o entendimento vigente no Supremo Tribunal Federal (STF) de que o réu pode começar a cumprir a pena, após condenação em segunda instância. O assunto voltou à tona e vem sendo colocado em xeque, em meio à prisão do ex-presidente Lula (PT), condenado pelo tribunal de segunda instância a 12 anos e um mês de prisão, no processo do tríplex de Guarujá. Durante sessão na Assembleia Legislativa, deputados estaduais pediram, ainda, pelo fim do foro privilegiado, considerado por alguns o “colo maternal” de figurões da política brasileira, enrolados na Justiça.

De acordo com um estudo feito pelo Senado, cerca de 55 mil pessoas no Brasil têm o “foro especial por prerrogativa de função”, que é um tratamento diferenciado dado pela Justiça a ocupantes de cargos públicos, como presidente da República, deputados, senadores e ministros. Estes, enquanto estiverem no exercício de suas funções, só podem ser julgados pelo STF. Mas também prefeitos, ministros de Tribunais de Contas, juízes e desembargadores, por exemplo, podem usufruir do privilégio de não serem julgados por tribunais em primeira instância.

Para o deputado Fernando Hugo (PP), existem políticos que só ocupam a vida pública para ter o “cargo protecional” e, quando estão na mira da Justiça, acusados de cometerem práticas ilícitas, se utilizam do alto poder econômico que têm para ingressar com dezenas de recursos e evitar o cumprimento das penas. Ele defendeu que o foro deve ser limitado a presidente da República, presidente do Congresso Nacional e, “talvez”, ao presidente do Supremo.

“Muitos que irão se candidatar a deputado federal, deputado estadual, que tiveram de deixar seus cargos, estão numa hora dessa com um olho na missa e outro no padre, porque, ao perderem o foro, estão expostos ao julgamento que pode e deve na segunda instância condená-los. Se um indivíduo passar a ser somente sentenciado e posto a cumprir a sentença após a quarta instância é lógico que um milionário, que faz política apenas para ter cargo protecional, vai até a décima instância, tem-se 10 anos de processo e não far-se-á Justiça jamais”, exemplificou.

O parlamentar considerou o foro privilegiado um “acobertador no Congresso e, em outros núcleos da República, de desmandos feitos por pessoas desqualificadas de probidade”. “Não é verdade dizer por aí que só se prejudica partido A, partido B, político Z, X ou Y. O delinquente Aécio Neves, no próximo dia 17, estará nas barras do STF. Eduardo Cunha era presidente da Câmara quando perdeu o mandato e foi preso, Geddel tá preso, Palocci, uma figuraça. Eles, ao perderem os cargos que os protegiam, estão expostos à legislação vigente para que as tramitações punicionais da Justiça sejam efetivadas”, argumentou.

Ao apartear a fala de Fernando Hugo, o deputado Leonardo Araújo (PMDB) sustentou que a questão da prisão após condenação em segunda instância deve ser interpretada em “prol dos interesses da sociedade”. “No momento em que nós temos um Judiciário com a morosidade visível pela grande quantidade de recursos e pela dificuldade da estrutura que é montada, nós não podemos permitir que aqueles condenados cheguem à impunidade. Em país nenhum do mundo se utiliza o princípio de presunção de inocência para punir a sociedade com a impunidade de criminosos”, frisou.

O deputado Capitão Wagner (PROS) também defendeu o fim do foro privilegiado que “muito mais prejudica a nossa nação, do que beneficia”. “Não (no sentido) de punição para integrantes do partido A, partido B, partido C, mas de todo e qualquer indivíduo que tenha praticado algum ilícito”.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs