Edison Silva

Categoria: Comissões Provisórias


11:25 · 25.12.2017 / atualizado às 11:25 · 25.12.2017 por

O deputado estadual Tin Gomes, há aproximadamente duas décadas no comando estadual do partido, está prestes a perder o posto para o deputado federal Cabo Sabino, incomodado com o PR. Inicialmente,  Sabino negociou com o Podemos, mas desistiu de se filiar a esta sigla em razão de sua decisão em votar para presidente da República no deputado  federal Jair Bolsonaro, e o Podemos ter candidato o senador Álvaro Dias.

Os acertos para Sabino ocupar a direção do PHS no Ceará foram feitos com a direção nacional da sigla, para acontecer já no próximo dia 27. O deputado Tin Gomes não participou das conversas e delas tomou conhecimento pelo Diário  do Nordeste, por informações dadas pelo próprio Cabo Sabino.

O PHS no Ceará é dirigido por uma Comissão Provisória, como a maioria das outras agremiações partidárias, o que significa dizer que os seus integrantes não têm mandato,  consequentemente estão sempre sujeitos a serem trocados por quem bem entenderem os dirigentes nacionais.

Recentemente isso já aconteceu no Ceará. O PMB era controlado pela ex-prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar, mulher de Domingos Filho, hoje rompido com o Governo do Estado. A direção nacional não gostou de ter o partido no Ceará como oposição, destituiu  Patrícia do cargo e entregou o partido para uma aliada do governador Camilo Santana. E outros casos ainda poderão acontecer até o próximo mês de julho, data do início das convenções partidárias que homologarão as candidaturas e as coligações partidárias para as eleições de 2018.

21:37 · 09.02.2016 / atualizado às 21:37 · 09.02.2016 por

O Tribunal Superior Eleitoral em dezembro passado iniciou uma discussão sobre a necessidade de todos os partidos serem constituídos apenas por diretórios, ao contrário de atualmente quando a grande maioria é formada apenas por comissões provisórias que, a qualquer momento, dependendo do interesse de seus dirigentes, podem ser trocadas e os compromissos assumidos por seus representantes desrespeitados.

No Ceará, dos 35 partidos registrados no Tribunal Regional Eleitoral, só uns cinco, aproximadamente têm diretórios estadual e municipais.

Na segunda-feira de Carnaval, a coluna Painel da Folha de S.Paulo destaca uma movimentação de partidos nacionais contra o posicionamento do Tribunal Superior Eleitoral:

Partidos vão ao Supremo contra resolução da Justiça Eleitoral para eleições municipais

Por Painel

Disputa suprema Dirigentes de ao menos 33 partidos vão ao STF (Supremo Tribunal Federal), logo após o Carnaval, contra resolução da Justiça Eleitoral que proíbe as agremiações de lançarem candidatos a prefeito e a participarem de alianças em cidades onde não haja diretório municipal registrado. Eles consideram o expediente “uma afronta do TSE ao Legislativo”, e sustentam que, durante a discussão da reforma política na Câmara, o tema foi debatido e rejeitado pelos deputados.

E agora? Em São Paulo, o PRB de Celso Russomanno, líder nas pesquisas para a prefeitura, está cadastrado na Justiça Eleitoral com uma comissão provisória, o que inviabilizaria a candidatura.

Maré O mesmo acontece com o PRB no Rio, onde o partido trabalha para lançar o senador Marcelo Crivella à sucessão do peemedebista Eduardo Paes. Lá, PMDB e PSB estão no mesmo barco.

Carta Magna “Quando determina que os partidos criem diretórios, o TSE está interferindo na autonomia partidária, garantida pela Constituição, para definir suas estruturas internas. Logo, essa resolução é inconstitucional”, diz Marcos Pereira, presidente nacional do PRB.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs