Edison Silva

Categoria: Compulsória


11:43 · 23.05.2015 / atualizado às 11:43 · 23.05.2015 por

A emenda constitucional aprovada pelo Congresso Nacional é muito clara em relação aos beneficiários da compulsória aos 75 anos: ministros dos tribunais superiores. Assim, desembargadores e juízes não podem gozar desse benefício, bem como os demais servidores públicos, que em nada são inferiores aos magistrados.

As ações de desembargadores e juízes para permanecerem em seus cargos após os 70 anos, além  de imorais, só prejuízos levam à imagem da magistratura, sobretudo quando encontram parceiros para o deferimento. O basta dado pelo Supremo Tribunal Federal está explicitado na decisão desta semana, quando “foi suspensa a tramitação de todos os processos que envolvam a aplicação da nova idade para aposentadoria compulsória a magistrados, até o julgamento definitivo desta ADI. O Plenário ainda declarou sem efeito todo e qualquer pronunciamento judicial e administrativo que tenha interpretado a emenda para assegurar a qualquer outro agente público o exercício das funções relativas a cargo efetivo após os 70 anos de idade.Supremo Tribunal”, como está explicitado no site do STF.

15:16 · 06.05.2015 / atualizado às 15:18 · 06.05.2015 por

O senador Renan Calheiros (PMDB), presidente do Congresso Nacional, está anunciando para amanhã, quinta-feira, a promulgação da Proposta de Emenda à Constituição  (PEC), cuja votação foi encerrada ontem à noite, na Câmara dos Deputados, aumentando a idade limite para a aposentadoria compulsória de ministros dos Tribunais Superiores (Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Tribunal Superior do Trabalho,  Superior Tribunal Militar e Tribunal de Contas da União), de 70 para 75 anos. O ministro Napoleão Nunes Maia, com a emenda, ganha mais cinco anos de magistratura.

A emenda constitucional já estava tramitando há alguns anos no Congresso e, no ano passado chegou a ser aprovada no Senado Federal e ontem, os deputados concluíram, na Câmara, sua votação. Os seus efeitos passam a vigorar a partir da promulgação, amanhã.

O ministro Napoleão Nunes Maia, cearense com atuação no Superior Tribunal de Justiça (STJ), completa 70 anos agora em 2015. Com a promulgação da emenda constitucional ele ainda terá mais cinco anos de atuação naquele Corte de Justiça, devendo, inclusive, presidí-la. Napoleão é magistrado de carreira. Ele foi juiz federal no Ceará e depois foi desembargador federal com atuação em Recife, de onde saiu para o  STJ.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs