Edison Silva

Categoria: Cortes


12:13 · 27.02.2018 / atualizado às 12:13 · 27.02.2018 por

O corte de verbas federais para o Ceará voltou a ser criticada pelos parlamentares, na manhã de hoje, na Assembleia Legislativa. A deputada Rachel Marques (PT) alertou na tribuna para o fato “contraditório” de que, enquanto o Governo do Estado investe em Educação, obtendo avanços nos indicadores de alfabetização, o Governo Federal cancela recursos para investimentos nessa área.

“O Ceará superou a média nacional em Leitura, Escrita e Matemática, entre as crianças matriculadas no terceiro ano do Ensino Fundamental. Isso é fundamental para que a gente possa enfrentar todas as mazelas da sociedade, inclusive, a violência. Na UFC, foram cancelados R$ 36 milhões. Na reestruturação e expansão dos institutos federais, o valor cancelado foi de mais de R$ 9 milhões. No Hospital Universitário Walter Cantídio, foram mais de R$ 8 milhões, por isso o nosso alerta, não podemos aceitar, a gente tem um Governo Federal que retira direitos”, reclamou.

12:27 · 22.02.2018 / atualizado às 12:27 · 22.02.2018 por

Enquanto o Governo Federal promove cortes nos recursos enviados para os estados – só na área da Segurança o Ceará perdeu R$ 18 milhões -, o deputado Manoel Santana (PT) enfatizou, hoje, na Assembleia Legislativa, os investimentos que o Estado do Ceará vem realizando. O parlamentar citou o programa Águas do Sertão, cujo objetivo é fortalecer o abastecimento das comunidades no Interior do Estado.

“São R$ 50 milhões de euros que serão utilizados nesse projeto do saneamento rural, em algumas comunidades o abastecimento da água passa a ser um problema muito sério, então essa ação do Governo é extremamente importante e necessária e oportuna e vem para tirar desse risco as comunidades e garantir a água com qualidade o seu destino”.

06:43 · 03.10.2015 / atualizado às 06:43 · 03.10.2015 por

O corte de recursos no “Aqui tem Farmácia Popular”, do Governo Federal, que deve ocorrer a partir de janeiro do próximo ano, já preocupa estabelecimentos comerciais e mais ainda aqueles que se valem dos descontos de até 90% no preço dos medicamentos.
O assunto foi tratado ontem na Assembleia pela deputada Aderlânia Noronha (SD). Ela criticou a forma como Dilma Rousseff tem tratado os brasileiros. “Os desatinos estão na condução política, econômica e social do País. O Governo da presidente Dilma Rousseff não consegue tomar uma só medida, dizer uma só palavra que a população possa confiar”, disse.
A parlamentar lamentou que no orçamento do próximo ano, não sejam destinados recursos para o programa. “Sem os descontos de até 90%, os remédios oferecidos podem ter um aumento absurdo”, avaliou. O Ministério da Saúde afirma que a proposta de orçamento para o próximo ano prevê um corte de R$ 578 milhões no programa, que vai ter impacto direto na oferta de remédios com desconto, que deixará de existir. No entanto, o ministério disse que está trabalhando para tentar reverter a situação e encontrar novas fontes de financiamento. A pasta reiterou que será mantida a gratuidade para vários remédios que tratam hipertensão, diabetes e asma.

09:02 · 01.10.2015 / atualizado às 09:02 · 01.10.2015 por

Nas próximas horas o prefeito Roberto Cláudio definirá o tamanho do corte que imporá nas contas da Prefeitura de Fortaleza, em razão da redução das cotas do Fundo de Partipação dos Municípios (FPM) e de outras liberações do Governo Federal.

O prefeito tranquiliza os servidores públicos, embora os contratos com prestadoras de serviços possam sofrer alguma redução. Os setores de Saúde e Educação também não sofreram com os cortes. As obras em execução também não serão afetadas.

09:59 · 25.01.2015 / atualizado às 09:59 · 25.01.2015 por

As medidas adotadas pelo governador Camilo Santana (PT) para reduzir os gastos do Estado já em fevereiro estarão superadas em razão dos aumentos obrigatórios com pessoal, quando o governo começa a pagar a folha de pessoal referente ao primeiro mês da nova gestão. Só a reposição das perdas salariais aprovada pela Assembleia Legislativa, em dezembro passado, de pouco mais de 6%, equivale ao consumo de quase toda economia prevista com a redução das despesas. Já em novembro de 2014, o Diário do Nordeste destacou a necessidade do pacote.
Além disso, a folha de pagamento do Estado será deveras elevada com a majoração dos subsídios concedido aos magistrados, membros do Ministério Público, dos Tribunais de Contas e afins, com vigência a partir deste mês, em face do aumento concedido pelo governo federal a essas categorias, cuja repercussão se dá em todas as unidades da Federação. Acrescente-se, mais, ao aumento das contas públicas estaduais o novo piso salarial dos professores, já em vigor nacionalmente.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs