Busca

Categoria: Crimes


09:12 · 07.10.2015 / atualizado às 09:12 · 07.10.2015 por

Como tem ocorrido nos últimos meses a segurança pública pautou as principais discussões durante a sessão de ontem na Assembleia Legislativa do Ceará. O deputado Leonardo Araújo (PMDB) salientou que os crimes cresceram na região dos Inhamuns e relatou o clima de insegurança vivido pelos moradores dos municípios de Tauá, Parambu e seus distritos, especificamente. “A violência sempre foi um problema nessa região, e os números estão aparecendo agora. Antes, era tudo maquiado, mas hoje não tem como esconder”, afirmou o mais novo parlamentar da Casa, que assumiu a vaga deixada por Carlomano Marques, afastado por problemas de saúde.

Araújo cobrou ações mais efetivas por parte do Governo do Estado e da Secretaria de Segurança Pública para tratar da insegurança e dos crescentes assassinatos na região. “Tauá e Parambu estão em situação de calamidade pública. Fazer obra sem investir no povo é política ineficaz. É preciso combater a violência com mais efetivo policial e ações para esses municípios”, apontou.

O deputado Audic Mota (PMDB) foi outro que lamentou a situação e atribuiu que a responsabilidade deveria ser assumida em conjunto pelos poderes federal, estaduais e municipais. Audic teceu  críticas à prefeitura de Tauá pelo que chamou de “inércia” no controle da violência. “Há uma propaganda em que coloca Tauá como o município mais calmo e mais seguro do Ceará, mas tudo não passa de mentira”. Segundo o parlamentar, a cidade nunca teria deixado de registrar incidentes relacionados ao tráfico de drogas, crimes contra a vida e patrimoniais, que vêm se agravando nos últimos tempos. “A gestão municipal tem grande culpa, por não dar a devida atenção ao grave cenário de violência que se alastra por lá”, apontou Audic Mota.

Odilon Aguiar (Pros) negou que haja inércia e descaso da Prefeitura de Tauá em relação ao problema da segurança pública no município e salientou que a onda de violência não tem atingido apenas a cidade de Tauá, mas toda a região dos Inhamuns. Em aparte, o deputado Joaquim Noronha (PP) destacou a importância de desenvolver ações para inibir a violência no sertão dos Inhamuns. “Fiz requerimento pedindo um delegado para o município de Parambu. Outra ação que deve acontecer é fiscalização na BR 020, para que os bandidos não consigam fugir”, pontuou.
Tráfico
Ainda de acordo com Odilon Aguiar, a violência no município de Tauá está ligada à organização do tráfico de drogas. Ele pediu para que a problemática não fosse municipalizada. “É uma luta de gangues e facções atrás de territórios de drogas, e isso está nos preocupando”, disse. O parlamentar garantiu levar a problemática ao governador Camilo Santana e ao secretário de Segurança do Estado, Delci Teixeira. “Vamos tratar com o governador já na próxima semana”, disse.
O deputado Roberto Mesquita (PV) destacou que a disseminação das drogas contribuiu para o aumento da violência e definiu o crack como uma coisa tenebrosa. “Com o advento da pedra (crack), as pessoas ficaram viciadas e passaram a agir de forma animalesca. Pelo vício ele rouba, pelo vício ele mata”, disse.
O líder do governo na Assembleia, Evandro Leitão (PDT) afirmou que o governo do Estado não estaria inerte aos acontecimentos e trabalha para mudar o cenário de violência ao qual o Ceará está afogado. “As ações contemplam todo o Estado e não apenas o Interior. O governador Camilo Santana garantiu a promoção dos policiais, empossou novos agentes que hoje estão nas ruas reforçando a segurança. Acreditamos que o caminho seja esse e que logo os resultados serão ainda mais visíveis”.