Edison Silva

Categoria: Cultos


10:16 · 16.05.2013 / atualizado às 10:16 · 16.05.2013 por

Por Miguel Martins

A deputada Silvana Oliveira (PMDB), cobrou, ontem, na tribuna da Assembleia Legislativa, que um projeto de sua autoria, que autoriza a realização de cultos nos presídios do Ceará, fosse colocado para votação pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa. Se dizendo perseguida “por setores da imprensa”, a peemedebista voltou a dizer que o estado de laicidade não significa que os poderes defendam pensamentos ateus no País.
“O Estado deve dar condições e favorecer a proteção e segurança desses templos. Independente da fé que se professe, o Estado deve garantir essa liberdade de culto”, disse a parlamentar, ressaltando ainda que defende suas convicções baseada no “bom senso”. “O Estado ateu não seria benéfico para nenhum de nós. Na Constituição está defendido o direito de culto religioso”, apontou.
Ela defendeu a realização de cultos na Assembleia Legislativa, chegando, inclusive, a comentar matéria recente do Diário do Nordeste que discorria, justamente, sobre a realização de encontros religiosos na Casa. Segundo ressaltou Silvana Oliveira, aqueles que dizem que as atividades religiosas não podem acontecer em ambientes públicos confundem Estado laico com “ateu e totalitário”.
A deputada disse que o Estado é laico é o que não possui uma religião oficial. “Antigamente, quando o Estado era religioso, se alguém professava outra religião, o corpo não podia sequer ser sepultado em cemitério público”, relatou ela, afirmando que nenhuma religião pode sofrer perseguição por qualquer que seja o setor da sociedade. “A nossa Constituição garante a liberdade de culto religioso”, disparou.
Silvana cobrou também que a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia aprove um projeto de sua autoria que trata do acesso de ministros de cultos à presídios, através de apresentação de documento. “Quando eu trago esse projeto para essa Casa é porque quero fazer uma chamada para nosso culto. Que eles queiram mesmo se cadastrar, que procurem a Secretaria de Segurança para ter acesso mais fácil e adentrar nos presídios levando fé e assistência psicológica”, discorreu.
A deputada Mirian Sobreira sugeriu que as próprias instituições entrassem em contato com as entidades religiosas para que essas ações sejam iniciadas. “O ser humano é quem precisa ser cuidado e tratado. Nós sabemos que as entidades religiosas é quem faz esse trabalho da melhor maneira possível”, apontou. Silvana Oliveira, por sua vez, disse que muitos pastores sentem dificuldades para entrar nesses estabelecimentos e com o cadastramento seria evitado qualquer constrangimento com tais líderes religiosos.
Segundo disse a peemedebista, ainda que muito tenha se investido em segurança pública, poucos foram os resultados obtidos, o que pode ser devido à “falta de Deus” na vida das pessoas. Vice-líder do Governo, o deputado Augustinho Moreira (PV) salientou que, como advogado orientava aos presos a ingressar em grupos religiosos, que levam a palavra de Deus e o conforto espiritual. “A palavra dos missionários é reconfortante e muitos presos saem do crime após conhecer os ensinos religiosos”. Tanto Augustinho quanto Mirian Sobreira, se comprometeram a fazer uma visita a locais de reabilitação de presos juntamente com Silvana.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs