Edison Silva

Categoria: Defensoria


11:04 · 16.01.2017 / atualizado às 11:04 · 16.01.2017 por

A Defensoria Pública do Estado do Ceará tem um quadro de 467 defensores, segundo a última Lei Complementar, aprovada pela Assembleia Legislativa, em dezembro passado, e sancionada pelo governador Camilo Santana, na última sexta-feira. A nova lei está distante do que havia sido proposto pela própria Defensoria há algum tempo, mas garantiu aos defensores algumas vantagens, inclusive a pecuniária.

Dos 467 defensores públicos, 47 vão trabalhar diretamente com os processos chegados ao Tribunal de Justiça do Ceará, é o grupo chamado do segundo grau. Estes, pela nova lei, terão de subsídios mensais R$ 30.471. Na entrância final ficarão 207 defensores e mais 7 auxiliares com subsídios de R$ 28.947,55. Na entrância intermediária serão lotados 98  defensores e mais  10 auxiliares com subsídios de R$ 27.500,17. E, finalmente, na entrância inicial ficarão 88 defensores e 10 auxiliares com subsídios de R$ 26.127,17. Esses valores, segundo a lei em vigor, serão alcançados com majorações progressivas que se darão de acordo com as dotações orçamentárias da própria Defensoria.

09:37 · 14.10.2016 / atualizado às 09:37 · 14.10.2016 por

Por Miguel Martins

 

Mariana Lobo, defensora-pública Geral, voltou ontem à Assembleia para falar com os deputados sobre o projeto da Defensoria. FOTO: Helosa Araújo.
Mariana Lobo, defensora-pública Geral, voltou ontem à Assembleia para falar com os deputados sobre o projeto da Defensoria. FOTO: Helosa Araújo.

Advogados, promotores e defensores públicos estiveram presentes, na manhã de ontem, na Assembleia Legislativa, cada qual defendendo demandas de seus interesses. No caso da Defensoria Pública do Estado do Ceará, o objetivo da ida de seus representantes até a sede do Poder Legislativo visava pressionar o Governo, junto à Presidência da Casa, para a inclusão de uma emenda discutida com o Executivo, para melhoria dos serviços prestados pela categoria.
Na manhã de ontem, a Defensora-Geral, Mariana Lobo, esteve reunida com o presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque (PDT), que se comprometeu em averiguar a data de chegada da emenda ao Poder Legislativo. De acordo com a presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará, Sandra Sá, a categoria vai seguir participando das sessões ordinárias da Casa, e só deixará de pressionar a base governista quando houver aprovação da emenda ou do projeto original.
“Ante do recesso foi formada uma comissão e passamos a negociar com o Governo uma emenda. Tratamos com a Seplag, PGE e chefia de gabinete, e agora aguardamos ela vir para a Casa e que seja votada”, disse Mariana Lobo. De acordo com ela, a alteração foi proposta pelo Governo e trata sobre uma melhor estrutura da Defensoria no Interior do Estado.
“A gente espera que essa emenda chegue e que o acordo seja cumprido e o Projeto de Lei seja aprovado”, disse. Questionada sobre o teor da conversa com o presidente do Poder Legislativo, a defensora afirmou que não houve qualquer avanço. “A conversa não adiantou de nada, porque ele disse apenas que vai se informar para saber quando a emenda chega”, apontou.
Segundo Sandra Sá não mais o que negociar com o governador do Estado, Camilo Santana, e caso a matéria não seja aprovada, junto com a emenda negociada com a gestão, poderá haver paralisações e estado de greve. “Agora acabou a negociação da categoria com o Governo. Nosso dialogo se encerrou e a gente só sai daqui com essa emenda aprovada. Inclusive vou propor uma Assembleia Geral Extraordinária para decidir sobre paralisações e estado de greve”, disse.
De acordo com ela, as negociações estão sendo feitas há dois anos, e toda vez, mesmo o Governo afirmando entender a situação da categoria, sempre dá um jeito de começar as discussões do zero. “A gente está lidando com um Governo que esperamos cumprir com o que se compromete”, disse. Ontem, os defensores chegaram a ser barrados na porta de entrada da Assembleia, mas depois de um breve tumulto, o acesso deles foi permitido.
Há quase quatro meses há uma discussão entre a categoria e o Poder Executivo, desde que a matéria que beneficia os defensores foi retirada de pauta para maior discussão com o governador Camilo Santana. Segundo dizem, houve diálogo com as esferas jurídica e financeira do Governo. O texto da emenda acordada com o Executivo trata, dentre outras coisas, a mudança na redação dos termos ed isonomia, que ficam para setembro de 2017, e, inclusive, já está no projeto orçamentário da Defensoria.
“Retiramos tudo o que o Governo achava que não era importante no momento e deixamos três pontos que ele acatava que são o tratamento isonômico a partir de setembro de 2017, a questão dos plantões e as macrorregiões que é urgência, visto que estamos sofrendo dezenas de ações do Ministério Público”. De acordo com Sá devido a falta de um projeto regulamentando os novos mecanismos da Defensoria Pública, a organização do órgão segue a mesma de 2009.
Ela citou, por exemplo, o caso de Sobral, que não tem nenhum cargo de defensor, onde todos que lá estão foram designados. Por conta disso, o Ministério Público tem ingressado com ações para retirar o defensor do local para transferi-lo onde ele tem a titularidade. “Acontece que a designação dos defensores se dá pela Defensoria do Estado. Para você ver o absurdo que estamos sofrendo pela demora na aprovação desse projeto de Lei”, reclamou.
A Defensoria Pública do Estado acredita que a emenda acordada é mais interessante para o Poder Executivo, e como houve obstáculos colocados pelo governador Camilo no momento da aprovação da matéria em junho passado, ela espera que pelo menos a emenda seja enviada. “Estamos lidando com a negociação há dois anos, e a gente entende a situação e acaba recomeçando do zero. Estamos lidando com um Governo que esperamos cumprir com o que se compromete”, disse Sandra Sá.

09:35 · 06.12.2012 / atualizado às 09:35 · 06.12.2012 por

Amanhã, sexta-feira, os defensores públicos do Estado do Ceará vão eleger a nova diretoria da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará. A votação acontece durante o dia todo no Centro de Convenções do Complexo São Mateus, Torre Saúde, na Av. Santos Dumont, em Fortaleza. A defensora pública Sandra Moura de Sá será eleita presidente da Associação, vez que não haverá disputa. Ela promete que a nova gestão terá “o firme propósito de buscar a efetivação dos pleitos da categoria”.

 O restante da diretoria é composta por Leonardo Moura Júnior, Camila Vieira, Eduardo de Andrade Vilaça, Leandro Bessa, Sâmia Farias, Aline Pinho, Heitor Estrela Gadelha, Maria Ocileide Ramos, Raimundo Nonato Albuquerque, Patrícia de Sá Leitão e Emerson Castelo Branco.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs