Edison Silva

Categoria: Desistências


17:26 · 04.09.2018 / atualizado às 21:02 · 04.09.2018 por
Renúncia de Mirian Sobreira (PDT) e Vicente Arruda (PR) confirmada pela Justiça Eleitoral. Imagem: DivulgaCand

O deputado federal Vicente Arruda (PR), que disputaria reeleição, e a deputada estadual Mirian Sobreira (PDT), que também buscaria uma cadeira na Câmara dos Deputados, não são mais candidatos. Mirian, segundo a última atualização do sistema DivulgaCand, gerido pelo Tribunal Superior Eleitoral, na tarde desta terça-feira (4), confirmou à Justiça Eleitoral a desistência da postulação. Já Vicente Arruda teve pedido de registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral.

O parlamentar do PR chegou a desconversar sobre as primeiras notícias surgidas sobre possível renúncia. Confrontado por telefone no dia 18 de agosto, negara a informação. “Não procede. Não tenho nada a declarar”, disse na ocasião. Agora, Vicente Arruda está inapto nas eleições de 2018, por irregularidade em quitação eleitoral, segundo decisão da juíza Kamile Moreira Castro.

A deputada estadual Mirian Sobreira também não aparecerá nas urnas eletrônicas no dia 7 de outubro. A parlamentar, que pretendia trocar a Assembleia Legislativa pela Câmara, já havia confirmado ao Diário do Nordeste a comunicação da renúncia ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE). A candidatura da pedetista estava a cargo do desembargador Inácio de Alencar Cortez Neto.

Apesar de demonstrar indisposição à disputa eleitoral, teve o nome incluído na lista de candidatos no último dia das convenções partidárias, 5 de agosto. Mirian afirma que se dedicará na campanha do filho, Marcos Sobreira, postulante a uma das vagas no Legislativo estadual.

Desistentes

Além de Mirian Sobreira, também desistiram os candidatos à Assembleia Legislativa João Paulo (Patri), Itamar Andrade (Patri), Roberto Mesquita (PROS) e Ruthmar Xavier, e à Câmara dos Deputados Julia Kecia (PCO), Mariana Macedo (PMN) e Paulo Facó (Patri).

11:51 · 14.07.2018 / atualizado às 11:51 · 14.07.2018 por

Por Miguel Martins

 

A deputada Mirian Sobreira anunciou sua desistência de participar da disputa eleitoral deste ano Foto: José Leomar

A deputada Mirian Sobreira (PDT) anunciou,  recentemente, durante lançamento da pré-candidatura do filho, Marcos Sobreira, que não disputará qualquer cargo no pleito deste ano para cuidar da saúde. Somam-se a ela ao menos outros quatro parlamentares da atual composição da Assembleia Legislativa, que tendem a desistir de mais um mandato no Legislativo cearense.
Outros quatro integrantes da Casa vão para a disputa de deputado federal, totalizando assim, ao menos nove nomes que poderão estar fora da disputa a um dos 46 assentos na Assembleia. Além de Mirian, já deram certeza de que não disputarão qualquer cargo em outubro próximo os deputados Odilon Aguiar (PSD) e Yuri Guerra (PP), este último suplente.
Manoel Santana (PT) e Joaquim Noronha (PRP) também podem ficar de fora da disputa eleitoral que se avizinha, mas ainda não definiram uma posição sobre o tema. No caso do petista, segundo explicou, ele está aguardando recurso a reprovação de suas contas de quando ele foi prefeito do Município de Juazeiro do Norte. Já Noronha, que é empresário, ainda estuda junto a aliados e familiares se tentará retornar à Casa.
“Eu tenho problema no TCM com prestação de contas que não fiz, e estou apresentando a prestação de contas, a maior parte do dinheiro foi devolvido, e estou pedindo que seja considerado”, disse o deputado Manoel Santana ao Diário. O parlamentar afirmou que não registrará candidatura correndo o risco de ter o registro impugnado pela Justiça Eleitoral. O plano B, assim como a deputada Mirian Sobreira, é apoiar o filho, Gabriel Santana, do PCdoB.
“Essa é uma decisão que o TCU já aceitou em outros casos e espero receber o mesmo tratamento que os outros. Se resolver, tudo bem. Se não, vou apoiar o Gabriel Santana e espero que quem me apoiou, apoie ele. Só vou registrar candidatura se tudo estiver resolvido, porque não vou correr o risco de impugnação”, disse. O petista alegou ainda que na ocasião, ele não era ordenador de despesas e que a pessoa responsável por ordenar despesas teve sua prestação de contas aprovada.
O deputado Odilon Aguiar, que também não será candidato no pleito deste ano, afirmou que trabalhará para eleger seu líder, Domingos Filho, deputado estadual. “Fazemos parte de um grupo liderado pelo Domingos Filho e fiz opção de procurar uma alternativa profissional que me dê estabilidade de vida. Vou me dedicar à vida profissional e focar na estabilidade, porque a política não dá isso”, justificou.
Joaquim Noronha, por sua vez, afirmou que está analisando junto à família e correligionários se tentará ou não ir para mais uma disputa. Ele afirmou que tomará decisão nos próximos dias antes das convenções partidárias. Empresário, o parlamentar quer se dedicar aos negócios. Nos corredores da Casa, outros parlamentares afirmam que ele não será candidato.
Já a deputada Mirian Sobreira, que lançou pré-candidatura do filho ontem, em evento realizado na Assembleia, afirmou que precisa cuidar da saúde e não teria como enfrentar mais uma campanha eleitoral. “Se eu engordar mais cinco quilos, vou ficar com sérios problemas no fígado. Tenho que fazer tratamento e preciso desse tempo. Não tem como ir para a campanha com uma saúde fragilizada”, disse. Ela afirmou ainda que a Casa precisa de renovação, de “sangue novo”. “Os deputados não podem querer se eternizar aqui”.
<CF62>Câmara
</CF>O suplente de deputado Yuri Guerra, de apenas 28 anos, disse ao <CF61>Diário do Nordeste</CF> que ainda é jovem e que por isso vai apoiar a candidatura de Zezinho Albuquerque (PDT) à reeleição. “Ele me convidou para eu desistir de minha campanha e apoiá-lo para deputado, e, consequentemente, ficarei com experiência para voltar para Casa daqui a quatro anos”.
Além desses parlamentares que não disputarão qualquer cargo no pleito deste ano, outros quatro desistiram de tentar reeleição e vão tentar uma das 22 vagas a deputado federal, na Câmara dos Deputados. São eles: Rachel Marques (PT), Tomaz Holanda (PPS), Capitão Wagner (PROS) e Robério Monteiro (PDT). Com isso, quase uma dezena de assentos ficaram vagos para novas postulações.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs