Busca

Categoria: Direção do PP


08:46 · 06.06.2016 / atualizado às 08:46 · 06.06.2016 por

Por Miguel Martins

 

Deputado federal Macedo do PP é um dos que estão tratando de unir o partido no Ceará, após a revolta contra Adail C arneiro
Deputado federal Macedo do PP é um dos que estão tratando de unir o partido no Ceará, após a revolta contra Adail C arneiro

Após discussão e até judicialização para saber quem comandava o Partido Progressista (PP) no Ceará, a sigla está procurando unidade, e na próxima segunda-feira todas as lideranças do grêmio devem se reunir para garantir o consenso em torno da aliança com o governador Camilo Santana. A informação é do deputado federal Macedo, que esteve, ontem, reunido com o presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque (PDT), tratando sobre os detalhes de unificação da legenda em todo o Estado.
Em consequência da votação do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff na Câmara, o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), chegou a destituir a atual direção do partido no Ceará e passou o comando do diretório regional da sigla ao deputado federal Adail Carneiro, que votou favorável ao impedimento da petista. O voto do parlamentar surpreendeu governistas e até opositores, pois, Carneiro havia se comprometido em votar contra o impedimento da petista.
Logo após receber o comando do partido, o deputado recebeu duras críticas de parlamentares do PP na Assembleia, que diziam não se sentir representados por ele. No entanto, em maio passado a Justiça estadual devolveu para o ex-deputado federal Padre José Linhares e para o prefeito de Massapê, Antônio Albuquerque, o comando do grêmio no Ceará.
Para Macedo, tudo está tranquilo no partido. Na manhã de ontem, ele conversou com Zezinho Albuquerque acertando os detalhes para a reunião que acontecerá na segunda-feira com todas as lideranças do partido, que tem seis deputados na Assembleia Legislativa e dois deputados federais na Câmara. “Provavelmente, nesta reunião segunda-feira, vamos definir as metas do partido para, se manter junto com o Governo Camilo Santana, ficar na base de apoio para dar governabilidade a ele”, disse. Segundo o parlamentar, houve “um pequeno desgaste” na legenda, mas este já foi superado e toda a bancada está comprometida com o governador
“A situação no partido está a mais cômoda possível. O PP está unificado, e agora assumindo os espaços que foram criados no novo Governo Federal. A questão do impeachment está sendo trabalhada em processo que será votado no Senado”, disse ele ao explicar seu alinhamento com o Governo do presidente Michel Temer. Macedo votou contrário ao impedimento da presidente Dilma Rousseff na Câmara Federal, em abril passado.
“O partido entendeu meu voto de maneira normal, porque a questão do impeachment é muito difícil de criar um consenso. È um posicionamento pessoa, e eu sempre estive na base do Governo anterior, e seria interpretado de forma estranha se eu votasse a favor do impeachment”, explicou”.
Para Macedo a Câmara Federal está, aos poucos, voltando a sua normalidade, inclusive, aprovando matérias de importância para a sociedade. Dois problemas impediam que as votações tivessem prosseguimento: o não reconhecimento do presidente interino Valdir Maranhão (PP-MA) e a demora na escolha do líder do novo Governo na Casa. “A questão do presidente Valdir Maranhão está pacificada, houve deslize da parte dele, mas foi corrigido. A paralisação ocorreu porque houve demora para o novo Governo assumir e escolher um líder”.
Outro impasse que os deputados federais do Ceará estão enfrentando diz respeito à coordenação da Bancada Cearense, visto que o atual coordenador do grupo, José Airton Cirilo (PT), faz oposição ao Governo Temer, enquanto que metade do colegiado está divido entre governistas e opositores. Macedo defende a permanência do colega petista no comando dos trabalhos da Bancada, visto que Cirilo, em sua opinião, tem atuado de forma exemplar.