Busca

Categoria: Efetivação


09:06 · 07.11.2016 / atualizado às 09:06 · 07.11.2016 por

Por Miguel Martins

A Assembleia Legislativa do Ceará passará por mudanças em sua composição, a partir do dia 1º de janeiro do próximo ano, quando os cinco deputados estaduais eleitos forem empossados prefeitos. O mesmo deve acontecer na composição da bancada cearense na Câmara Federal, por conta da eleição de Moroni Torgan (DEM) e Arnon Bezerra (PTB), eleitos, respectivamente, vice-prefeito de Fortaleza e prefeito de Juazeiro do Norte.
Fato curioso é que parlamentares que não conseguiram se eleger nem para a Câmara Municipal de Fortaleza, com a alteração dos quadros no Legislativo Estadual, assumirão assentos daqueles que deixam a Assembleia. Na Câmara dos Deputados assumirá Vaidon Oliveira, que sequer conseguiu 10 mil votos na disputa eleitoral de 2014.
O ex-deputado Mário Hélio, atualmente no PDT, por exemplo, foi o primeiro suplente da coligação entre PTdoB, PMN e PP e, com a saída de Zé Ailton Brasil (PP) da Assembleia, assume a vaga deixada pelo colega. Hélio foi candidato a vereador neste ano e não obteve êxito, ficando na suplência da coligação formada por PDT, PP, PTB e PRO, com somente 6.190 votos.
O suplente Leonardo Araújo, do PMDB, é outro que pode voltar aos quadros da Assembleia Legislativa, agora efetivado, com a saída de Carlomano Marques (PMDB) para administrar a Prefeitura de Pacatuba.
Com as vitórias de Naumi Amorim, Ivo Gomes e Laís Nunes, que fizeram parte da coligação PRB, PT, PTB, PSL, PHS, PV, PSD e PROS, se efetivam os seguintes deputados estaduais, que hoje são suplentes: Fernando Hugo (PP), Dedé Teixeira (PT) e Rachel Marques (PT).
Secretários
Teixeira, como é secretário de Governo, tende a se manter na função. Neste caso, chamaria Sineval Roque (PDT) e, em seguida, Artur Bruno (PT), que também é secretário. Com isso, entraria Gelson Ferraz (PR), que assim como Mário Hélio não conseguiu se eleger a vereador de Fortaleza no pleito deste ano.
Sobra mais uma vaga que seria preenchida pelo ex-secretário de Segurança do Governo Cid Gomes, Coronel Bezerra, que só obteve 18.365 votos em 2014. Tais vagas dizem respeito aos espaços deixados pelos três deputados efetivos que hoje são secretários do Governo Camilo Santana. São eles: Miriam Sobreira (PDT), Jeová Mota (PDT) e Odilon Aguiar (PMB).
Como dois deputados federais foram eleitos para cargos majoritários neste ano no Ceará, também haverá mudança na composição da bancada cearense na Câmara Federal. Na vaga de Moroni Torgan, vice-prefeito eleito, assume Vaidon Oliveira, que obteve pouco mais de 9 mil votos em 2014. Ele vai deixar o PMDB para ingressar no DEM, partido de Moroni.
Outros suplentes
Arnon Bezerra foi o único deputado federal que conseguiu vitória na disputa no primeiro turno, eleito prefeito de Juazeiro do Norte, uma das maiores cidades da Região do Cariri. Com a saída de Bezerra, o primeiro da linha sucessória na Câmara Federal seria Vicente Arruda, mas este já está em mandato na Casa, pelo PDT, como suplente.
Em seguida vem Ariosto Holanda, que, também na função de suplente, já atua na Câmara dos Deputados. Logo após Holanda vem Inácio Arruda, do PCdoB, atual titular da Secretaria de Ciência e Tecnologia do Governo Camilo Santana.
Caso Arruda não seja exonerado para assumir a função parlamentar, assume Paulo Henrique Lustosa (PP), que em 2015 já esteve durante alguns meses na função parlamentar no lugar deixado por Adail Carneiro (PP), que havia se licenciado para atuar como assessor especial do Governo em Brasília.